sábado, 30 de janeiro de 2016

CHAKRAS E CORPOS SUBTIS





Tem havido muita confusão na literatura respeitante aos órgãos que estejam associados aos sete principais chakras, devido a que existam muitos chakras menores e por existirem dois sistemas de chakras diferentes, no oriente e no ocidente. Quando esses dois sistemas de chakras se misturam um outro é criado. Para os ocidentais, os sete órgãos associados aos sete chakras principais incluem os testículos ou ovários relativamente ao primeiro chakra, o baço relativamente ao segundo, o estômago ou o abdómen ao terceiro, o coração em relação ao quarto, a tiroide em relação ao quinto, a pituitária em relação ao sexto chakra e a pineal em relação ao sétimo chakra. Os ocidentais têm esses órgãos associados aos sete principais chakras: o cóccix ligado ao primeiro, os testículos ou ovários ligados ao segundo, o estômago ou abdómen ligados ao terceiro, o timo ligado ao quarto, a tiroide ao quinto, a pituitária ao sexto e a pineal ao sétimo. Não será de surpreender que as pessoas de diferentes raças liguem diferentes órgãos aos sete principais chakras.
John

“Quando as pessoas sacam da tradição espiritual ocidental ou oriental, ou quando basicamente atingem elevados estados de consciência, são activadas diversas partes do corpo em associação com cada um dos sete principais chakras. Tal activação pode igualmente ocorrer quando se deslocam entre as culturas oriental e ocidental. Essas porções do corpo funcionam em polaridade para equilibrar o indivíduo: as polaridades criadas seguem a seguinte ordem: O cóccix, os testículos e os ovários representam o primeiro chakra; as adrenais e o pâncreas representam o segundo chakra; o baço e o estômago ou o abdómen representam o terceiro chakra; o timo e o coração representam o quarto chakra; a tiroide e o sistema parassimpático representam o quinto; a pituitária e a medula oblongata representam o sexto chakra quando o sétimo chakra ainda não se encontrar aberto. Quando o sétimo chakra se acha aberto então o sexto chakra no corpo é representado por uma polaridade entre a glândula pituitária e a glândula pineal. O sétimo chakra é representado pela glândula pineal e pelos hemisférios esquerdo e direito do cérebro. Para se verificar um despertar pleno tem que existir um trio equilibrado composto de mente, corpo e espírito.”

Pergunta: Onde se posicionarão exactamente os chakras no corpo? Existe um debate na literatura com respeito a esta questão.

“Eles têm assento nos gânglios neurológicos existentes ao longo da espinha e estendem-se até aos órgãos a que estão associados. Na sua mais vasta extensão, os chakras estendem-se até à parte anterior e posterior do corpo. Além disso, os chakras têm forma oval, e não circular.

“Um estímulo adequado do primeiro chakra suaviza as enfermidades associadas às extremidades inferiores, em particular o tecido muscular das coxas e a circulação dos pés. Por conseguinte, este chakra realça a energia que penetra no corpo através dos pés, os chakras menores dos pés são activados e as terapias de massagem associadas aos pés saem beneficiadas. Este chakra ameniza as enfermidades associadas à desorientação, aos receios ocultos ou subtis, bem como as doenças associadas às adrenais, em particular as doenças do coração, o estresse e a ansiedade. A abertura desse chakra liberta talentos oriundos de vidas passadas que estabilizam a pessoa e desenvolvem a força de carácter. Este chakra alivia os miasmas pesados e os miasmas sifilíticos. O primeiro chakra acha-se especialmente ligado ao corpo etérico. Quando este chakra é desperto, têm início as práticas espirituais. A cor vermelha abre esse chakra e a cor verde fecha-o. Os chakras precisam ser devidamente estimulados e equilibrados. Demasiada energia num chakra pode ser tão pouco saudável e mesmo perigoso quanto energia a menos.

“O segundo chakra acha-se associado aos testículos e aos ovários. Quando adequadamente aberto ameniza todas as enfermidades de carácter sexual e problemas de infertilidade. Doenças artríticas associadas aos desequilíbrios proteicos, o enrijecimento da estrutura esquelética e as doenças ligadas ao estresse resultantes da raiva interiorizada podem ser amenizados com o equilíbrio desse chakra. A desintoxicação, em particular no trato urinário, é aumentada, e os miasmas da gonorreia, sifilítico e da radiação são aliviados. Este chakra também equilibra o organismo após acentuada exposição à radiação natural da Terra. Quando este segundo chakra é devidamente equilibrado a criatividade e a capacidade de integrar as emoções aumenta. O segundo chakra e o corpo mental acham-se ligados. A cor laranja abre este chakra e a turquesa fecha-o.

“Todas as doenças incapacitantes, úlceras, problemas intestinais, desequilíbrios do baço, doenças psicológicas e problemas emocionais podem ser tratados pelo equilíbrio do terceiro chakra. Os miasmas da psora e da radiação são amenizados. Os corpúsculos brancos e todos os nutrientes são notavelmente estimulados e as emoções integradas, de forma que a sensibilidade e a intuição aumentam. Os corpos astral, emocional e etérico acham-se ligados a este chakra. O amarelo e o branco abrem o terceiro chakra e a cor castanha fecham-no.

“As qualidades do amor divino manifestam-se na pessoa quando o quarto chakra é despertado. Todos os miasmas, todos os nutrientes e todas as doenças de infância e do coração são afectados quando esse chakra é aberto. Quando este chakra é propriamente estimulado, alcançam a mestria do sistema imunitário e do timo, em particular nos primeiros sete anos de vida. A completa regeneração dos tecidos pode igualmente desenvolver-se. Os corpos astral, emocional e espiritual acham-se ligados a este chakra. A cor esmeralda abre-o e o laranja fecha-o.

“Quando o quinto chakra se acha adequadamente desperto, as doenças do sistema imunitário, do sistema neurológico, da garganta e dos brônquios superiores são aliviadas. A saúde em todo o sistema endócrino melhora. Doenças psicossomáticas e enfermidades resultantes da supressão pessoal podem ser tratadas pela estimulação desse chakra. Surge um maior interesse pelas questões espirituais, e esse interesse é estimulado nos outros. O azul abre esse chakra enquanto o vermelho e o amarelo fecham-no.

“O sexto chakra estimula a glândula pituitária, o sistema imunitário, a visualização criativa e as visões. Acha-se ligado ao corpo espiritual e ao corpo da alma. O índigo abre-o e o escarlate fecha-o
“Quando o sétimo chakra é devidamente estimulado, dá-se um alinhamento com as forças superiores. Outras actividades respeitantes a esse chakra serão tratadas futuramente.”

Considerando os corpos subtis, temos o corpo etérico, o corpo emocional, o corpo mental, o corpo astral, o corpo causal, o corpo da alma e o corpo integrado espiritual. Este representa a combinação desses outros corpos subtis e do corpo físico. Esses corpos subtis espalham-se a partir do corpo físico pela ordem supra citada, respectivamente. Há também a aura, o fluído etéreo e o corpo termal, que se acham ligados aos subtis.
A informação contida neste texto acerca dos corpos subtis encontra-se entre as mais importantes, devido ao enorme papel que desempenha na saúde, na doença e no crescimento espiritual. Um dos mais importantes passos inovadores da moderna medicina passará pela compreensão do papel que os corpos subtis desempenham na saúde como na doença.
Os corpos subtis foram debatidos por muito autores, mas o Steiner e a Alice Bailey fornecem detalhes quanto à função que eles desempenham nas nossas vidas.
 “No estado de perfeita saúde, os corpos subtis acham-se perfeitamente alinhados uns com os outros. Existe uma barreira delgada a revestir cada um desses corpos subtis, que se devem situar numa determinada área ao redor do corpo físico. As essências florais muitas vezes restauram desequilíbrios nesses corpos. Por exemplo, a essência de Zinnia produz um excelente equilíbrio entre o corpo físico e o emocional, e provoca um excelente bom humor. Umas quantas essências florais como o Lótus, a Romã, a Sequoia, alinham temporariamente os corpos subtis. Quando isso sucede a toxicidade é libertada do corpo físico e subtis, de modo que os remédios vibracionais funcionam melhor e resultam alterações positivas na personalidade.

“Problemas psicológicos e doença resultam quando os corpos subtis se acham desalinhados – quando se encontram demasiado próximo ou afastados uns dos outros, ou as propriedades de um dos corpos subtis se derramam noutro. Por exemplo, quando os corpos mental e emocional alinham incorrectamente na ligação com o corpo etérico, isso resulta em ansiedade. Quando o corpo mental contagia, ou extravasa para o corpo emocional, sucede letargia mental e uma perda de confiança. Ou quando os corpos mental e emocional se acham demasiado próximos, isso provoca frustrações, receios infundados, e a incapacidade de distinguir problemas mentais e emocionais.

“À excepção do corpo etérico, todos esses corpos subtis penetram o corpo físico, sobretudo por uma área. O corpo físico e o etéreo acham-se de tal modo entrelaçados que não chega a haver um ponto de contacto. O corpo emocional geralmente acha-se ligado ao físico através do estômago; o corpo astral através dos rins; o corpo mental através do cérebro esquerdo; o corpo causal através da medula oblongata; o corpo da alma através da glândula pineal e o corpo espiritual através da pituitária. O cérebro direito equilibra todas essas associações.

“Esta questão pode tornar-se confusa em parte por os grupos esotéricos das diversas culturas tratarem os mesmos corpos subtis por nomes diferentes. Por exemplo, o corpo oriental do Atman corresponde quase ao corpo astral ocidental. A disposição e até mesmo a existência actual de alguns dos corpos subtis variam nas diversas culturas à medida que procedem a progressos espirituais. Os chakras e os corpos subtis são muito semelhantes, a esse título.

“O fluído etérico faz parte do corpo etérico que circunda todas as células do corpo físico. É o veículo utilizado no suprimento da força vital de cada célula. Um veículo desses é necessário para transferir a energia entre o corpo físico e as dimensões etéreas. As energias superiores são então ligadas e assimiladas pelo coro físico. Os nutrientes são assimilados mais facilmente e os miasmas, as doenças genéticas e os ataques virais ou bacteriológicos são evitados quando o fluído etéreo funciona normalmente.

“Na saúde, o fluído etéreo eventualmente distribui-se por todo o corpo físico, com um ligeiro realce nas células sanguíneas vermelhas. Os seus pontos críticos de armazenamento são o cólon, a linfa, os músculos, a pele, o estômago e o corpo termal. Até mesmo uma pessoa que não seja dotada de capacidades psíquicas poderá constatar as suas actividades ao microscópico. Ocasionalmente é observada como a energia do orgônio. Trata-se de orgônio um estado mais estável que procede a uma transferência para o corpo físico. O local em que podem observar o fluído etéreo é nas paredes externas do tecido da célula.

“O corpo etérico constitui a interface entre os corpos subtis e o físico; ele mantém o equilíbrio perfeito entre essas duas áreas. Quando o corpo etérico se acha enfraquecido, as doenças e os problemas cármicos que se situam na aura e nos corpos subtis tendem a passar para o corpo físico.

“O corpo termal constitui um campo de forças que circunda o corpo físico e que consiste na extensão exterior do corpo etérico e o calor do corpo físico. Esse calor, que procede da divisão normal das células e da energia electromagnética do corpo é regulado pelo metabolismo e pela tiroide. Enquanto o corpo etérico consiste apenas em propriedades etéreas, o corpo termal constitui o subproduto das actividades do corpo físico.

“O corpo emocional fornece um sentido de estabilidade emocional e de segurança psicológica. Em contraste, o corpo mental capacita a pessoa a pensar com clareza e de uma forma racional.
“O corpo astral consiste no acúmulo total da personalidade e age como uma tela na filtragem dos padrões cármicos e da informação proveniente das vidas passadas na consciência da pessoa. O corpo causal liga a personalidade completa à consciência colectiva do planeta. Constitui uma entrada e uma chave na sintonização com as influências astrológicas. A informação proveniente de vidas passadas é coordenada aqui e de seguida libertada pelo corpo astral. O corpo da alma detém a essência do espírito que é Deus.

“A aura difere dos corpos subtis. O campo da aura representa um padrão generalizado de energia bioquímica que circunda (o corpo físico) e reflecte os processos fisiológicos e metabólico deste. Ela cria uma polaridade equilibrada no sistema. Embora os corpos subtis também reflitam as actividades dos processos fisiológico e metabólico, eles constituem campos específicos de energia que incorporam energias magnética e electromagnética e orgônio (energia vital). Os vários corpos subtis constituem bandas específicas de distintos tipos de energia a determinadas distâncias do corpo físico. Os corpos subtis coordenam e regulam a actividade da alma no plano físico.”

(continua)
Tradução de Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário