quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

EXUBERÂNCIA E RIQUEZA


SESSÃO APAGADA DE 14 DE DEZEMBRO DE 1983

SETH-JANE ROBERTS


Frequentemente os pais minam a confiança dos filhos ao repetirem de forma interminável negações como: "Não faças isto," ou "Não faças aquilo."

Eles acabam com efeito por ameaçar os filhos, embora habitualmente não compreendam o que estejam a fazer.

Uma mãe poderá dizer: "Não corras que podes cair," ou então: "Não fales tanto, que as pessoas não gostarão de ti." Em qualquer caso, amiúde as crianças crescem com a ideia de que um comportamento adequado consista sobretudo em evitar o perigo. A ênfase não é colocada no prazer mas em evitar a dor. Ensinam as crianças a reprimir as emoções que sentem, em vez de as ensinar a expressá-las.

É importante que os adultos tragam a nu os exemplos da sua própria infância. Enquanto adultos poderão formar um progenitor compreensivo nas suas próprias mentes, até aprenderem como sentir compreensão pelos próprios comportamentos e até que percebam que a vida em si mesmo constitui uma expressão e não uma repressão.

Tais padrões negativos na infância levam os adultos a sentir-se aterrados em relação à liberdade - por parecer que a liberdade implique uma ameaça à vida e à saúde.

Também há quem, claro está, seja vítima de tais ciclos de infortúnio, mas em vez disso permaneça exuberantemente livre e saudável. Mesmo assim,  a saúde para a maioria das pessoas significa a ausência de doença, em vez de um estado de exuberante bem-estar, desafio, e de satisfação (ou realização).

Parece que a exuberância seja qualidade que diga respeito unicamente à infância ou à mocidade - no entanto a exuberância constitui em vez disso a marca de uma vitalidade salutar, a marca de uma natureza desimpedida, e constitui a herança de todas as criaturas livres. É de volta à sua exuberância vagamente recordada que muitos adultos olham com nostalgia e sentido de perda.

Os pais podem tomar consciência de uma forma particular desse sentido de alegria perdido ao observarem os jovens nas suas brincadeiras naturais. As brincadeiras de criança são extremamente importantes no desenvolvimento dos catraios - e quando brincam, as crianças usam esses requintados poderes de imaginação, confiança e expectativa que lhes proporcionam o manancial para o crescimento e a realização.

Aqueles que são exuberantes são saudáveis. Apreciam a riqueza e a variedade da vida. Todavia, a muitos catraios é infelizmente ensinado por parte dos pais a suspeitarem da exuberância e do bom-humor. É-lhes ordenado, em vez disso, a ser calados, a ter boas
maneiras e a ser obedientes. Os animais podem ser obedientes para com os seus donos, e ser saudáveis e exuberantes ao mesmo tempo, mas em termos de natureza, não importa o que os costumes sociais possam dizer, ninguém pode ser obediente e saudável e exuberante ao mesmo tempo.

As pessoas anseiam naturalmente pela liberdade, tal como as plantas anseiam pelo sol. Sem uma saudável dose de liberdade e de exuberância, a própria vida parece perder o seu sentido.


Tradução de Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário