quinta-feira, 27 de abril de 2017

UMA SESSÃO MÉDICA



As prescrições do dr. Barnett para a tuberculose, o cancro, e a sífilis - Dr. Barnett é questionado pelos médicos quanto às suas fórmulas. O autor discorre sobre os prós e contras dos tratamentos sugeridos
O Doutor Barnett era um guia controlador do médium GEORGE VALIANTINE

Terça-feira, 24 de março de 1925
Os registos dos eventos supranormais contidos neste livro são estabelecidos na ordem precisa e na data em que ocorreram. A sequência dessas sessões médicas, que se estendeu de 24 de março a 17 de abril, é, no entanto, mantida no capítulo seguinte. Enquanto isso, outras sessões foram intercaladas, e o capítulo que acompanhe isso continuará o registo pessoal de 25 de março.
Aqueles que leram "Rumo às Estrelas" lembrar-se-ão do que o Dr. Barnett disse (Capítulos XVIII e XIX desse livro) que ele nos transmitiria numa data posterior os tratamentos para certas doenças humanas.
Ele nos disse que devíamos ter cuidado na seleção dos médicos qualificados que deviam estar presentes para anotar as fórmulas.
Tínhamos discutido esse assunto com o Dr. Barnett em várias ocasiões e tínhamos feito arranjos para realizar a primeira sessão com esse propósito na data acima referida.
Os dois médicos que foram convidados a estar presentes foram o Dr. Abraham Wallace de Park Crescent, Portland Place, e o Dr. T. Moore O'Donnell, de Oxted.
Estavam presentes Valiantine, a minha esposa, o Sr. Hannen Swaffer, o Dr. Abraham Wallace, o Dr. Moore O'Donnell e eu (Hernert Bradley).
Todos nos sentamos com almofadas de escrever sobre os joelhos para gravar o que foi dito, e, além disso, Anthony ficou sentado à porta a uma mesa na qual havia uma lâmpada vermelha, para que ele pudesse também registar e verificar todas as declarações.
Apenas o disco de gramofone tinha sido posto a tocar, quando a voz do Dr. Barnett nos cumprimentou com um "Boa noite, almas."
Dr. Abraham Wallace colheu uma considerável experiência de fenômenos psíquicos. Ele foi durante algum tempo no Conselho da SPR, (Reserva Estratégica do Petróleo) mas tinha-se demitido.
O Dr. O'Donnell estudou psíquicos por mais de trinta anos, mas nunca antes participara numa sessão de voz directa.
Eu apresentei os dois médicos ao Dr. Barnett.

Tuberculose
DR. BARNETT (para os dois médicos): Vocês dois estão qualificados para receber esta grande Verdade pelo bem da humanidade?
Tendo sido dada uma resposta afirmativa, o Dr. Barnett prosseguiu.
DR. BARNETT: Nós ficamos bastante desapontados com algumas das almas da terra. Vou agora dar-lhes um tratamento para a tuberculose.
Após as duas fórmulas, desejo dar a conhecer as proporções, o que usar e o que não usar.
A primeira é Squill, (Ou Scilla, mais conhecida por Drimia marítima, planta originário do Mediterrâneo) para fortalecer os brônquios e estimular a mucosa brônquica.
Em seguida, para os pulmões:
Datura Stramonium (Figueira-do-Diabo) que, em forma de fumo deve ser dada ao paciente. Coloque o paciente numa sala onde ele possa inalar o fumo.
Se o paciente não estiver muito aflito, a primeira aplicação deverá ser usada.
Devem dar ao paciente um copo de Chá de Malva muito forte para libertar os intestinos. Quando os intestinos estiverem lavados, dar uma xícara de Chá de Raiz de Sangue. O Chá da Raiz do Sangue estimula as artérias e assim ajuda a circulação do sangue do sistema.
Então devem dar um banho com Folhas medicinadas da Goiaba, e adicionar ao banho uma meio-quartilho de Flores do Enxofre. Coloquem o vosso paciente no banho tão quente quanto consiga suportá-lo, deixando a água quente fluir gradualmente. Não manter o paciente nele muito tempo. Cinco minutos serão suficientes.
Em seguida, o paciente deve receber bastante ar fresco e luz solar. Se puderem conseguir luz solar artificial será melhor.
Agora preciso descansar um pouco."
A voz do doutor Barnett eclodia muito alta e distinta pelo que será, naturalmente, difícil a um espírito materializar a voz e continuar a falar por algum tempo sem fazer pausa. Foi colocado um disco no gramofone e logo o Dr. Barnett retomou.
Dr. BARNETT: Devem tentar eliminar alimentos gordurosos ou carnes gordas. Deem ao paciente caldo de carne ou de frango.
O paciente não deve fumar; Fumar vai prejudicar. E álcool nenhum, de qualquer espécie - só quando o paciente se animar poderá tomar um pouco.
O exercício físico é muito importante, mas não exagerem.
Prestem atenção ao vosso paciente com muito cuidado enquanto lhe estiverem a ministrar o tratamento. Menciono isso porque é muito importante que o paciente esteja sob observação. O paciente deve receber cuidados por parte de uma enfermeira, pois muitas vezes ele vai tentar conseguir tabaco, drogas ou bebidas alcoólicas, o que o afectaria. Seria benéfico que o paciente pratique respiração profunda.
(Uma ligeira pausa.)
Tomem isto com muito cuidado. É aqui que introduzimos o Antimônio enquanto parte do tratamento. Uma injeção de Antimônio deve ser administrada uma vez por dia.
(Outra pausa.)
Massagear o peito e as costas diariamente com a seguinte aplicação: Um dracma de terebintina, um dracma de álcool, uma onça de azeite de oliva, e um dracma de cânfora líquido.
Esse é o tratamento.
O Dr. Barnett prosseguiu dizendo que não poderia continuar a falar mais nessa noite, mas que continuaria as instruções na sessão seguinte.
Ele perguntou se gostaríamos que um ou dois dos outros guias viessem falar com a gente, e, naturalmente, concordamos.
Bert Everett veio e falou connosco durante um bocado no seu tom agudo.
Kokum, no seu maravilhoso tom potente, falou connosco e nos contou o prazer que Pat (meu filho) tinha sido em conversar com ele na sessão do sábado anterior.
Pat O'Brien falou durante um bom bocado, ficando mais tempo do que o costume. Conversou com o Dr. Wallace, e por algum tempo com o seu compatriota, o Dr. O'Donnell.
Enquanto Kokum esteve lá ele levantou uma das trombetas luminosas, e a fez esvoaçar em volta da sala, indo até o teto e batendo nele.
Feda conversou com vários de nós. A sessão foi encerrada.
Sábado, 28 de março de 1925
Esta sessão foi realizada especialmente com o propósito de transmitir as fórmulas para o tratamento de doenças. Tinha sido providenciado que o Dr. T. Moore O'Donnell deveria participar para anotar as fórmulas, e que ele deveria posteriormente consultar o Dr. Abraham Wallace.
Estavam presentes Valiantine, a minha esposa, a senhorita Madeleine Cohen, o Sr. Hannen Swaffer, o Dr. T. Moore O'Donnell, e eu.
Como antes, Anthony encontrava-se sentado a uma mesa do lado de fora da sala, a tirar as notas verbais do processo à luz de uma lâmpada vermelha.
Depois de alguns minutos, a voz do Dr. Barnett apareceu e, ao cumprimentar-nos, disse: "Quero dar algumas palavras ao médico." No que diz respeito ao tratamento da tuberculose que foi dado no início da semana, ouvi os médicos dizer que alguns dos remédios eram antiquados... Vocês melhoraram a maneira que a natureza tem de produzir os vossos bebês terrenos? Eu estou a dar os remédios da natureza - o que a natureza forneceu para o vosso corpo físico.

CANCRO
DR. BARNETT: O tratamento do cancro é muito simples e fácil. O que eu estou a dar-lhes agora é uma preparação que nunca foi investigada pelos médicos humanos; é xarope de Wild Cactus Fruit, (Opuntia) que é chamado de "Prickly Pear" (Pera Espinhosa). Claro que vocês já ouviram falar de Wild Cherry (Cereja Selvagem). Estes dois devem ser misturados juntos numa forma de xarope e ser ministrados três onças diariamente ao paciente que estiver aflito com cancro.
Para o outro remédio, uma colher de chá de açúcar - ou seja, açúcar de beterraba - com quatro gotas de Espírito de Terebintina. Tomar pela manhã, e pela noite, ao se retirar.
O seguinte é um Enacular* de Fosfato, Estricnina e fosfatos de cálcio, e Hipofosfato de ferro.
Desejo afirmar que Antimônio e Óleo de Chaulmoogra Este deve ser injectado.
(Pausa)
O doente deve ser tratado com Raios Vermelhos. As entranhas do paciente devem ser cuidadosamente mantidas abertas. O vosso paciente precisa de um banho de sal de Epsom; Uma meia libra de sais de Epsom no banho. O paciente deve permanecer ali por dez a doze minutos. O corpo não deve ser enxaguado ou seco completamente. O quarto deve ter uma boa temperatura.
Vocês precisam entender que o Xarope de Cactus irá eliminar o cancro em pessoas que sofram de um ligeiro ataque. Xarope de cacto é um purificador de sangue que irá restringir a doença.
Se vocês tiverem casos como úlceras cancerosas você devem usar Brometo de Potássio e Sulfato de Zinco e Petróleo. Misturem esses ingredientes junto com as flores do Enxofre e do Alumínio pulverizado, e apliquem-nos à parte afligida com um ferro muito quente (coloquem alguma peça de lã de algodão sobre a parte superior antes de colocar o ferro sobre ela). Isso deve ser feito duas vezes por dia, e se for possível, manipular (massagem) a coluna vertebral do cerebelo até as extremidades inferiores com uma fricção dada com as mãos.
Agora vou-lhes prescrever a dieta. A carne de todo tipo deve ser eliminada. Legumes, ovos e leite são óptimos. O leite deve ser fervido e resfriado antes de o dar ao paciente, e a água potável também. Deem ao paciente abundância de água.
(Em resposta a uma pergunta que lhe fora dirigida)
No caso de cancro avançado, como cancro na mama, o remédio deve ser aplicado localmente, entre o algodão medicado, por meio de um ferro quente.
Durante o tempo em que o Dr. Barnett esteve a prescrever o tratamento para o cancro, em diversas ocasiões ele respondeu a estranhas perguntas colocadas por meu filho, de fora da porta.
Depois que o Dr. Barnett foi embora, Bert Everett falou -nos por algum tempo; Kokum também. A pedido do Sr. Swaffer, pegou nas duas trombetas e fê-las girar pela sala. Swaffer pediu a Kokum que fizesse isso por causa da observação do Dr. O'Donnell, que ficou muito impressionado com essa manifestação física.
Pat O'Brien apareceu e falou-nos, e conversou com o dr. O'Donnell.
Annie (minha falecida irmã) falou-nos na sua voz independente, a mim e à minha esposa, dizendo que gostaria de fazer uma sessão particular, pois havia certas coisas que ela queria discutir comigo.
Ao me retirar para descansar na noite anterior a esta sessão, o travesseiro na minha cama foi mexido e colocado numa posição mais confortável para a minha cabeça, por mãos invisíveis. Antes disso eu tinha tido uma ou duas experiências semelhantes, mas não tão impressionantes quanto essa. Nessa ocasião, levantei a minha cabeça bem longe do travesseiro e levantei-me da cama - coloquei a cabeça a poucos centímetros do travesseiro. O meu travesseiro foi então erguido e colocado sobre a minha cabeça.
Quando minha irmã estava a falar comigo nessa noite, perguntei-lhe se ela estivera comigo na noite anterior, quando eu tinha ido descansar, e ela disse que estava comigo, e que me tinha deixado o travesseiro mais confortável.
Warren falou durante um bocado.
Segunda-feira, 30 de março de 1925
Esta sessão foi realizada às oito e meia da noite, com o propósito de receber as fórmulas para o tratamento de doenças dadas pelo Dr. Barnett.
Estavam presentes Valiantine, a minha esposa, o Dr. O'Donnell, a Srta. Madeleine Cohen, o Sr. Swaffer e eu. Anthony sentou-se, como antes, a uma mesa na qual estava colocada uma lâmpada vermelha, anotando um relato completo do processo.
Depois que um disco foi tocado no gramofone, o Dr. Barnett apareceu e deu-nos a sua saudação habitual.

SÍFILIS
DR. BARNETT: Vocês entendem que esse remédio é para fins sifilíticos. Agora, doutor, prescrevo o chá de Squill (Cila) para fazer o paciente vomitar. Em seguida, devem usar a casca da Raiz de Areca. Esse é o tônico a usar depois de ter levado o paciente a ponto de vomitar.
O tratamento seguinte que devem dar ao paciente é um grão de Mercúrio. Em seguida, outro é Anchita - que é o purgativo, também para a doença da pele. O próximo é Glicerofosfato de Estricnina e Cal.
O remédio seguinte a tomar internamente é Charcoal Magnésio (Carvão Ativado) e Enxofre. Pulverizem-nos muito bem, e deem uma colher de chá três vezes ao dia, entre os seus outros remédios.
Nas seguintes. Devem dar um tratamento com Óleo, Enxofre e Petróleo. Misturem-nos e esfreguem-nos sobre o corpo. Se o corpo não apresentar chagas, use Enxofre e Bórax em pó. Usem um pouco de Zinco Sulfurado. Aplicar em forma seca sobre as feridas. O paciente também deve ser banhado.
Agora em cada um destes tratamentos o paciente deve ter vontade de vomitar, e devem usar um purgativo que mexa livremente com os intestinos; Vocês devem usar esses remédios de acordo com as instruções que eu lhes dou. Esses remédios são muito simples, o tratamento reside na aplicação das diferentes fórmulas na ordem prescrita.
Os médicos deste lado da vida devem orientá-los e ajudá-los no vosso trabalho. Estou muito satisfeito por ter sido capaz de lhes dar estas fórmulas tão facilmente e de forma tão pronta, e falarei convosco mais tarde.
Depois de o Dr. Barnett ter ido, veio o espírito guia, Bert Everett, que conversou com a gente durante um tempo considerável. A sua voz soou muito potente nessa ocasião, e ele mostrou-se extremamente bem-humorado. Ele referiu-se a ter visto Valiantine na primeira noite de "Tarnish" no Vaudeville Theatre. Bert Everett e Valiantine, o médium, mantiveram uma conversa em conjunto sobre acontecimentos da noite anterior.
Kokum também veio, e falou com dois ou três de nós.
Em função dos humores pessoais, a trombeta luminosa foi erguida, e Miss Cohen foi abordada por sua mãe, e elas conversaram uma com a outra durante um curto período de tempo. A trombeta luminosa foi novamente erguida, e uma voz de espírito falou com o Dr. O'Donnell. O Dr. O'Donnell disse-nos que era o espírito da sua irmã Mary.
Uma voz de espírito usando a trombeta luminosa, falando do alto da sala, anunciou que era "George Kates," e disse que ele tinha sido o secretário da NSA - presumivelmente a Sociedade Espírita Americana. Este espírito tinha uma voz muito alta, e também anunciou que George Warne - o presidente se encontrava com ele. George Kates, ao falar com o Sr. Swaffer e comigo, disse que estávamos a fazer um trabalho esplêndido neste país.
Warren falou com a minha esposa, com o Sr. Swaffer e comigo.
No final, o Dr. Barnett disse que estaria preparado para responder a qualquer pergunta que os médicos lhe fizessem na sessão seguinte, depois de terem considerado as fórmulas que lhes tinham sido dadas.
Segunda-feira, 6 de abril de 1925
Esta noite foi dedicada às comunicações médicas. Dr. Abraham Wallace e Dr. T. Moore O'Donnell estudaram a fórmula prescrita para a tuberculose, o cancro e a sífilis, e tinham formulado as perguntas que queriam colocar ao Dr. Barnett sobre diversos aspectos.
Estavam presentes Valiantine, a minha esposa, o Dr. T. Moore O'Donnell, a Srta. Madeleine Cohen, o Sr. Swaffer e eu. Deve-se notar que o círculo não variou durante as duas últimas sessões dedicadas a estas comunicações médicas. Anthony, como de costume, estava fora da porta a tomar apontamentos.
Um disco de gramofone foi posto a tocar, e desde o momento da saudação a conversa do Dr. Barnett prosseguiu sem cessar por uma hora e meia. Ele falou consideravelmente sobre os vários aspectos, mas apenas os principais pontos que podem ser de valor foram registados. Deve ser entendido que as perguntas do Dr. Wallace e do Dr. O'Donnell foram colocadas pelo meu filho que se encontrava sentado fora da sala, e que registou as respostas conforme elas foram enunciadas directamente pela voz alta impressionante e distinta do espírito do Dr Barnett. As perguntas foram catalogadas de antemão, pois essa foi a maneira mais clara de as colocar.
TUBERCULOSE
DR. O'DONNELL: Por que eliminar gordura e carne da dieta?
DR. BARNETT: Quando digo gordura quero dizer carnes gordas, não leite, manteiga, azeite, etc. O vosso leite e água devem ser fervidos e resfriados antes de o darem ao paciente.
DR. O'DONNELL: Que efeito tem o Antimônio nos bacilos da tuberculose, e como é que limita os efeitos letais que apresenta - se for o caso - apenas aos tecidos doentes?
DR. BARNETT: É de acordo com a forma como vocês o ministram. A doença no tecido pulmonar causa ao paciente um enorme sofrimento, levando-se a ficar entupido. O Antimônio vai limpar os tecidos e construir as células. Depois do antimônio vocês devem dar o chá que prescrevi; que irá eliminar qualquer perturbação das partes saudáveis ​​dos pulmões.
DR. O'DONNELL: Que quantidade de antimônio e de óleo de Chaulmoogra devem ser injectados?
DR. BARNETT: Meio grão de antimônio e um dracma de óleo de Chaulmoogra uma vez por dia.
CANCRO
DR. WALLACE: O cacto selvagem da Pera Espinhosa ou Opuntia Vulgaris, ou que gênero do cacto?
DR. BARNETT: É um cacto de espinhos; As peras têm espinhos muito pequenos, que apresentam uma flor roxa. Vocês podem obtê-los na França, na Itália e na América.
DR. WALLACE: Será a Cereja Selvagem (Wild Cherry) a serotina Primus?
DR. BARNETT: É a Cereja Selvagem comum.
DR. WALLACE: Espírito de terebintina. Para que os sintomas e em que estágio da doença?
DR. BARNETT: Terebintina é para a limpeza do sangue, e para eliminar as secreções em que as irritações têm origem. Pode ser usada em qualquer fase.
DR. WALLACE: O que significa o termo "enacular"?
DR. BARNETT: *Significa fosfato de ferro e estricnina.
DR. WALLACE: Em que fase devem ser usados ​​os raios vermelhos?
DR. BARNETT: No começo. Raios elétricos vermelhos. Os raios vermelhos são algo completamente diferente dos raios violeta. Devem ser usados ​​uma vez por dia, e, se possível, devem ser usados na presença de luz solar ou de luz solar artificial. Numa exposição de dez a quinze minutos.
DR. WALLACE: Porquê os banhos de sais de Epsom?
DR. BARNETT: O banho de sais de Epsom é para purificar os poros da pele, e para penetrar nos tecidos delicados; e também para remover do corpo dores ou aflições.
DR. WALLACE: O que significa um ligeiro ataque?
DR. BARNETT: Um ligeiro ataque representa ​​os estágios iniciais.
DR. WALLACE: Você pode dizer se o cancro é de natureza bacteriana, ou se é principalmente uma mudança que se verifica nos núcleos, e uma mudança no conteúdo da célula; Ou se será um processo fisiológico pervertido ou a diminuição da vitalidade nos elementos nervosos - em especial no sistema nervoso simpático ou se será uma combinação de causas?
DR. BARNETT: É uma complicação resultante de perturbações das secreções do sangue causadas por certos alimentos e infecções, pela inoculação.
DR. WALLACE: Quais são as causas da predisposição e da excitação do cancro nas suas várias situações?
DR. BARNETT: É causado por erupções cutâneas; Pode-se verificar a menor aflição da pele, e a seguir adoptar uma feição cancerosa. Algumas pessoas desenvolvem uma predisposição para o cancro, e uma irritação que poderá ser passível de cura enquanto noutras poderá ser canceroso. Não é hereditário.
DR. O'DONNELL: De que modo o seu tratamento do cancro se compara com o tratamento pelo rádio?
DR. BARNETT: Não há comparação. O vosso rádio pode curar, mas não erradica a doença do sistema. A doença precisa ser conduzida pelos canais pela purificação do sangue.
DR. O'DONNELL: Como irá o seu tratamento chegar, digamos, ao fígado? Chaulmoogra e Antimônio serão suficientes?
DR. BARNETT: A aplicação do tratamento com antimônio e óleo de Chaulmoogra será suficiente, e atingirá o fígado.
SÍFILIS
DR. O'DONNELL: De que maneira o seu tratamento é uma melhoria em relação ao Jonathan Hutchinson de há quarenta ou cinquenta anos?
DR. BARNETT: Não há comparação. Estou apenas a prescrever uma dose moderada de mercúrio por dia. É o tratamento coletivo que terá o efeito, e não o mercúrio isoladamente.
DR. O'DONNELL: Como é que as espiroquetas serão destruídas, especialmente no líquido cérebroespinal?
DR. BARNETT: Eu desejo declarar que podem ser tratadas por um amaciamento dos ossos pelo emprego de fosfatos. Eu desejo recomendar aqui ao médico a penetração da coluna vertebral pelo Antimônio uma vez por dia, e com fosfato de cal e a estricnina você será capaz de penetrar a medula óssea.
DR. O'Donnell: O antimônio é o principal factor no tratamento?
DR. BARNETT: O Antimônio não representa uma parte muito substancial - os outros remédios que se seguem têm o maior efeito. O segredo está na combinação. Temos médicos aqui mais grandiosos do que no vosso plano físico. Durante milhares de anos temos tentado ajudar a humanidade, mas temos sido desconsiderados.
HDB: Você está, evidentemente familiarizado, Dr. Barnett, com o tratamento da sífilis pelo 606, que constitui uma descoberta dos últimos quinze anos. Pode dizer-nos o efeito final deste tratamento?
DR. BARNETT: Temos grandes médicos deste lado. Desejamos afirmar que estes tratamentos mais leves são mais eficientes do que os métodos modernos que vocês estão agora a empregar. Embora vocês tenham sido em certa medida capazes de ajudar os vossos pacientes, vocês não foram capazes de erradicar a doença.
Com relação ao 606, vocês têm sido capazes de ajudar os vossos pacientes, mas não têm sido capazes de erradicar a doença do sangue. Há uma possibilidade de recorrência posterior ao recurso ao 606, e pode ser grave para o paciente.
DR. WALLACE: Você pode dizer alguma coisa sobre as reações eletrônicas de Abrams? Você pode entrar em contacto com ele?
DR. BARNETT: Sim, discutimos isso neste lado da vida, e é muito eficiente. Sim, conhecemos Abrams, e discutimos o assunto.
...

Não posso exprimir qualquer opinião sobre se a fórmula que foi prescrita irá provar ser válida ou não. A tentativa vale a pena. Em qualquer caso, é estabelecido, sem dúvida, o fenómeno espantoso duma voz espiritual, que fala em tom elevado, que prescreve métodos de tratamento, muitos dos quais estão além de qualquer pensamento preconcebido daqueles que estão a ouvir. A teoria telepática não pode se aplicar a este fenômeno. É uma inteligência desencarnada, que transmite informações pela sua própria voz. Deve-se notar também que as respostas que foram dadas nos tons empregues pelo Dr. Barnett foram dadas de uma maneira inteligente, determinada e autoritária. A sua voz era maravilhosa em toda a sua extensão. Não apresentava pausas, nem a menor hesitação. Para mim, assim como para o Dr. O'Donnell, a fluência desta sessão foi extraordinariamente impressionante.
20h30 Sexta-feira, 17 de abril de 1925
Esta noite foi organizada para a última sessão com os médicos com respeito às fórmulas que tinham sido dadas pelo Dr. Barnett. Estiveram presentes Valiantine, a minha esposa, o Dr. T. Moore O'Donnell e a sua esposa, e o Dr. Abraham Wallace.
Nessa ocasião, Anthony tinha ido a Cambridge. Por conseguinte, eu assumi o seu lugar e sentei-me fora do quarto com uma mesa à minha frente - em que foi colocada uma lâmpada elétrica e um bloco de escrita, a fim de eu poder gravar o que ocorresse.
Dentro de cerca de um minuto ouvi o Dr. Barnett falar, e o que se segue são as breves anotações que fiz das conversas que se seguiram.
DR. BARNETT: Boa noite, almas. Estou muito feliz por os ver aqui esta noite.
DR. WALLACE: Lamento não ter podido vir antes, mas li e gostei das declarações que fez. Posso fazer-lhe algumas perguntas?
DR. BARNETT: Ficarei muito contente por lhe responder.
DR. WALLACE: Estou interessado na causa do cancro. Pode dizer-me quais as causas que assistem à predisposição, e se elas são modificados pela ingestão de carne?
DR. BARNETT: São, mas às vezes também são causadas ​​pela ingestão de vegetais, devido às substâncias de decomposição da terra.
DR. WALLACE: Você quer dizer que as causas são absorvidas?
Dr. Barnett: Sim, pela infusão causada pela terra nos legumes.
DR. O'DONNELL: Você quer dizer as substâncias de decomposição que entram na matéria vegetal?
DR. BARNETT: Sim. Ambos misturam-se com os sucos gástricos e são absorvidos em conjunto. Você sabe que os animais também contraem cancro.
DR. WALLACE: Quer indicar a patologia? É mais ou menos uma doença do sangue? E diz-nos dizer também qual é a causa determinante do local?
DR. BARNETT: Como sabem, às vezes é sobre o coração, às vezes sobre o fígado, e às vezes sobre o peito.
DR. WALLACE: O que faz com que ele se localize no fígado?
DR. BARNETT: É causado pela transfusão do sangue através de vários locais orgânicos.
HDB (Eu interponho de fora da sala): Você quer dizer com isso, Dr. Barnett, que é provável que ataque os órgãos mais fracos?
DR. BARNETT: Sim, atacará a parte mais sensível da organização.
DR. WALLACE: Suponha que haja indícios locais de um ataque ao peito feminino? Como se deve tratar isso? Se o peito da mulher se apresentar inchaço e não tivermos a certeza, mas presumirmos que seja cancerígeno, de que modo deverá ser tratado?
DR. BARNETT: Disse-lhes isso. O tratamento deve ser feito através do ferro com aplicações locais, a fim de espalhar o sangue.
DR. WALLACE: Quando se deve aplicar o tratamento dos raios vermelhos?
DR. BARNETT: Os raios vermelhos devem ser usados ​​desde o primeiro estágio até ao último. Vocês devem seguir as instruções que eu dei.
DR. WALLACE: Suponha que a doença esteja na fase de úlcera. Deverá o ferro ser usado?
DR. BARNETT: Deve. Enriquecerá os tecidos circunvizinhos, e protegerá as outras partes do corpo.
Depois destas poucas perguntas tinham sido respondidas o Dr. Barnett disse que os tratamentos que tinham sido prescritos para as várias doenças foram desenvolvidos a partir das inteligências combinadas dos doutores do seu lado. Ele disse que com ele, nessa noite, estavam o Dr. Gustave Geley e o Dr. Peebles, que haviam passado desta vida na Califórnia. Com essa observação, o Dr. Wallace pediu ao Dr. Barnett para remeter ao Dr. Peebles os seus cumprimentos.
Voltando aos vários tratamentos, o Dr. Wallace fez ao Dr. Barnett uma pergunta a respeito do uso do Antimônio e disse: "É injectado nos vasos sanguíneos?" Dr. Barnett respondeu: "Sim, a doença deve ser tratada como uma doença do sangue, e você deve chegar ao seu âmago."
Depois de várias outras perguntas terem sido tratadas, o Dr. Barnett chamou-me num tom de voz elevado: - “Sr. Bradley, agora pode entrar na sala.” Posto isso, coloquei as minhas notas de lado e juntei-me ao círculo.
A sessão prosseguiu. O círculo foi realmente bom, e o poder revelou-se particularmente forte.
Kokum e Bert Everett chegaram e conversaram com a gente, e Pat O'Brien também falou durante um tempo com a maioria dos assistentes e, ao se dirigir a mim, foi bastante jocosa, dizendo: "Sr. Bradley, você disse que você só escreveria um livro sobre assuntos psíquicos, mas agora você quase completou outro, e vai achar muito difícil escapar deste assunto uma vez que se sente atraído por ele. Você vai escrever mais do que estes dois livros. 1
Bert Everett apresentou-se bem-humorado e fluente na conversa que entabulou, e a voz de Kokum troou pela a sala.
1 Confio sinceramente que não. O assunto é de tal modo inesgotável que deixa o escritor esgotado. Desejo refrescar-me com a fantasia satírica, como meio de me dissipar desta realidade cósmica.
Bobby Worrall falou de Pat, dizendo que viu Pat a brincar com os mais novos, e a andar de bicicleta, e assim por diante, e descreveu as ações de Pat durante o dia.
Dos espíritos pessoais, veio ao Dr. O'Donnell o espírito de sua irmã Mary, que falou com ele durante um bocado de tempo através da trombeta luminosa, e depois, atravessando a sala, falou com a Sra. O'Donnell.
À Sra. O'Donnell também veio um espírito que dava pelo nome de "Ray," e falou com ela durante um bocado.
Ao Dr. Wallace veio o espírito da sua mãe, que falou com ele e, um pouco mais tarde, o espírito do Dr. Peebles - usando a trombeta luminosa - falou em tons claros e distintos ao Dr. Wallace. Durante a conversa ele disse: "Lembra-se de um banquete que foi dado em minha honra, quando deixaram uma cadeira vazia em minha memória? Eu estive presente no banquete, e gostei muito, e eu apreciei o encontro."
Esta observação era seguramente de valor probatório, porque nenhum de nós, com exceção do Dr. Wallace, tinha conhecimento desse incidente. Um banquete tinha sido organizado para se realizar em honra do Dr. Peebles por altura do seu centésimo aniversário – creio bem - na Califórnia. O Dr. Peebles passou desta vida antes do banquete, mas o banquete foi realizado na mesma, e foi deixada uma cadeira vazia lá em agradecimento a ele. Isso foi-nos posteriormente dito pelo Dr. Abraham Wallace.
A Annie falou comigo e disse que gostaria de ter uma sessão privada para que ela pudesse falar com a minha esposa e comigo sobre a Gertrude.
A sessão foi encerrada.
Poder-se-á ver que cinco noites foram dedicadas em especial à prescrição dos tratamentos sugeridos para doenças pelo Dr. Barnett. Esses tratamentos foram todos dados na presença de médicos, e eu publiquei as comunicações como eles foram recebidas, sem emitir qualquer parecer sobre o seu valor. É necessário, no entanto, registar o fenômeno de uma voz espiritual que falou do espaço por um período de tempo considerável, e que conversou pelo menos de forma inteligente sobre questões médicas hora após hora durante cinco longas sessões.
Que os métodos prescritos venham a ser testados adequadamente é de questionar.
A profissão médica é, naturalmente, a organização mais conservadora do mundo. É improvável que aceite superstição psíquica, e pode descartar e até mesmo se esforçar por ridicularizar as fórmulas dadas. Isso não me preocupa. Mas antes deve provar o conhecimento que tem e submeter os seus remédios provados e eficazes para estes flagelos antes que sua crítica tenha efeito.
Se a profissão médica possui o conhecimento pelo qual o cancro possa ser curado, então um mundo sofredor irá aclamar isso. Se não, então não há motivo para condenar qualquer tratamento sugerido, venha ele de onde vier, até que o tratamento tenha sido escrupulosamente experimentado, e provado que é destituído de valor.
Se certas partes do tratamento parecem ser recomendadas com uma expressão simples de divulgação, isso não é motivo para a condenação total do todo, caso a combinação completa, na ordem particular e específica dada, nunca tiver sido experimentada. Se somente uma pista for fornecida nas fórmulas, que conduza a uma descoberta subsequente, isso por si só seria inestimável.
Há, no entanto, outro ponto de vista que preciso referir enquanto pesquisador psíquico experiente. Não aceito, nem por um momento, que toda a comunicação que surge deva ser encarada como inspirada pela sabedoria omnipotente, por estar perfeitamente ciente de que o espírito do homem, ao passar desta vida, não se torna infalível.
O Dr. Barnett viveu na terra uns sessenta ou setenta anos atrás.
Os espíritos dizem-nos que ocupam o seu tempo a adquirir o conhecimento das vastas esferas espirituais do Universo.
Precisamos, pois, considerar se o Dr. Barnett terá progredido em inteligência médica em questões do foro da terra.
Como contra-argumento, entretanto, como tenho recebido, durante dois anos, comunicações directas, na sua própria voz, da parte do Dr. Barnett, sou capaz de julgar se ele é um espírito inteligente na maioria das outras questões debatidas por ele. Isso ele certamente demonstrou ser, e deixou muitos homens de considerável intelecto confundidos. Mas mesmo esse facto não prova de forma conclusiva a inteligência médica que diz ter.
Afirmo estes aspectos para mostrar que desejo ser perfeitamente justo na análise que faço dessas experiências.
Considerando as notáveis ​​comunicações e as surpreendentes evidências da sobrevivência da inteligência que foram estabelecidas, em nenhuma circunstância me sinto justificado a omitir publicar as opiniões do Dr. Barnett e os seus métodos de tratamento das doenças. Até que sejam experimentados, é impossível dizer se eles virão a provar-se eficazes ou não. E certamente este é apenas o método de aptidão.
Se os tratamentos prescritos provarem ou não ser eficazes, não afecta o maravilhoso fenómeno da voz ressonante, distinta e fluente do Dr. Barnett, a falar do espaço, em tons que ressoaram pela sala. A sua voz era claramente ouvida do lado de fora da porta fechada, onde estes registos foram feitos enquanto ele falava. Ele também era ouvido de vez em quando por vários empregados em Dorincourt, que por acaso passavam na altura pelo quarto.
Todos os presentes, incluindo o Dr. O'Donnell e o Dr. Abraham Wallace, podem atestar os factos sobrenaturais conforme eles foram declarados. Ambos os médicos estavam lá para observar e agir como testemunhas, e como escrivães imparciais do que aconteceu. As opiniões que emitiram acerca das comunicações devem, é claro, ser reservadas. O Dr. O'Donnell, no entanto, afirmou que considerou o fenómeno da voz, da voz real materializada a voz de um espírito incontestavelmente inteligente, e que fora a experiência mais maravilhosa da sua vida.
Extraído do livro: “The Wisdom of the Gods,” de Herbert Bradley
sobre as sessões tidas com o médium de efeitos físicos George Valiantine
Traduzido por Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário