quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

TENTANDO ABRANGER A MUDANÇA QUE SE OPERA NOS TEMPOS




Bom dia. Este é o Julian. Estou encantado por poder conversar convosco esta manhã, pelo que vou libertar o instrumento para o estado de mobilidade, de modo a podermos continuar.
Esta manhã gostaria de discutir diversas coisas convosco, uma das quais, receio seja essencial de que tenham consciência nesta altura, que é o que é exactamente que se está a passar no vosso mundo, por muitos de vocês estarem a ficar um tanto nervosos.
Vocês encontram-se numa nova era. Disso já vocês sabem, chamam-lhe Era de Aquário, a era da fraternidade, a era da conversão dos muros em pontes. Mas além disso, vocês encontram-se no “sétimo dia,” do universo que é composto por dias de uma duração de milhares de anos, dia este que é o da libertação, do descanso e da limpeza. Além disso vocês encontram-se num ciclo de 3000 anos da mudança da crosta terrestre. Por outras palavras, a cada três mil anos a natureza procede às necessárias correcções para a sobrevivência do homem. E a cada 2600 anos vocês criam uma nova era, que constitui um novo ciclo da evolução do homem.
Assim, vocês encontram-se num novo processo de evolução, na era de uma nova compreensão, e numa nova correcção da natureza. Desta vez perfazem tudo ao mesmo tempo, coisa que nem sempre ocorreu desse modo, só que desta vez vocês conseguem tudo ao mesmo tempo. Acho que, com toda a clareza lhes devia captar a atenção.
Nas próprias placas da vossa Terra está a operar uma mudança, à medida que elas deslocam as massas terrestres apropriadas para a perpetuação do homem, massas essas que ao se juntarem provocam fricção, um desgaste, uma pressão, quase como passar por uma multidão de gente, e quando isso sucede causa emanações e energias potentes que abrem caminho até à superfície através de fissuras. Vocês chamam-lhes “falhas.” Agora, o que sucede neste momento é o escape dessa energia e o montante máximo de uma força na abertura de novas falhas, à medida que as massas terrestres se deslocam.
Por isso já podem ver que há muito que está a acontecer que permanece invisível à vista desarmada, mas que é sentido pela natureza interior. Agora; as vossas “massas terrestres” também estão em deslocação. Vocês encontram-se, neste anos, no período de transformação da compreensão da vida na forma bruta para a compreensão da verdadeira luz e da verdadeira beleza. Não está aqui ninguém que se encontre na mesma posição que há um ano. É impossível que isso pudesse ser. Por vezes são os actos que estão a operar no mundo físico que provocam essas mudanças em vós, outras vezes é um acto de autoconhecimento sem estímulo, por assim dizer, mas seja como for, é transformação. O que precisam fazer é deixar-se levar por isso. É a altura em que se veem forçados a esquecer o passado, por esse passado não mais existir. O ontem é passado, e vocês precisam viver no momento, o que quer dizer que devam saber que em cada instante em que se encontram na vida, é um instante em que podem mudar toda a vossa vida. Não apela a nenhuma data nem período. Vocês encontram-se em transformação, cavalguem essa energia, deixem-se levar por ela, corram junto com ela e descobriram as transformações espantosas que se operarão na vossa vida, que ocorrerão sob a forma de paz, em vós próprios, ao vosso redor, e no universo.
Que importância terá o facto de não poderem fazer tudo o que faziam antes? Alguma vez terão pensado que pudesse representar uma espécie de “licenciatura”? Alguma vez terão parado para pensar que isso se deva a que seja suposto fazerem algo novo? Talvez em vez de usarem uma figura seja suposto usarem as mãos; talvez em vez de usarem os vossos olhos seja suposto usarem os ouvidos, ou vice-versa. Esqueçam-no! Mas tornem a coisa divertida. Vocês não estão aqui para sofrer, mas para celebrarem a transformação. Assim, quando sentirem necessidade de esquecer alguma coisa, abençoem-na e esqueçam-na. Se continuarem a recordar velhas ofensas e danos sem parar irão viver com elas pelo resto da vossa vida. Mas se disserem: “Eles também estão sujeitos à transformação pelo que também poderão ser objecto de esquecimento,” não se defrontarão com tal problema.
Se tiverem feito algo de errado pelos padrões de alguém mais, que mal haverá nisso? E depois? O passado está morto! Apenas o dia de hoje importa, por o dia de hoje criar o amanhã. Assim, não vejam estas coisas como (…) mas ajuda-os a entender aquilo que está a acontecer; vocês não estão doidos, as coisas estão mesmo a acontecer. Mas isso destina-se à luz e à transformação e a uma nova vida, e não à infelicidade e ao sofrimento. O único que os castiga são vocês, lembrem-se disso. O único que os torna infelizes são vocês. Não se esqueçam disso.
Ocorreram diversas coisas em vários sítios do vosso mundo que parecem ser catastróficas, e que decerto provocaram muita agitação nas vidas, e muita transformação interior. Mas elas são importantes para vós, por poderem aprender com essas experiências, assim como com as vossas. Assim, utilizem essas experiências e vejam o que se está a passar e aprendam com isso, e não digam: “Bom, só acontece aos outros.” Isso é muito importante. Neste momento, no vosso mundo vocês encontram-se no mais belo das vossas transformações que alguma vez chegaram a conhecer, por mais sufocante e nebuloso que possa parecer. Este é o período em que poderão tornar-se na pessoas que querem tornar-se, mas não conforme imaginavam essa pessoa antes, que são agora. Se olharem para trás, para este ano que passou, todos vós terão tido triunfos de qualquer tipo, mas estão constantemente a negociar com os aspectos negativos. Todos vós alcançaram e superaram alguma coisa, todos vós tiveram algum bem a operar na vossa vida. E se não o virem será somente por se recusarem a deixar de sentir autocomiseração. É muito mais fácil, sabem, dizer: “Alguém cometeu algo errado comigo,” ou “Estou assim por tudo ter corrido mal,” do que dizer. “Eu dei cabo de tudo, vamos em frente com isto.” Mas, e depois?! Isso sucedeu ontem. Hoje é uma experiência nova.
Pergunta: (Refere um incidente que terá vitimado sete crianças) …seis ou sete crianças foram mortas. Todas essas sete crianças estariam destinadas a partir nessa altura?
De certo modo vocês estão destinados em qualquer altura da vossa vida. É por isso que quando se centram e prestam atenção, vocês estão onde devem estar. Entendes o que estou a dizer? Nunca ninguém virá a saber por que essas sete, mas não se poderá presumir que fosse um castigo por não ser assim, mas compreendemos que alguém além da nossa compreensão colocou essas sete crianças nessa situação. Mas aquilo em que quero que pensem é no número de crianças que sobreviveram. Não deixem de sentir compaixão por aquelas que se foram, mas não deixem que se torne no vosso único objectivo, ou estarão a colocar a coisa em desequilíbrio, e aí ficarão em desequilíbrio e nunca estarão no sítio em que deveriam estar. É isso que importa que compreendam. Em toda a situação de contrariedade há um ponto de luz, e é por esse ponto de luz que devem procurar como recurso económico. Isso não faz de vós pessoas frias e destituídas de compaixão e de afecto; mas habilita-os a conseguir o equilíbrio, e é isso que é preciso.
Pergunta: (Relacionada com a mudança das energias das placas tectónicas e o rumo que essa mudança leva)
Está bem. Na verdade as energias das placas estão a deslocar-se a partir de sudoeste conforme vocês o entendem, na direcção do noroeste. Mas à medida que crescem elas dividem-se e voltam-se e voltam a descer, criando um círculo. Mas à medida que essas energias formam um círculo, gera-se uma outra actividade que tem que ver com a formação de forças, por uma forma qualquer. Sempre que as energias são libertadas do interior da Terra, elas provocam mudanças atmosféricas. Uma das maneiras de observação das áreas é através das movimentações animais, por os animais pressentirem com antecipação que algo está a suceder. E verificarão mudanças nos padrões migratórios devido à confusão, por tudo estar mudado. Depois da libertação de um tipo de energia desses a própria atmosfera torna-se quase num vácuo, e todos ficam um tanto confusos por um tempo. Mas se tiverem atenção pelos padrões animais verificarão quando está para se aproximar algo. Mas até mesmo tempestades de todo o tipo; observem as vossas árvores. As suas folhas darão o dorso para receberem a tempestade, por diversas razões, para beberem e para se protegerem.
Lembrem-se de que a natureza é quem governa esta era – a natureza e a polaridade. É por intermédio da polaridade que vocês vivem com natureza. Hão-de notar que quando se dão fortes mudanças na natureza, isso representa um prenúncio de outras mudanças. Portanto, observem o que as árvores e os animais fazem que isso será m prenúncio de certos eventos. Bem sabemos eu assim eu o terramoto se deu na área de San Francisco se iria dar outro na área do Japão, por a energia se dividir em círculos. Eles foram afortunados em ter tido uma maré viva em vez de se plasmar na terra. Mas isso seriam expressões. A América do Sul conhece expressões dessa energia, assim como o Japão, assim como o quadrante noroeste da Rússia que é atingida por tremores de terra. Sempre que se verifica uma actividade de terramoto geralmente verifica-se uma actividade violenta do ar e da água, por serem elementos que trabalham em conjunto. Por isso observem o que ocorre dessa maneira.
Pergunta: (Referente à elevação do nível das águas dos mares)
Bom; os mares elevam-se constantemente mesmo agora, e têm vindo a subir à algum tempo. As vossas correntes dos golfos estão a mudar, as águas tépidas movem-se para norte, e uma vez mais, se observarem os padrões migratórios das baleias e dos animais marinhos, verão que se voltam rapidamente para norte para se alimentarem, mais do que antes faziam, e menos para sul para acasalarem, etc. Verifica-se aí uma vasta mudança. Em qualquer caso que uma mudança se verifique é sempre no clima que se dá, por a natureza precisar ajustar-se ao clima para sobreviver, e a natureza precisa ajustar-se, para que o homem sobreviva. É um círculo.
Se reconhecerem que a tendência para aquecer tem vindo a acontecer há muito tempo, poderão nota-lo em qualquer área em que se encontrem, os padrões climáticos estão a mudar. Mas esta não é uma nova era glaciar. Ainda estão longe de uma era glaciar. Aquilo que estão a experimentar, que toda a gente tenta chamar de era glaciar actualmente, é o giro dos três mil anos da mudança terrestre. Mas ainda não estão preparados para uma reviravolta, por esta altura, embora o eixo se esteja a inclinar, e tem vindo a inclinar-se há uns bons onze anos. Provavelmente já terá inclinado uns catorze graus, mas é uma inclinação progressiva e não de um dia para o outro.
Pergunta: (Pergunta sobre a vibração sonora do OM que podemos emitir para uma área qualquer, que pudesse harmonizar e acudir às situações)
O OM consiste na cacofonia de todo o som, que abrange em si mesmo todos os sons da fonética. O que importa reconhecer é que produzindo ruído para determinada coisa não a altera. Já conhecê-la e tornar-se seu amigo, sim. Mas, sim, o som pode ser usado, a visualização pode ser usada; sim, tratar de travar conhecimento com a coisa devia ser usado. É tempo de fazerem amizade com a natureza.
Pergunta: Poderei (…) sob a crosta terrestre ajudará?
Poderás pensar no que te ajudar a retractar o quadro de forma que compreendas, por te focares.
Pergunta: As mudanças que estão a ocorrer por aqui, serão mudanças familiares, ou estão a dar-se noutros planetas e noutros universos…?
É claro! Há mudanças a ocorrer em todos os sete universos.
Pergunta: (Sobre os conflitos que se verificavam na América Central)
Há duas coisas a entender com respeito aos conflitos que deflagram pelo vosso mundo. Uma delas, é que uma quantidade de bem está a acontecer. Lembram-se de lhes ter dito repetidamente que nada poderá permanecer na mesma, e que tudo precisa mudar e que precisa eclodir uma nova perspectiva? É a perspectiva que conta, pelo que tiveram a queda do muro na Alemanha, têm o começo de relações inequivocamente estabelecidas com a Rússia, tiveram a China a ver-se forçada a ver como governa o seu povo, por se estarem a aproximar muitas mudanças na China. Os pequenos países que erguerem muros com base no ódio, provavelmente aniquilar-se-ão uns aos outros, por a energia do ódio ser demasiado forte que tem sido acumulada ao longo de anos e de gerações, e até que estejam preparadas para se aceitar mutuamente por novas formas, com uma nova perspectiva, continuarão a guerrear-se, e se continuarem com a guerra só se triturarão para nada. Mas, uma vez mais, terão feito uma escolha, com base no seu livre-arbítrio. E o que há que reconhecer é que, à semelhança de qualquer infecção, numa coisa significativa, ocorre o isolamento da infecção, e por vezes um esgotamento, tal como mos remédios da homeopatia, em que utilizam a mesma coisa que tenha criado o sintoma para o combater, é isso que sucede nesses países. Mais cedo ou mais tarde alguém irá ter suficiente juízo para dizer: “Basta!” Mais cedo ou mais tarde começarão a erguer pontes em vez de muros. Mas entretanto, as outras nações recusarão deixar que se espalhem pelo resto do mundo em mudança. Por essa transformação começar a ter lugar no universo, tem lugar não só nas pessoas, como na própria terra. Tem lugar na atmosfera desse local, e ela altera-se. E à medida que a atmosfera se alterar para uma atmosfera de alegria em vez de ódio, ela protege essa alegria e não permitirá que a negatividade da situação de infecção afecte o resto. Irão verificar-se vastas mudanças nas agências governamentais. Essas coisas fazem parte das mudanças do vosso universo, e não são más. Mas esses locais estão a proceder a decisões. Ainda não compreenderam que nada poderá ser como era, nem mesmo o seu ódio.
Pergunta: Haverá algum período que o venha a estabelecer, e um período de quanto tempo?
É claro que foi estabelecido! Foi estabelecido e sabes o que o vai ajudar a estabelecer? O ano de 1990. Porque nesse ano, o poder da reconstrução começa a tornar-se no instrumento do homem. Quando o homem passou para esta era, o poder do Deus externo foi passado para o poder do Deus interior, o que significa que o homem se vê agora forçado a aceitar uma equipe de trabalho (com o divino); ele precisa agora aceitar que é igualmente responsável por este universo, e que juntos, o poder infinito, a força criativa divina e ele, vão criá-lo. A maneira como pensam sobre vós e os outros, a forma com pensam sobre o vosso universo, em 1990 irá reformular e remodelar a estrutura do vosso universo. Toda a estrutura se encontra desativada; foi-lhes dada a matéria-prima e agora é convosco. De modo que se sentam no lugar do condutor.
A era em que Deus lhes causava ou fazia por vós acabou. Agora é a era da equipa de trabalho. Por isso pensem bem de vós próprios, não no sentido do ego, mas no sentido da autoestima, e há uma diferença nisso. E saibam que vocês são o poder do futuro. Ajudem a formar e a moldar o bem e a amizade – pontes e não muros. Por ser disso que se trata agora.
Pergunta: (Sobre tremores de terra)
Com o tempo, quando a natureza tiver feito aquilo que precisa fazer para que o homem sobreviva, isso cessará.
Pergunta: Tens alguma ideia quanto à duração desse período?
Grande parte disso depende da forma com o homem pensar e agir, porque isso forma uma companhia. E depende da forma como homem pensa quando se dá uma tragédia. Vocês chamam-lhes tragédias, nós chamamos-lhes experiências. Por outras palavras, lembrem-se de procurar aquele ponto de luz. Prezar a negatividade das perdas? Sim, mas sem deixarem que essa seja a única concentração, porque aquilo que pensarem tornar-se-á na vossa realidade, a começar em 1990. Por isso, o melhor é que tenham cuidado com aquilo que pensam.
Pergunta: As drogas virão a ser legalizadas?
Algumas delas, como forma de controlo; mas a pessoa precisa interrogar-se do que é que isso causa. Tudo quanto revela é: “Tenho que me esgueirar.” Mas precisa interrogar-se com relação ao que está a fazer ao seu corpo e à sua alma. Essa é a verdadeira questão.
Pergunta: Virá a surgir uma eventual cura da sida?
Sim, e está mais próxima do que se pensa. A fase inicial já foi descoberta mas ainda não foi publicitada, e quanto à fase seguinte já está a ser tratada.
Pergunta: Poderias dar seguimento à conversa explicando a verdadeira causa da sida, embora hajam muitas causas, mas como isso surgiu?
A principal passa pela noção que as pessoas têm do castigo e da disciplina da Era de Peixes. Não. É apenas a praga desta era. Quando uma era é selada… quando uma velha era se afasta e uma nova era se interpõe no seu caminho, dá-se a selagem de determinados vírus e a abertura de outros. É o rompimento do sistema imunitário, e por ser algo que se prende com a mucosidade, as atitudes sexuais têm muito a ver com a forma com isso passa. Ele encontra-se na mucosidade, no sémen, na saliva. Mas esse vírus virá a ser aniquilado. Literalmente; é uma outra forma de cancro.
Pergunta: Estarás a sugerir que os rumores que circulam com os experimentos laboratoriais relacionados com a vacina da varíola…?
Eu gostaria de saber quanto tempo foi preciso para que esse rumor se espalhasse, conforme sempre acontece, de uma forma ou de outra. Não, isso tem que ver com a energia e a atitude das pessoas na hora certa. Amplificam-nos, dão-lhes vida e aprendem a superá-los.
Pergunta: Poderemos falar do Cristo. Estará Ele a chegar? Encontrar-se-á Ele aqui, estará em crescimento e a viver aqui, estará a atingir a maioridade?
Toda a gente contempla o próprio umbigo. (Riso) A velha atitude de Um Ser que vem para salvar o resgatar o mundo diz respeito à Era de Peixes. É a essência desse Ser que surgirá em todo o homem e colectivamente criará o todo. Estou a par da existência de rumores sobre alguém que nasce e é criado me cada recanto do mundo para ser o novo Cristo. O novo Cristo procede das vossas atitudes. Se derem ouvidos ao Cristo – e não me estou a referir ao Mestre Jesus o Cristo, o portador da luz que veio pregar o amor e perdão… o homem teve dois mil anos para descobrir do que tratava a lição. Mas se agora o homem começar a viver isso ele tornar-se-á no Cristo. Porque vocês nunca trazem a mesma coisa de volta. Sempre conduzem a sua essência a um novo momento no tempo; uma nova evolução desse poder. O próprio homem só constitui a corporificação dessa essência. E agora ela diz-lhes para se amarem, por serem iguais uns aos outros, Deus encontra-se em todos. Sejam para o Pai conforme eu fui e serão salvos, por assim dizer, por ainda usarem esse tipo de termos.
Por isso precisam entender que nesta altura o poder foi passado para o indivíduo, em conjunto com o poder do criador. Por isso, precisam assumir o papel do Cristo. Precisam trazer de volta a Sua essência do amor. Então, conhecê-Lo-ão, ou pelo menos à Sua essência.
Pergunta: Sem querer parecer gozação, li recentemente algures que todo aquele negócio da unção com óleo de que se ouve falar constantemente nas escrituras, teve origem no Egipto enquanto controlo dos piolhos, na cabeça e no corpo (riso) Que essa terá sido a origem dessa unção.
Sim, tratava-se de uma processo de cura, que se reporta aos tempos pagãos. A maior parte do Catolicismo e do Judaísmo foi edificado sobre rituais pagãos. Mas, com base num novo momento do tempo e numa nova compreensão avançaram. Aquilo que está a suceder no mundo dos dias de hoje é o isolamento do “Eu Sou Deus,” que está a começar a seguir o padrão do “Nós somos Deus.” Pontes em vez de vedações! E é por isso que a maioria dos dogmas religiosos estão com problemas, por terem tentado manter todos os ritos da Era de Peixes alerta e com vida na Era de Aquário, quando devia ser a sua essência que devia ter vida. Mas elas precisam de uma nova compreensão, uma nova perspectiva do que isso significa.
Pergunta: (Sobre o propósito da Virgem Maria se estar a revelar em Madrid)
Cada um tem uma necessidade, e uma ideia do que essa necessidade seja. Cada um atrai a si a tranquilização e a consolação a promessa e a esperança que corresponde à compreensão que tem. E essa mulher no seu aspecto físico, significa a Mãe do Amor, por assim dizer, é suposto representar a essência do amor, no sentido físico. Por isso, toda a vez que as pessoas reverenciam a Mãe Santíssima, invocam essa força para si próprias. As imagens acham-se presentes, quer se trate do Buda… seja o que for. Cada um emite um clamor na sua energia que diz: “Traz-me esperança,” e algo vem a elas que lhes dê esperança. Por vezes é uma carta na caixa do correio e outras vezes é uma visão que lhes dá esperança.
Pergunta: Num programa que vi ontem à noite dizia-se que os Judeus aguardam um Messias para dentro de pouco tempo, um Messias encarnado que tem que ver com o templo de cuja reconstrução falam.
Bom, no que toca à compaixão e à compreensão do Messias, toda a confusão teve início muito cedo, quando o Mashyah, que significa uma forma de energia, foi substituído por Messias. Em todas as eras vem uma energia messiânica, que quer dizer, uma energia de mudança, e isso tem sido interpretado… Se se virarem para os estudos dos Essénios, encontrarão referências a essa energia messiânica. Portanto, dar-se-á uma nova compreensão. Uma vez mais, a palavra-chave assenta na nova perspectiva, numa nova compreensão. Uma guerra já se encontra instalada, mas era assim que era entendido no passado. Mas entendam, não é questão de quem acredita no quê. É aquilo que fazem com a crença que têm. Se a crença que tiverem for causa de raiva ou guerra contra os outros, então tal crença de nada lhes terá valido e não é uma crença equilibrada. Porquanto todo o homem é irmão e irmã. Arcam todos com a energia ou força una. Cada era constitui um ciclo evolucionário, uma espiral evolutiva. Vocês tiveram a espiral da sobrevivência em que aprenderam a sobreviver num mundo material e físico. Tiveram a espiral da disciplina em que aprenderam a concentrar-se e a agrupar-se. E agora têm a espiral da fraternidade em que aprendem a conduzir esse enfoque e a misturá-lo com outros e a torna-lo no amor.
(Continua)
Tradução: Amadeu António
Direitos de autor: Saul Srour
Autores: June Burke e Serafim Julian

Sem comentários:

Enviar um comentário