quarta-feira, 29 de junho de 2016

PONTES PARA A REALIZAÇÃO PESSOAL

Bom dia, que agradável estar de novo na vossa presença uma vez mais, e sentir as vossas energias, tão cálida e tão amorosa. Lembrem-se que, não obstante o que estiver a ser feito em qualquer sítio, o sucesso ou fracasso que lhe diga respeito depende da energia de cada um dos participantes, quer seja no meio do tráfego ou nesta sala, ou em qualquer outro sítio. Não subestimem o poder que a vossa energia tem de transformar qualquer condição ao vosso redor. Mas lembrem-se de se centrarem na vossa condição, de modo a conseguirem, de modo a conseguirem transformá-la.

Muita gente sonha -- na verdade toda a gente sonha, mas nem todos recordam os sonhos que têm. As pessoas viajam pelo astral; deixam o corpo e vão para outras partes; meditam. Tudo como forma de se centrarem e de como uma forma de trabalharem com o universo em que vivem. Mas o que efectivamente sucede durante o sono natural e durante a viagem astral e o estado do sonhar. Isso são estados alterados de consciência que representam literalmente uma escola de treino. Vocês passam por um treino literal de modo a operarem noutros níveis da consciência e noutros níveis da interacção.
Agora, precisam recordar uma coisa; quando interagem com alguém, fazem-no de dentro para fora; não de fora para dentro.

Aquilo que vocês são constitui a primeira representação em qualquer interacção que tenham com quem quer que seja. Assim, se eu chegar junto de vós e lhes disser: "Olá, como estás?" eu estou a levar-lhes algo, estou a projectar algo. A reacção que moverem a isso procede de vós. De modo que, a primeira reunião de alguém procede do interior das duas pessoas, para depois se converter num a interacção exterior. Mas o contacto inicial brota de dentro. Assim, pensem nisso quando conhecerem outras pessoas; que será que estão a projectar nessa saudação ou interacção? Precisam saber que isso conta, que aquilo que sentem dentro de vós conta, para no rumo que a interacção vier a tomar.

Portanto, quando meditam ou vão às aulas e aprendem a elevar a vossa própria consciência, aquilo que realmente fazem é aprender a usar diversos níveis de dentro de vós próprios na interacção que têm com o universo. Cada nível de consciência deixa-os num domínio diferente. É o que as diversas doutrinas lhes transmitem de uma maneira ou de outra. Podem falar de corpos, podem falar de raios, podem falar de chakras, mas o que isso implica são níveis de consciência situados dentro de vós. Aprender a interagir num nível de consciência que é necessário para uma coisa específica.

Durante o sono natural, a mente consciente repousa; aquela mente que tagarela o tempo todo sem parar, repousa; a mente que obteve conhecimento dos horários e desse tipo de coisa, repousa. E o corpo cura-se a ele próprio, por se encontrar separado do tumulto, e habilita-se a agir com base na sua energia interna. E quanto mais centrados se encontrarem quando vão para a cama, mais o vosso corpo curará e melhor se sentirão ao acordar. Assim, é muito bom, pelo anoitecer, quando vão para a cama, dizer "Obrigado, corpo, por tudo quanto fizeste por mim no dia de hoje. Obrigado pelo dia que tivemos e obrigado pela capacidade de interacção que tivemos no que sucedeu no nosso dia, de modo a conseguir levá-lo por diante." Porque então estarão centrados, saberão tudo a seu respeito e deitam-se e dormem um sono reparador e repousante.

Ora bem; durante esse período de sono vocês dormem, até mesmo quando não recordam isso. É durante esse período que a mente supraconsciente, a mente divina em vós, comunica com a vossa mente subconsciente, e projecta imagens e interacções com que poderão aprender. A maioria dos sonhos constitui sempre sonhos instrutivos. Vocês poderão ter um sonho bizarro, no entanto sabem que são vocês quem vai morro abaixo sem travões; ou que serão vocês quem está a irromper por algo novo e maravilhoso. Por outras palavras, está-lhes a ser indicado quanto a vós e ao rumo que estão a tomar, que precisam conhecer, durante esse estado de sonhar.

Portanto, a primeira forma de sonho consiste no sonho instrutivo. O segundo tipo de sonho é aquele que comporta lições interactivas, o que representa um sonho em que vocês não são ninguém do sonho, mas em que um processo de interacção está a ter lugar no sonho com outra pessoa qualquer. Ora bem, esse alguém poderá ser representado simbolicamente, razão porque, quando trabalham com a tradução dos sonhos precisam ter compreensão da simbologia dos sonhos, o que os ajudará a compreender que por vezes um símbolo possui um significado pessoal e que noutras alturas possui um significado universal. Bom precisam compreender, mas o exemplo que sempre emprego é - se gostarem de gatos, um gato que lhes surja num sonho representa provavelmente um símbolo positivo. Se tiverem alergia aos gatos ou os recearem, no vosso nível pessoal o gato representará algo a evitar ou com que ter cuidado. É por isso que mais ninguém lhes pode traduzir os sonhos; poderão sugerir traduções, mas não conhecem os aspectos pessoais. Assim, um sonho é interpretado num nível universal e num nível pessoal.

Os símbolos universais são aqueles que estão relacionados com as massas. Por outras palavras, a Cruz tem sido o símbolo do Cristianismo, a Estrela de David tem representado um símbolo Judaico, de modo que, quando veem esses símbolos geralmente eles possuem um sentido universal que faça parte do vosso sonho ou parte do que deveriam fazer. Assim, o segundo tipo de sonho constitui o sonho interactivo, e a terceira forma de sonho é o sonho "profético." Bom, o sonho do tipo "profético" não pode ser negligenciado, por recordarem cada detalhe dele, lembram o tipo de batentes que tinha na porta, os quadros pendurados na parede, tudo isso é visto com clareza. Esses são sonhos a que deverão prestar rigorosa atenção, por representarem um presságio de algo que venha a dar-se.
Bom, em determinados casos esse augúrio é-lhes transmitido de modo a poderem alterá-lo. Noutros casos é-lhes transmitido para que tenham consciência dele e se preparem. Mas saibam que sempre lhes surgem para os ajudar.

Na verdade há um quarto tipo de sonho que na verdade não conta muito por se prender com os pickles que comeram antes de irem para a cama, e com a discussão que tiveram no escritório e tudo isso que aparece e, tal como a mente consciente, estabelece uma tagarelice de novo no sonho. Em relação a esses, vocês levantam-se e dizem: "Nunca mais!" Mas na outra parte de vós sabem quando estão a ser instruídos etc.

Se tiverem dúvidas quanto a um sonho, peçam esclarecimento. Saibam com certeza que se pedirem passarão a obter um maior apuramento com respeito a esse sonho; sonharão mais com respeito a isso, ser-lhes-á dado um outro símbolo com que possam estabelecer uma relação mais fácil, etc. Mas por vezes carece da transformação do número sete para o conseguirem. Por isso, poderão ter que o pedir por sete noites. Lembrem-se que o número sete é o número mágico da transformação, de modo que sempre que quiserem que quando quiserem conseguir algo, empreguem-no sempre.

Se o estado dos sonhos constitui um estado alterado de consciência, e existirem níveis ne estados alterados de consciência nesse estado do sonhar, então também saberão que existe um estado ainda para além desse, que é chamado "viagem," ou "viagem astral." Pois bem, existem duas formas de viagem astral, um em que o corpo todo parte e segue. Encontram-se no vosso corpo físico a dormir na vossa cama, mas a realidade do vosso ser sai para o exterior. A segunda forma de viagem é a viagem mental, em que somente a mente parte e trás de volta a informação. Assim, aquilo que precisa ser reconhecido é que qualquer estado alterado que afasta a consciência da rotina diária constitui um instrumento específico usado no trabalho que fazem.

Bom, estou certo de que a maioria de vós terá sonhado que alguém se apresentaria à vossa presença, ou que tenham sentido a sua presença aos pés da cama, numa altura em que se encontrassem doentes. E alguém que orasse por vós e pelo vosso restabelecimento ou que estivesse a trabalhar em vós na vossa ausência, se tenha efectivamente transformado no corpo que viajava, que se teria apresentado à vossa presença para ajudar a isso.

Quando frequentam um grupo de cura e anotam um nome, e a seguir preservam a pessoa na vossa meditação e lhes desejam integridade, por assim dizer, aquilo que com efeito estão a fazer é a evocar a sua atenção, e por vezes mesmo, estão a evocar a sua presença. Pela mesma razão, vocês estão a viajar ao seu encontro. E muita gente que está ciente, terá plena consciência do facto da pessoa se achar presente, e será capaz de descrever o que a pessoa trás vestido, e saberá com precisão que tal pessoa terá estado na sua presença. Tudo isso se destina a proporcionar-lhes a melhor oportunidade de interagirem no mundo, a melhor oportunidade de usarem as outras partes do vosso ser que já podem conhecer tanto e que lhes podem ensinar tanto e revelar-lhes tanto, que ISSO possa tornar-se numa parte inata e consciente de vós próprios. Por outras palavras, tendo aprendido a lição, aceitem-na, assimilem-na e façam uso dela. Não pensem que só a podem ter no estado do sonho.

Um outro tipo de sonho é o devaneio (sonhar acordado) que está relacionado com as fantasias; estou certo de que toda a gente por vezes terá olhado pela janela e terá uma esplêndida fantasia com relação a coisas que gostaria de ter na sua vida, ou coisas em que gostaria de se tornar, etc. Na realidade isso representa a primeira pincelada suave de pena de uma ideia ou de um desejo que espera manifestar-se. Quando condizem esse devaneio a uma compreensão criativa, ele adoptará passos lógicos que os ajudarão a atingir aquilo que tentam criar para vós próprios. Assim, quando forem deitar-se pela noite dizem: “Muito bem, tive este sonho esplêndido, enquanto mantinha os olhos abertos; agora quero torná-lo criativo, quero saber mais como o poderei realmente tornar verdadeiro, como fazer com que aconteça.” E surpreender-se-ão quanto ao que a noite lhes poderá conceder. Passos lógicos.

Ora bem, a esta altura quero dizer-lhes que durante o ano de 1996 não esperem que ocorra lógica. Não esperem que tudo corra da forma que planearem, nem esperem que tudo de se desagregue sequer. Por outras palavras, por esta altura estão a aprender que se tornaram numa nova pessoa. Falamos dos primeiros cinco anos da década de noventa, que representou o rompimento de coisas que se achavam fixamente consolidadas. E agora, das cinzas desperta a vossa Fénix, surge aquele que verdadeiramente são e aquele em que se tornarão. Por isso o 1996 é o vosso ano do voo, é o ano em que dizem: “Rejeito tudo quanto me bloqueava, lanço fora tudo quanto me comprometia em determinados perímetros e sou livre de voar; livre para ser o meu novo eu.”

Mas as palavras com que terão que ter cuidado são “bom, sempre…” Quando dizem “Bem, sempre foi assim…” Não digam mais. Nada terá que ser o mesmo. O que não quer dizer que alguma coisa lhes seja tirada, não quer dizer que não consigam ir em frente e conseguir muito mais; indica que os vossos horizontes se estão a ampliar. Vão ter percepção e interagir e alcançar como nunca terão sido capazes alguma vez antes. O 96 acelera a mente. Vão descobrir que a vossa mente quererá pensar, nas alturas mais bizarras. Estão aocupados a preparar uma refeição e de repente são acometidos por aquelas ideias maravilhosas; o prato pode queimar que vocês vão dar atenção a isso. Entendem o que estou a dizer? Não esperem que suceda quando se encontrarem sentados à secretária de caneta na mão, porque quando fizerem isso dirão estar a usar o perímetro da caneta e do papel, da secretária para atingir alguma coisa. Estão a usar o perímetro de se sentarem e de o fazerem adequadamente. Por vezes isso não sucederá adequadamente em 96, mas isso vem do espaço exterior, vem de outras áreas.

A chávena de chá que estão a lavar poderá subitamente levá-los a pensar em alguma coisa orbital que corresponda exactamente àquilo que buscavam por entre a imensa confusão do vosso trabalho. Aquilo que precisam reconhecer é que, as coisas que não esperam que sucedam, coisas que jamais teriam pensado que podiam suceder, poderão suceder em 96. E se se tiverem sentido retidos em qualquer empreendimento durante 94 ou 95, entendam que terá sido entregue, por precisarem ser a vossa nova versão para o fazer funcionar. Se alguém estiver a tentar vender uma parcela de propriedade ou uma casa, que não tenha conseguido vender, arrumem as vossas coisas, porque a energia de 96 irá vendê-la. Essa é a energia do momento.

Portanto, o que estou a dizer é que mesmo os vossos sonhos, mesmo os vossos estados alterados de consciência vierem a assumir novas dimensões... Vocês quando sonham como é que o fazem? Num espaço plano? Sonham em três dimensões? Sonham a cores ou a preto e branco? É porque cada energia aborda a matéria de forma diferente; mas vocês irão encontrar novas coisas nisso, uma nova capacidade de trabalhar isso. 1996 será agressivo e progressivo, para além de envolver muita mudança. Por isso, fiquem cientes de que tudo quanto usarem conscientemente poderá apresentar-lhes toda uma nova dimensão com que trabalhar. Alguém poderá ter tendência para fazer uma coisa de certo modo e subitamente descobrirá que não tem resultado e que tem sido uma luta e que tenha tentado fazer com que resultasse, mas de repente poder dizer "Já não quero fazer com que resulte." Por de repente ter percebido que há outras formas de fazer com que aconteça, para além da senda que tem percorrido e o progresso e o forçar que tem vindo a usar. E entende que existe uma condição além com que poderão trabalhar.

Por isso, dir-lhes-ia apara se manterem abertos para com as condições a que os vossos estados alterados de consciência os possam conduzir. Sejam observadores. Disponham-se a isso. Alguma vez terão dito para si mesmos ao se deitarem: "Se eu tiver um sonho esta noite será provável que esteja disposto a aceitar que queira ver o que seja." Porque aí tudo passará a tornar-se claro.

Pergunta: Os tipos de sonho que descreveste sobrepõem-se?

Podem, sim. Podem começar por uma coisa e de seguida, em função da receptividade da vossa energia, passar para outra coisa. Portanto, por vezes progridem e sobrepõem-se, por na realidade nada existir separadamente do que quer que seja.

Pergunta: (Relacionada com a projecção astral)

O corpo físico permanece onde está, mas o corpo espiritual sai e viaja. É a experiência fora do corpo. Por vezes é a mente que vai. Por exemplo, se precisarem de saber alguma coisa, poderão enviar a vossa mente para o apurar. Conquanto aceitem o facto de afastarem os perímetros que rezam: "Só o poderei descobrir no diccionário, ou só o poderei aprender de determinada forma..." Caso se disponham a abrir mão disso a mente poderá ir a qualquer parte que o tempo e o espaço nada significarão e colher a informação.

Pergunta: Na vida diária as pessoas alegam que tenham estado nalgum outro lugar. Eu tive um pouco a experiência disso mas somente numa viagem de grupo em que não fiz parte da viagem e depois ao final do dia percebi que estava muito bem noutro lugar durante esse dia e acabou por ser o mesmo que um trabalho intensivo... Geralmente não dou muito crédito às pessoas que dizem "Eu estive lá..." Poderias falar sobre isso e dizer que coisa será isso?

Isso é chamado aceitação não consciência de uma condição. Ora bem, o que isso quer dizer é que vocês não têm percepção consciente do que uma parte de vós está a fazer. E uma parte de vós está em sintonia com essa energia do trabalho que eles estiverem a fazer, seja onde for que estejam. Assim, essa energia e a vossa energia encontram-se em prole da compreensão.

Pergunta: Mas qual será a força em nós que de algum modo decide fazer isso. Sinto confusão em relação...?

É o que se chama não voluntariedade, em que não decidem fazê-lo. Mas uma parte de vós interior sente uma associação com essa condição. Digamos que alguém empreende a viagem e não te encontras só, mas um dia poderás nem ter consciência de pensares na viagem, mas o que tinha sido programado antes dessa viagem ter tido lugar, é accionado, e a ligação ocorre. Mas por vezes é muito mundano e pode muito bem não passa de uma cor específica que estejam a usar ou o acto que estiver a praticar, ou até sentir a presença de energia das pessoas ou do grupo que estiveres a contactar.

Pergunta: Então, basicamente isso explicará a intuição.

Pergunta: Algumas situações, na medida em que que efectivamente consiga recordar ter estado longe e de repente há complicações ou alguma coisa acontece e nós acordamos (...)

E vocês sabem. Antes de mais, sempre que tiverem uma sensação desconfortável com relação a algo, não é, se algo tiver acontecido... a primeira coisa que fazem é deixar de espalhar o que tiver acontecido, mas em vez disso remeter sentimentos de harmonia, paz, harmonia, amor; projectem isso e deixem que isso vá ao seu encontro, para os ajudar quanto à situação, e depois fisicamente peguem no telefone e telefonem-lhes. Mas antes de fazerem isso, emitam-lhes o contrário do que estiver a suceder. Se for uma condição de júbilo juntem-se a ela, mas se for, procurem levar harmonia à condição de modo a poder ser manuseado com o menor trauma possível.

Quantos de vós já não terão tido uma conversa com alguém em que dão por vós a terminar as frases da pessoa na vez dela? Isso deve-se ao facto da vossa conversa projectar a energia da coisa, e caso a pessoa se encontra em sintonia poderá captar exactamente aquilo que iam dizer; é uma forma de telepatia, mas encontra-se tudo na forma de energia. Por isso, há montes de modos por que usam as vossas energias para fazerem com que outras coisas sucedam.

Pergunta: Eu tinha uma pergunta acerca da viagem astral por ter tido uma experiência fora do corpo em que me foi dada uma lição. Será possível que, uma vez tenhamos compreendido a lição, fazê-lo enquanto nos encontramos despertos, no físico?

Vocês podem treinar-se a viajar no astral enquanto no estado desperto. Perecerá como se estivessem a dormir, mesmo enquanto permanecerem acordados, por se desprenderem fisicamente e soltarem o resto de vós nessas experiências. Mas compreendam o seguinte: se decidirem que querem viajar no astral, e se o que quiserem fazer no estado desperto, vão precisar de praticar.

Pergunta: Sucedeu umas quantas vezes (…) razão porque não o fiz de forma consciente…
Se quiseres ver a que se assemelha – creio já ter referido isto antes – vai para casa e coloca-te em frente ao espelho onde possam pelo menos dizer: “Aqui estou por cima de ti” e sugiro que tenhas as costas de uma cadeira para te apoiares, e olha para ti própria. Dentro de alguns minutos, sentirás uma sensação de movimento no teu corpo, poderás sentir-te um tanto atordoada - daí a razão de teres uma cadeira – mas verás uma figura dourada deslizar para fora de ti e posicionar-se a meia distância do teu corpo; é o teu corpo astral. Podes treinar-te na visão disso. Mas também podes treinar-te no sentido de dar a esse corpo uma instrução. Por outras palavras, podes sentar-te ou deitar-te e dizer para esse corpo “Vai até à cozinha,” e sentirás literalmente o deslize, e darás contigo a ter completa consciência da cozinha.

Mas aquil que te sugeriria, se estiveres a tentar treinar-te, é: primeiro, diz a ti própria para ficares junto a ti. Depois diz a ti própria para ires até à esquina do quarto e para voltares. Quererás ficar completamente certa de que regressará e de que estás no controlo. Tu gostaste por ter sido completamente fora do controlo, mas estou a mostar-te algo que poderás fazer.

Ora bem, a viagem astral mental não é tão difícil, no sentido do corpo, porque aquilo que fazes é reunir a tua energia mental diante de ti, como nesta zona do terceiro olho, vê-lo como um disco preateado, por assim dizer, ou um ponto de luz, seja o que for que te faça sentir cômoda, e a seguir dizem-lhe “Vai até este lugar, e regressa e diz-me o que se está a passar lá.” E ele irá. Mas poderás levar um pouco a habituares-te a isso. Mas a coisa mais importante a fazer é isto: aceitar que dispões da capacidade. Não estajas sempre a dizer “Desta vez não funcionou; desta vez não funcionou …” porque o que fazes assim é tomar o caminho errado, quando o que pretendes fazer é com que aconteça.

Pergunta: Eu tive uma experiência, certa vez, quando estava a conversar com alguém no meu escritório em que me vi literalmente – eu encontrava-me sentada na cadeira – vi-me literalmente… creio que tenha passado para uma outra dimensão, como uma janela que se tenha aberto e eu me tenha visto a passar para essa área, em que não sei o que fiz, mas passei por um lampejo muito estranho, e depois tive que ir ao quarto de banho devido ao que aconteceu comigo. Foi uma coisa espontânea. Terá sido (…) astral?

Isso foi uma viagem astral. Antes de mais, deixa-me assegurar-te quanto a uma coisa. O corpo espiritual sai do corpo físico todas as noites. E do meu ponto de vista isso represeenta um alívio; não se desprende, mas abandona a densidade. E por vezes ocorre uma coisa espontânea. Não têm que ter medo de se deitar, que ele não os vai abandonar, mas questão está em que se separa, não se desprende, mas separa da densidade do corpo, quando este dorme. Não durante a noite toda, mas durante parte dela.

Pergunta: Mas o interessante é que me vi a deixar o corpo, e quando me encontrei nesta (…) posição conseguia ver-me sentada na cadeira (…)

Tu foste literalmente capaz de te ver em dois sítios ao mesmo tempo, o que é desorientador para qualquer pessoa. Precisas ter em mente que vives num corpo físico e que ele vai reagir a esse nervosismo, etc…

Pergunta: Senti como que uma ruptura enquanto isso sucedia (Pois) e essa foi a parte mais difícil; mas a outra pesoa não soube o que (…)

Muito bem, as chaves para uma viagem astral bem-sucedida assentam na aceitação. Aceitação de que o conseguem fazer, aceitação de que não há pressa, aceitação de que venha a acontecer quando for indicado para vós. Vocês jamais viajam no astral quando se encontram num estado negativo. Não querem fazê-lo. Querem fazê-lo quando se encontram num estado de harmonia.

Pergunta: (Relativa ao estado negativo)

Quando se encontram num estado negativo têm experiências negativas; a energia negativa atrai a si própria. Se for para corrigir a negatividade… por outras palavras, se vocês se encontrarem numa situação negativa e precisarem que lhes seja mostrado algo que os ajude a alterar essa situação, isso sucederá. Mas se adoptarem uma atitude tipo: “Eu só tenho vontade de fazer as contas com o tipo…” ou “Preguei-lha um susto de morte…” isso não irá resultar, por irem precisar regressar à vossa situação, de algum modo. Por a melhor coisa a ter em mente é que para se separarem de vós precisam estar íntegros. Bem sei que isso soa contraditório, mas é como é. Se tiverem tudo coeso poderão separar-se sem qualquer problema. Qunado tiverem uma intenção negativa não o conseguirão em absoluto.

Pergunta: Haverá algum ritual complicado de protecção que devamos…?

Bom, se perceberem que cada pessoa deve usar uma afirmação própria com que se sinta protegida, tipo: “Encontro-me cercado pela luz branca; nada de natureza negativa poderá atingir-me. Só aceitarei aquilo que for positivo…” Algo nessa linha.

Pergunta: (Inaudível)

Antes de mais, lembra-te do seguinte, seja qual for o humor que tenhas, fica registado no plano astral, fica registado na mente universal. Tudo quanto alguma vez tenha acontecido acha-se registado na mente universal; é como uma biblioteca enorme onde vocês vão e conseguem-no de volta. Geralmente, quando têm uma experiência dessas e suspeitam disso, mas não a conseguem recordar, pode ser – repara que digo que pode ser – que tu a estejas a bloquear por não teres gostado da experiência. Poderás sentir: “Não a quero recordar por poder voltar a acontecer.” Mas se disseres a ti própria que nada disso te terá acontecido, ela não te poderá prejuducar por te achares num todo e num estado de harmonia. Mas pedem para que seja retomada de novo para poderem recordá-la um pouco. Não necessariamente fazer com que ocorra de novo, mas que possam recordar o que tenha ocorrido e poderem tomar uma decisão lógica a respeito. Encontra-se tudo lá, só que existe um véu entre ti e isso, sabes?

Pergunta: (Ineudível)

Além disso lembrem-se disto: quantos de vós terão sentido, no estado de sonhos ou do que tiverem visto como o estado de sonhos, que tenham passado ou conhecido alguém que tenha falecido? Saem um pouco até ao plano astrale conversam ou caminha juntos. Encontra-se tudo lá; só precisam dispor-se a entrar em contacto com isso.

Pergunta: (Inaudível)

A mente universal constitui todas as formas-pensamento, sob qualquer forma que seja, que tenham tido existência desde o começo. Elas alteram-se e mudam de acordo com a forma como a pessoa sofre alterações e mudanças. Quando tiverem ocasionado uma acção ou proferido uma afirmação, isso fica registado na mente universal. Quando esssa mente universal se enche, transborda para o universo. Portanto, se forem negativos com repsieot às coisas, estão a depositar energia negativa nesse banco que vai ser dispersa pelo universo, que por sua vez irá ao encontro de guerras e ódios, todo o género de coisas. A mente universal assemelha-se a um banco ou a uma biblioteca gigantesca onde tudo é registado. E vocês são perfeitamente capazes de lhe aceder. De facto muito do que vem até vós e através de vós, vem através dessa mente universal.
Os inventores exploram a mente universal, sabem, e por se encontrarem num tempo e espaço diferentes, trazem aquilo que se encontrava aqui até à sua nova forma. Mas a semente que lhe tiver dado início terá procedido da mente universal. Tudo vem a vós através da mente supraconsciente; tudo quanto penetra no vosso corpo proveniente do exterior, quer se trate de uma ideia ou de outra coisa qualquer, passa pela mente universal e através da vossa própria mente supraconsciente. É o vosso filtro e ele decide se será correcto para vós ou não. É por isso que se forem orientados a partir de dentro, da mente supraconsciente, jamais precisarão preocupar-se por cometerem um erro. Isso representa confiança no ser interior. É disso que se trata. E se confiarem no ser interior, irá resultar para vós.

Pergunta: Que associação existirá entre a mente universal e a mente de Deus?

A mente de Deus é a mente universal, é a essência que permeia... A mente de Deus, digamos, constitui a essência pura de tudo quando pode ser criado. É a vossa matéria-prima que é filtrada pela mente universal para passar pela mente supraconsciente e pela mente subconsciente até chegar à mente consciente. A razão disso deve-se...creio que a melhor maneira de o descrever seja a seguinte: Vocês não ligam o telefone no poste da corrente elétrica, não é, porque iria resultar demasiado potente. Tem que se dar uma redução na energia para que chegue até que consigam trabalhar com ela. Por isso é que o transformador existe dentro do edifício e dentro daquelas caixas na parede, de onde a transferem até às tomadas das paredes, de onde por sua vez podem tirar corrente para alimentar a lâmpada, etc. Porque então pode ser usada com segurança sem estourarem com nada.

Pergunta: Então a mente universal também tem a capacidade de criar assim como de pensamento...?

Certamente! Ela cria... liberta o pensamento que tenha existido para um novo nível de consciência dele. Vocês estão constantemente a depositar nesse banco, entendem, mas quando a retirada vem pretende ir mais longe do que antes. Assim, introduzem-no no tempo e no espaço em que se encontram e fazem porque se torne mais.

Pergunta: Onde se situa o éter...?

Se te recordas há uns anos falamos dos planos etéreos e astrais. O éter é aquela área universal... entendem, há uma certa área em que o homem consegue tocar a camada superior, e há áreas em que não consegue.

Pergunta: Então, isso refere a teoria Trickle-down? (NT: Em pirâmide, ou cascata, termo empregue na economia para descrever incentivos fiscais)

A única diferença a considerar é a de que a camada superior não significa vazamento algum, nem "superior". Significa o poder da energia.

Pergunta: E em relação ao fórum que se verifica no caso da June? Com efeito já o explicaste antes, mas será o intercâmbio de energia que se dá entre a June e o Julian tão raro que não seja de qualquer utilidade para nenhum dos aqui presentes na sala ou será algo que pudéssemos usar de uma forma ou de outra? (Julian pede para repetir a pergunta) A maneira como interages com o instrumento será tão raro que não chegue a ter qualquer uso particular para ninguém aqui presente ou será algo que podíamos...?

Se estiverem num estado de disposição e num estado de harmonia poderão chegar a ter quem trabalhe convosco. Mas no meu caso particular, de Serafim, o contrato, por assim dizer, tem que ser planeado antes de a encarnação suceder. Então a pessoa terá que nascer, dar início ao seu desenvolvimento da alma no mundo físico para depois regressar à lembrança da existência de uma outra dimensão com que trabalhar. Por o esquecer, uma vez no mundo material. Assim que regressar a isso, dá início à sua jornada, e a fusão pode ocorrer.

Pergunta: Só que é completamente incomum, não?

Sim, sim, não quer dizer que o caso dela seja único. Mas só existem cerca de sessenta Serafins a trabalhar no vosso universo, actualmente.

Pergunta: Quando canalizas... Qualquer coisa mais que possas dizer acerca da canalização, ou comunhão, conforme o termo que se emprega, ou cocriação, algo do género.

Ora bem, quero que entendas uma coisa: qualquer forma de estado alterado de consciência constitui uma forma de transe; toda a forma de estado de consciência alterada constitui uma maneira de trabalhar com uma outra dimensão de vós próprios. A única diferença aqui é o estado de amnésia que define o transe profundo, de que não resulta  qualquer recordação para o indivíduo; isso é bastante raro. O que não quer dizer que não haja quem o pratique. A viagem astral constitui um estado de consciência alterado. Quantos de vocês poderiam honestamente afirmar que conseguiam viajar no astral? (Vários respondem pela positiva) Óptimo. Fico encantado por os ouvir dizer isso. Aquilo que precisam reconhecer é que o "ingrediente" mais importante em qualquer tipo de consciência constitui a aceitação de que pode acontecer. Porque se vocês disserem "Eu quero faze-lo mas não creio que consiga," estarão a retrair-se e estarão a intrometer-se no vosso próprio caminho. Por isso, aquilo que dizem é: "Eu consigo e estou disposto; e aceito plenamente que seja capaz," porque essa constitui a maior aventura que podem ter rumo ao vosso futuro.

Já alguma vez terão notado que por vezes iniciam um rumo na direcção de alguma coisa, e se derem por ela, verão que o estão a fazer numa direcção diferente mas que resulta? Não tentem ser outra pessoa. Peçam a vós próprios para discernir o que funciona em vós e disponham-se a desenvolver isso. Por outras palavras, não querem clones, não querem fazer nada idêntico ao que fazem 57 pessoas. Isso será óptimo se fossem objectos mas não neste tipo de coisa. Vocês são pessoas dotadas de energias individuais, e é muito importante que o aceitem, e que isso possa resultar ligeiramente diferente.



TRANSCRITO E TRADUZIDO POR AMADEU ANTONIO

Direitos de Autor © 2003 Saul Srour

Autores: Rev. June K. Burke e o Serafim Julian