quinta-feira, 21 de abril de 2016

A EXPERIÊNCIA DO ARCO-ÍRIS



Escolhemos a cor esta noite, por ser algo que no vosso mundo possui uma extrema capacidade energética e poder que não é compreendido, com que brincam no vosso mundo, mas que não vivem. E viver com a cor é o propósito que a cor tem. Assim, esta noite vamos viver um pouco com a cor.

Alguns de vós conseguiram uma certa compreensão dos chakras e das energias que correm através deles, e da ligação que têm co o universo por meio desses chakras, e isso é, evidentemente (…) Mas é mais que isso. Quando se situam numa cor vocês alteram a vossa própria energia e criam novos mundos ao vosso redor e um novo movimento da energia em vós. Assim, há alturas em que uma cor pode vir em vosso socorro e gerar para vós toda uma nova atmosfera e sentimento para esse dia e esse momento. 


No vosso mundo foram designados significados ritualistas à cor de acordo com os éditos e a compreensão cultural. Sempre se pensa que o roxo signifique realeza. Em determinadas culturas o casamento tem que usar o branco; já noutras, o branco é dedicado aos funerais, mas qual será o verdadeiro significado que está por detrás do branco? O branco não designa um evento específico mas sim uma transição. No casamento dá-se uma transição de um estágio da vida para outro; no funeral dá-se igualmente uma transição de um estado para outro. Por isso não será de estranhar que essa cor particular, e é toda a cor, deva ser escolhida. 


Se olharem para trás, ao longo do tempo, na vossa vida, e noutras vidas, perceberão que sempre que tiver ocorrido um significado substancial num evento dessa vida, a cor terá sido empregue para realçar esse evento. E muitas vezes encaram o baptismo em que o branco é usado uma vez mais, e porquê? Por significar a entrada na vida, a transição. Mas sabem o que é que o baptismo representa? É mais do que o nome indica. Representa o despertar do divino na criança, a dar conta à criança da sua visão interna (percepção) e audição interna, por conseguinte uma transição de energia do bebé para a criança dotada de sentidos, e empregam o branco. Toda a vez em que tiverem necessidade de fazerem uma transição em vós, não receiem raiar a branco, caso sintam necessidade de mudar o vosso ser interno, por os poder ajudar a perceber que não estão perdidos nem atados a uma só cor mas que são a mistura de todas as cores e por conseguinte, podem avançar por intermédio de todas elas.


Ora bem, no estudo que empreendem dos chakras, sabem que o chakra raiz é vermelho, que é uma cor bastante física, e a maioria das pessoas que trilham caminhos espirituais tendem a afastar-se do vermelho, por ser muito agitada, muito ruidosa, alta demais, por ser uma cor da terra, por ser um chakra raiz que os amarra. Mas meus amigos, não é nada disso que o vermelho provoca. O vermelho tem o poder de os mover; é a cor da instigação, a cor da acção, uma cor que poderá fazer com que se mexam num dia em que não queiram mexer-se. É uma cor que lhes pode trazer esperança quanto a uma mudança. E se estiverem num dia sombrio, quer por que esteja um dia chuvoso ou enevoado, ou por terem pensamentos turvos e nebulosos façam raiar um pouco de vermelho que os irá animar. O vermelho pode ajudá-los a afastar a depressão e pode ajudá-los a ultrapassar a inércia. Quando estiverem sentados a pensar que devem fazer uma coisa qualquer mas não fazem, enverguem um pouco de vermelho, que os conduzirá ao movimento. É uma cor de energia que não devia ser evitada, mas usada para alterar a vossa energia sempre que a vossa energia necessitar.


Ora bem, também obtiveram uma certa compreensão do chakra sacral, que representa a força criativa em vós, o desejo de ser. Mas sabem que a cor laranja não significa somente sexo? Representa um desprendimento criativo, a capacidade de alterarem os padrões do pensar para soltarem as facetas ocultas do vosso ser. Assim, num dia em que estiverem a tentar fazer algo que não esteja a sair bem, enverguem um pouco de laranja, que irá agitar a energia criativa do vosso ser e fazer com que avancem. Começamos por este ângulo, mas vamos abordar outros ângulos igualmente.

Se reconhecerem que o amarelo diz respeito ao plexo solar, e que representa o insight, o discernimento interior, aquela sensação ligada ao pressentimento, como sempre dizemos, é igualmente uma cor mental. O amarelo é mentalidade, intelecto, movimento do padrão do pensar. Quando é usado no plexo solar relaciona-se com a sensação íntima, mas acha-se fortemente ligada à testa. O chakra da testa e o plexo solar funcionam juntos. Quando têm dificuldade em pensar, quando vão fazer alguma coisa que exige um enorme esforço do pensar, experimentem um pouco de amarelo. Se estiverem num estado constante de depressão, ou num estado repetitivo de raiva interior experimentem um pouco de amarelo. O amarelo é aquilo que é próprio do sol, o doador de luz que lhes põem a energia em movimento para os capacitar a ver, em vós e ao vosso redor, pelo que um pouco de amarelo é capaz de fazer muito.


Lembrem-se que muitas vezes na vossa vida, subitamente descobrem o roupeiro repleto de certas cores, e pensam: “Estou a passar pelo meu período do azul, ou do lavanda,” mas isso deve-se a que a vossa energia lhes esteja a pedir para a rodearem por essas cores por causa do que elas podem fazer por vós de momento. Mas na medida em que o arco-íris constitui a ponte entre os dois mundos, na medida em que representa a aliança estabelecida entre o homem e Deus, importa que reconheçam que todas as cores têm importância. Assim, quando se vestem de determinado modo e não se sentem satisfeitos, ergam-se e enverguem outras cores. Soa estranho, meus amigos mas é real, é verdade, para que peguem na cor e deixem que funcione a vosso favor.


Sabiam que o vosso verde, que representa o chakra do coração, e por isso mesmo a cor do amor e da cura, é literalmente capaz de os curar e de lhes trazer paz quando se sentem numa rota de completa destruição? Sabiam que o amarelo os pode ajudar a experimentar um novo começo? Experimentem usar verde na vossa próxima entrevista de emprego, quando quiserem que represente um novo começo. Sabem que sempre podem fazer isso, de alguma forma. Os homens têm umas quantas coisas de atar e as mulheres têm os lenços ou os chapéus. Não precisa ser muito. Mas representa um movimento e uma mudança na vossa energia.


Quando quiserem alcançar conhecimento ou que a vossa expressão intelectual seja clara e concisa, voltem-se para os azuis. O azul ajuda-os a focar-se. Ajuda-os a expressar aquilo que procuram expressar. O índigo serve evidentemente para limpar os processos do pensar. O azul índigo, quando usado para provocar uma mudança em vós, pode trazer-lhes uma elevada compreensão de qualquer coisa que estejam a tentar estudar – qualquer coisa; não importa o que seja. Mas mais do que estudar um único padrão, também lhes permitirá ver a inter-relação existente com as outras coisas.


O violeta. O violeta é uma cor do conhecimento, é a cor que lhes permite que sejam. O azul índigo mexe com o padrão do pensar, faz com que descubram e raciocinem, ao passo que o violeta lhes diz que o conhecem num nível qualquer. Deixem-no em paz e chegará a vós. Assim, quando o azul índigo tiver feito tudo quanto pode por vós e ainda assim não estiverem certos, voltem-se para o violeta, por o violeta os deixar repousar confortavelmente nele, na certeza de terem conhecimento disso. Mais tarde ou mais cedo o índigo irá ajudá-los a sacá-lo. Portanto um tem que ver com o pensar, o intelecto e o outro com o conhecimento.


Agora, o dourado e o amarelo sempre foram uma cor do baptismo. Mas quando falamos de baptismo não nos referimos a Jesus Cristo, referimo-nos à luz, à capacidade de ver. Sempre tiveram uma relação com a hierarquia superior e com todos os mestres. Assim, quando estiverem em busca de uma orientação que necessitem para além de vós próprios, tentem um pouco de ouro, por os poder ajudar a entrar em sintonia com o nível para além de vós que lhes poderá dar algum discernimento espiritual, e ajudá-los a conhecer um pouco mais.

(continua)
Transcrito e traduzido por Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário