segunda-feira, 5 de setembro de 2016

SIMBOLOGIA DOS SONHOS



Boa noite. Estou encantado por me encontrar na vossa companhia. Já fazia tempo que não nos reuníamos. Saúdo-os a estendo-lhes a minha bênção a todos.

Esta noite chegamos a reunir-nos com a intenção de falarmos acerca da função que os sonhos têm na vossa existência. Conforme sabem, quando o Criador os projectou e permitiu que se tornassem num indivíduo, Ele não esperava perdê-los, pelo que deixou em vós diversas maneiras de identificarem o caminho de regresso ao “lar,” por assim dizer. E assim, vocês dispõem da palma da mão, da energia das cartas natais e dispõem dos vossos sonhos, tudo quanto se traduz por métodos de instrução destinados a encontrarem-se. Ao se encontrarem também encontram o vosso caminho de regresso ao “lar,” porque assim que se chegarem realmente a conhecer, possivelmente não poderão deixar de encontrar o vosso caminho de regresso ao “lar.” Por as impressões iniciais de humanidade que reconhecem no exterior não corresponderem de forma alguma a vocês. A vossa verdadeira identidade existe por baixo dessas (…)

É por isso que quando funcionam num plano superior, são capazes de entrar em sintonia uns com os outros sem quaisquer perda da identidade pessoal e sem qualquer sensação de imposição, por estarem em harmonia com a realidade da pessoa e não com a chamada personalidade ou ego. O que também lhes pode arrecadar alguns sarilhos. Mas aquilo que mais quero transmitir-lhes é que vamos falar da função dos sonhos e vamos falar dos sonhos na medida em que lhes prestam um serviço, assim como podem contribuir para um maior serviço.

Agora; os sonhos têm muitos níveis; há estados oníricos que têm que ver com algo que tenham comido, com a discussão que tenham tido mesmo antes de se deitarem e esse tipo de coisa, em que na realidade estão num meio estado de sonho, e em que aquilo que tenham sentido na personalidade está a ser expressado através do subconsciente. Frequentemente deverá englobar a expressão daquilo que tiverem sentido durante o dia. Se tiverem tido uma zanga com alguém e tiverem dito à pessoa que ela constitui uma chatice (dor no pescoço, no original, ou "pain in the neck") terão a tendência para sonhar com lesões do pescoço. Elas representam a expressão da personalidade física no estado onírico.

Aquilo que precisam ter em mente é que é a área subconsciente da vossa mente que imporá ou lançará o sonho ao vosso conhecimento, e isso deve-se a que constitua o factor de controlo do vosso corpo, o instrutor, por assim dizer. É suprido, conforme sabem de aulas anteriores, pela vossa mente consciente que lhe transmite informação, mas também funciona a partir da mente supraconsciente, que representa a vossa mente universal, a mente com que vocês contactam as coisas mais elevadas. Desse modo, hão-de descobrir que certos níveis do sonhar possuem um sentido profundo e que quase chegam a representar uma profecia, além de avisos. Outros níveis do sonhar representam sonhos que têm importância para vós por lhes estarem a transmitir as lições que precisam dominar. Esses são os sonhos tipo lição. Mas depois, evidentemente, há aqueles sonhos que representam uma expressão da personalidade e uma libertação do que tenham verbalizado antes.

Reconhecer que os sonhos recebem um contributo tanto universal quanto físico, ajudá-los-á a perceber que por vezes os vossos sonhos se assemelhem a quebra-cabeças. Ao analisarem um sonho, jamais permitam que lhes digam o que o vosso sonho significa. Pode acontecer que lhes digam que, por terem sonhado com um gato negro, um gato negro nos sonhos sempre signifique determinada coisa. Não é verdade! Se for caso de serem muito afeiçoados por gatos, um gato negro pode significar uma coisa boa e amistosa. Se alguém se sentir intimidado com eles, isso poderá significar um aviso.

A pessoa precisa reconhecer sempre que essa contribuição tem importância para o sonho; não podem simplesmente deixar que alguém mais lhes diga aquilo que estejam a aprender. Eu sinto-me tentado a dizer para não aceitarem a sua companhia. Porque, apesar de eu lhes poder transmitir o significado universal dos sonhos, apesar de eu os poder instruir quanto àquilo que poderão buscar nos sonhos, quanto isso diz respeito à interpretação inicial de parte dos símbolos, ela só poderá decorrer de vós próprios. Eu posso dar-lhes os símbolos universais, mas vocês precisam conhecer aqueles aspectos pessoais que têm que ver convosco e com a vida, por assim dizer.

Ora bem; se estiverem a sonhar, obterão sentidos de orientação. Aquilo que estiver directamente à vossa frente, no sonho, representa o presente. Aquilo que os conduzir para a esquerda diz respeito ao passado, e aquilo que se situar à vossa direita dirá respeito ao futuro. Aquilo que parecer situar-se por trás de vós, também dirá respeito ao presente, mas representa o desconhecido, por se situar fora da vista, por assim dizer. Se sonharem com um veículo de um tipo qualquer, reconheçam que até que determinem o nível do sonho, não conhecerão o seu significado. Por outras palavras, poderão sonhar com um carro ou um autocarro ou um comboio e pensar nisso no seu sentido natural: "Estou a viajar de comboio," ou: "Estou a viajar de autocarro," algo desse tipo. Mas se o nível do sonho tiver que ver com o aspecto físico ou a personalidade, ou representar uma instrução, poderão ter que o interpretar desse modo. Mas também poderá representá-los a vós; vocês poderão ser o autocarro ou o comboio, o veículo. Por o vosso corpo no estado onírico ser referenciado em termos de veículo, por constituir o veículo efectivo que os carrega de um lado para o outro, e sempre pensarem nele desse modo, no veículo enquanto vós próprios.

Há certos símbolos que possuem um carácter universal. Nos padrões dispostos diante de vós sob a forma de uma cruz de braços iguais, saberão envolve equilíbrio. A forma como é representada pode determinar o equilíbrio. Pode ter que ver com o equilíbrio de elementos inerentes ao organismo, assim como poderá ter que ver com o equilíbrio nos padrões do pensamento, mas a forma como é disposto nesse sonho indicará a forma por que deve ser interpretado.

Certos símbolos religiosos com a cruz Cristã, a estrela de David, o Pentagrama, etc., são muitas vezes utilizados com uma conotação religiosa que se prende com a filosofia ou a compreensão dessa natureza. Mas também são usadas para indicar áreas específicas. O Pentáculo constitui um símbolo de poder e prende-se com a percepção psíquica; cada um dos braços do chamado homem cósmico, por ser composto por cinco pontas ou bicos, e com sorte manter o bico da cabeça para cima, dois bicos para baixo e um para cima. Isso representa o Pentáculo, e prende-se com as áreas pertencentes às capacidades psíquicas. É um símbolo de poder.

A estrela de David, conforme lhe chamam, é um símbolo de sabedoria e representa a inversão de um triângulo sobre outro. Representa o quadrante superior e o quadrante inferior do homem reunidos na criação de equilíbrio, e como tal constitui um símbolo de sabedoria. Existem variações desses símbolos, mas eu vou estender-me um pouco mais tarde acerca do que sucede quando o símbolo não é mantido. O círculo, no sonho físico, representa o sol, e no sonho universal representa o infinito. É o aspecto divino do ser. É o sem começo nem fim, e que se acha em permanente existência. Representa o nada de que todas as coisas procedem.

Agora, há uma diferenciação a fazer: O nada é descrito por um círculo vazio enquanto o sol apresenta um ponto de entrada incluso. Para aqueles que porventura não tenham experimentado um ponto de entrada, ele é representado por um ponto. Em astrologia esse é o símbolo usado para descrever o sol, ao significar que o homem tenha penetrado o plano físico, e agora a energia física desse planeta torna-se na fonte de energia. Antes disso, a fonte de energia era o infinito – Deus, ou os Planos Universais. Portanto, essas pequenas diferenciações caracterizadas por um pequeno ponto estabelecem toda a diferença na forma como interpretam esse símbolo particular.

A lua sempre representa o pensamento e a acção subconsciente. Seja o quarto crescente, a lua cheia, o quarto minguante, a lua representa o vosso ser subconsciente, a vossa natureza emocional, o vosso lado receptivo. Enquanto o sol representa a vossa projecção activa, a lua representa o vosso lado receptivo. É o masculino e feminino, o activo e o receptivo. Também devem reconhecer que quando falamos de masculino e feminino não referimos macho nem fêmea, mas forças activas e receptivas. Quando mencionamos positivo e negativo não estamos a referir bom nem mau, mas activo e receptivo. Por isso tenham isso sempre em mente. Há sempre a tendência, nos anais dos factores ocultos, da parapsicologia e da psicologia metafísica, para empregarem “negativo” e “positivo” e não esclarecerem esse aspecto. Mas nós não estamos a falar de bom nem de mau, já que um não pode existir sem o outro, e ambos constituírem uma polaridade. A própria polaridade revelar-se-á no estado onírico ao lhes mostrar pares de opostos, parelhas de bois, por exemplo, o que automaticamente… Tor exemplo, talvez possam ver o sol e a lua; poderão ver um sinal que indique o norte e o sul; este e oeste. Factores de polaridade. E os factores de polaridade sempre estarão ligados à cruz de braços iguais por serem as direcções que representam o factor de polaridade. Desse jeito sempre serão capazes de relacionar o facto a esse equilíbrio toda a cruz (…) E assim, devem reconhecer que a polaridade sempre exercerá parte na vossa nos vossos sonhos.

Bom, há certos símbolos que também são universais; o símbolo do que chamam de sino, representa sempre um chamado. Pode servir de chamado para uma profissão, pode ser um pedido de ajuda, de acordo com a forma como for retractado. Mas isso a que chamam de sino ou campainha, por representar vibração, representa comunicação e um chamado. Alguma simbologia é extraída do vosso mundo físico; é retirada para se tornar… Bom, os animais, as flores, e isso tem que ser interpretado como o fazem com os símbolos. Para a pessoa que sente uma terrível alergia em relação às flores, ver-se em pleno campo de flores pode representar uma coisa aterradora. Para quem quer que tenha amor por elas, pode ser uma coisa magnífica. Por isso, as coisas do mundo físico devem ser interpretadas na relação que têm convosco próprios. Mas aquelas que dizem respeito ao mundo físico e que são retractadas de uma forma distorcida, têm que ser traduzidas com base no aspecto universal. Por outras palavras, se virem uma flor transluzente, que consigam ver através dela, e se a virem de uma maneira que não corresponda à forma como a descreveriam no mundo físico, ela traduz algo que está para além do mundo físico.

Quando se penetra pela primeira vez no estado do sono, deparamo-nos com um limbo entre o estado de vigília e o estado de sono. É um período em que muitas vezes entram em sintonia com os planos astrais, e em que escutam pedaços de informação, em que têm pequenos clarões de visão, por a vossa mente consciente estar finalmente a começar a abandonar o controlo, o que permite que o supraconsciente ou o subconsciente entrem em funcionamento mas ainda não terá bem aberto mão do processo de modo que vocês encontram-se num estado intermediário. Isso não é um estado de sonho mas um estado preparatório – um estado em que são colocados numa vibração adequada para poderem funcionar em pleno no estado do sono.

Uma sensação de movimento em pleno sonhar tem significado. Se estiverem num movimento em frente isso quererá dizer que estejam a fazer progressos. Se estiverem a sentir-se retidos, isso representa um aviso. Examinem bem a questão. Se o desejo que manifestarem no sonho for de avançar, e algo nesse sonho os estiver a reter, detenham-se e examinem bem a situação. É o subconsciente a preveni-los de que ainda não é tempo de avançar. Se estiverem a progredir em frente e derem por vós a dirigir… Aqui uma vez mais precisam considerar a situação em que se encontram, se forem a conduzir pelo lado esquerdo da estrada neste país em que habitam, isso significa que se dirijam para qualquer coisa do vosso passado. Se fizerem isso no mundo objectivo ficam em apuros por o resto do trafego andar ao contrário. Agora, se residirem numa nação em que dirigir do lado esquerdo seja normal, claro que inverter os significados, e nesse sonho em particular teriam que permanecer do lado direito; o veículo dir-lhes-ia para onde se dirigiam. Mas geralmente, devo dizer sempre, sem o veículo, numa conotação desse tipo, a direita representa o futuro e a esquerda representa o passado.

Se desejarem fazer perguntas relativamente a alguma coisa que tenha dito, façam.

Pergunta: Gostava de tocar no aspecto da água, por haver tantos aspectos diferentes ligados à água.

Julian: Muito bem. A água constitui um símbolo universal e sempre está ligada à ajuda. Está associado à pureza e com a ajuda. O estado em que a água se apresente dar-lhes-á uma indicação do tipo de ajuda. A água pode representar a pureza de uma dada situação. Se toda a gente estiver reunida ao redor de um lago ou correnteza de águas cristalinas, o sonhado encontrar-se-á numa situação de uma clareza inequívoca. Se subitamente a água se tornar turva isso significa que algo esteja errado. Se estiverem a olhar para uma lagoa que apresente águas turvas e lamacentas, isso significa que a situação não é favorável. Trabalham-na até que se torne clara.

A água constitui um símbolo da consciência espiritual, e envolve o fluxo universal do espírito. A água retracta a energia cósmica. Agora, de acordo com o nível do sonho, essa água pode representar pureza de consciência em vez de um ser físico. Claro que a pureza de consciência conduz a uma reacção emocional, que por sua vez leva a uma aceitação física do corpo interior, de modo que regressam ao (…)

Pergunta: Presumo que aquilo de que estávamos a falar no curso (…) não só por sonhos mas símbolos decorrentes da meditação, em que um mestre nos mostra imagens de uma coisa que podemos retractar e analisar do mesmo modo que o fazemos nos sonhos.

Julian: Sim. Por aquilo com que estão a lidar ser com níveis da mente consciente, conforme o uso que têm nesse sistema de ensino particular. A meditação assemelha-se ao estado do sono, e o estado do sono constitui uma outra forma de meditação. Na oração, que representa uma outra forma de meditação, vocês falam para Deus, e no silêncio da meditação vocês escutam-n'O. No estado do sonhar abrem-se para com a consciência universal. Assim, são tudo formas de meditação.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: A Meditação Transcendental não tem nada de novo, e não passa de um método de alcance de um estado de aceitação para além do físico. A forma como é usada não tem importância. Se alguém pegar numa forma qualquer de conhecimento ou de filosofia ou meditação oculta e a praticarem com a ideia do poder, então já estão no caminho errado. Só há uma força, mas a forma como é usada é que marca a diferença. Por isso, precisam sempre considerar a responsabilidade pelo estudo. Qualquer coisa que os leve à situação necessária para que entrem em contacto convosco próprios não será má. Mas aquilo que precisam reconhecer é que quando estamos a falar dos planos universais, ninguém o conhece. Por isso, não existe unicamente um caminho para alcançar isso, mas muitos.

Por outras palavras, as pessoas encaixam a crença de que “Este seja o único caminho.” As religiões fazem isso, as filosofias fazem isso, os metafísicos fazem isso, mas assim que o fazem bloqueiam a corrente universal, por só o universo pertencer a todos.
Por isso, não existe forma nenhuma específica de meditação, não há forma nenhuma específica de sonhar, nem modo algum específico de viver que não seja em comunhão com o Eu Superior, de modo a obterem o melhor do que tiverem aprendido. Agora, para alguns a abordagem indistinta de se deixar levar por ela resulta bem. Já outros necessitam de um procedimento mais claro e bem definido que os leve até ela. E isso não tem importância, conquanto quando o conseguirem venham a fazer isso. Mas não se trata do poder de ser considerado acima dos outros mas do despertar no íntimo de poderem voltar-se para outras.

Pergunta: Julian, mencionaste a existência de diferentes tipos de sonhos. Como haveremos de diferenciar esses diferentes tipos?

Julian: Pelo que o sonho lhes transmitir e a maneira como se apresentar. Se forem para a cama e perceberem ao acordar que tudo quanto tenham sonhado na mixórdia do que tiverem sonhado se relacionava com as pessoas com quem trabalham e com aqueles com que tenham discussões ou a quem tenham manifestado desacordo, perceberão que se trata de uma expressão física. É um sonho que lhes permite sair de vós, para que não venham a tornar-se naquilo a que a vossa sociedade chama "ficar malucos." Isso liberta a pressão toda, por assim dizer.

Se o sonho lhes estiver a dizer, e a instruir, poderão não se sentir à vontade com ele. Além disso tenham em mente que muitas vezes num sonho instrutivo, vocês são toda a gente que veem nesse sonho. Não se trata de quatro pessoas diferentes mas sim de quatro aspectos do vosso ser, mas poderão achar isso um pouco estranho, por poderem não gostar do que o sonho lhes esteja a indicar. E justamente por poderem não gostar do que lhes diga o vosso subconsciente elabora-o por uma pequena peça, e vocês assistem a essa peça. Mas, conforme já referi muitas vezes antes, se lhes estiver a ser dito que possuem um temperamento terrível isso não revelará qualquer interesse, mas se o vosso vizinho revelar um temperamento terrível, isso já revelará muito interesse. Mas, precisam saber que o vosso vizinho são vocês, que vocês são partes desse ser. Isso é o que nós chamamos de "Sonhos Fragmentados" em que as várias facetas do ser são usadas para ser examinadas individualmente.

Agora, nesses sonhos haverão de descobrir com habitualidade uma dualidade; uma pessoa muito velha e outra muito nova. Uma que representa a sabedoria colhida e a outra a inocência que possibilita uma maior sabedoria. De modo que estão a dizer que possuem duas partes, aquela que é do vosso conhecimento mas também a outra que ainda precisam conhecer.

Pergunta: Gostava de saber como considerar os estranhos; quererá isso dizer que teremos muitas partes que ainda não conhecemos?

Julian: É. Pode significar isso. Precisam, antes de mais, determinar em que base irão interpretar um sonho. Precisam antes de mais, determinar em que nível se situará esse sonho. Será um sonho que se situa num plano universal, ou será um sonho que se situa num plano da personalidade? Por o plano da personalidade vir a ser aquela "Válvula do vapor," a "válvula de segurança." O plano universal virá a revelar conteúdo profético, e por vezes esses sonhos são de tal forma objectivos que não conseguem esquecê-los. E depois há os sonhos de instrução em que por vezes vocês são todos eles, e noutras alturas em que eles podem fazer um uso simbólico da multidão. Por outras palavras, vocês não são assim tanta gente, mas em que representam a multidão enquanto símbolo, e conseguem sentir que, se essa multidão se revelar hostil para convosco, isso pode querer dizer que se sintam desrespeitados e que devem afastar-se disso. Que precisam descobrir quem são de modo a não se deixarem consumir pelos outros. Se a sensação que colherem dessa multidão for de prazer pode querer dizer que estejam destinados a reunir-se com grupos grandes, e porventura para ensinar, de acordo com os outros componentes ou indicadores que foram mostrados no sonho.

Não podem usar de uma interpretação geral na interpretação dos sonhos, mas podem usar esta inteligência e aplicá-la aos sonhos que têm. Mas eu vou pedir que, enquanto durarem estas aulas vocês mantenham um registo dos vossos sonhos.
Ora bem, quem disser que nunca sonha, só quer dizer que não os recorda, por toda a gente sonhar. Mas precisam reafirmar a vós próprios, noite após noite, que recordarão os vossos sonhos; mas precisam ter caneta e lápis à mão junto ao leito, para que assim que acordarem, anotem as frases chave desse sonho. Porque cinco minutos mais tarde a mente consciente assumirá o controlo e não se lembrarão mais. Mas se tiverem anotado essas frases chave, lembrar-se-ão.

Agora, quanto à maneira de os interpretarem: Quando tiverem tempo para anotar por completo o sonho, escolham os símbolos do sonho que se salientarem e interroguem-se do significado que tenham para vós. Ponham-nos de lado durante um dia ou dois e de seguida regressem e peguem neles. Sempre que esse símbolo surgir, coloquem a vossa interpretação em vez dele. Em breve começarão a ver a fluência que o sonho adquire. Por outras palavras, se tiverem visto chaves, o estado em que essas chaves se encontravam dizem-lhes muita coisa. Se for uma chave pesada antiga está relacionada com sabedoria; se for uma chave moderna prender-se-á com o presente. Se for uma chave pequenina como as de guarda-fatos, pode indicar viagem. Se for uma chave como aquelas que usam nas caixas de cofres, significará algo ligado a valores. Assim, uma chave torna-se num símbolo proeminente. Mas precisam ver que tipo de chave envolve. Assim, quando essa chave aparecer num sonho, colocam a interpretação em vez da chave, e começarão a ver por vós próprios certos significados a ser revelados.

Ao prosseguirmos com esta aula gostaria de gastar as duas primeiras com informação, e contribuição de alguns do vós com os seus sonhos, mas aí gostaria de lhes estender a oportunidade de exporem os sonhos que mais os deixam confusos para podermos tratar deles. Alguns desses sonhos vocês serão capazes de entender sem ajuda, mas depois há um aspecto enigmático e nessa altura vou pedir-lhes que narrem esses sonhos para os explicar.

Pergunta: Será verdade que um mestre ou um professor pode construir um sonho ou uma mensagem que nos queira transmitir, e de algum modo (…)?

Julian: É. Naquele estado de limbo entre o sono e a vigília vocês têm a mesma atmosfera que têm entre a vigília e o sono, e uma projecção de pensamento pode ser muito bem dirigida por a mente consciente ainda não ter assumido bem o controlo. Mas encontram-se suficientemente conscientes para o recordar e para o distinguir do sono, mas geralmente isso é muito claro e muito agudo; só uma impressão.

Pergunta: Será que os guias espirituais e os mestres utilizam o sonhar para nos transmitir mensagens directas (…)?

Julian: Absolutamente. Mas também precisam reconhecer que o supraconsciente constitui o portal para a consciência universal. Eu preciso entrar neste instrumento através do supraconsciente ou coroa. Se ela abandonar o corpo precisará fazê-lo por aí, se quiser ir até às planícies da hierarquia superior, e mesmo modo que vocês. Se abandonarem o corpo através do plexo irão até ao plano astral, por o plexo solar ainda estar relacionado coma identificação física. Assim, quando pensarem em sair, façam-no pelo topo. É muito melhor para vós.

Além disso, se reconhecerem que é o supraconsciente quem lhes transmite essa mensagem, mas também dirigirá o subconsciente para lhes projetar mensagens do estado de sonhos, que precisem chegar ao vosso conhecimento. Por precisar haver alguma ordem; não só existe ordem no universo como também existe no estado de sonhos, nos níveis da mente.

Pergunta: Serão esses estados de sonho limitados apenas a esta vida ou poderão...?

Julian: Há alturas em que se projectam no que... vocês na verdade experimentam uma vida passada no estado de sonho, e ela sempre lhes aparecerá do lado esquerdo. Sempre terão consciência disso se situar do vosso lado esquerdo, por ele estar ligado ao passado. E a experiência de uma vida passada será muito distinta; não será obscura de todo. Poderá ser enevoada na experiência mas será um obscurecimento claro. Não terão a menor dúvida quanto ao que quer que experimentem.

Pergunta: Voltando de novo à água. Se repetidamente sonharmos com água a umas dez ou doze polegadas de altura, muito clara, mas a erva tiver somente metade dessa altura e crescer debaixo de água, e tentarmos bastante entrar na água (...) e repetidamente sonharmos...

Julian: Certo. A água mover-se-á? Será um bocado de água ou água a correr?

Pergunta: É uma área vasta.

Julian: Uma área vasta de água.

Pergunta: Sim. Está tudo sempre muito verde, e creio que por vezes (...)

Julian: O facto da água ser cristalina significa que a situação envolva pureza. O facto de não a desejares sujar, significa o reconhecimento que tens de ser pura. No sonhos tens consciência de não quereres sujar a água. O que isto está aqui a anunciar é um novo começo que é puro, mas que se encontra estagnado no sentido do crescimento, que apresenta estática no seu desenvolvimento. Por conseguinte, precisas reconhecer que tens a capacidade de o levar adiante, por meio da pureza da água.

Da próxima vez que tiveres um sonho... eu estou-te a dizer isto por poderes recordar um sonho ou o que poderes ter o que chamam de sequela, diz a ti própria que desejas ir mais longe com esse sonho, e que desejas estimular essa água. Mas por a água ser cristalina a situação está associada à pureza e denota um novo começar. Mas se a relva não tiver esverdeado mais do que antes, isso indicará que tens que lhe adicionar um ingrediente. Procura em ti esse ingrediente, porque caso contrário deveria revelar algum crescimento, e é o teu crescimento (...)

Pergunta: Se eu tiver um sonho e alguém que eu conheça me disser algo ou estiver num certo lugar, mas não for perfeita, e a pessoa realmente não se assemelhar ao que é na vida real, precisarei tomar cuidado...?

Julian: Tens duas coisas a fazer; tens que estar atento à fraude, e a segunda coisa que tens que pedir é por esclarecimento (e possuis o direito divino de o fazer, por envolver a tua mente, o teu ser que te estão a dar isso). Pede esclarecimento quanto à razão dessa pessoa, e interroga-te do que essa pessoa significa para ti, que papel essa pessoa particular desempenha na tua vida. Por essa pessoa poder estar a ser usada como um símbolo de uma coisa qualquer. Por exemplo, poderás ver um juiz, e nem sequer conheceres esse juiz; mas pode não querer dizer que a personalidade do contacto seja aquele de quem esteja a falar e aquilo de que esteja a falar seja de equilíbrio, justiça. Assim, pergunta acerca do significado dessa pessoa, e pergunta a razão porque te é mostrada velada, o significado da distorção.

A distorção sempre quer dizer uma interrogação; pergunta de novo, obtém clarificação, por algo não estar bem em sincronização. Por isso, pede sempre primeiro por clarificação, mas ajuda igualmente a clarificá-lo por ti próprio no estado consciente. Por vezes podereis descobrir que alguma coisa ou alguém no estado consciente tenha um óptimo local para vós na vossa vida, uma grande honra ou uma grande adoração, e quando virem isso distorcido talvez isso esteja a dizer que essa relação esteja em desequilíbrio, fora de sintonia, por se encontrar distorcida. Questionem-se do modo como estejam a tratar esse relacionamento, e de como esse relacionamento os está a tratar. Interroguem-se se a vossa identidade estará a ser perdida. Por poder ser uma distorção sempre que se apresentar demasiado próximo.

Pergunta: Para voltar à questão da água de novo, quando sonhamos com algo como o oceano ou águas profundas ou um lago... as outras pessoas dizem que isso simboliza a imaginação ou as emoções... Será isso verdade ou será sempre pureza ou...?

Julian: Certo. Pode envolver as emoções de acordo como for retractado, mas vastas massas de água significam abundância. E por em vastas massas de água existir criação, tem que ver com a criatividade. Por isso, quando virem vastas massas de água isso quer dizer abundância de algo. Procurem na simbologia que ela diz-lhes do quê.

Pergunta: Eu vou num carro com duas ou três ou quatro pessoas... De quem será o carro, ou corpo, o meu, do condutor?

Julian: Isso deverá estar de acordo com o nível do sonho. Pode querer dizer a existência de uma associação de grupo, assim como poderá querer dizer que esses outros sejam parte de ti. Mas o carro representa-te a ti, entendes... de acordo com o nível do sonho. Precisas recordar o sonho todo para poderes decifrar isso, por assim dizer.

Pergunta: Porque se nos apresentarão os nossos sonhos sob a forma simbólica em vez de compreenderem ensinamentos directos?

Julian: E são, por a simbologia, desde o começo dos tempos, ter estado em uso. Por exemplo, se estiverem a ensinar uma criança a ler, qual será a primeira coisa que fazem com as letras do alfabeto? Vocês dizem: "A" equivale a alegria. É assim que começam a perceber que toda a alegria equivale à letra "A." É um símbolo que ajuda a desencadear a identificação. Além disso, lembrem-se de que se encontram neste mundo para suscitarem do vosso íntimo a capacidade de não só enfrentar a vossa vida mas de se conduzirem àquele nível de vibração e de harmonia que lhes permita tornar-se omniscientes, por ser isso que deviam ser. Mas foi por opção que deixaram a omnisciência e terá que ser por opção que regressarão a ela. E a escolha consta da dedicação à abertura da consciência entendem? Por outras palavras, nada lhes é negado se o procurarem com diligência e humildade; e não nos estamos a referir à subserviência, mas ao reconhecimento de ser vosso por direito divino - mas é igualmente de outros por direito divino. Por conseguinte abordam-no não do ponto de vista do ego mas do coração. E se usarem duma dedicação dessas não haverá nada na hierarquia nem no universo que lhes seja negado. Procurem, peçam, e será vosso. Mas precisa vir pelo vosso esforço - ninguém virá a vós dizer-lhes, "Aqui está."

Pergunta: (inaudível)

Julian: É de acordo com o nível da pessoa. Muitas pessoas são dadas a ter visões, de modo que têm visão atrás de visão, símbolo atrás de símbolo e isso para elas será divertido... Não existe separação... nós não temos problemas emocionais, de modo que para nós é simplesmente ser. E nós somos um. Mas isso é igualmente um processo de comunicação - ser - e permitir que tudo o mais seja convosco.

Mas se simplesmente reconhecerem que a divindade do vosso ser são vocês, perceberem que não precisam ser mais ninguém, então contentar-se-ão em ser e deixar ser, e tudo o mais será um convosco. Isso é importante.

Para uma pessoa, uma comunicação proveniente da nossa esfera, para vós precisaria ser pictográfica. Já para outra precisaria passar pelo sentir, sentir-nos apenas. Este "instrumento" tem muitas visões. Ela vê com o olho interno; vê o que não existe para a visão física. Mas é através da projecção sensorial que ela vê. Por outras palavras, os sentidos adoptam a forma e os contornos presentes e adaptam-no à mente. Ou seja, ela não vê com estes olhos. É como as pessoas ouvem; algumas escutam com a audição interna; já outras de forma audível, com o ouvido físico.

Pergunta: Não se deverá isso ao facto de onde se encontra não existir diferença entre o ouvir, o sentir e o ver...?

Julian: Vocês fragmentam-no e dizem que é por aqui que ouvem e por ali que veem. Mas meu amigo, coloca a palma da tua mão de encontro à palma da mão de outra pessoa e ouvirás. Coloca as solas dos teus pés de encontro às de outra pessoa e ouvirás. Vocês compartimentaram-se.

Pergunta: Para voltar às visões que temos antes de adormecermos ou (...) elas deverão ser interpretadas da mesma forma que interpretamos os sonhos?

Julian: Devem. Algumas constituem uma instrução de tal modo directa que não lhes resta qualquer dúvida e não as precisam interpretar em termos simbólicos, por se achar patente.

Pergunta: (Inaudível) a andar logo atrás de mim e a entrar directamente no meu quarto, do lado frente esquerdo, por eu dormir junto à parede direita, pelo que vinha do lado esquerdo (Julian: Por isso vem do teu passado) e outro do homem que se encontrava atrás...

Julian: Certo. Então encontra-se na vida actual mas permanece invisível e ainda está por surgir, por assim dizer.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: Certo. O fogo é um outro elemento. Tal como a água é um elemento também o fogo o é. O fogo nem sempre significa o fogo físico. Poderão ver alguma coisa a arder que isso não quererá necessariamente dizer que seja físico, por também representar as forças espirituais, uma comunicação espiritual. Quando o fogo vem sobre vós isso significa que estão abertos ao espírito. E assim, pode ter uma elevada conotação espiritual assim como pode referir o aspecto físico, e pode ser traduzido como algo demasiado quente para manusear, com que te podes queimar, de acordo com a forma como o usares.

Nestes cursos vamos passar por uma fase de explicação sobre como estas coisas deveriam ser usadas na representação de certas coisas.

Tu perguntaste relativamente a estares a correr... a orientação tem muito que ver com isso. (a fugir...) A fugir... (estava a ser atacada...) estavas a ser perseguida... Muito bem, sabes o que te estava a perseguir? (não...) Muito bem, nesse caso trata-se de um receio oculto que diz respeito a esta vida e que ainda está por se manifestar. Por outras palavras, para de fugir e encara-o. Que mais apresentava esse sonho? Recordas-te do destino que levavas? (Inaudível) Para e volta-te para veres... Podes treinar-te para o fazeres no sonho, por supor que seja o que realmente queres fazer... Bom, se andares constantemente a correr para a tua esquerda isso significa que estejas a fugir de alguma coisa do passado. Agora, alguma coisa do teu passado foi o teu medo.

Certas pessoas dão por si a correr às voltas, o que simplesmente significa que não estão certas do que receiam. Mas também significa que correr em círculo representa uma disposição para aceitar a eternidade, disposição para aceitarem Coisa-Nenhuma; por isso, se se detiverem por um momento poderão identificar essa coisa nenhuma.

Pergunta: E se formos a correr na sua direcção?

Julian: Se forem a correr na direcção de alguma coisa isso significará que seja alguma coisa que queiram alcançar. Pode ser um objectivo que tenham estabelecido (...) mas que os aguarda.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: Muito bem, a onda de maré ou maremoto significar de novo uma abundância, mas uma abundância errática, e também pode querer dizer um outro aspecto que o sonho indique como a saúde, ou algo em excesso; pode querer dizer mudanças drásticas, só que de uma natureza que pode purificar. Tal como o fogo que pode ser a natureza que purifica, ao purgar. E mais deverá revelar-se de acordo com a forma como tiveres sentido no sonho em direcção a isso. Se te tiveres sentido calma, então isso quererá em definitivo significar mudanças erráticas para melhor; mudanças inesperadas porque de uma maneira ou de outra é algo que vem sempre, como quem diz, dentro da hora. Portanto, se te tiveres sentido calma isso quererá dizer que terás reparado mas sabes que consegues enfrentar.

Pergunta: Voltando à situação de estarmos a ser perseguidos, quando conseguimos perceber o que nos persegue isso significará um receio de que tenhamos consciência...?

Julian: De que têm consciência mas que não enfrentaram. Têm consciência dele mas... e muitas vezes vocês dão forma a esse medo, e essa forma provavelmente dir-lhes-á alguma coisa com respeito à razão porque a receiam.

Pergunta: Também queria perguntar sobre o cair...

Julian: Cair significa uma libertação. Se derem por vós a cair, precisarão antes de mais determinar como caíram. Digamos que escalavam um monte e que caiam e que receavam essa queda; isso significa que tenham algo a corrigir. Não é a queda que... a queda representa um aviso, a recordação é indefinida. Se derem por vós simplesmente a cair pelo espaço, vocês poderão estar a viajar no astral nessa altura. Cair no vazio absoluto durante um período de tempo poderá significar viagem ou projecção astral; caso a queda não pareça terminar, porque aí encontram-se em aberto e a filtrar pelo universo.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: Tu libertarás de uma coisa para alcançares outro planalto. Muito embora a direcção da queda seja visto segundo o entendimento que têm, não quer necessariamente dizer que estejam a sofrer uma queda, segundo essa interpretação. Isso levou-te a um novo nível e poderá acontecer que esse nível se encontre abaixo do outro, o que significará uma compreensão subconsciente. Por te teres libertado de alguma coisa, o que te tenha facultado uma maior compreensão que agora te permite passar para alguma outra coisa, entendes? As quedas não têm que ser uma coisa ruim. Por regra, quando estão a descer, isso significa que estão a ir até ao subconsciente. Se virem constantemente que estão a voar escadas abaixo, estarão a ir ao subconsciente por uma razão qualquer; descubram o que encontraram no fundo das escadas, que isso ajudá-los-á a identificar a razão para as descerem.

Pergunta: Quando uma ocorrência onírica parece coincidir com uma manifestação física tal como um ruído acentuado. Por exemplo, se sonharmos que estamos a ser atingidos e de repente escutamos este ruído agudo que nos deixa sobressaltados e acordados...?

Julian: Na realidade já terão ouvido o ruído e já o terão traduzido no sonho; e ele vem do estado de sonho aqui para o físico. Isso é uma transição física daquilo que escutam ao vosso redor.

Pergunta: Por o escutar físico ter desencadeado o sonho, ou será que o sonho de algum modo se está a transformar no ruído que irá suceder?

Julian: No sonho físico tu já terás escutado o ruído...

Pergunta: Que será que vem primeiro - a ocorrência física actual?

Julian: A ocorrência física vem primeiro. A interpretação emocional do ruído físico vem no sonho. Por causa daquilo com que escutaste esse ruído, entendes? Tu estás no estado de sonho, ocorre um ruído, e tu pegas nesse ruído e traduze-lo no sonho, e pode acontecer a meio do sonho que estejas a ter tenhas um outro sonho, que representa a interpretação emocional do que já tiveres escutado, muito embora não tenhas estado acordado. Quando acordas e escutas o ruído por acontecer como um estalo. É como um dejá-vu. Mas ele acontece na altura em que o escutas no sonho; é a tradução emocional que fazes dele no sonho. Creio que o Edgar Cayce falou disso, e que terá dito que poderão ter sonhos com motosserras, e acordar para encontrar o vosso companheiro a ressonar ao vosso lado. Vocês pegaram nesse som e interpretaram-no por um símbolo.

Pergunta: E que quererá dizer o símbolo do voar no estado do sonho? Não só num avião mas corporalmente?

Julian: Isso é viagem astral. Voar corporalmente é  projecção astral.

Pergunta: Quanto da realização do desejo no estado de sonho é profecia, no sentido analítico?

Julian: Se se tratar do que chamamos de sonho que tenha que ver com a personalidade, ou for orientado para o corpo, pode representar a realização de uma coisa desejada dirigida pela personalidade. Se for um sonho tipo lição pode representar a satisfação de um desejo pro ser uma profecia. Tens que ver no nível como o terás sentido. A forma como te sentes ao sair de um sonho desses tem muito que ver com a interpretação.

Pergunta: Viajar através do espaço em sonhos, ou a viagem astral, que propósito terá isso?

Julian: Muito bem. Antes de mais, precisas reconhecer que tu não és apenas este corpo inerte. Tu és um belíssimo espírito livre. E quando vais dormir, esse espírito sai desse torpor, mesmo que seja somente para ficar perto dele, por precisar ganhar alento, precisar conhecer o universo. Quando vocês saem por aí numa dessas viagens universais, vocês estão a aprender por um processo de osmose. Estão a obter uma maior consciência, estão a receber instrução, muito embora conscientemente não o recordem. É como se a osmose lhes trouxesse tudo isso. E o espírito então traz isso de volta ao corpo físico, e a consciência superior então dirige isso para o subconsciente, que por sua vez o dirige para a consciência, de modo que possa tornar-se parte da vossa vida. Mas é a necessidade de liberdade; necessitas ser o teu verdadeiro eu, que nos dá o desejo e o esforço para sairmos.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: Bom, estaria de acordo com o que sentiste quando passaste por isso, se te terás sentido bem...

Pergunta: (Inaudível)

Julian: Nesse sentido poderia representar um porto seguro, qualquer coisa que represente um porto seguro para ti na vida física. Por outras palavras, a coragem de entrar em algo que pareça estranho, que te tenha trazido um porto ou felicidade, protecção.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: Isso é simbólico do que te está a acontecer. Por exemplo, ouvem muita gente dizer: "Eu tive uma visão de Jesus Cristo." Não quer dizer que Jesus tenha estado presente, mas quer dizer que aquilo que estavam a obter disso era da qualidade de Jesus Cristo, ou de um outro santo ou uma outra entidade ou energia.

Pergunta: (Inaudível)... estava a ir mais fundo do que pretendia ir e debatia-me para voltar.

Julian: Uma vez mais, se tiveres sido sugada para isso precisarás questionar-te da razão de o temeres, por seres conduzida a um outro nível. Contudo, quando referimos retirada para um outro nível não quer dizer que seja mau. Lembra-te que "para cima" e "para baixo" etc., aqui nem sempre quer dizer que "para baixo" indique algo menos. Por isso, precisas questionar a razão porque o temes. Questiona o estado da água que te levou, porque se a água que te levou era clara como cristal isso indicará que estás a ir para algo que não conheces, que te auxiliará. Uma vez mais, trata de um medo do desconhecido que está aqui a ser expressado. A condição da água tem muito que ver.

Pergunta: Quando estamos a dormir, com respeito àquilo que conhecemos da forma como o corpo reage enquanto dormimos, e o movimento rápido dos olhos (...) estado alfa, cada vez mais fundo, em que parecemos voltar... Que é que estamos a fazer enquanto...?

Julian: Estão a ajustar as vibrações do corpo conjuntamente com os níveis beta do corpo - esses dois estados. No estado mais profundo que o sonho mais significativo ocorre. A fantasia ocorre no estado mais profundo.

Pergunta: (Inaudível) ...então é quando a consciência superior realmente assume nesse estado.

Julian: Exactamente.

Pergunta: (Inaudível)

Julian: A consciência superior opera por intermédio do subconsciente, por o subconsciente ter a tarefa de gerir o corpo. Esse é o estado quando se encontra em funções.

Pergunta: Julian, poderemos ir para um porto seguro onde nunca tenhamos estado, um local que nem exista?

Julian: Podem! Não existe para a compreensão consciente que tens neste mundo. Por exemplo, muita gente visita outros planetas e vê outras culturas e outras estruturas, no estado de sonho; e para elas isso neste mundo não existe. Mas existe! Por isso, sim, é bastante permissível e plausível.

Pergunta: Eu estive num local que conheço mas que sinto não existir neste plano terreno; mas essa cidade tinha árvores...

Julian: Que formato teriam os edifícios?

Pergunta: É engraçado porque se via o céu mas não o topo dos edifícios. Eles eram modernos no entanto também identificava algumas estruturas muito antigas. Havia gente que eu não conseguia ver, mas que sabia estarem presentes. Mas nesse tempo definido vi algo no sonho que parecia num estado de floração.

Julian: Aquilo com que estás a lidar é os períodos finais... não estou certo de como dizer isto correctamente. Eu estou a sintonizar aquilo que estás a referir de momento. Foi anterior ao período Atlante, no estado de Não-Ser. Tu própria, nesse período, não possuías corpo conforme o concebes. Mas possuías um corpo etérico. Pelo que foi num período pré-Atlante.

Pergunta: Julian, tive um sonho muito intenso que ainda me incomoda. Será porventura um aspecto de outra alma (inaudível)... mesmo no estrado e sonho?

Julian: É, muito mesmo. Lembra-te que vós trazeis recordações da alma de outras vidas. E enquanto essas recordações da alma fizerem parte de ti nesta vida tu experimentarás lembranças emocionais delas. Observa o que eles diziam, qualquer que tenha sido o incidente, o que esteja a referir. Vê como corrigir isso nesta vida. Estará a dizer: "Isto é uma pedra que foi deixada por virar, por assim dizer... Trabalha com isso a partir daí que isso te ajudará a esclarecer algo mais.

(continua)

Autor: Julian através de June Burke 
Direitos de autor de Soul Srour

Transcrito e traduzido por Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário