sexta-feira, 4 de novembro de 2016

VOZES IX



NOSTRADAMUS



Numa comunicação de transe, de Agosto de 1967, Nostradamus expressou-nos a atitude que tinha ante um conceito de um Deus pessoal:



ACERCA DO DEUS PESSOAL



No começo, antes do início da vida do mundo, gerou-se um aumento na frequência da carga celestial. Ao se produzir uma carga nuclear sensível mais acentuada, conforme o entenderiam, foi criada uma parte correspondente do espírito - o mundo físico. Desse começo, o qual nunca foi, vocês falam por todo o mundo como sendo Deus, uma infinita inteligência, de uma infinitude que nunca o foi, por encerrada na vossa carne mortal se achar a espiritualidade que clama que que não tenham sido criados com um produto de uma fonte superior, mas idênticos àquilo que na superstição e na ignorância é chamado de Deus.



Como haverei de fazer para que a compreensão atinja as mentes terrestres que se acham controladas pela superstição, pelos credos e doutrinas que não encontram paralelo neste grande lar espiritual?



NÃO EXISTE DEUS ALGUM! (Pronunciado numa voz de trovão)*



O que existe é que todas as pessoas fazem parte da grandiosa e gloriosas frequências que rodeia as eternidades, imensidões que não conseguiriam perceber nem compreender.



Consideremos por um instante o seguinte: Se existisse uma fonte superior existiria necessidade de livre-arbítrio? Não seria melhor que fosse como no reino animal e vivessem unicamente com base no instinto que corre pelo seio da Mãe Natureza? Essa consciência, essa criatividade, esse espírito, é verdade, é todo um só, mas é um todo para cada um e expressa não só vida no físico mas expressa-a no espírito igualmente.



Essa criatividade torna todos e cada indivíduo num deus, num belo planeta ricamente dotado que segue a senda da perfeição. Este planeta é um entre biliões de biliões. Isso atordoa a mente de qualquer cérebro. Mas quando alargarem os horizontes da vossa experiência, quando aumentarem o conhecimento que têm, quando chegarem a conhecer a perfeição da real compreensão, então e somente então compreenderão a razão porque o homem necessita encontrar a perfeição da vida acima e além das insignificantes trivialidades que prevalecem na actualidade.



Está a chegar um tempo em que este planeta estremecerá sobre o seu eixo e em que aquilo que antes existiu se torna numa realidade de novo, quando toda esta vida não passará de uma sombra do um sonho e o corpo físico será somente para expressar o pensamento espiritual que é primordial no presente.



Lembrem-se, estudem aquilo que o Nostradamus escreveu. Questionem-no, perscrutem cada palavra e desse modo percebam a verdade das verdades que existia antes da vossa própria existência.



Hapgood: Nostradamus...



Nostradamus: Não sejam cegos e abram as portas da percepção para poderem apreciar a gloriosa beleza do espírito e poderem aperceber-se de que estas belezas não podem ter lugar nos vossos pensamentos físicos. Atentem à radiação do espírito. Captem e compreendam os raios de luz que os tocam. E antes mesmo que termine esta tarefa convosco, conhecerão e compreenderão e serão sensatos em todos os modos.



Hapgood: Nostradamus...



Nostradamus: Ao seu serviço.



Hapgood: Na conversa que tivemos outro dia (não gravada) falou do problema do bem e do mal e da razão da existência do sofrimento e eu gostaria da saber se poderá explicar isso um pouco mais.



Nostradamus: Não existe uma só gota de maldade na “taça” da espiritualidade, mas tem o seu lugar para além do bem a fim de criar um equilíbrio entre as duas forças. O mal, que não tem existência, é somente aquilo que chamam de menos certo ou “injusto,” e nos vossos padrões morais tem a função de ajudar a produzir a percepção do espírito. Não existe mal, ele não passa de um servo do bem, não só no equilíbrio das forças como também no aliciamento da pessoa no sentido de compreender e de buscar o acesso à espiritualidade. As palavras são insignificantes, pequenos monstros que realmente não conseguem clarificar o verdadeiro sentido do que queremos dizer. Mas o pensamento é o veículo da expressão onde dois espíritos, em perfeita sintonia, encontram a possibilidade de comunicação para além do alcance do que designam por "imaginação." Não há necessidade de palavras quando o puro pensamento pode ser expressado no silêncio e nas meditações da vossa própria compreensão.



Hapgood: Mencionou na conversa de outro dia a dificuldade de vir de tão longe por meio das progressões, mas que sentira, ao ter voltado à Terra, que era uma experiência muito interessante. Poderia dizer-nos que coisas terá descoberto no seu regresso que lhe tenham parecido tão interessantes?



Nostradamus: Ao “descer” nas vibrações, e ao testemunhar as cenas do passado, e ver as tragédias, o regozijo e as dores da vossa vida, encontrei encanto unicamente no conhecimento que pude constatar da aproximação de um derradeiro bem para a humanidade.



Hapgood: Na outra noite quando falei consigo mencionei a aparente recordação que tive de uma encarnaçã terovivido.-lhe se realmente seria facto de eu jionei a apamentetado no sil convosco, conhecera esta vida no anterior e perguntei-lhe se realmente seria facto ter eu já vivido antes.



Nostradamus: Porque deverias tu ter dúvidas e sentir apreensão? Porque será tal ideia tão inconcebível? Porque será que o que é natural pareça tão sobrehumano à crença humana? A reincarnação constitui uma experiência pessoal, uma experiência que possui um verdadeiro significado, ainda que a maior derrota da humanidade assente nas dúvidas e nas apreensões que destroem aquilo que sabem ser verdadeiro.



Hapgood: É claro que quero transpor a dúvida e chegar à certeza mas é natural que uma coisa como essa nos pareça tão estranha aqui - a ideia de termos vivido antes - e conquanto tenha visto provas disso eu continuo a manter uma certa prudência na adopção de alguma coisa que possa envolver uma certa margem de erro.



Nostradamus: É sensato, mas para o expressar adequadamente na vossa linguagem, o espírito é beleza e simplicidade, embora para a maioria não passe de uma fantasia a que chamam "imaginação." A imaginação é a porta que separa o espiritual do material.

Lembra-te de que o pensamento constitui a mais poderosa força geradora em toda a eternidade. Que coisa gloriosa é saber e ver-nos concedida a liberdade da livre expressão. É um tesouro inestimável. Deixo-vos nesta altura mas ficai sabendo que estou perto a todo o instante e que sempre que desejarem eu me infiltro na vossa espiritualidade.



Mesmo depois da forte voz de Nostradamus ter cessado, Babbitt continuou em transe. Após alguns instantes, surgiram sinais de que uma nova entidade tinha penetrado o seu corpo. Então, numa voz muito suave disse:



VOZ:



Há um destino que de nós irmãos faz

Ninguém segue o seu caminho a sós

Tudo quanto oferecer aos outros nos apraz

Voltará depois a nós



Por seu templo ou credo não me sinto interessado

Uma só coisa permanece firme e para sempre

Que no amontoado de caminhos e acções conturbado

A alma do homem é assente.



Os meus cumprimentos, senhor Hapgood. Espero voltar. Falou a inteligência de Edwin Markham



Hapgood: Edwin Markham!... Obrigado



O conceito apresentado por Nostradamus é deveras difícil, mas é um conceito básico inerente ao pensamento de todas as altas entidades que falaram através de Babbitt. A divina natureza do mundo não é posta em causa. O Todo-Poderoso é aceite como consciência uninversal, a alma do universo, exactamente conforme é aceite no pensamento Hindu. É a Energia Criadora, que flui de todas as coisas, e da qual todas as coisas fazem parte. Cada um de nós é uma parte de Deus, mas Deus não é uma pessoa e não recompensa ou pune as pessoas como Juiz Supremo. Em vez disso, cada um de nós julga a si mesmo e segue o seu próprio rumo de desenvolvimento do livre desejo através das sucessivas vidas.



Quando Nostradamus diz “não sejam cegos, abram as portas da percepção,” diz-nos para procurarmos a revelação espiritual dos sentidos íntimos de modo a podermos ver o mundo esotérico das auras coloridas, e a aceitarmos com sensibilidade as entidades não físicas que tanto desejam comunicar connosco.



* (NT: Desejaria fazer um parêntesis para apelar à atenção do leitor para o facto do que esta matéria subscreve, de importância capital com respeito à compreensão da temática. Nostradamus não nega aqui explicitamente a existência da divindade; ele procura esclarecer o significado em que cristalizamos a ideia que dela fazemos em moldes criados pelo próprio homem, que assentam numa projecção da imagem, fundada no âmbito da separação essencial. Ele não apresenta contradição ao afirmar o que aqui é referido. Não que seja errado crer na imagem de um deus pessoal, mas representa uma restrição assente numa certa ambiguidade gerada pelo culto de todo ícone, que radica no fosso cavado no fosso do sofrimento. Deus não existe em separado do homem - é o que aqui é realçado (a noção implícita à dicotomia existente entre criador e criatura) só que a crença não colmata tal abismo nem aproxima o homem da sua essência divina. Apenas serve de paliativo. Conforme foi referido outrora, "Aquieta-te e sabe que Eu Sou Deus,” reúne a condição de toda uma nova abordagem pelo conhecimento de nós mesmos.)





Mahatma Gandhi



Numa comunicação ocorrida a 2 de Julho de 1967, Gandhi dirigiu-se a um grupo de jovens, em casa de Babbitt. Não reinava, nesse grupo, a perfeita unidade e compreensão dos seus propósitos espirituais. No entanto, sugeri a Babbitt que talvez Gandhi, que já antes nos falara, quisesse, ao dirigir-se aos jovens, ajudá-los a conseguir uma maior harmonia entre si. Contudo, no decorrer da seguinte discussão, uma aguda discordância surgiu entre ele e eu

Gandhi: Eu sou Mohandas Gandhi e venho a fim de explorar os caminhos da vossa mente. Venho a fim de explorar o sombrio conteúdo virgem ainda incompreensível ao vosso íntimo para a realização interior da vossa vida mortal. Todos buscam e todos anseiam por conhecer e realizar a Força de Deus. Existirá um Deus? Existirá um Criador Infinito? Haverá alguma força superior a operar no âmbito das limitações com que se deparam no corpo mortal e num espírito criativo? A resposta é a de que existe unicamente a vossa Força de Deus, por nos progressos que empreendem só vos tornais materiais para que enquanto energia criativa poderem tornar-se num ser mortal para desfrutarem da beleza do vosso mundo. Assim, tudo aconteceu para que as acções moleculares do desejo, através das forças do pensamento, originassem a vossa identificação. Foi aí que tudo começou. Foi aí que o Buda exemplificou o pleno sentido do Om Mani Padme Um. Ele falou da jóia dentro do lótus, jóia essa, que é a força representativa do vosso poder criador, o lótus das sete pétalas de toda a criatividade.

Contudo, não será uma grande honra, não será um enorme privilégio saber que cada um de vós é um Deus por direito próprio? Não persigam os conhecimentos limitados dos vossos líderes religiosos. Não busquem a esmo as respostas a toda a criação, por a criação residir nesse corpo humano. É a força branca das águas etéreas que fluem pelas veias e artérias do vosso ser. É vosso privilégio possuir um cérebro como um computador que lhes concede todo o poder da mente sobre a matéria. Devem ultrapassar os limites de tudo quanto se circunscreve na força criativa, por vocês estarem tão vivos e vibrantes quanto o espírito, como as forças da natureza (que se fundam no fogo, ar, água e terra) Elas constituem os quatro compostos necessários para activarem o vosso espírito e como poderemos nós duvidar, como poderemos nós analisar, como poderemos nós nas nossas limitações ousar dizer que não exista o eterno e permanente rio de vida?

Mas esse rio de vida é circular como é toda a vibração, e assim falamos de alfa e de ômega, o que é familiar a todos os credos eclesiásticos. Aqui encontramos um grupo de pessoas, a maior parte das quais se encontra agora em busca da plena criatividade do homem. Ela vem a este universo, vem sobre os ventos cósmicos, e eu asseguro-lhes que diante de vós está uma grandiosa aventura na mente, no espírito e na alma. É tempo de se prepararem. É um tempo de se tornarem no átomo auto-suficiente que na realidade vocês são, porquanto pouco podem perceber do papel que cada um desempenhará no futuro que se avizinha, por cada vir a ser um regente e um professor para aqueles que buscam a plena compreensão da expressão cármica da vida. Vocês buscam a compreensão por intermédio dos vossos limitados sentidos mortais. Buscam uma expressão mais compassiva e cada um contribui à roda da vida com a sua missão e propósito caso se coordenem na trindade da vida.

Este é um tempo em que precisam olhar para fora e buscar a mudança nas atitudes mentais, de se compenetrarem na verdade e ainda que não compreendem a razão da constante perturbação e tumulto daqueles que buscam a verdade, quando as repercussões vibratórias do vosso sistema solar originam forças negativas à face do mundo.

Hão-de ver-se como os salvadores dos cansados e dos oprimidos e daqueles que perderam a esperança no viver, por esse ser o vosso dote e a vossa capacidade, derivada não só do livre desejo mas também da sabedoria, porque no vosso íntimo está o poder de mover toda a energia criativa, porquanto lhes digo uma vez mais que são deuses, e que não existe nada além do além senão o fluxo constante de todos os átomos, e o comando desses átomos está ao vosso dispor, na força curativa, na compreensão de vós próprios e no poder que têm de mover céus e terra com um simples pensamento.

Se nos despojarmos do nosso ser mortal, se nos livrarmos do cérebro enfraquecido, ficamos apenas com o pensamento, o qual é espírito. O espírito é simbolizado pela água, por a água ser a essência da vida e rodear o vosso mundo com as suas correntes, rios e oceanos. Quando perceberem que pouca terra há onde assentar os pés, então depositarão o poder do vosso pensamento na vossa estrutura espiritual e aí buscarão a realização plena de serem tão livres quanto desejam ser, e não poderá subsistir racionalização nem repressão, por serem o deus do vosso próprio ser. Guardem os vossos pensamentos com forças positivas. Movam-se com essa força em toda e qualquer direcção e apercebam-se dos átomos vibracionais que lhes oferecem a plena força da criatividade que ora buscam, e chegarão a encontrar, a conhecer e a compreender quando atingem a plena compaixão, a plena valorização, e em completa entrega de uns para os outros, por constituir o único e verdadeiro caminho.

Mais tarde, Gandhi dirigiu-se expressamente a uma jovem do grupo, sem entretanto deixar de incluir, todo o grupo nas suas observações.

Gandhi: Em tempos idos eu falei e ensinei na qualidade de advogado mas não venho na qualidade de juiz, acusador, defensor nem jurado. Venho unicamente trazer-lhes revelações mais plenas de modo a poderem ficar em paz com o ser infinito em vós. Torna-se imperativo que cada um de vós, quer esteja numa via material ou espiritual, perceba o pleno sentido do ver cada indivíduo como uma energia constante, porque assim a vossa qualidade agressividade mortal afrouxará o controlo que exerce sobre vós e buscareis aquela energia e expressareis o vosso espírito…

Incito cada um de vós a ver o semelhante como a plena energia em vibração para que então percebam cada um livre como um pássaro para voar e que são livres de demonstrar a vossa Força de Deus, que na realidade é o vosso próprio movimento.

Perguntei a Gandhi se tinha alguma coisa a aconselhar sobre a formação de um centro espiritual, que na verdade correspondia ao nosso objectivo.

Gandhi: Quando cada um de vós compreender o verdadeiro sentido do que eu tanta vez tenho afirmado e que continuarei a afirmar, quando cada um conseguir ver o próximo enquanto energia, então não haverá lugar para relações conflituosas que agora se manifestam numa força negativa.

Hapgood: Mr. Gandhi, estou plenamente convencido, convencimento esse, que me vem do espírito, que me diz que as profecias relativas às mudanças terrestres que recebemos da parte de uma certo número de entidades, incluindo Albert Einstein, não ocorrerão. Por que razão terei esta convicção?

Gandhi: Por seres obstinado e eu o acusar e me sentir vexado pelo conhecimento limitado que tens de tudo quanto seja espiritual. Tu negas isso por causa dos teus próprios antecedentes, do ambiente em que vives, mas uma vez mais te digo que os céus falarão, o sinal será mostrado a todos, a cada um será dado um aviso, e até mesmo tu finalmente verás o reflexo total espiritual de ti próprio e não serás um intelectual cabeçudo.

Estaria Gandhi a brincar comigo? O futuro o dirá. O importante, porém, é a mensagem dirigida aos jovens.



MARK TWAIN



A 16 de Setembro de 1972, foi feita uma sessão de filmagem em casa do Babbitt, em conexão com um projecto de um documentário sobre ele. Os três membros da equipa de filmagem, o Steven Diamond, o Daniel Keller e Charles Light estiveram presentes. O doutor Fisher foi inteirado de que eles necessitavam do mais amplo leque de personalidades e de expressões junto com a chegada das personalidades. Após o Babbitt ter entrado em transe Fisher falou por um instante através dele a fim de me responder a umas perguntas, e a seguir falamos à vez com Sam Clemens; a adivinha cigana Jennie van Detta van Dien, que costumava estar connosco; e por fim, com o Louis Armstrong.



Clemens: Bom dia, Charles… Doutor Charles “Halfgood” dos limites exteriores da progressão astral, que está constantemente a perturbar-me na minha nuvem de felicidade. Saúdo-o na pessoa de um cavalheiro e de um sábio.



Hapgood: Muito obrigado.



Clemens: Agora que pusemos a lisonja de lado e podemos enfrentar a horrível verdade, devo dizer-lhe que eu percorria os ventos cósmicos à procura da saída do monte de estrume da existência quando vi um dinossáurio enclausurado no seu habitat de gelo. Agora, consideração que, enquanto vibrando legal ou ilegalmente, conforme o caso, fiquei profundamente convicto de ter identificado um dinossáurio fêmea. Fiquei encantado com a perfeição dele, e por fim, após o ter contemplado durante um longo momento vibratório, decidi ser uma fêmea por durante o ínterim em que tive que aguardar que aliviasse os apêndices dos rins e da bexiga, verifiquei que não erguera a perna para urinar. Mas diabos me levem se não era um dinossáurio pelo formato da cabeça e a projecção há muito esvanecida. Pensei que isso pudesse interessá-lo, Hapgood.



Hapgood: Interesso-me muito por dinossáurios. Diz-me muito respeito.



Clemens: Bom, vou ver se podemos arranjar a construir um na sua sala de estar.



Hapgood: Quer dizer que vai arranjar com que um me venha visitar?



Clemens: Adoraria poder ter um na sua habitação, a sibilar e a dar-lhe com a cauda nas ventas sempre que se apaixonasse por um membro do sexo oposto.



Hapgood: Terá sido o brontossauro de 24 metros ou era de outro tipo?



Clemens: Ainda não decidi, mas para seu deleite há-de ser uma fêmea.



Hapgood: Bom, pelo menos isso. Bom, Sam, não sei se tem desperdiçado o seu tempo a observar as nossas questões da política, mas haverá alguma coisa de errado com a forma como o Senador MacGovern está a conduzir a companha dele?



Clemens: A campanha está a correr bem. É o próprio homem que me parece cabeça no ar. Não parece ter nada entre as orelhas, e não vejo que venha a ser o próximo locatário do vosso depósito do lixo localizado em Washington, mas vejo a aproximação de muitas mudanças que não consigo explicar por não ser químico, nem um Einstein ou um Halfgood. Estou única e tranquilamente interessado nas minhas amigas e no bom bocado que levo no espírito não mais onerado pelo cadáver que você usa.



Hapgood: Sinto que por vezes este cadáver é um tanto pesado, e não me importava de me juntar a si, assim que os Poderes acharem adequado.



Clemens: Bom, não tenha pressa, por ainda termos que cumprir com a nossa promessa de o ver enforcado nos degraus do Pentágono, caso continue a declarar o seu direito de livre expressão espiritual. Eu perderia um pouco mais de peso, por a corda no vosso mundo não ter a qualidade que costumava ter… Portanto, peço-lhe que tenha calma e vou olhar por si quando o dinossáurio o expulsar seu quarto.



DR. FU MAN LU

Na nossa presente era, à medida que amadurecemos, encontramo-nos condicionados pelas ideias do medo: Medo da vida, medo da morte. Por estarmos condicionados a descrer no conceito da reincarnação, tememos viver e/ou morrer, e é essa atitude que resulta no excesso de peso que o corpo contrai.

“Lembrem-se que vocês encarnam uma força espiritual que foi identificada e que é idêntica a si mesma desde a sua explosão inicial a partir da força de todos os ventos do infinito. Mas claro que é trágico assistir a esse acúmulo de peso constante, na vossa Terra, pela acção dos pensamentos dos outros que vivem unicamente em busca da materialidade e se esquivam aos problemas produzidos pelo seu espírito através da racionalização ou da aceitação condicional daquilo que são – pelo conhecimento do que são caso se atrevam a examinar os próprios apetites da criatividade e os desígnios da própria vida.”

A maioria de quantos se sentem na incerteza quanto ao seu designado modo de vida, devem examinar as ideias que revelam que eles são um contínuo de energia que foi interrompido em todas as sendas da vida. E o seu propósito, objectivo final, é o de regressarem a essa força criativa que tiveram por origem. Saliento isto por muitos dos indivíduos da Terra ainda considerarem a existência de uma personalidade mítica no exterior do que chamam de vaga inquietação, se sentem receosos de poderem estar permanentemente a ser vigiados e condenados por uma força primária, ou seja lá o que for que lhe chamem – Deus.

GORDURA CÁRMICA, O PROPÓSITO DA VIDA, MÚSICA CELESTIAL, GINSENG

Dr. Fu Man Lu: É com prazer que me dirijo àqueles que buscam a profunda compreensão espiritual da vida, e se me for permitido neste momento de acordo, expressaria a todos a inquietação que me move com relação a toda a humanidade, no colectivo.

Quer dizer, chamou a atenção da nossa junta de médicos no espírito, as inquietações quanto ao excesso do peso, e às desnecessárias torturas ou operações ilícitas perpetradas contra as células dos organismos, devido a um mal-entendido relativo às implicações do peso têm sobre e na anatomia humana e o que leva o templo ou a forma física da beleza a ser destruída prematuramente pela morte pelo que designam por excesso de peso ou interacção para com tudo quanto avaliam no vosso mundo.

No começo da vossa concepção no seio da vida, gerou-se um padrão pelo qual, em setenta e duas horas, o esperma e o óvulo se transformam num objecto celular de verdadeira definição. Todas as células, todos os nervos, todas as forças eléctricas, todo o magnetismo gerado pela energia, tudo isso se encontra lá em miniatura e dá início ao seu lento processo de crescimento até que o espírito da identidade que busca o corpo penetre nele por altura do nascimento; com o primeiro fôlego ele torna-se no que designam por alma viva, e inala o prana ou força da energia que nutre a força eléctrica estacionada no corpo.

Os significados das diversas nutrições do mundo são ridículas por natureza. A preocupação por manter o templo que é o corpo na sua posição vibratória específica em reacção ao peso consiste na necessidade de compreender que vocês são, digamos, uma força atómica pura quando passam de corpo para corpo. Confirmo-vos que as condições das formas de pensamento da mãe que carrega a criança podem influenciar parte do seu crescimento, da sua estatura, da sua saúde, e tudo quanto se relacione com o seu espírito; só que essa força não controla a essência da alma.

À medida que a pessoa atinge a maturidade, ela passa a ser condicionada pelo que é mais importante, o medo da vida - a aceitação oculta de que de que a qualquer altura venha a passar para o grande além – ou são manipulados pela sagacidade da religiosidade dos falsos profetas, que têm sido uma fonte constante em todos os séculos e em todas as gerações da vida.

Por isso, ao se voltarem para condicionamentos colocam sobre o corpo uma força vibratória negativa que alarga as células, que existem aos milhões no corpo, e uma vez mais as centelhas eléctricas ou sinapses do corpo, aumentam a sua força para permitir o excesso de peso acumulado em cada célula. Quanto mais uma pessoa se tornar materialista, e se permitir subjugar às opiniões, crenças e ideias dos outros, que na prática afecta o seu sustento espiritual, mais a força sólida se transmite à forma física, e assim acontece o peso.

A maior falácia assenta nas atitudes de que aquilo que comam afecte o problema do peso. Só o afecta por causa da atitude que se tem com referência ao peso que tenham. E como pensarem e determinarem em qualquer que seja o sector do viver que desejarem realizar, então tornar-se-ão no imaginário que vós próprios tiverdes apresentado.

É por isso que nos milhares de anos terrestres do passado muitas civilizações viveram com o respeito e o desenvolvimento do corpo, por constituir o templo de profundo requinte. Eles viviam e tinham acesso ao prana total da vida que não estava abarrotado nas suas periferias exteriores pela poluição do pensamento, pelas tecnologias, nem pelas condições como as que mencionei; e assim, viviam na liberdade do espírito que encontram nos vossos Índios e nas lendas do passado concernentes a eles, por eles serem os antepassados, e alguns terem feito parte dos vossos grandes continentes perdidos da Lemúria e da Atlântida.

Além disso, igualmente no interesse da ciência, achamos uma vez mais, como uma ramificação daquilo que estou a abordar enquanto tecido adiposo, vocês têm no vosso mundo um triângulo que designaram por Bermudas. Bom, nós achamos toda a experiência com o que chamam de formas sólidas ainda vive numa cidade para que foram puxados pelas forças magnéticas primárias da Terra, quando as condições do movimento circular da Terra e das estrelas se acham em completa união umas com as outras.

Esta é uma informação adicional, para referir que aqueles que se perderam retornarão à atmosfera vibratória do vosso mundo, em especial quando vastos oceanos se tornarem áreas de terra, e as terras secas se tornarem molhadas.

Mas de maior interesse é a educação que podem dar, ou a compreensão do que forma o corpo perfeito; o qual o espírito torna imperfeito ao ceder condições das mais insólitas ao corpo. Isso tem cabimento nas pistas que são representadas pelo que designam vidas do passado; e uma vez mais aquilo que vem a vós com o debilitar da autoestima do que são, do que representam e da razão de terem regressado à Terra.

Assim, dirigindo-me às pessoas que estão constantemente a encontrar ajuda no que chamam de exercícios (falta de exercício), não é o que provoca a condição do excesso de peso, mas antes o ressentimento para com as limitações dos outros, condicionamentos que têm que ver com o julgamento do que constitui o estresse na lei cármica da vida.

Uma vez mais, não reagir aos pensamentos dos outros, mas estabelecer os vossos próprios princípios de vida e anunciá-los a quantos possam aceitá-los ou rejeitá-los, por aí residirem as actividades do desígnio espiritual, que me congratulo de dizer que se move rapidamente para grandiosas manifestações para a própria humanidade. E nessas verdades espirituais, atrai os indivíduos para uma maior compreensão do seu corpo, da sua força magnífica, e com que debilidade o espírito habita quando esse corpo é tratado de forma iníqua.

Esse corpo é feito para o que chamam reprodução, e nenhuma religião, nenhuma atitude de vida poderá sobrepor o que designam por estímulo biológico. Por a vida ser criação e infinito; por conseguinte, é propósito vosso deixar-vos atrair para a mais completa atenção do que estou a analisar, para bem da humanidade – que quando ameaça as células com a negatividade condicionada, se perde mais de um quarto do seu peso, e em realização pessoal se ajusta ao equilíbrio da sua vida.

Muitos dos vossos obreiros ou videntes espirituais veem-se limitados a vários graus de vibração, por a saúde também constituir ter um papel corroborante na manifestação de todas as ideias da própria vida.

Uma vez mais, é ajustando-se para expelir essas inibições, afastar-se dos condicionamentos e centrar-se na dignidade espiritual de vós próprios. Não estão no comando desse espírito por o vosso livre-arbítrio lhes permitir movimentos no corpo, mas esse espírito que põem em marcha viu o seu começo, os esforços que fez no mundo, e viu mesmo a sua mudança chamada morte. Mas isso também representa um problema, por descobrirmos que nas energias exteriores ao longo de anos de constante aceitação da morte, as pessoas assinalam um começo e um fim da vida, que não tem fim desde o seu começo.

Assim, pois, se viverem na dignidade dessa força, se expandirem a expressão livre até ao que constitui a fonte da energia dentro de vós, então descobrirão que equilibram a vossa força ou corpo para o que seja agradável para os outros ao vosso redor.

Posso olhar para trás para Qumram. Posso olhar para o Egipto das sociedades Coptas. Posso lançar os olhos sobre os tempos de Roma; as experiências que faziam de gula e de sedução, os seus modos completamente divorciados do elemento positivo do espírito. Assim verão que esses impérios se destruíram com base nas atitudes lascivas – não se juntarem nas forças da busca biológica nas forças da dignidade, compaixão e compreensão – e assim, essa forma pensamento também se acumula no vosso mundo e por fim atinge um abcesso por onde se dê uma violenta explosão, como descobrirão se deu nos vossos anos passados.

Mas nós vemos que misturado com o que é actualmente proeminente no vosso mundo, neste caso, mundo do corpo significa a Terra. E aí esses abcessos e doenças do corpo constituem a renúncia que nele situam, a da negação das expressões normais da vida, a de não assumirem a plena dignidade espiritual daquilo que representam.

Assim, devem afirmar constantemente: "Eu sou o espírito por completo." Utilizam aquilo que é a imaginação, claro que aquilo que a ciência não aceita, por não poder ser visto, escutado, tocado ou provado nem sentido. Mas sem imaginação, sem as faculdades intuitivas do cordão umbilical rompido à nascença, não só se torna numa imagem limitada ou numa forma de gulodice como vocês diriam, e sobrevive apenas em função do apetite próprio.

Assim, poderão instruir o vosso mundo quanto aos problemas do peso constituírem unicamente o que é arquitectado pela força negativa de que os sobrecarregam. o vosso mundo constitui um sopro de inalação e exalação de toda essa força da energia ou o que é chamado de precipitações procedentes das vossas explosões atómicas quando o vosso mundo foi pela primeira vez formado.

E assim é reconhecendo que a vossa identidade e propósito passa por se compreenderem por completo, quer acreditem nas forças da continuidade da vida, não obstante de se apoiarem em todos os desígnios ecuménicos do mundo, lembrem-se de que vocês encarnam uma força espiritual que foi identificada e que é idêntica a si mesma desde a primeira explosão que sofreu da força de todos os sopros do infinito. Mas claro que é trágico assistir a esse constante acúmulo de peso sobre a vossa Terra propiciado pelos pensamentos dos outros que vivem apenas em prole do materialismo esquivando-se aos problemas suscitados pelas racionalizações do seu espírito ou da imitada aceitação daquilo que são - pelo conhecimento daquilo que são se examinarem os apetites da criatividade e as formas de concepção da própria vida. É de respeitarem o mundo que pisam. Mas lembrem-se que esse mundo consiste unicamente numa miragem que não tem existência. Não é em vosso benefício; é em benefício do vosso espírito, do seu padrão de cultivo, um escola destinada a um horizonte de compreensão mais vasto que os chama de volta na direcção da plena força da criação. E nessa criação, pois, podem mover-se à vontade através das formas sólidas que constroem, assim como podem mover-se pelas energias indistintas do que chamam de espírito.

Assim, vocês são o comandante de tudo quanto avaliam, e são o comandante do corpo que usam. Mas o que é trágico, encontramos muitos que relutam em aceitar essa responsabilidade individual. Aderem aos médicos como eu, irão consultar especialistas, leem e tentarão tudo quanto é possível antes de se abrirem por completo à aceitação da sua individualidade espiritual.

Assim uma vez mais, esses débeis esforços por controlar o peso do corpo com dietas, com exercício, não abrem para as veredas necessárias a fim de libertarem a si mesmos do que se acumula pela negatividade. Isso poderão observar se o considerarem nas vossas próprias formas de pensamento, de modo que descobrirão que remove a negatividade. É a necessidade do que na forte recomendação do conselho dos médicos, para que se mexam rápido através das forças do exercício aproximadamente pelo que chamam de dois quilómetros terrestres. Isso será mais do que bastante para ajudar a fortalecer as sinapses das centelhas eléctricas existentes entre as células; mas aí o outro requer o movimento e a tonificação do corpo no sentido de aceitarem aquilo que visualizam na vossa caminhada ou qualquer exercício que possam estar a fazer.

O exercício revela-se inútil quando não se enquadra os pensamentos com os ideais espirituais. Podem chamar-lhe sagrado, o que quer que escolham chamar-lhe, mas nós realçamos toda esta questão do peso por vermos como interfere no que vocês chamam separações raciais. Vemos que acumula muitas doenças que deixam os vossos cientistas da Terra desconcertados, de modo que projectamos este entendimento do peso que afecta todas as coisas.

Assim, se difundirem essa condição, descobrirão aqueles que desejam continuar na forma física, aqueles que desejam alargar a força da compreensão que têm e ver a origem que têm em toda a criação, todas as vidas que tenham tido que tenham tido em todas as galáxias; e essas galáxias movem-se no âmbito das sete leis da criação. Assim descobriram tratar-se de um círculo interminável de força criativa que é movido pelo magnetismo das forças da energia que se acham em constate atrito com todos os planetas, com todos os sistemas, e mesmo com respeito à fricção que têm ao gerar as vossas formas de pensamento do vosso corpo terreno, assim como da própria Terra.

O Dr. Rife e o Dr. Reich e eu próprio, assim como outros doutores, o Dr. Foote, examinamos isto cuidadosamente, e preocupamo-nos por alterar a abordagem desta noite por desejarmos que as pessoas saibam - o que parece ser um enorme problema que reclama muitas vítimas para o plano astral da vida - por não compreenderem o que é chamado peso, como levá-lo a um equilíbrio em si mesmos; e isso precisa ser conhecido e entendido, assim como o respeito pela vossa Terra.

Uma vez mais é buscando aquela força de uma profunda e plena ária para com a vida, conforme lhe chamaremos, e de o desejarem difundir se o desejarem. Conseguem escutar-me bem?

Grupo: Conseguimos, sim.

Dr. Lu: Assim endereçámos-lhes um discurso sobre a dieta, sobre orientações e objectivos com respeito a toda a vida. Numa outra altura entraremos noutros temas respeitantes ao avanço do espírito e de como pode realçar a leitura visual e ser capaz de utilizar as leis que são pertinentes à passagem da forma sólida para as energias refinadas e se revejam no livre-arbítrio em todas as vossas actividades da vida.

Vou dizer isto no mais profundo dos sentidos, que aqueles que estão constantemente incertos quanto ao caminho indicado na vida devem considerar as ideias de serem uma continuidade de energia que se viu incessante em todas as jornadas da vida. E o seu propósito, derradeiro objectivo, assenta no retorno àquela força criativa em que tiveram origem. Realço isto por a maioria das pessoas na vossa Terra ainda considerarem uma personalidade mítica existente no exterior do que vocês consideram ser vaga preocupação receiam estar constantemente a ser observados e julgados por uma força primária, ou seja o que for que lhe chamem.

Nenhuma condição dessas existe. Muitas pessoas não desejam ir para a sua origem a que chamam céu. Os comentários vão daqueles que dizem que se sentiriam bastante aborrecidos; que não gostariam de viver em ruas pavimentadas de ouro e casas de prata, e que prefeririam estar com os amigos e que conjuram tais condições do que vocês chamam Hades, Inferno ou Seol (que na verdade constitui a interpretação conhecida por sepultura).

Tão pouco existe uma força em que exista o chamado Diabo conforme imaginariam. Existem forças negativas, mas uma vez mais, essas forças negativas não são responsáveis pela degradação pelo facto de as arrastarem para a vossa vida ao recusarem usar o vosso corpo de uma forma espiritual. Mas a obsessão e a possessão constituem uma outra história em si mesmas.

Portanto, qual será o desfecho ou resultado final de toda a vida, de toda a criação e de todo o infinito? É o de retornarem à própria origem que vocês tiveram nos sopros cósmicos da fricção, que a determinada altura aspergiram todo infinito os átomos com que se identificam, as jornadas que empreenderam por outros mundos, um fluxo de espírito livre dentro e fora de todas as dimensões da energia, e não gostar e se radicar nos aspectos da gravidade do que designam por Terra e corpo.

Assim, assenta no reconhecer, e o deleito de tudo isso assenta em saber que podem voar e passar por todas as circunstâncias, por qualquer dos mundos, assim como por todas as considerações do vosso desenvolvimento rumo ao serviço do que consta do vosso caminho do nirvana, conforme o designam, que é o da percepção da plenitude do espírito de todo o infinito. Mas reconhecer, conforme vocês fazem, que se movem por qualquer dimensão que escolham residir, de modo a tornarem-se no encantador espírito livre de toda a expressão, que é Deus no seu pleno direito.

Isto leva-me a recordar uma história. Conseguem escutar-me bem?

Grupo: Conseguimos, sim.

Dr. Lu: Da pequena criança a quem foi dito que essa personagem mítica chamada Deus vigiava todos e tudo na Terra. Contudo, o pequeno sentiu que tal Deus precisaria ter um milhão de olhos o pontos de vista para acompanhar tudo quanto ocorria na civilização e em todos esses mundos; e assim, na esperteza do que designam por património da criação, cada átomo possui um par de olhos. Portanto, cada um se enquadra na capacidade de usar os olhos na percepção de todas as coisas que ocorrem. Assim uma percebe uma perspectiva e outra uma maneira diferente.

Assim, uma vez mais, cada indivíduo constitui o seu próprio Deus, a exemplo do que quer que atinja a retina dos seus cinco sentidos do corpo, dos sete sentidos do espírito e dos dozes que congrega na própria alma. Por isso reconheçam que os milhões de olhos que se encontram nos corpos do vosso mudo são realmente aqueles que veem tudo que se passa. O pensamento colectivo força os trabalhos no sentido de um objectivo, que no seu efeito ampliado se move no sentido do perímetro geral que controla todos os mundos, todas as atmosferas, todos os ideais na vida.

Assim, no vosso momento de consideração do vosso peso, do mundo, da dignidade, da vossa autoestima, lembrem-se de que essa é a única via por que poderão tornar-se na liberdade da sua expressão desde a origem no nascimento na grandiosa força celestial de toda a vida.

É reconhecendo que vocês conhecem todas as coisas, que podem tudo, e se aceitarem tal premissa, então serão capazes de se tornar no grande músico, no grande actor ou seja o que for que queiram ser. Mas quando se tornam numa vítima do hábito do vosso mundo, quando colocam restrições no esplendor do vosso espírito, tornam-se num anão numa vastíssima Terra que não os aceita, e que só os tolera em função das lições que vieram colher. Alguma pergunta?

Pergunta: Doutor, desejava saber sobre o exercício e o uso da visualização no sentido da remoção da negatividade, por ter tido a ideia de utilizar a música como parte disso. Poderia falar disso?

Dr. Lu: Sim, mas é a música da natureza e não do quanto tanto encontram na vossa escala diatónica das notas musicais. Lembrem-se de que elas são de respeitar; há certas qualidades tonais, ritmos, melodias e harmonias que os podem levar a um deleite e ao relaxamento da alma. Mas uma vez mais, formular no espírito aquilo que vocês direccionam para o corpo pelos modos do peso ou da saúde, busquem as melodias celestiais. Busquem aquilo que chamam de ventos que fluem por entre as vossas árvores; lembrem-se que os ventos sabem para onde correm e a razão porque correm num determinado momento. Haverão de notar que o som do regato ou que o som dos oceanos projectam melodias celestiais que excedem de longe as limitações daquilo a que chamam de ouvido mortal.

Vocês ouvem desde os decibéis do magnetismo primário, mas quando colocam esse ouvido de lado, e empregam a audição interior do espírito (que constitui o exacto duplicado do corpo físico que usam) vocês escutam música de uma tal grandeza que chega abranger o vosso espírito. Prova-lhes que vocês são o Deus do direito, e aí pronunciam aquilo que corresponde ao desejo que têm e ao que é trazido diante de vós de imediato.

Se for feito com interesses egoístas, se abrigarem motivos ulteriores de carácter do ego, se num momento pensarem ser a totalidade daquilo que fazem, então perderão essa força, por deverem permanecer humildes e compassivos o tempo todo. Todas as pessoas têm a sua história, todos têm a jornada que elegeram, pelo que se devem respeitar todos mutuamente.

Mas uma vez mais, trata-se de um trabalho nos tons musicais do prazer cósmico. Mas aqueles da Terra também lhes podem prestar um enorme serviço, no que representa a vossa oportunidade na vida, a bênção disfarçada, diremos, a vossa tecnologia e as vossas máquinas da audição.

Hão-de descobrir, caso caminhem com a música a tocar nos vossos ouvidos, que estabelece uma tonalidade de relaxamento - música que lhes seja agradável. Depois, claro está, reservem os vossos momentos de quietude para darem ouvidos à música cósmica. Ela apresentar-se-á aí a cada instante de todo fôlego que tomam. Só que a tragédia espreita a humanidade por ela ignorar a sua própria beleza, a beleza da natureza que a rodeia - para onde se dirigem no presente. Entendido?

Pergunta: Sim, muito obrigado.

Pergunta 2: Gostava de falar um pouco sobre Shaolin, e da associação mútua que vocês formam nos templos de Shaolin, e daquilo que conhecem sobre o uso da força Mushaba.

(NT: Mushaba é o nome de uma Força de Energia usada para unir, unificar e trazer de volta à Unidade)

Dr. Lu: Bom, não me sinto qualificado para me pronunciar sobre essa força celestial distante do infinito. Sou um humilde doutor de medicina, e porventura em muitos aspectos, espiritual e de cirurgia, mas do uso do bisturi do pensamento e não do escalpelo do vosso mundo. Precisam apoiar-se noutras forças que aguardam a possibilidade de lhes falar. Assim, as minhas perguntas ou afirmações destinam-se ao benefício de toda a humanidade; mas fico feliz por teres feito a pergunta.

Pergunta 2: Gostava de saber que terá alguns médicos da energia receptiva a trabalhar consigo - médicos do género feminino?

Dr. Lu: Certamente, mais do que podes perceber no sentido que tens. Por exemplo, minha jovem - bom, que missão tens na vida? Posso perguntar, caso não esteja a ser impertinente?

Pergunta 2: A minha missão?

Dr. Lu: Sim, o desejo ou a missão que tens na vida que talvez se tenha situado na retina das tuas formas-pensamento e da tua alma durante a tua primeira infância? Não é minha intenção expor ideias de carácter privado.

Pergunta 2: Creio que seja ajudar as pessoas.

Dr. Lu: Pois, assim como a força da imaginação criativa que corre por entre ti. Também a identificação que fazes, em que descobrirás que três (classes de) médicos se encontram bastante interessados. Trata-se de médicos metafísicos que se interessam pela tua alma. Há outros que se interessam pela forma física e outros ainda que convidam diversas condições para reagirem no âmbito da vibração espiritual da energia ou sopro pelo que essas três se encontram prontos a atender-te, e diria mesmo que no futuro virás a conversar com eles.

Pergunta 2: Obrigado.

Pergunta 3: Doutor, poderia dizer-nos que relação ou ligação todo som da natureza tem com a música celestial?

Dr. Lu: A música celestial é aquilo que sustenta todos os planetas e toda a vibração sólida por todo o infinito. Vocês formam a vibração da forma como ressoa, com todas as interacções dos mundos, de todas as vidas passadas, de todos os diversos corpos que usaram. E é dar atenção à vossa verdadeira identidade; não é tentar controlar ou situar-se na atmosfera do que sentem nas reacções que têm para com tudo quanto os rodeia. Se se moverem nas músicas que correspondam ao vosso encanto, nesse caso estarão a mexer com as energias que lhes confere identidade e propósito. Mas quando constantemente encaram as tarefas domésticas da vida ou quando percebem não estar no equilíbrio da vossa autoestima, aí restringem os plenos potenciais do que lhes confere o significado da nova estadia no mundo. Se estiverem activos no que tenha lugar na vossa força íntima, então transformar-se-ão na plenitude daquilo que desejam. Mas quando se sentam à margem da vida, na incerteza quanto a rumo ou propósito, estão a representar o criado do que desejam em vez do que são e do propósito que têm, de servir em todas as esferas da vida.

Aqui os sons musicais que desfrutam fazem parte das experiências que têm lugar nos anéis da música do passado, e isso verão nos antigos continentes; e aqueles anéis que foram certa vez usados para a música e os tons da fala. Portanto, as vossas ideias são correctas, mas também depositam movimento naquilo que usam enquanto música, por aí ser a vossa identidade à medida que avançam com a vossa jornada de vida.

Pergunta 3: Obrigado.

Pergunta 4: Doutor, quando fala de música celestial - em comparação com a música que escutamos com a audição física tal como os grilos ou o riacho murmurante, ou o vento através das árvores - presumo que se refira ao facto de se situar além do ouvido físico mas antes no espiritual, não?

Dr. Lu: É uma audição espiritual que os vossos ouvidos mortais não conseguem escutar, e que ressoa nas cordas do espírito e da alma. Confere-lhes um sentimento de poder e de deleite, para além de autoestima. Faculta-lhes a audição do grandioso coro, o dos milhões de vozes do espírito que repercutem no quadro de todo átomo colônio (?) universal, atrai a vós aquilo que pode ampliar e o seu propósito é o de lhes dar uma compreensão da desmaterialização e a desincorporação dos corpos.

Por exemplo: Vocês sabem que determinadas intensidades dos sons da vossa escala diatónica da vida podem derrubar uma árvore, ou fazer passar um objecto para uma essência mais fina. De modo que é o que poderão dizer que o Dr. Rife tenha usado quando procurava através do microscópio para além do que representava o diapositivo sólido ou espécime que lhe colocava e em que viu a frequência da vibração do espécime que era capaz de curar. E a música das esferas celestiais podem fazer a mesma coisa, por serem todo-poderosas nos seus impulsos de voltagem magnética, pelo que poderá mudar, ajustar ou mover energias sólidas de todos os mundos e de toda a matéria sólida a ponto de conseguirem reformá-la no que desejarem que passe a ser.

Por exemplo, meu jovem, se tocares um pedaço de música em resposta ao acordo do teu próprio ser, aquilo que te faculta o derradeira deleite, descobrirás que se colocares uma semente no chão e a cobrires de modo delicado, e escutares a tua música, em três segundos se apresentará um caule de um metro e oitenta repleto de nutriente capaz de te alimentar. Esse é o espanto de disporem de música cósmica; sem ela não poderíamos tocar a sinfonia que são todos os mundos na criação.

Pergunta 4: Bom, isso é muito interessante. Teremos que atingir uma certa vibração ou equilíbrio para sermos capazes de escutar a música celestial? Como é que isso chega a suceder?

Dr. Lu: Não podes alcançar o que já és na tua própria acessibilidade de seres Deus por direito próprio. Significa silenciosamente afirmar: Eu sou o princípio conhecedor de todas as coisas; que eu sou Deus por direito próprio; que eu tenho poderes para todas as forças da criação. Conquanto os usarem com essa compaixão e humildade que é atribuída à sensibilidade e ternura da vida, não terão problemas. Descobrirás que isso responderá a muitos problemas do vosso mundo na antiguidade do transporte, ou às restrições que depositam no movimento aqui, ali e por toda a parte. Estarei a ser claro contigo?

Pergunta 4: Bom, está, obrigado Dr. Lu.

Dr. Lu: Pareces hesitante, meu jovem.

Pergunta 4: Bom, escutei a resposta que me deu, mas quanto à acessibilidade da faculdade de o fazer, não me sinto tão seguro.

Dr. Lu: Bom, deixa que diga, meu jovem, de vires e entenderes que tenham alcançado essa acessibilidade, como o que representas enquanto propósito criativo de todo o infinito, então as manifestações tornar-se-ão parte do que quiseres fazer.

Pergunta 2: Eu sou mestre da força Mushaba das artes marciais.

Dr. Lu: Sim, posso ajudar-te?

Pergunta 2: Com respeito à respiração pránica e ao chi, será que o ginseng terá algum efeito sobre a força chi? Que benefícios terá o consumo da raiz do ginseng?

Dr. Lu: o chi ou a respiração pránica é o que é incorporado na forma física conhecida como região diafragmática. Ao moverem esse diafragma para dentro e para fora, ele expande a força chi por todo o corpo, e ao ser praticado pode trazer um estado alterado de consciência no âmbito das ondas beta e alfa da frequência vibratória que se situam no corpo e que rodeiam o corpo.

Por conseguinte, a prática da respiração do diafragma do chi, ou daquilo que designam  por uso dessa força para expandir a compreensão das experiências. Tu, não tenho a menor dúvida, achas-te bastante envolvida nessa Força Mushaba (conforme lhe chamas) que foi a tua origem há biliões de anos atrás - sei disso como facto - mas descobrirás agora expandir-se no desejo de veres outros mundos, e de te tornares parte  da plena acessibilidade da vida. Então verás que, na instrução das tuas aulas, caso a respiração pránica for utilizada, e se a expulsão e compulsão diafragmática for feita por inspirações e expirações da força pránica ou oxigénio da vida, então estabelecerão no indivíduo uma melhor compreensão dos movimentos e uso.

Atrever-me-ei a dizer os diferentes movimentos que depositaste na tua Força Mushaba são as coisas que por vezes fazes, e depois espantas-te como e de onde isso provém. Não será isso verdade?

Pergunta 2: Muito verdadeiro.

Dr. Lu: Nesse caso isso equivale a permitires-te ser aquilo que és, e não te condicionares por regras do que controla qualquer esforço marcial, avançares para os objectivos que colocas diante de ti, e ainda muito para fazeres. Mas não permitas que a impaciência destrua a própria força vibratória que ergues nas tuas qualificações meditativas.

Pergunta 2: Que será que o ginseng faz pelo corpo?

Dr. Lu: A raiz envelhecida que foi descoberta noutros mundos no início da criação sob a forma líquida, foi amplamente usada antes de disporem daquilo a que chamam oxigénio, por o vosso mundo ter sido formado num formidável calor, e o arrefecimento gradual não ter podido produzir a condensação da humidade de forma a nutris os tecidos do corpo sólido.

Por isso, as raízes e as soluções, ou o alcaçuz, da vida foi usado, tal como as ervas no vosso mundo o são no presente. Este ginseng realça o estímulo dos ciclos reprodutivos do corpo que os tornam sempre jovens e eternos, pelo que deviam ser usados constantemente e de uma forma consistente, e descobrirás que será de valor para a expansão dos teus aspectos espirituais.

Muitos não compreendem que as ervas constituem o produto do que, nos nutrientes da vida é de enorme valor naquilo a que chamam de viver uma plena juventude por serem um e dos principais factores junto com todas as outras ervas que os ajudem na vossa força de se sentirem bem e de se sentirem no controlo do vosso próprio corpo. Aí descobrirás que a alfafa é de enorme valor para a força do corpo, mas teremos alturas em que eu e o meu cúmplice Win Ling passaremos a falar de herbalismo, por ele ser uma autoridade nisso. Por conseguinte, damos-lhes uns momentos para prepararem as vossas perguntas, por isto ser de enorme interesse e benefício para a própria humanidade.

Estou a ser convocado de volta para a energia, mas deixo a minha amável bênção a todos.



DR. RIFE (September 2, 1991)

Prosseguindo com o diálogo subordinado ao “excesso de peso,” O peso é criado pelo “acúmulo” de pensamentos e de ideias e não necessariamente por aquilo que se come. A “gordura cármica, ou a causa e o efeito correspondente ao excesso de peso, devido a projecções oriundas de vidas passadas passam para o centro da atenção naqueles indivíduos com quem vivem, assim como nos vossos ambientes.” “Aí, faz-se necessário considerar essa vida passada para ver qual possa ter sido a gordura cármica ou excesso de peso dessa encarnação presente ou passada, para que as razões que a tenham causado possam ser todas vistas ao mesmo tempo.” “Quando a pessoa vê a vida passada desse excesso de peso ou obesidade de que padece, ela poderá de imediato, sem esforço da sua parte, equilibrar automaticamente as vibrações.”

Ou seja, nós interagimos com o nosso ambiente (pessoas e locais). Os pensamentos e sentimentos que cultivamos para com o que nos rodeia são criados por acção da sua influência e acção presente que tem em nós (nesta vida) e por influências e reacções de outras vidas passadas. Esses pensamentos podem originar tensão e bloqueios energéticos no organismo, que resultem no acúmulo de peso.

GORDURA CÁRMICA

Dr. Rife: Pois, se me é permitido vir até à vossa vibração, este é o Doutor Rife. Desejo prosseguir por um instante com o diálogo que foi trazido à baila por parte do médico chinês da conversa anterior que tiveram.

Foi suscitada a condição do excesso de peso, e recomendações foram feitas sob a forma de exercícios de tipo físico. Além disso, creio que também falaram da visualização do que vocês desejam parecer aos demais tanto na forma da vossa vibração física como na força espiritual ou da alma.

Eu acrescentaria à estrutura celular as recordações do que não cheguei a ver ao microscópio, mas acho bastante válido: A lei do carma envolvida nas recordações da alma de todas as existências anteriores que criam uma reacção nas diversas formas físicas que terão usado no mundo nas diversas expressões e mudanças nas suas vidas.

É para dizer simplesmente que se precisa igualmente considerar o que é chamado de “gordura cármica” ou causa e efeito desse excesso de gordura, devido a projecções oriundas de vidas passadas que passam para o centro da atenção com aqueles com quem vivem, assim como ambientes em que vivem. Assim, há reflexos de vidas passadas que atraem o que representa ao excesso de peso nas células. Mas por verificações demonstradas em lições que colhemos no espírito, de que a pessoa em questão – no âmbito da aceitação da causa e do efeito da vida – e no sentido de encorajá-los a ver as vidas passadas, que haverão de disseminar respostas para incertezas relativas à formação do corpo que agora usam na presente Terra.

Aqui, faz-se necessário consultar a vida pregressa para podem ver o que terá representado o excesso de peso da presente ou passada encarnação, de modo que as razões que o tenham provocado possam ser todas vistas no mesmo instante. Portanto, muito desse excesso supérfluo de peso alojado na epiderme ou pelo do corpo é na verdade sintomático em vez de uma realidade.

Assim que a pessoa conseguir ver a vida passada ligada ao excesso de peso de que sofra, ou obesidade, também poderá de imediato e sem esforço, equilibrar automaticamente a vibração. Assim, se a pessoa que se encontra na Terra sustentar um factor de peso da ordem de duzentos ou trezentas libras (90 ou 136 quilos, respectivamente) ela poderá imediatamente anular esse excesso de gordura pelo reconhecimento do desempenho dessa vida passada, em que se tenha traduzido por um caso de vida no constrangimento de uma obesidade incorrigível e numa ilimitada redução da autoestima ou do deambular pelas condições da vida que não propiciem o metabolismo, ou ao factor de queima do oxigénio e dos nutrientes da vida.

Bom, isso acrescenta um fascínio ao meu trabalho, assim com o que poderá servir outros no vosso mundo que se veem irremediavelmente enredados num desempenho limitado da perda de peso de acordo com a estatura, ou por uma expansão de epidemias; os três níveis. Mas está e tem sido provado que assim que essa vida tiver sido testemunhada pela pessoa que deseje perder peso, imediatamente se verificará uma perda de quilos até aos que sejam desejáveis e adequados em correspondência com a estrutura óssea.

Também descobri, e creio que nas conversas que vocês têm, embora não me ache capaz de expor acerca das capacidades dos aportes ou fazer surgir qualquer objecto da atmosfera por acção da vontade, ou do que quer que desejem, ou do que quer que necessitem em termos de nutrição sem o lento processo do crescimento dos alimentos na natureza que conhecem no vosso mundo.

É simplesmente a idealização, o (aspecto) visual que foi citado anteriormente, e na firme aceitação de uma mente serena, produzir de imediato na vossa atmosfera qualquer forma de nutrição que possam querer; mas mesmo… mas atrevo-me a dizer que esse desejo deveria carregar uma advertência, a de que não deveria ser empreendido com base no ganho egoísta, mas com base na verdadeira necessidade. Formações monetárias ou figuras douradas ou uma forma qualquer de tijolo pode ser imediatamente vibrado na necessidade da vossa vida.

Falo sobre isto por apresentar uma semelhança em relação ao significado do excesso de peso corporal da humanidade, e o excesso de quilos também pode decorrer das formas de pensamento negativas que assentam numa pessoa, ou na sensação que tenha de inadequação em relação a sentir o legítimo lugar no universo.

Os verdadeiros pecados mortais ou bíblicos, conforme poderão chamar-lhes, do ódio e da ganância e da condenação, e todas as reacções negativas que provocam desânimo, contribuem para o peso do corpo humano. Isso na verdade representa metade do peso que deveria ter caso a negatividade fosse completamente removida. Assim, em consideração daqueles que tentaram toda a sorte de concepções aeróbicas, todos os exercícios que possam ter aparentado não trazer-lhes qualquer vantagem, está o sofrimento que é simplesmente referido em termos de gordura cármica.

Por isso, advertiria essas pessoas a procurar através da sua qualificação interior de tipo intuitivo, para localizarem aquela vida em que isso tenha envolvido essa negatividade que se tenha transmitido para uma outra vida. Isso é uma questão de um interesse alargado da parte daqueles que sujeitam a sua forma física a um estresse físico ou mental excessivo de modo que em muitos aspectos contribuem para o que é chamado de experiência não orgásmica ou impotência, ou descobrem as leis da sua sexualidade ameaçadas pela frustração constante relacionada com códigos de natureza moral de concepção negativa, e assim causam mais excesso de peso indesejado cuja causa não compreendem.

Bom, se me fora dado investigar de novo por intermédio do microscópio, para além da lâmina material da bactéria ou amostra à luz do microscópio, gostaria de ver a experiência - atenção, tenham o que estou a dizer em mente - a experiência da vida passada da bactéria que estivesse a investigar, e a forma de vibração por que ataca a pessoa que não vive na plena expressão da vida sem inibição de qualquer tipo, e pudesse ampliar os seus valores intuitivos até conseguir ver além de uma forma ilusória composta de substância material, aí haveria de testemunhar o processo vibratório do que representa a sua verdadeira identificação, não numa só vida, mas porventura em milhares. Aquelas vidas que são vistas em toda a força descendente da sua identificação por intermédio de muitos mundos, por meio de muitos sistemas estelares que explodiram num nada, mas que no entanto retiveram uma lembrança de tudo quanto tenha ocorrido nesse mundo. Mas quanto mais me é dado ver o prodígio da vida, mais eu vejo as diversas razões que levaram a que esses mundos escola fossem criados com um propósito específico, mais passo a ter na minha reverência e assombro aquele magnificência do que constitui a vida, a força do sopro (de vida) e porque todos inalam nessa mesma força da criação.

E assim progrido não pelo desejo mas pelo saber, que ninguém ou coisa alguma é o criador; a criação cuja fracção da responsabilidade que lhes cabe passa ser o criador de todo sentimento intensificado que se lhes depare no caminho daquela água que se traduz por aquele sistema orgânico a que chamam vida. Por conseguinte, dado que essa preocupação com o excesso de peso é encarado na magnitude da humanidade do vosso mundo que certa vez foi meu, vocês reconhecem as firmes responsabilidades que têm de iluminar todas as pessoas ao vosso redor no seu desempenho e propósito, e como seu objectivo derradeiro trazer às suas vidas o pleno equilíbrio. Alguma pergunta?

Pergunta: Primeiro, padeço de excesso de peso. Peço o favor de me dizer a que negatividade se deverá o facto desse excesso de peso.

Dr. Rife: O problema reside na renúncia que fizeste, por um desempenho inconsciente de aceitação da negatividade daqueles que estiveram presentes na tua família ou encontro casual com indivíduos que tenhas tido na vida. Uma vez mais, o intenso desejo de servir a força da cura - e em certas ocasiões em que não sabias de que força se tratava - ao admitires o desempenho negativo de qualquer indivíduo que tentavas ajudar e servir.

Isso ocorreu igualmente no excesso de peso de vidas passadas, mas descobrirás que o que se te encontra pela frente te trará uma mudança completa do metabolismo do teu organismo. E assim, o que será exigido será uma maior actividade em serviço das pessoas, muitas das quais serão lançadas diante da tua energia e uma vez mais a expansão de horizontes da tua clarividência no sentido de servires igualmente.

Pergunta: Dr. Rife, o senhor mencionou que eu captava a negatividade das pessoas de forma inadvertida, da parte daqueles que procurava curar. Eu pensava que não conseguia atrair os aspectos negativos dos outros.

Dr. Rife: A maior parte não "captas" conforme referes, mas há uma certa quantidade de energia residual que se aloja na epiderme por não permitires um fecho completo de toda vibração específica de todo indivíduo especifico. Isso deve-se a que os pensamentos passem pela mente ou te interrogares: "De que modo estará ele a sair-se? Tê-lo-emos ajudado?" Ou "estará ela na mesma situação restritiva em que estava quando estive com ela?" Assim, verás que se move constantemente sem alguma vez tentares discernir se terás servido de alguma ajuda ou não, mas em vez disso assumires uma maior actividade no serviço para com os outros é o que pode tornar o excesso de peso obsoleto.

Pergunta: Para poder obter uma maior compreensão - se é devido a tentar ajudar e transmitir-lhes a minha mensagem ou lá o que for que eu faça, então deveria esquecer isso e passar para alguma outra coisa e não permitir que fique na minha mente. Será isso que me está a dizer?

Dr. Rife: A senda da intenção deveria ser completamente obliterada e passares para a seguinte. Contudo, o que se encontra diante de ti, pelo que vejo que o Sr. Cole me diz, é uma forte actividade pelo serviço a muitos indivíduos. Isso tem lugar no teu futuro imediato, mas mais será referido à medida que ele discutir tais condições contigo assim como com outros nas tuas proximidades.

Pergunta: Está certo, agradeço-lhe doutor Rife.

Pergunta 2: Dr. Rife, como é que uma pessoa poderá descobrir o tipo de problema de de que padece com relação à obesidade, se será de origem cármica ou alguma coisa inerente à sua vida?

Dr. Rife: Simplesmente alcançando um estado de espírito ou cerebral de completa imobilidade, ou serenidade, conforme poderão dizer, desde a consideração da beleza da natureza que os rodeia, até serenamente aceitarem aquilo que procuram ocultar do vosso verdadeiro eu.

Todas as pessoas, quer sejam talentosas espiritualmente e fisicamente ou ao nível da alma, conhecem a inibição de que padecem, especialmente em assuntos relacionados com o peso, por estarem constantemente a ser informadas no seu íntimo para prescindirem dos condicionalismos da Igreja de que padecem, em todas as perspectivas da natureza material; e assim, tecerem um quadro de visualização daquilo que exigem que o seu corpo seja. Não pedir, mas exigir! Por toda a oração dever constituir uma exigência e não uma súplica para com um fantasma místico saído dos caminhos de Matusalém.

Pergunta: Obrigado, doutor, foi espectacular.

Pergunta 3: Dr. Rife, haverá alguma maneira de elevarmos o nosso metabolismo que não através do exercício?

Dr. Rife: Bom, no metabolismo, a razão da queima das gorduras ou da nutrição do que tiverem ingerido anteriormente ao exercício, a mistura do oxigénio, e claro que os radicais  que executam a partir disso pode ser obliterado por intermédio da força da mente; embora se vejam incapacitados, poderão exercitar-se livremente pela força da sua imaginação. Mas este termo da imaginação de facto existe como um órgão espiritual situado no cérebro; sem imaginação a humanidade não conseguiria sobreviver por tempo nenhum no corpo humano.

Assim, podem imaginar estar na posse de uma maior liberdade, a correr por um monte ermo acima da vossa escolha, ser perseguidos por uma locomotiva ou um automóvel ou por qualquer forma que os force a correr com rapidez. Hão-de descobrir que isso fará aumentar os factores do biorritmo que incluem uma rápida frequência cardíaca, aumento da pulsação, e um maior influxo de oxigénio nos próprios pulmões. Aqui, os balões dos alvéolos que no processo da osmose faz passar o ar através da pele e faz com que penetre na corrente sanguínea da forma humana.

Assim, o aumento de todo esse metabolismo pode ajudar uma pessoa confinada à cadeira de rodas ou a uma condição de coxear ou de padecimento de dores nas juntas, a de repente constar como o espírito se move com rapidez para fora do corpo através do exercício da imaginação que pratique. E assim isso, por sua vez poderá ser uma mais valia no caso em que a pessoa envolvida na corrida possa subitamente descobrir que pode mover-se, e aquilo a que chamam milagre terá sido realizado.

Pergunta: Eu tenho uma pergunta sobre palpitação cardíaca. Ocasionalmente sinto isso, alturas em que sinto umas mudanças no meu coração, e gostava de saber se no meu caso isso será alguma coisa com que deva preocupar-me.

Dr. Rife: É normal. É o mesmo que aquilo a que chama de febre reumática, por exemplo, que pode cicatrizar os ventrículos direitos e esquerdos das válvulas cardíacas, em especial quando a febre reumática ataca as crianças. Bom, no teu metabolismo, por exemplo, sem a palpitação do teu coração em resposta ao metabolismo que tens, terias uma enorme dificuldade em sustentar vida no corpo que utilizas. Assim, no caso do teu metabolismo, nas tuas tensões sanguíneas, diastólica e sistólica, encontramos a interligação de padrões emocionais das tuas vidas passadas, algumas das quais se deram na acção receptiva da feminilidade. Trata-se de condição de interrupção decorrente da mudança da acção receptiva para a positiva (palpitação essa que também constatarás noutros indivíduos). No teu caso gostaria de aproveitar mais isso e não me preocupar tanto com isso, por te conceder as energias metabólicas correctas por todos os órgãos do teu corpo.

Pergunta 4: Doutor Rife, nos meus treinos de artes marciais, por vezes acho difícil respirar pelo nariz. Poderia dizer-me alguma coisa que me ajude a entender a razão porque isso sucede?

Dr. Rife: Certamente. Tu tens experiências de vidas passadas que te transmitem um secreto pavor da morte. Isso deve-se a mortes prematuras do passado. Não to digo com um intuito crítico, mas a partir de agora sempre que fizeres algum tipo de exercício, creio que faças algum tipo de salto ou de queda, não?

Pergunta 4: Exacto.

Dr. Rife: A partir de agora faz um bico com os teus lábios como se estivesses a soprar uma vela e inala por sopros rápidos que afectem o diafragma e o leve a reagir como um fole nos seus movimentos de inalação e de exalação. A prática disso levar-te-á a um maior rácio vibratório do que designas por respiração, e pode levar a ver certas tragédias de vidas passadas que aliviarão períodos de sufoco por que passaste. Portanto, essa é a causa principal que poderás remover.

Pergunta 4: Isso também estará relacionado com aqueles períodos em que eu encontro dificuldade ao falar?

Dr. Rife: Mas lembra-te de te concentrares nisso enquanto (associado a) vidas passadas, por em muitos casos descobrires que terás sido sufocado por pais que não te desejavam; lançado às águas dos mares da China, por exemplo. E passaste por alturas em que foste operado em criança enquanto ainda te encontravas com vida, em benefício dos experimentos de gente sádica. Mas superaste isso por confiares nos outros e quereres ser aceite nas forças do amor que virão até ti. Mas, uma vez mais, uma respiração pela boca (NT: Respiração que consiste, em certos casos, em exalar através da boca com os lábios ligeiramente cerrados e inalar pelo nariz com a boca fechada; Usada nos círculos médicos no caso de pacientes com obstrução muscular crônica para aumentar a ventilação pulmonar e a sua capacidade vital) e verás o que quero dizer.

Pergunta 4: Obrigado.

Pergunta 2: Dr. Rife, eu padeço de prolapso da válvula mitral (sopro no coração) e um batimento cardíaco acelerado. Poderia dizer-me por que é que isso é causado e que será que posso fazer com relação a isso?

Dr. Rife: Trata-se da representação da mesma condição do jovem que falou acerca da palpitação cardíaca. O teu encontra-se num estado bastante normal, normal com respeito a ter sido sofrido pelo teu corpo devido a que durante o processo de nascença do ventre materno não teres recebido suficiente oxigénio. Aqui não chegou a afectar a matéria cerebral, mas mostra que tenha provocado o que designaremos por pequeno salto no ventrículo esquerdo. Não é razão de alarme; em vez disso, no teu caso aproveitaria isso e pensaria porventura nos padrões cármicos que não te afectaram o cérebro.

Pergunta 2: Parece aumentar sempre que me encontro sob um estresse acentuado.

Dr. Rife: Isso deve-se a que, nos teus padrões emocionais, as tensões arteriais diastólica e sistólica sejam interrompidas no desempenho dos padrões emocionais contra a pressão sanguínea que corre pelo sistema; e assim, isso provoque a interrupção. Mas descobrirás que gradualmente afastar-se-á no que tens pela frente na senda do serviço pelos outros. Mas não estou qualificado para falar disso por não ser lá muito versado nessas coisas de aconselhar em profundidade.

Pergunta 2: Obrigado.

Pergunta 3: Parece que muitos de nós padecemos do mesmo problema de palpitações cardíacas. Eu também padeço disso, e gostava de saber a que se deve.

Dr. Rife: Bom, pergunta a qualquer indivíduo espiritualizado e ele contar-te-á do problema de coração de que sofre, por se achar mais susceptível aos efeitos decorrentes da reincarnação do que outros que vivam uma existência mais material.

Pergunta: Dr. Rife, o que é que me levará a sentir preocupado quando alguém começa a argumentar comigo? Eu começo a atrair sensações negativas das pessoas. Fico excitado, entro numa atitude de ripostar ou assim. Onde terá isso lugar nas minhas vidas passadas?

Dr. Rife: Bom, isso não envolve uma única vida, mas várias. Em parte deve-se à concepção esotérica do que chamais de cura. O problema de que padeces, mas não existe qualquer resposta para isso excepto mais actividade para teu benefício próprio, seja no que for que estejas a escrever, a sentir, ou o que quer que seja para que estejas a trabalhar. E isso é a resposta simples para o termo Deus, divindade, Vishnu, Javé, seja o que for que desejes chamar-lhe, mas representa aquela grande palavra da verdade. A verdade e o espírito constituem os valores de toda a vida. Se não se operar com essas duas (palavras) perece-se na vinha que tenha posto em acção há milhões de anos atrás. Falo nisso com autoridade, por ter procurado esse Deus místico e o seu ídolo, e nada encontrei de verdadeiro excepto esta banda larga desta cor carmesim (roxa), como poderão dizer, que é estandarte da verdade e aquilo que agora corre pelos campos do mundo. Sinto que o trabalho que empreendi no passado obterá um grandioso mérito à medida que este trabalho de sondar além do material nos aspectos espirituais, e que ainda virá a constituir uma vitória pessoal muito embora não deseje receber elogios da parte da maioria das pessoas ignorantes.

Pergunta: Nesse caso está a dizer que eu continuarei a irritar-me conquanto não me mantenha ocupado?

Dr. Rife: Dissipa a cólera e acalma a tua pressão sanguínea por meio de uma maior vocalização dos teus pensamentos, sentimentos e atitudes; não por forma violenta nenhuma nem atitude do tipo: “eu tenho todas as respostas”. Capacita-te a aconselhar as pessoas quando lhes estenderes a cura da vida. Descobre a tua plena compaixão e tenta ser humilde em relação á ignorância dos outros que padeçam de ignorância e temor quando se tratar das verdades que te são dadas a conhecer. Assim, deves dar lugar a que cresçam até que possam entendê-las; e que importa que seja nesta presente vida terrena ou noutras vidas que estejam por vir? A força terá sido servida. Preciso voltar, mas foi excelente conversar convosco; até que voltemos a encontrar-nos.

Grupo: Obrigado, muito obrigado.


          Canalizado po Elwood Babbitt, e traduzido por Amadeu António, com permissão de Daria Babbitt

Sem comentários:

Enviar um comentário