sexta-feira, 28 de agosto de 2015

AUTOESTIMA, DORES DE CABEÇA, HÁBITOS (CONSIDERAÇÕES)



AUTOESTIMA 

Tradução: A. António


Pergunta: Desejava obter uma cura, mas caso seja difícil conceder-ma, peço que for favor me respondas às seguintes perguntas: Durante os últimos vinte anos tomei esteroides no sentido de curar a doença de que padeço, o lúpus. De que modo conseguirei curá-la e restaurar a saúde e um corpo forte?


Resposta: Sim, temos o corpo e a mente inquiridora, bem como os requisitos. Bom, pedir-te-íamos, antes de mais, que compreendesses melhor a síndrome que estás a experimentar, por não resultar de agente nenhum – tipo vírus, bactéria ou algo semelhante que esteja a invadir este organismo, mas antes o sistema imunitário do organismo que está a atacar o próprio corpo, como se o organismo se estivesse a rejeitar a ele próprio.


Agora, o facto mais importante na cura dessa doença não provém de drogas, em particular dos esteroides. O que pretendemos conseguir acima de tudo é uma aceitação efectiva e real, amor-próprio, dignidade e autoestima. É essencial.


Ora bem; para se conseguir tal coisa sob as presentes circunstâncias, precisarás recorrer ao uso da mente subconsciente, ou da mente inconsciente, assim como à consciente. Por tal razão, produzimos as gravações que transmitem sugestões auditivas directas à mente consciente ao mesmo tempo que algumas sugestões subliminares da mesma natureza para serem acolhidas pelo subconsciente e pelo inconsciente – em particular durante o período da noite.


De seguida vamos requerer que obtenhas um aparelho auditivo contínuo dotado porventura de um altifalante que possa reproduzir durante a noite toda, num período relativo de nove meses, o que chegou a ser chamado de Treino de Sobrevivência da Autoestima. Sabendo que ainda não se encontra ao dispor na língua Japonesa, ainda assim possuis suficiente compreensão do Inglês pelo que talvez seja boa ideia que dês início às lições conforme foram editadas em Inglês, a fim de te permitires dar atenção à voz deste “canal” e estabelecer um elo de ligação.


Sugerimos mesmo que faças uso de uma fotografia deste, por intermédio de quem falamos, uma fotografia suficientemente grande para que possas ver os olhos com clareza, e antes de te retirares para o sono, e ao acordares também, possas contemplar a imagem na foto e chamar este canal pelo nome várias vezes, num simples apelo de amor e auxílio, por ele estar mais que disposto a retirar-te as energias concentradas que te produzem a natureza dessa doença. Junto com tal ligação, uma afinidade telepática, conforme lhe poderás chamar, e ao mesmo tempo escutares a sua voz nas cassetes e – mesmo que te seja penoso de início, ler as transcrições, por já se encontrarem preparadas.


Se deres continuidade a esse programa, dentro dos próximos trinta ou quarente dias de repetição da primeira transcrição já terás conseguido suficientes resultados no relacionamento contigo própria. Cada período adicional de trinta ou quarenta dias irá contribuir para o anterior, até que dentro de um período de nove meses a autoaceitação seja suficientemente realçada de modo a poderes dizer com clareza e convicção e confiança: “Eu amo-me, ao meu corpo e à minha vida.” O amor pela vida, mais do que qualquer outro factor é o que irá corrigir o desequilíbrio em que o sistema imunitário se encontra a rejeitar o teu próprio tecido corporal.


Agora, compreende que o que opera em qualquer corpo físico é o facto de esse corpo físico e o inconsciente seguirem as instruções do inconsciente e da mente supraconsciente. Por tal razão, desejamos preencher o consciente e o inconsciente com sugestões de carácter positivo respeitantes ao desenvolvimento do amor-próprio, da dignidade pessoal e da autoestima.


Se durante o uso do curso em Inglês inicialmente te deparares com palavras ou frases que não conheces, em breve, ao leres as transcrições diariamente e escutares as gravações durante a noite, entenderás o conteúdo completo. Num certo sentido será mesmo mais eficaz que o uses em Inglês devido a que a mente consciente tenha menos tendência para rejeitar as sugestões. Elas resultarão mesmo mais subtis do que numa versão produzida na tua língua (Japonês). Assim, aprende, capta os princípios do amor-próprio, do valor próprio, por essa ser especificamente uma doença assente numa rejeição de ti própria, e entende que não existe qualquer agente que possas descobrir no organismo que esteja a operar contra ti. Não existe qualquer agente externo que te esteja a atacar o corpo. Toda a síndroma se acha contida no corpo, na mente, no teu ser, no padrão do pensar. A atitude que usas para contigo própria está a controlar por completo aquilo que é chamado de doença disfuncional. Disfuncional, não estrutural. Disfuncional – não o resultado de um ataque originado movido por qualquer agente externo. Disfuncional implica que tudo quanto é necessário ao restabelecimento da cura do organismo se acha presente. O sistema imunitário e tudo quanto engloba acha-se no sítio e podem ser treinados para trabalhar em prole do bem-estar do corpo, em vez de actuar contra ele.


Mas o que é fundamental nisso é o amor-próprio, o merecimento e o amor-próprio e a autoestima a todos os níveis, inclusive ao nível inconsciente. O amor perfeito expulsa o medo. Desse modo, esquecer o medo representa a maior contribuição na superação da doença, a reacção, a resposta que este corpo dá à mente e àquilo que ela pensa ou concebe.


Bom, precisaremos que entendas que os corticosteroides tais como os que estão aqui a ser usados não se destinam à cura da doença. Eles são imunodepressores, o que significa que simplesmente suprimem o teu próprio sistema imunitário, o qual de facto passado um período de tempo pode deixar-te o corpo disponível aos ataques provenientes de outros agentes externos. E com o sistema imunitário suprimido, não terás suficiente resistência para lidar com os agentes externos extra que te ataquem o organismo. Assim, à medida que o amor-próprio e a autoestima forem fortalecidos até à sua expressão mais elevada de modo a saturarem por completo a consciência com a valorização pessoal, queremos que te desabitues dos esteroides tanto quanto possível.


Entretanto é uma questão de treinares a mente e de teres de não haver nada realmente de errado com o organismo. Ele possui todos os sistemas no lugar. Tudo quanto é necessário à manifestação da cura e superação das perdas que foram alicerçadas com base na tentativa de experimentares martírio, o que quer dizer que haja uma porção de ti que possui suficiente amor e interesse pelos outros para que disponhas da tua própria vida na tentativa de ajudares os outros. Contudo, a disposição para o fazeres foi desviada pelo facto de não conter suficiente amor-próprio para viveres tanto por ti como pelos outros.


Ora bem, vamos aqui recomendar-te uma passagem abençoada da Bíblia, parafraseada justamente para ti, mas a ser usada como um mantra. A acrescentar ao programa da autoestima usa o mantra que diz simplesmente: “Eu viverei e não morrerei, mas viverei de tal modo que a minha alma glorificará o Senhor.” A repetição disso levará os níveis do corpo, que procuram morrer com base num sentimento, com base na crença da rejeição, fará com que esses níveis escutem que não albergas qualquer intenção de morrer nem de te destruíres. O mantra tornar-se-á poderoso com o uso, assim como o uso das fitas de áudio subliminares juntamente com a leitura das transcrições.


Aceita isso de todo o coração e usa-o de modo eficaz e regular, e a disciplina que te permita que a parte da tua mente que combate a sugestão seja em breve superada em função da positividade e da natureza encorajadora das sugestões que usares de forma auditiva e subliminar que aprenderes a compreender.


Pergunta: Sinto não poder ser curada por não conseguir amar-me. Se conseguisse sentir amor por mim própria, conseguiria amar os outros. Se tiveres mais algum comentário a fazer sobre como poderei ter amor por mim própria, no sentido verdadeiro…


Resposta: Cremos que demasiados tenham tentado voltar-se para o amor-próprio como se pudesse ser conseguido carregando num interruptor de luz. Precisamos de um período mínimo de nove meses (que representa a perfeita gestação de uma nova vida) para programarmos o consciente para que tenha amor-próprio genuíno e real destituído de dúvidas e que constitua um apoio para ti a todos os níveis. Depois, conquanto haja outras abordagens ao amor-próprio e ao sentido de valor pessoal, cremos que este seja o melhor método a usar, em particular por causa dessas mensagens subliminares que ultrapassam qualquer resistência originárias dos sistemas de crença existentes na mente. Desse modo, o que será construído não será um falso sentido de segurança mas uma noção bem real e genuína de amor-próprio, valorização pessoal, dignidade e confiança, de poder de curar tudo quanto se ache dentro de ti.


Pergunta: Graças à minha mãe, encontro-me ainda viva. Que poderei fazer pela minha mãe que já está com oitenta anos de idade?


Resposta: Deves representar uma verdadeira fonte de gratidão, de apreço e uma tentativa de a ajudares a sentir-se apoiada por todos quantos fazem parte da família, auxiliando-a em particular a superar a tristeza e a frustração respeitante aos membros afastados da família. Ensina, tanto quanto te for possível, a perdoar, de modo que ela se possa perdoar a si mesma e aos outros pela capacidade que tem em expressar amor e apreço por ela própria. Sê uma fonte de apoio para ela, para que possa experimentar um sentido de gratidão mas, mais que tudo quanto possas fazer por ela, ou a ela directamente, cura-te. A mais viva experiência de alegria que ela poderá sentir virá de ver-te com um rosto e uma linguagem corporal e uma atitude que possa reflectir verdadeiro amor-próprio, auto-confiança e valor pessoal. Desse modo poderás curar-te tanto por ti com por ela, o que se estabelecerá até no fortalecimento dela e na criação de uma condição de paz e de harmonia, de equilíbrio na vida dela, mais do que qualquer outra coisa que possas fazer.


Sê, nesse sentido, divinamente egoísta, o que quer dizer que deves apreciar-te o suficiente para não desistires de ti própria ou da tua vida por outra pessoa. Por não ser necessário. Darás mais vida aos outros se deres mais vida a ti própria, e egoísmo divino resulta da ausência de ego, quando a amor incondicional para contigo for finalmente alcançado.

Pergunta: Actualmente, encontro-me a viver com a minha mãe e a família do irmão dela. Que poderei fazer para que esses cinco membros da família possam viver felizes e em harmonia?

Resposta: Deixa-te inundar de alegria a toda a hora. Começa a exibir interesse pela vida sob todas as formas e em particular começa a cultivar plantas. De momento ser-te-á mais fácil sentir amor pelas plantas, pelas coisas que crescem, do que teres uma noção segura no teu íntimo de teres suficiente amor por ti e pelos outros. Aceita as plantas e tem amor por elas. Ama-as e cura-as. Vamos a ponto de sugerir que comeces seriamente a pensar em estudar o bonsai, as árvores em miniatura, de forma que isso te restitua amor de uma forma absoluta e incondicional e tenhas apreço pelo teu toque e a cura que lhes transmites.

À medida que aprenderes a curar as plantas e lhes transmitires o amor e a atenção que sentires por elas, e sentires o amor proveniente delas, de modo que as plantas possam ser mantidas nas proximidades quando estiveres a dormir - embora a maioria das criaturas bonsai devam ser mantidas fora de portas, elas podem ser levadas, de uma forma rotativa, a partilhar a tua vida e a sua saúde contigo, à medida que aprenderes a moldá-las e a curá-las. Elas devolver-te-ão gratidão e amor, que te auxiliará ao processo de cura.

Agora, à medida que começares a evidenciar sinais de que aprecias mais a vida, reduzirás muita da tensão que foi acumulada na família e poderás então ajudar a encorajar a tua irmã e aqueles membros afastados da família. Começa cuidadosamente a dar atenção e a ter carinho por eles, e pratica mesmo a concentração no cunhado e em todos os membros da família que passem por dificuldades, seja de que tipo for, uns com os outros. Imagina os rostos deles e comunica com as suas mentes, dizendo: "Eu amo-te; eu interesso-me; eu quero ser portadora de paz, de harmonia e de equilíbrio na vossa vida. Aceitem-no da minha parte, e comecem a ter consciência que que sois amados e apreciados." Põe isso em prática. Na cura que transmitires aos outros também trarás cura a ti própria. E a situação familiar tem necessidade de tal cura, na sua totalidade. Contribui para essa cura e desse modo contribuirás para a tua própria cura.

Pergunta: Dado que a minha mãe se encontra tão envelhecida, preocupo-me com o meu futuro. Que deveria fazer para preparar o meu futuro?

Resposta: Bom, já estás a fazer muito. Encontras-te-empregada e o trabalho que empreendes é válido e útil. Quereríamos que continuasses, por tanto tempo quanto possível, conforme sugerimos, a assumir o trabalho de jardinagem, em particular do tabuleiro de plantação de bonsai. Dedica-lhe amor, cuidado e paciência. Podes mesmo criar uma árvore específica e dar-lhe o nome da tua mãe. Tem um zelo especial por essa árvore com consciência de que o amor que lhe dedicares também será dirigido a ela e ao seu campo de energia e alegria. Também poderás criar uma árvore que te represente a ti, e cuidar dela enquanto a moldas com beleza e atenção, conforme desejares, do modo mais belo e que comporte o sinal de um forte carácter na concepção da árvore.

Uma palavra acerca da erupção de mãos e da pele, as manifestações do lúpus. Iremos precisar tratar disso de uma forma local com um esteróide que contenha flúor, chamado Lydex, um esteróide que se aplica a essas áreas. Por serem espessas não as poderemos reduzir com um tipo de esteróide mas antes os corticosteroides que contenham flúor.

(NT: Os corticosteroides são definidos como agentes esteróides que possuem acção antiinflamatória e imunossupressora, e que podem ser utilizados em inúmeras doenças na prática da médica diária)

que ajudarão na redução disso que chegaram a chamar verrugas, que de facto constituem em vez disso lesões causadas pelo lúpus. Isso poderá ser controlado com uma aplicação local de um esteróide que contenha flúor, que irá ajudar à manifestação física disso. Cuida de manteres a dose de subsistência da cortisona, pela razão de que em estados adiantados dessa natureza, até mesmo a mente, as emoções, a sensação de depressão poderão sair afectadas.

Desejamos que o teu pensar, a tua mente e o teu coração venham a ficar repletos de alegria e de amor por ti própria, e desse modo superes a tendência para adoptares repostas de imunidade a ti própria. O teu próprio sistema imunitário, que deveria atacar agentes invasores, ataca os teus próprios tecidos corporais e células, e isso é controlado pelo uso suficiente de esteróides - não curado, mas controlado. A cura, pois, virá da aceitação irrevogável, plena e incondicional, dotada de amor e de apoio por ti própria, e nós gostaríamos de falar disso igualmente.

Alguém que tenha desenvolvido suficiente amor-próprio e autoestima para superar uma manifestação como esta, tornar-se-á numa força poderosa importante para que os outros aprendam os efeitos e o resultado do estabelecimento da dignidade própria e da autoestima. À medida que cresceres na alegria, começarás a influenciar a cura noutros do mesmo modo que em ti própria. Por conseguinte, cura-te a ti mesma e ao fazê-lo ajuda os demais a compreender a natureza e a maneira e a eficácia do Programa da Autoestima. Permite que as pessoas tenham conhecimento da sua eficácia por meio de uma resposta que suscites em ti própria antes de mais, e à medida que as pessoas se forem tornando curiosas acerca do enorme sentido de felicidade que tiveres, de amor, de autoestima, elas passarão a fazer perguntas. Isso representará a tua oportunidade de partilhares do dom de cura que te é estendido com quantos dele careçam também. Deixa que essa experiência te afaste de uma maldição ao superá-la pelo poder do amor.




ALGUMAS DAS CAUSAS DAS DORES DE CABEÇA


Sob estados de emoção, tens uma enorme tendência para te conteres, para engolires, sentimentos e expressões. Ao fazê-lo, à medida que o corpo, a mente, a personalidade se censura quanto ao que seja permitido expressar, as eliminações naturais são bloqueadas, e quando isso ocorre na emoção e na personalidade, também o corpo passa a responder na mesma moeda.


Neste caso, isso resulta no alongamento do cólon em certos sítios que levou à criação de pólipos ou bolsas, sujeitos a uma colecção de toxinas durante prolongado período de tempo, que depois são absorvidas e produz essas dores de cabeça tóxicas.


Trata da tua expressão pessoal, expressão essa que não passa por libertares simplesmente todas as emoções que sintas. Não estamos a sugerir que evites a censura dessas expressões mas em vez disso que optes por expressar, pelo menos para ti próprio, nas tuas meditações, nas tuas orações, nos períodos de tranquilidade, que te tranquilizes com relação à tua decisão de te expressares ou de conteres a expressão.


Agora, permite que façamos o seguinte comentário: Não é a retensão de uma expressão que causa dificuldade. Não é a recusa de expressar uma emoção que causa o agravamento da tensão nos músculos do corpo que suprime a eliminação. É, ao invés, a recusa de comunicar contigo com respeito a tal censura. É um ressentimento acumulado contra aqueles de quem ocultas a emoção. Essas coisas afectam o organismo.


Considerando isso, concede a ti próprio um pouco de gentileza. Concede a ti próprio uma forma qualquer de aprovação ou mesmo de louvor, por te restringires quando o fazes, em vez da crítica pessoal por que digas a ti própria: “Eu devia ter dito isto,” ou, “Eu devia ter feito aquilo.” Em vez dessas declarações de pesar, tranquiliza-te como se estivesses a falar para uma criança, dizendo a ti própria: “Eu contive a expressão de raiva, ou de dor ou de emoção ou a repreensão que sentia. Eu contive-a por ter achado que seria melhor na altura, por não ter querido chatear a outra pessoa, ou a situação, mas tranquilizo-me por ter sido sensato ao conter tal expressão, e permiti-me aquilo que poderia ter dito, o que possa ter pensado, o que poderia ter expressado.”


Estamos simplesmente a dizer que essas coisas podem ser resolvidas em ti. Trata-se de uma recusa de expressão, seguida uma recusa de admissão da expressão que causa a tensão, o aperto. Isso, por si só endurece os músculos das costas e do pescoço, e por reflexo, os músculos da cabeça. Uma combinação de tensão e de toxinas.


CONTROLO DO HÁBITO, CIGARRO E PESO

Comecemos aqui por compreender que não existe possibilidade de interrupção de um hábito, excepto substituindo-o por um outro. Depois, torna-se importante compreender que, deixar de fumar, representa somente metade do que deves fazer para te tornares não fumador, para que não padeças dos efeitos nocivos da descontinuidade do hábito.


Pode ser referido enquanto Lei Universal que um hábito deve ser substituído por outro. Depois, onde existir um vazio na substituição de um hábito específico com algo de novo, dar-se-á uma tentativa da parte do corpo para compensar um apetite que parece inconsciente ou da mente simples para provar a satisfação de um apetite sem o substituir.


Depois, sugerimos estas coisas que sem dúvida irão permitir-te criar e sustentar o peso ideal à altura e ao porte, assim como à taxa metabólica que tens. Bom, começa do seguinte modo: Primeiro, jamais uses uma dieta que te deixe a sentir-te esfomeado, seja em que altura for. Tais dietas são autodestrutivas em todos os casos. Por outro lado, pratica as seguintes sugestões: pela manhã, ao acordares, ingere umas 30 gramas de sumo puro de uva, tal coo o Welsh, com o fito de elevares ligeiramente os níveis da glucose no sangue, de moco que o estímulo do apetite seja desactivado antes do comer. Em segundo lugar, toma sempre uma refeição ao pequeno almoço. Come o suficiente para te satisfazeres e come somente quando sentires fome, sem que o faças de acordo com o regime da manhã, meio-dia, final da tarde, mas antes somente quando sentires uma sensação de fome. Por uma questão de hábito não estabeleças refeições em horários fixos do dia. 


Come sempre que sentires fome. Jamais negues a fome. Contudo, assim que tiveres a sensação de fome, em qualquer altura que seja, toma um gole – menos que 30 gramas de sumo de uva. Ora bem, há outros sumos que podem ser usados, mas o mais eficiente é o sumo puro de uva. Uma alternativa seria o sumo de toranja. Quando sentires um pouco de fome, bebe um gole de sumo e mantém-no na boca debaixo da língua durante algum tempo de modo que a frutose natural do sumo possa entrar na corrente sanguínea e não através do estômago. Isso irá desactivar o estímulo do apetite. Contudo, come sempre antes mesmo de tomares o sumo. Permite que a ingestão do sumo leve alguns minutos - até uns vinte minutos – antes de ingerires outros alimentos. Mas não esperes tanto a ponto de a fome aumentar. 


Depois faz também o seguinte: Tem sempre à mão vegetais sob a forma de bastões, talos de aipo, palitos de cenoura, estende isso mesmo a coisas do tipo nabos, batata-doce, brócolo, couve-flor e tanto vegetais quantos possas pensar, que consigas ingerir crus. A única excepção que salientaríamos quanto a isso seria a batata branca, quer Irlandesa ou do Idaho, mas a batata-doce ingere-se bem crua. Depois, quando tomares esses vegetais aos palitos, mantém-nos entre os dedos, à maneira que manténs o cigarro. Todavia, antes de dares uma mordida no vegetal, segura-o entre os dedos e coloca-o na boca à maneira de um cigarro, inspira fundo, inspira profundamente e de uma maneira satisfatória e diz para ti próprio ao mesmo tempo: “Estou a inalar pura energia vital, Prana, o Sopro Divino, o sopro da vida, e para mim isso é satisfatório.”


Por vezes quando não tenhas mesmo vontade de comer, permite-te responder ao mecanismo de accionamento do acto de levar a mão à boca, de inspirares prolongada e profundamente até te sentires satisfeito e fala para ti próprio acerca de como desfrutas dessa inalação satisfatória. Assim se substituem os mecanismos de acção de um velho hábito ao mesmo tempo que se dissocia esse hábito tanto quanto possível com comida. Associa-o a uma profunda inalação de ar fresco e faz sempre isso antes de comeres.


E tanta vez ao dia quanto possas ser levado a pensar quer em comida quer em fumar, em particular um momento de frustração ou de preocupação, leva a mão à boca e inspira profundamente e volta a exalá-lo com um sopro que te leve a sentir descontraída e satisfeita. Depois, quanto à dieta em si mesma, nunca comas menos que aquilo que quiseres. Em vez disso toma tanto quanto sintas necessitar para te sentires plenamente satisfeita à refeição. Considera afastar da dieta unicamente aquelas coisas que contenham gorduras e lípidos em excesso, em particular óleos de fritos aquecidos de todo o tipo.


Importa que ingiras algum azeite, sempre extra virgem, na quantidade de uma colher de sopa ou duas por semana, mas nunca aquecido. Pode ser tomado, além disso, em saladas ou mesmo directamente numa colher de sopa, embora não seja tão agradável. Jamais utilizes óleos tropicais para fritar. Usa somente azeite extra virgem no que quer que comas. Depois, põe de parte aqueles artigos alimentares que saibas conterem elevadas calorias ou que sejam prejudiciais por outras formas à dieta. Pega em coisas salteadas de que desfrutes. É esse o princípio que estamos a transmitir. Não reduzas a quantidade do que estiver a ser tomado. Exclui somente aqueles artigos que não sejam altamente eficazes na produção de energia e de vitalidade sem que proporcionem igualmente calorias extra, colesterol ou glicosídeos. Faria bem se eliminasses o açúcar de outras formas de dieta. Suficiente açúcar será ingerido no sumo puro de uva.


Todavia, vemos nas tentativas de controlar o peso um perigo ou uma preocupação. À medida que flutua, estabelecem-se condições para o diabetes e a hipoglicémia. Por tal razão, estabiliza o peso. Nunca te permitas sentir-te privada. Escolhe somente aquelas coisas de que gostes, mas açúcares somente os que decorrerem dos alimentos, e isso será suficiente. Evita aqueles alimentos que contenham calorias em número excessivo. Satisfaz-te sempre à refeição, e mesmo entre as refeições. Se tiveres fome, interroga-te se a compulsão que sentes para comer qualquer coisa será fome ou insatisfação. Caso se trate de uma vaga insatisfação, usa primeiro o mecanismo de acção de levares a mão até à boca com um profundo suspiro e uma satisfatória inalação de ar, desde que consideres o que for mais limpo, puro e sadio, a despeito das concepções da poluição existente no ar, o teu corpo é capaz de lidar com isso. Inala esse ar como se fosse Prana e como uma fonte de energia.


Agora, junta a isso o sumo de cenoura uma vez ao dia, e somente alguns gramas. Isso destina-se a aumentar a vitalidade e a energia que buscas. Usa aquilo a que chamam de Atomidine do seguinte modo: Despeja uma gota em meio copo de água por dia durante sete dias. A seguir abandona essa prática por sete dias e volta a repeti-la volvido esses período. Bom, há duas razões que apresentamos para isso. Primeiro, para estimular a tireoide e aumentar a taxa metabólica de modo a queimar calorias de uma forma mais eficaz, por meio do corpo e da taxa metabólica. Em segundo lugar, isso serve de estimulante para o sistema endócrino por te transmitir uma maior sensação de energia e de vitalidade e não só psicologicamente, porque fisicamente tornará a fonte de energia mais imediata.


Depois, entende igualmente que a sensação de maior vitalidade para fazeres o que precisas fazer num dia depende mais do entusiasmo relativo ao que fazer do que do consumo de qualquer outro tipo de alimento ou estimulantes. Mas nós não empregaríamos mais nenhum estimulante além do Atomidine, que estabelecerá uma taxa metabólica ais elevada e rápida. Compreende que também deves praticar exercícios físicos com o corpo diariamente. Fica sabendo igualmente que queimas mais calorias com a actividade mental do que com qualquer actividade física por a tua mente se achar activa, propositada e curiosa. Utiliza a capacidade que tens de te concentrares e de compreenderes que a actividade mental, o exercício mental é tão efectivo no consumo (queima) de calorias quanto o exercício físico. Contudo, a tonificação dos músculos e a conformação ou modelagem do corpo físico são importantes no estabelecimento e sustentação de um nível específico de peso.


Agora, mais importante que qualquer outra acção, é convencer a imagem corporal que tens, criar uma imagem pessoal que não compreenda um aumento de massa mas ao invés, a imagem pessoal esbelta e saudável que buscas. O corpo processará a quantidade de calorias necessária para suportar a imagem pessoal, não necessariamente para suportar o tamanho do corpo mas antes para suportar a imagem pessoal. Depois, seria melhor que olhasses para ti e te considerasses leve, esbelta, saudável, dotada do peso certo e da altura adequada. Mas jamais te preocupes por ter largura ou peso a mais.

A preocupação, o diálogo interno, com respeito ao corpo, e com respeito ao peso levará a mente que não pensa, conforme chamaos ao inconsciente e ao subconsciente, apoie a imagem que tem de ti. O factor mais importante na sustentação do tamanho apropriado passa por te encarares desse tamanho e não dares energia à preocupação inconsciente relativa ao peso ou proporções. Compreende que quanto mais preocupação expressares no diálogo interno que estabeleceres na tua mente com respeito ao tamanho e ao peso, maior dificuldade terás em manter o meio-termo ideal. Assim que tiveres estabelecido uma imagem pessoal que se ache em harmonia com o teu corpo, o controlo do peso tornar-se-á bastante automático.


Assim, temos estas duas questões, conforme sugerimos: Uma, substituir aquilo que retiraste à consciência, à mente – em termos de hábito – ao teres desistido de fumar. Vamos substituir isso, entendes? Depois, vamos aumentar a taxa metabólica. Altera a profunda preocupação que sentes em relação à imagem pessoal que tens. Não te preocupes com isso. Não “fales com os teus botões” com respeito a isso. Controla os níveis de açucar do sangue e mantém-nos tão próximo quan to possível do normal durante o dia, de modo que não se dêm oscilações. Não queremos desencadear uma reacção diabética em relação a isso, e as dietas que os deixam a sentir fome, de facto colocam consideravelmente em perigo uma reacção diabética ou hipoglicémica. Desse modo, mantenhamos o nível do açúcar no sangue. Usa um pouco de sumo para controlares o apetite.


E vamos explicar um pouco mais somente o seguinte: Durante o período de tempo que te leva a comer, a reacção do açúcar no sangue não se mantém a par da taxa da ingestão dos alimentos, razão porque recomendamos que tomes algum sumo de uva, o qual contém um enorme conteúdo de açúcar, vinte minutos ou mais antes de começares a comer. Comer até te sentires satisfeita levar-te-á a comer em demasia antes que o nível do açúcar no sangue atinja a taxa que te desligue o alarme do apetite. Assim, toma o sumo antecipadamente e come devagar. Sugerimos até estas duas coisas ao comeres: Come com pauzinhos em vez de comeres com garfo, e come com a mão esquerda. Essas duas coisas alterarão a atitude relativa ao alimento e à taxa de ingestão do alimento de forma que o nível de açúcar no sangue atinja a satisfação antes da refeição ser levada a ponto de te deixar satisfeita. Não te permitas ficar com fome. Sê generosa contigo própria. Toma essas coisas por serem salutares e satisfatórias ao mesmo tempo. Isso corrigir-te-á a situação.

Sem comentários:

Enviar um comentário