quarta-feira, 23 de novembro de 2016

VALERIE STURESTEPS - VOZES



AH-SO 
SOBRE OS reinos espirituais e A unidade 

O meu nome é Ah-So e quando estive no vosso mundo eu vivi aquela área que vocês chamam China. Isso foi há muitos anos no vosso tempo. Não tenho a intenção de exibir nenhuma das características estereotipadas que vocês associam àquela nacionalidade. Estes estereotipos e características servem para separar, e eu quero que vocês entendam o amor subjacente ao Espírito que se encontra em todos vós. Vocês vêm a cor da pele de uma pessoa, vocês vêm a forma dos seus olhos, vocês vêm a sua altura em comparação com a vossa e vocês classificam-na. Peço-vos, meus amigos, para olhar além dessa moldura e para verem o espírito que se manifesta. É como uma árvore, o tronco principal, ramos e os ramos menores e os galhos. Um ramo da árvore será diferente dos outros ramos? Eles são todos parte de uma mesma árvore, todos parte de Espírito. Se imaginarem essa árvore a começar pelo galho, irão ver que vários galhos se fundem num ramo menor, e vários ramos menores se fundem num ramo maior, e vários ramos formam se unem no tronco. É assim que o Espírito se acha organizado. Vocês têm muitos galhos no vosso mundo, e vocês têm os ramos menores no Mundo Espiritual, sobre os quais ouvem falar tanto no vosso ensino particular. Depois, há os ramos maiores, que são as áreas para além desse Espírito Mundial e, finalmente, há o tronco, o apoio de tudo isso, que é o Deus ou o Espírito.

Desejaria, meus amigos, poder falar-lhes sobre a parte que corresponde aos ramos, da área além do Espírito do Mundo. É um lugar maravilhoso. Mas, à medida que o Espírito se desenvolve e cresce, vocês gradualmente fundem-se e passam para a outra área mais refinada. Vocês realmente não têm conceitos no vosso mundo que me permitam explicar efectivamente a que se assemelha essa área. É mais refinada do que o Espírito do Mundo. É luz. Vocês não têm uma forma física definida. A vossa forma é mais amorfa, mais fluida. Existe um grande estado de felicidade aí. É nessa área que as energias mais subtis se lhes tornam evidentes, onde vocês precisam largar a necessidade de formas físicas, onde vocês podem deixar cair a necessidade de comunicação, e mesmo assim ainda há esta bem-aventurança em uníssono, experiência alegre.

As divisões existentes entre os espíritos nessas partes são muito ténues e ao passarem gradualmente por essa área, os limites desaparecem por completo, e vocês mesclam-se em Deus ao longo dessas divisões.

O "ar" nesta área assemelha-se ao brilho de joias cintilantes, e no mais profundo da vossa alma, vocês conhecem essa cintilação, e é por isso que vocês acham as joias tão atraentes. Elas ecoam essa compreensão em algum lugar profundo dentro de vocês. É por isso que vocês acham o arco-íris tão bonito. Existem muitas, muitas mais cores nesta região do que vocês podem ver no vosso mundo.

É uma área de uma enorme paz e felicidade. É uma área que vocês devem lembrar. Estou com medo de que alguns de vocês se concentrem no Mundo Espiritual e sentam que seja tudo quanto existe. O Mundo Espiritual é um passo muito necessário no vosso desenvolvimento e prezo que todos vocês possam ter boas experiências nele. Mas é apenas o começo de experiências muito mais grandiosas, mais maravilhosas. Mas peço-lhes, meus amigos, para recordarem que existe algo além dele. Assim não irão ficar presos no Mundo Espiritual. As suas alegrias são muito tentadoras, muito aprazíveis, mas há mais além. Sigam essa visão e lembrem-se deste mundo e serão capazes de absorver todas as experiências de que necessitam no Mundo Espiritual com mais facilidade, e serão, por conseguinte, capazes de se desenvolver mais firmemente para seguirem para o estágio de onde vocês poderão passar para a outra área. Poderão entender que não existe nenhuma área definida? O Mundo Espiritual manifesta-se através do mundo físico e encontra-se além dele, e como tal, toda esta região se manifesta ao longo do mundo físico, e através do Espírito do Mundo, e mais além. E Deus também se manifesta através de todas os três estágios e encontra-se além, enquanto tranquilidade profunda, o profundo mistério. É por isso que fundir-se com o Divino é maravilhoso. Não é a aniquilação de vossa individualidade, é uma extensão dessa individualidade, para abranger tudo o que existe.

Eu procuro, meus amigos, ajudá-los a todos no vosso caminho. Desejo que realmente entendam que todas essas divisões se fundem e que não podem separar umas das outras. E que, subjacente a tudo, existe a Divindade. Eu procuro usar o termo Divindade num esforço por impedir que conceptualizem essa área. Não se trata do Deus dos cristãos, nem do Deus dos hebreus, nem o deus budista, nem de qualquer religião em particular. É algo muito mais vasto do que vocês podem compreender ou conceptualizar com mente humana. É um mistério. Não concebam Deus numa qualquer forma qualquer particular. Tentem ater-se a este universo de luz. Ele não se conforma a nenhum quadro, nenhuma imagem. Ele é mais vasto do que qualquer coisa que vocês possam imaginar. Meus amigos, fico-lhes grato pela bondade com que me trataram hoje. Eu desejo trazer-lhes paz a todos. Desejo que todos tentem entender que tudo é muito mais maravilhoso do que o que conseguem conceber.

Obrigado por me estenderem o vosso amor.
 
Wung-LO 
SOBRE UMA EDUCAÇÃO DOS FILHOS QUE LHES PRESERVE AS CAPACIDADES PSÍQUICAS
11.6.87

A noite começou com um período de meditação durante o qual os guias trataram de me levar a um estado de transe mais profundo do que o normal. Finalmente Wung-Lo começou a falar, com seus modos bastante diferentes das suas maneiras habituais. Ele revelou-se muito distanciado e a sua voz tinha uma qualidade de devaneio, dissociada e distante. Ele começou dizendo:

Vocês conhecem-me como Wung-Lo, e eu falarei convosco esta noite, antes que outra entidade venha.

Temos sido questionados sobre a educação dos filhos, de modo que vamos falar sobre isso durante alguns minutos.

Um bebê recém-nascido no vosso mundo ainda terá fortes ligações com o Mundo Espiritual de onde ele veio. É por isso que dorme tanto tempo durante as primeiras semanas; a alma está gradualmente a acostumar-se ao corpo e ao mundo material de novo. Ele precisa acostumar-se ao peso do corpo, à sensação do ar, às luzes, ele precisa habituar-se a controlar o corpo, ele tem que se acostumar a comer e a beber de novo e à sensação das roupas e a muitas outras sensações.

As crianças pequenas costumam ter muitas impressões psíquicas e temos sido questionados com respeito a como educar os filhos de modo que eles possam reter essas faculdades psíquicas.

Algumas crianças irão naturalmente retê-las sem qualquer ajuda; outras não irão retê-las, a despeito do que vocês fizerem. Depende do que a criança tenha trazido ao mundo, do plano de vida da criança. É possível que todas as faculdades psíquicas saiam ilesas e sem entraves dessas experiências. Mas se as faculdades psíquicas não forem para ser mantidas nessa vida, então gradualmente irão desvanecer-se à medida que a criança crescer.

Para evitar que a criança veja as suas faculdades psíquicas esmagadas vocês precisam, em primeiro lugar, estar ciente da existência dessas faculdades. Conversem com a criança sobre essas coisas para que a criança saiba que vocês sabem, porque então a criança irá ter confiança em falar-lhes sobre as suas experiências. Aceitem as experiências que a criança lhes revelar. Não forcem a criança às vossas actividades materiais. Conduzam-nas suavemente. Você precisam orientá-las para que possam ser membros úteis da vossa sociedade, mas onde existirem opções disponíveis permitam que a criança defina as suas próprias escolhas. Tentem educar as crianças de tal forma que elas tenham noção da autoestima, de modo que elas possam confiar em si mesmas e nas impressões que receberem.

Por vezes, precisarão controlar a criança, controlar certos comportamentos não aceitáveis
​​para a vossa sociedade. Se a criança não se comportar de maneiras aceitáveis ​​ será, em certa medida, ostracizada e as suas faculdades psíquicas não serão aceites pelos outros. Mas certifiquem-se de que toda a punição a que você possam precisar recorrer não destrua a autoestima.

Tentar inculcar no vosso filho o amor pela natureza, desfrutar das flores, das árvores e dos animais. Por a natureza ser uma das expressões de espírito, é bom sentir apreço pela natureza e pelo ambiente natural. Permitir que a criança esteja aberta a esse canal.
Certifiquem-se de que a criança conhece os seus pontos fortes e seus pontos positivos. Enfatizem sempre os pontos positivos que a criança apresente. À medida que a criança crescer poderão explicar-lhe mais. Poderão falar com ela sobre a meditação por volta dos 8 a 10 anos. Mas, uma vez mais, não a forcem, se a criança não se sentir inclinada a isso. Apresentem sempre as coisas espirituais, mas não as forcem, não insistam. A coerção nesta linha de raciocínio é mais prejudicial do que deixar de o apresentar à criança, em absoluto.

A criança dotada desses dons, a criança destinada para PRESERVAR esses dons, será sempre uma criança especial. Haverá sempre algo de diferente com respeito a uma criança assim, uma certa tranquilidade, uma certa delicadeza e calma. Ela não virá a ser áspera nem excessivamente barulhento, será aquela que ficará a assistir, ela será aquela que questionará, ela será aquela que fará algum comentário invulgar ou que virá a ter uma consciência particular dos sentimentos das outras pessoas e do que acontece às outras pessoas. As crianças normais são muito egocêntricas, acham difícil ver as coisas do ponto de vista dos sentimentos das outras pessoas. Elas sempre virão a ser capazes de ver as coisas por mais que um ponto de vista, ou então, de chegar ao extremo de se desinteressarem por completo pelos interesses materiais da vossa sociedade. Elas virão a aceitar o que se lhes apresentar, mas mostrar-se-ão indiferentes, se não houver muito.

A retenção dessas faculdades psíquicas pode não se evidenciar durante toda a vida da criança. É bastante comum que essas faculdades se tornem latentes, especialmente em relação aos anos da adolescência. Na vossa sociedade em particular é colcoado um pesado
​​estress sobre os vossos jovens. Nas sociedades mais simples a vida é muito mais fácil, e muitas vezes irão descobrir que nessas sociedades o mundo do espírito se acha muito mais perto delas, se acha muito mais envolvida na vida diária. Na vossa sociedade, as preocupações materiais incidem fortemente sobre os adolescentes e até que a vida material se estabeleça, é bastante comum as faculdades psíquicas tornarem-se dormentes, mas reaparecerão numa altura apropriada. Confiem nos vossos filhos, confiem que eles saibam o que estão a trazer, eles sabem o que estão aqui a fim de fazer. Embora possa acontecer que essa informação não se encontre na mente consciente, ainda assim num nível qualquer, eles sempre irão saber, e quando encontram o caminho certo para a sua vida as coisas tornar-se-ão muito mais suaves e fáceis.

Basta que façam o melhor possível pelos vossos filhos – este é o melhor conselho que lhes posso dar.

Esperamos que isto satisfaça o problema do inquiridor. Se for necessária alguma elucidação adicional por favor, perguntem.

(Seguiu-se um curto período num estado meditativo até que uma pergunta foi feita)

Pergunta: Crianças que enfrentam a separação dos pais pelo divórcio ou assim, envolverá isso uma questão cármica ou é apenas uma lição de vida que eles convidam a si mesmos nessa vida?

Wung-Lo: O que queres dizer com 'carma'? (A voz tinha mudado um pouco e agora era mais profunda).

Pergunta: Eu não estou muito certa.

Wung-Lo: O carma conforme é normalmente ensinado na vossa sociedade não existe. Vocês trazem convosco um plano geral amplo da vida com que terão acordado. Não há qualquer lei automática que os force a reencarnar para obterem qualquer experiência particular, punição ou recompensa. As crianças vão suportar as tempestades e as dificuldades a maneira que pretenderem. Essas coisas não têm qualquer efeito sobre as suas capacidades psíquicas ou falta deles.

Pergunta: Mencionaste que deviamos iniciar as crianças na meditação por volta dos 8 a 10 anos. Será bom começar pelas cores, as cores do arco-íris e jogos, como brincar numa praia mentalmente ou numa floresta?

Wung-Lo: Vocês podem começar dessa forma. Todas as formas são legítimas.

Pergunta: É mais divertido se usarmos um jogo.

Wung-Lo: É verdade. Façam o melhor que puderem.

Pergunta: Que objetivo terá a meditação para as crianças?

Wung-Lo: o mesmo que para os adultos.

Pergunta: Que é qual?

Wung-Lo: Apaziguar a mente para que vocês possam entrar em contato com o vosso Eu. As sociedades mais simples não precisam meditar por não terem um mundo material que se intrometer no seu caminho.

Pergunta: Ainda existirão sociedades simples no mundo?

Wung-Lo: Elas estão a diminuir.

Pergunta: Qual é a melhor maneira de preparar os nossos filhos para a vinda da nova era?

Wung-Lo: É a que acabamos de indicar. Que “nova era,” de qualquer modo?

Pergunta: A Era de Aquario, e os possíveis holocausts que venham a dar-se no mundo que conduzam a uma redução da população.

Wung-Lo: Que holocausto? Que redução da população?

Pergunta: Tudo está em boas condições, não é?

Wung-Lo: Sim. Por que vocês acham que se vão dar esses desastres? Eles foram previstos durante os últimos 4.000 anos e ainda não surgiram, pois não?

Pergunta: Wung-Lo, você sabe mais sobre isso do que nós. Não podemos responder a essa pergunta.

Pergunta: Estão a prever que a doença da SIDA venha a acabar com uma grande percentagem da população.

Wung-Lo: Isso também sucedeu com a Peste Negra. Isto é o que estamos a dizer-lhes. O vosso mundo não está em maior turbulência do que alguma vez esteve nos últimos 3.000 anos.

Pergunta: Mas como podemos proteger-nos e evitar entrar em contato com a SIDA? Será algo em relação ao que temos de nos preparar mentalmente para não contrairmos?

Wung-Lo: Vocês podem usar métodos mentais, se acharem que eles vão resultar. Uns quantos métodos práticos provavelmente irão ser melhores! Por que não proteger-se contra o cancro ou a Esclerose Múltipla? Ou qualquer das outras doenças?

Pergunta: É justamente por se realçar a SIDA. Mas eu acho que é apenas mais uma mania por que este mundo está a passar.

Wung-Lo: Sem dúvida. Da última vez foi a gripe, lembram-se?

Pergunta: Como podemos proteger as crianças?

Wung-Lo: Vocês estão num mundo material e precisam de medidas materiais.

Pergunta: Existe alguma maneira especial ou alguns exercícios com que devamos brincar com as crianças?

Wung-Lo: Vamos reflectir nisso e depois dir-lhes-emos.
(continua) 

Valerie Sturespets
Traduzido por Amadeu António


Sem comentários:

Enviar um comentário