sábado, 27 de junho de 2015

ADVERTÊNCIAS RELATIVAS AOS MEIOS DE INFORMAÇÃO




Achamos que a televisão, os jornais, a rádio, as revistas, tais formas de comunicação existentes no vosso plano reflectem a natureza do vosso pensamento. Aquilo que chegou a tornar-se doença, é comummente transmitido através dos media aos vossos corpos. Não apregoamos a condenação, mas procuramos que tomem consciência do facto de se terem entregue ao controlo de outros ao receberem pessoalmente tal informação sem discrição, em especial aquilo que consideram entretenimento.

Agora; se quiserem compreender-se, vejam a dieta que ministram à mente subconsciente. Tenham atenção por aquilo a que assistem e por aquilo com que se entretêm. Encarem isso como alimento que assimilam no sentido do crescimento espiritual. 
...


Estão cientes de que as notícias propagadas por meio de jornais são virtualmente obsoletas. Mas fiquem cientes de que os meios de informação do futuro serão de cunho bastante pessoal. As pessoas possuirão terminais, e a informação poderá ser acedida a partir de qualquer ponto do planeta, dia e noite, por meio de um interface com uma biblioteca que é mantida actual 24 horas por dia. Programas de notícias que tais virão praticamente a desaparecer. Outras formas de publicação dos media relacionar-se-ão mais com o entretenimento do que com o acesso a informação e a notícias. Fiquem cientes de que por volta da virada do século, o homem terá cultivado uma lei de telecinesia (NT: A faculdade de deslocar objectos com o poder mental, em suma) através da qual a mente poderá facilmente manipular o movimento de uma máquina do mesmo modo que essa mesma mente é capaz de mover o próprio cotovelo ou joelho. O conhecimento de tal faculdade é antigo, e procede por meio da compreensão dos cristais multifacetados.




Achamos que aquilo que se manifesta por essa via, no vosso plano, reflecte a natureza do pensamento prevalecente neste plano. Aquilo que vem a tornar-se doença é passado muitas vezes por intermédio desses meios de informação. Não pregamos o julgamento mas que procurem ter consciência de outorgarem o vosso controlo aos demais ao acolherem em vós, sem procederem a uma triagem daquilo em que devem acreditar e que devem aceitar, daquilo que acham que pode constituir um entretenimento. Se quiserem compreender-se prezem por uma dieta que lhes nutra a mente subconsciente. Tenham atenção por aquilo a que assistem e por aquilo com que se entretêm. Vejam igualmente se o que assimilam os nutre espiritualmente.



ACERCA DE UM SISTEMA EDUCATIVO MELHOR

Olhai em particular para o trabalho de pesquisa obtido no campo cognitivo. Os vossos sistemas educativos, em particular no Japão, baseiam-se muito mais naquilo que devem saber do que no “como” saber. Ensinem os vossos filhos muito mais “como” aprender e “como” pensar, ao invés do que aprender e o que pensar. Considerem uma fórmula que refeririam em termos de “yin e de yang e de aspectos de interesse.” Ensinem os vossos filhos a cultivar os pontos de excelência as vantagens da decisão. A seguir considerem os contras, os inconvenientes de toda a decisão. 

Considerem ainda os aspectos interessantes das vantagens, e dos contras: o “yin e o yang.” Debatam estas coisas com os jovens em cada decisão que tomam e que eles tomam.


Mais ainda do que isto, aprendam a colocar a ênfase na utilização de ambos os hemisférios do cérebro, e mantenham a imaginação e a intuição activas. Aprendam a utilizar a música e o ritmo em segundo plano a fim de abrirem a mente inconsciente e de absorverem a informação. 
Aprendam com Montessori, aprendam com o exemplo das técnicas de aprendizagem das Escolas de Mistérios que existiram ao longo das eras: isso deixará a mente aberta para um pensar e uma criatividade mais abrangentes, que são necessárias e essenciais neste tempo actual.


Descartem o ensino de bem e de mal e em vez disso estabeleçam causa e efeito: consequência de toda a acção. E do mesmo modo que as demais nações, esta nação precisa aprender vias alternativas. As crianças precisam aprender a evitar pensar nos seguintes termos: “Vou fazê-lo deste modo por sempre ter sido feito assim.” A criatividade provém da consideração de alternativas, de novas maneiras de pensar e fazer. Encorajem as técnicas de desenvolvimento da mente genial, a maneira, o método do pensar genial.






OVNIS

Pergunta: Por favor, fala-me do relacionamento que tenho com a minha mãe e com a minha irmã. Elas têm muito de psíquico e já passaram por muitas experiências místicas.


Resposta: Precisamos olhar além das palavras para entender as perguntas que fazes. Vamos abordá-lo da seguinte forma: Vocês as três foram treinadas como oráculos, numa época muito antiga da Grécia. Aquela que é agora tua mãe era referida nessa época como Pitonisa. Foi um período de muitas lições, por vocês terem aprendido muito com a experiência de abandonarem o corpo e de viajarem fora dele.


Vocês aprenderam muito com respeito a penetrarem em estados profundos de transe e a ser guiados através de diversos planos de existência. Eram-lhes colocadas perguntas, e coisas do género. Isso representava porções do treino. Contudo, lá pelo final desse período, quando a iluminada passou dessa área, a escola começou a cair na decadência e tu foste usada por alguns sacerdotes que nem sempre agiam com a melhor das intenções e mente. Por essa razão desenvolveu-se em certa medida, em ti, na alma, porventura em menor escala por ter ocorrido uma certa cura, mas durante um certo período de tempo implantou-se na tua psique um enorme medo de tudo quanto fosse psíquico ou místico.


Bom, nesse período deu-se nesta terra (Japão) a introdução de uma forma mística de Budismo que não tinham conhecido antes. O sacerdote que estabeleceu essa seita de Budismo era ele próprio um místico, um orador e tanto, um pregador, por assim dizer; até mesmo um evangelista no sentido de se deslocar por aqui e por ali por entre as ilhas, e com o carisma que tinha atraia muita gente a essa forma ou seita de Budismo. Sob a sua orientação e acção pela primeira vez foi introduzido no Budismo a doutrina de que podiam comunicar com o cosmos, com o Grande Espírito Cósmico ou o próprio Cosmos, que nos seus ensinamentos era considerado como uma forma do Buda.


Talvez devêssemos mais claramente dizer que, ao ensinar Budismo, ele ensinava que o Buda se tinha tornado uno com o cosmos, e encorajava aquela gente a colocar questões e a aprender a dar ouvidos e a receber as respostas.


Essa seita do Budismo exerceu influência em vós as três nesse período e o relacionamento que tinham alterou-se, por aquela que agora é tua mãe ter sido a essa época a mais nova das irmãs. Contudo, estiveram de novo juntas. Bom, devíamos aqui esclarecer que na Grécia não tinham uma relação de mãe e de filhas. Ela era a mestra, a pitonisa, e vós as duas (a tua irmã e tu) eram neófitas que se submetiam ao treino de oráculos. Com o passar do tempo tornastes-vos numa família Agora, essa seito do Budismo renovou em vós as três a capacidade, a memória da alma de que é possível fazer perguntas de qualquer natureza e com qualquer propósito conquanto essas perguntas tenham um objectivo que vá além da mera curiosidade. Vocês conseguiam dirigir-se ao cosmos e receber uma resposta. 


Agora, essas experiências, prepararam-te para aquilo que estás a experimentar agora, nesta vida, já que vocês as três se acham juntas na qualidade de família. Cada uma de vós trouxe de vidas passadas uma enorme dose de sensibilidade. Frequentemente consegues ver através do véu, conforme é dito, ou além do véu. E é isso o que ocorre quando vês o que é designado nas tuas perguntas por Ovnis. Gostaríamos de sugerir em vez disso que rejeites tal expressão (ovnis), por não se tratar mais de Objectos Voadores Não-Identificados. De facto trata-se de naves interdimensionais. Em vez de serem objectos voadores que percorrem enormes distâncias da terra até aos outros planetas ou ao sol, ou até às Plêiades, ou através do Cosmos, essas luzes – conforme as chamaremos de momento - são naves interdimensionais que quando se encontram verdadeiramente preparados significam uma reestruturação literal do vosso corpo físico. E isso não é coisa pouca. Mas nas situações em que se acham preparadas, podem entrar numa dessas naves interdimensionais.


Mas gostaríamos que entendesses – é difícil explicar como o tempo e o espaço se acham tão estreitamente relacionados no sentido do tempo ser uma ideia, um paradigma avançado pelo homem para referir o movimento físico de um ponto a outro distante. Mas o homem arquitetou as suas ciências com base na crença de que a distância entre os objectos estelares, o planeta, o sol e as demais estrelas, implicam enormes distâncias entre si. E para se deslocarem de um para outro é necessário dispor de tempo que esses cientistas acreditam constituir um absoluto, o tempo que é requerido à luz para viajar dessa distância até este local, de modo que se tivesses uma nave que conseguisse deslocar-se mesmo à velocidade da luz, levaria vida após vida passar de numa galáxia a outra numa tal primitiva dessas.


A nave interdimensional todavia, não se envolve com o tempo nem com o espaço. Isso não passa de medições, ficções oriundas da capacidade que o homem tem de fazer sentido do mundo em que vive, da sua realidade. O tempo de facto não existe, nem tampouco possui o espaço qualquer relevância. Se tu penetrasses numa nave dessas e mudasses de dimensão, não te seria necessário viajar para encontrares um ponto de chegada, por deixares de te encontrar aqui para passares a encontrar-te lá, sem que tivesses percorrido qualquer distância intermédia. Não existe qualquer distância ou tempo. As naves dimensionais chegam ao mesmo tempo que partem, mas só quando é permitido que sejam reveladas a determinados indivíduos é que chegam a ser vistas, devido a que no modo que viajar que adoptam elas não voem nem mesmo a velocidades elevadas, por não envolver qualquer questão de voo.


Elas podem voar através desta atmosfera que pensam em termos de espaço e de tempo, elas são capazes disso. Mas assim que desejassem passar desta galáxia, desta terra ou sistema solar para outra, elas não voam dessa forma. Simplesmente cessam a presença aqui e iniciam uma existência lá em simultâneo.


Ora bem, uma explicação destas pode ser insuficiente e pode mesmo soar bastante estranha ou a ficção científica a muita gente. Mas há a ideia de que compreenderás aquilo qe que falamos. Também desejamos dar-te uma palavra de aviso. Não temos qualquer propósito de criar medo, por o medo ser perigoso. Ao mesmo tempo queríamos que soubesses que existem naves que que não se destinam ao contacto com o ser humano, e que não resultam no melhor dos interesses que os homens interajam com elas. São menos desenvolvidas e são mesmo conhecidas por – por falta de melhor termo – “raptar” as pessoas e levá-las para bordo para lhes examinar o corpo, em particular a fim de compreenderem o sistema reprodutor e em seguida para procurarem apagar as lembranças de tais incidentes ao regressarem.


Ora bem, essas não são experiências boas nem saudáveis e devem procurar evitá-las. E se as evitarem usem um escudo qualquer conforme aqui é usado, que traga gravados arquétipos antigos de protecção, que é activado por um campo de forças que tu própria crias ao teu redor ou com que o permeias todos os dias para que passe a proteger o corpo, a mente e o espírito do contacto com qualquer nave que não tenha a melhor das intenções.


Pensamos que isto seja suficiente quanto à experiência do ovni por que passaste, de momento. Só te recordaremos que isso se deve ao facto de amiúde conseguires ver através do véu e o que vês serem luzes, seres que também se acham próximo do véu que procuram ver nesta dimensão.


Pergunta: Comenta, se fazes o favor, o sonho que tive a 30 de Outubro de 1990. Ouvi uma voz vinda do céu que me disse: “Reflecte profundamente em ti e tenta estabelecer a Utopia nesta Terra.” (Ela viu uma catástrofe que se abatia sobre esta Terra.) A seguir a voz disse: “A partir de hoje anota todos os sonhos que tenhas no teu diário de sonhos.” Por favor, relaciona este sonho e diz-me o que significa e relaciona-o também com a missão que tenho nesta vida.


Resposta: O sonho é de um evento catastrófico nesta Terra A voz de aviso falou em criar a Utopia. Temos o sonho e o objectivo assim como a referência.


O que aqui tens é o facto de por toda Terra, por aqui e por ali, em 
muitas mais partes do que aquelas para que poderás sentir-te inclinada a pensar, há indivíduos que se estão a abrir para com o vasto cosmos de que falamos naquele caso da seita mística do Budismo. Mas não estamos a limitá-lo a uma religião nem a uma fé. Estamos a dizer, ao invés, que o cosmos falou e disse: “Reflecte profundamente em ti, na tua vida, e no propósito que tens. Que realizaste ao teres aqui estado?” E mencionou a possibilidade da Utopia, que muitos desacreditaram como uma impossibilidade, mas falou da responsabilidade de criar a existência de uma utopia.


Ora bem, essa foi uma mensagem que foi apresentada em sonhos, visões e outros meios a muitos por todo o globo, a qual essencialmente procura comunicar o seguinte: Deve ser implementado nuns quantos indivíduos um restabelecimento da própria natureza e estrutura do cérebro. O cérebro tal como se apresenta actualmente, acha-se fendido em dois hemisférios que só comunicam um com o outro na base. E essa parte da ligação entre os dois cérebros que forma a base, representa uma experiência antagonista, um argumento e aquilo que é referido por diálogo interno.


Vós pensais falando sozinhos entre ambos os hemisférios. Há quem seja dotado de natureza mística e entretenha os mais elevados ideais de perfeição para a humanidade. Esses são chamados a reunir-se com o propósito de construírem uma cobertura sobre o topo desses dois hemisférios, estabelecendo uma ponte sobre esse enorme fosso, corrigindo-o conforme os termos empregues na Bíblia, entre esses dois cérebros existentes do crânio humano. Quando for estabelecida uma ponte sobre ambos esses hemisférios, dar-se-á um clarão de luz de um polo ao outro. Esse clarão tornar-se-á numa coroa de luz, e o cérebro ver-se-á unificado sob essa coroa de luz que assenta sobre a parte superior da cabeça e que pode chegar a ser percebida (vista) por alguns, e não por outros. Essa coroa de luz constitui a coroa da iluminação.


Agora, somente um ser humano dotado de uma estrutura cerebral perfeita poderá compreender a existência de uma Utopia. Somente um ser com um cérebro assim fixado, um cérebro que se ache uma vez mais em (perfeita) sincronia, transformado ou mesmo transcendido permitirá que as pessoas, os cientistas possam criar uma energia não destrutiva para a Terra, uma energia livre de modo a poderem usar a energia que os rodeia e convertê-la na natureza do que é necessário.


Bom, para um indivíduo desses, que tenha criado e experimentado e que use a coroa de luz, não existe impossibilidade alguma. Isso representa o estabelecimento de seres eternos naquilo que é chamado Nova Terra e Novo Céu. Agora, àqueles que se consideram sagazes parece muita vez estranho que o vasto cosmos fale através de termos oníricos e metáforas e comunicados esclarecidos junto dos jovens e dos inocentes ao invés dos altamente treinados. E a pergunta que se coloca é: Porquê? Porque haveria o incomensurável cosmos de eleger alguém como eu com um propósito de me juntar àqueles que devem criar a Utopia? E a resposta assenta no facto de que só aqueles que possuem uma mente muito idêntica à das crianças poderão aceitar, perceber, imaginar, visualizar ou sequer compreender, acreditar numa tal possibilidade. Foi por essa razão que foi referido pelo Mestre dos mestres: “A menos que vos torneis como crianças, não podereis penetrar no reino da Utopia.”


As crianças não consideram a impossibilidade. As crianças acreditam poder fazer todas as coisas, ter todas as coisas e ser todas as coisas. Elas pensam sem limites. Assim também são aqueles que são escolhidos para receber a informação e a inspiração, o estímulo, que muitas vezes precisa ser traduzido e explicado e ensinado a ser levado aos níveis em que deva ser posto em acção. Além disso, aquilo que te foi dito no sonho traduz uma declaração do propósito de vida. Tens por propósito de vida deter a destruição da Terra e criar em vez disso uma existência utópica, um novo céu e uma nova terra. A criança conduzir-te-á- Compreende isso e conseguirás compreender todo o resto.


Pergunta: por favor, revela-me algo acerca do meu espírito-guia e espírito protector.


Resposta: Bom, pois, preferimos fazê-lo do seguinte modo: Podemos referir de forma menos precisa que dentro de ti, por dentro e por fora da coroa da tua cabeça, existe já neste momento um Ser Divino que pode ser chamado Deus. É um ser mais elevado que os anjos e do que os espíritos sublimes. É a natureza da Fonte de toda a Criação. É o ser mais elevado, o Eu Superior, o Criador. Ele já existe como se fosse uma coroa que repouse sobre a tua cabeça. Essa presença, o Eu intrínseco, é um ser não-assertivo que age simplesmente na tua vida na maior parte do tempo como um observador que observa o que fazes e que não julga em termos de certo nem de errado. Ele simplesmente permite que aprendas a mover a matéria física e a mover-te para além da matéria por novos movimentos. Todavia, esse ser não agressivo que representa o Eu intrínseco, o Eu Superior, pode ser levado a ser assertivo por meio de um simples pedido. Essa é a função daquilo que as pessoas de índole religiosa chamam de oração. Mas esquece a oração em termos formais Convoca simplesmente a comunicação e o auxílio e a amizade da parte desse Eu Superior que se encontra em ti e que constitui a coroa do teu ser.


A acrescentar a isso, possuis ainda o que é conhecido por anjo da guarda. A natureza desse ser reside na protecção de toda a esfera da tua vida e não só do teu corpo físico, mas também as influências que podem ter lugar na área da protecção que tens. Esse espírito anjo da guarda não permitirá que qualquer acidente, mal ou destruição, ameaça penetre na esfera da tua existência, nem sequer na imaginação, a menos que a ocorrência desse perigo ou acidente sirva um propósito que te torne num ser melhor e mais elevado ao longo da tua experiência.


Desse modo, achas-te completamente protegida contra tudo o que possa resultar de forma derradeira em dano. O teu anjo da guarda não permitirá que ninguém aceda à tua vida a menos que precises conhecer essa pessoa. Poderíamos mesmo dizer neste instante que vós as quatro aqui presentes não se poderiam ter encontrado sem o acordo dos respectivos anjos da guarda. Esses anjos decidiram que precisavam conhecer-se umas às outras e desse modo permitiram que se reunissem desde pontos completamente díspares do globo. O anjo da guarda exerce uma esfera de influência dessas sobre ti e está presente quando o chamares e responderá.



VIAGEM INTERDIMENSIONAL 

Pergunta: Quando estava com dezassete anos fui atingida por um raio oriundo de um ovni. Também vi o mesmo objecto ou algo muito parecido. Que objecto terá esse sido e que influência terá querido transmitir-me?


Resposta: Achamos importante que compreendas algumas considerações básicas quanto a uma experiência tão invulgar quanto essa e as implicações que tem naqueles que se lhes sujeitam.

Entende, antes de mais, que a nave, se é que lhe podemos chamar tal coisa, devia ser considerada uma nave interdimensional em vez de uma nave espacial, o que implica que uma nave dessas, ou veículo, tenha viajado uma enorme distância que envolva espaço e tempo.


Precisaríamos considerar e compreender em vez disso, que a possibilidade de uma nave dessas penetrar na atmosfera da Terra, ou mesmo penetrar neste sistema solar, foi tornada praticável não pela construção de embarcações que viagem a uma grande velocidade. Precisas tentar perceber as naves interestelares ou intergalácticas que viajam no tempo e no espaço como algo artificial. São pontos de referência que a humanidade precisa considerar para entender, ainda que de uma forma vaga, a estrutura ou mesmo a natureza do Universo.


Agora, a nave que encontraste deveria ser considerada uma nave interdimensional, assim como deverias compreender que opera com base nos princípios de um universo Holográfico. Vale dizer, devido a que todo o corpo ou partícula - incluindo mesmo as expressões subatómicas da energia – tudo isso possui uma natureza holográfica. Em razão do que as mais diminutas estruturas do universo, assim como as mais amplas, carregam na sua própria natureza o holograma do universo.

Aqueles de outros sistemas, quer sistemas estelares, quer sistemas galácticos ou mesmo universos paralelos, aqueles que alcançaram a compreensão dessa construção holográfica e o conceito interdimensional, compreendem-no como o passo necessário para superar as limitações extremas impostas pelo tempo e pelo espaço, que tornam a chamada viagem espacial tão pouco prática. Aqueles, pois, originários de outros sistemas que estudaram e que atingiram um certo nível de conhecimento – e precisamos aqui realçar que há vários níveis de conhecimento e de seres de outros sistemas que tenham desenvolvido uma nave capaz de viajar de forma interdimensional – pelo que será digno de nota compreender que alguns desses seres inteligentes que usam tais naves são muito bem-intencionados; já outros não.


Jamais deveriam supor que esses criadores do que designam por “tecnologia superior,” sejam sempre seres de luz no sentido que gostariam que fossem. Precisam igualmente compreender que alguns desses seres criativos e inteligentes que desenvolveram uma tal tecnologia avançada a fim de produzirem naves interestelares ou interdimensionais ainda não são suficientemente sábios para usar essas naves de modo a beneficiar os seres vivos que possam encontrar nas viagens que empreendem.


Assim é que essa nave que encontraste se encontra em frequentes missões de pesquisa. Faz o favor de entender que o termo que empregamos, “missão de pesquisa,” implica fortemente que a nave se encontrava nesta dimensão e na posição em que a encontraste com o propósito deles aprenderem e compreenderem melhor os seres humanos que povoam este planeta Terra, por precisarem - a despeito da avançada tecnologia que possuem – de compreender a complexidade das formas de vida das diversas esferas de expressão universal.


Talvez sirva de ajuda descrevermos o sistema solar da seguinte maneira: Neste planeta particular possuem seres compostos da substância deste planeta. Este mundo particular produziu a vida que comporta pela interacção da água em estado líquido com o hidrogénio e o oxigénio em combinação com o solo e os seus nutrientes, formados com base no carbono, tudo quanto junto e diante da presença da luz - em particular e em especial à luz desta estrela conhecida como sol; ao se combinarem na presença dessa luz particular provocam uma reacção. Primeiro, uma reacção química, que é referida em termos de Fotossíntese, mas nessa reacção química entra a possibilidade da vida se manifestar no que é referido aqui como realidade tridimensional, ou mais apropriadamente, realidade de seis dimensões.


Assim, pois, enquanto seres desta Terra, que reúnem experiência através dos sentidos criados a partir da própria substância que pisam, possuem somente um ponto de referência: a utilização dos sentidos físicos a fim de experimentarem este mundo material, e a expectativa de visita de outros planetas deste sistema solar para encontrarem seres vivos compostos de uma matéria ou forma muito similar. Ainda assim, outros corpos existentes neste sistema solar não possuem as propriedades desta Terra, deste mundo, deste planeta.


Podiam considerar, por exemplo, a influência do maior dos planetas do sistema, ao qual se referem pela alcunha antiga de Júpiter. Conforme poderá ser documentado, ele possui um campo magnético fortíssimo, e o uso de um tal campo sobre um corpo material desses produz seres vivos que às criaturas da Terra poderão parecer extremamente achatados, no sentido de possuírem duas dimensões, como se fossem simples discos destituídos de profundidade, ou altura. De modo que seria quase impossível aqueles que habitam um corpo físico ver ou interagir, por se acharem submetidos a circunstâncias completamente diferentes. O mesmo acontece com os outros corpos como Saturno, Vénus e Marte. É claro que eles são habitados por vida, por seres vivos. Ao mesmo tempo, esses seres não foram moldados a partir do barro por os elementos activos nesses corpos não serem barro nem a água na presença da luz solar. Na expressão de Vénus, poderão ver o que outros, antes de vós, viram por meio de visões, ou aquilo a que alguns se referiram como salamandras, os “espíritos do fogo.” Claro que essa é a natureza da vida, seres vivos que habitam a superfície exterior e interior desse corpo celeste tão menos sólido.


Desse modo, aqueles que na Terra consideram a ciência, deverão atingir um ponto de entendimento e de conhecimento da coletânea física tridimensional composta pelos átomos reunidos em moléculas que compõem partículas aparentemente sólidas, e daí um corpo material – a humanidade e os pesquisadores devem abandonar a ideia de que os seres vivos em outras esferas sejam criados de forma similar, por não serem! Em resultado disso, os olhos compostos pelos elementos retirados do barro e as formações cristalinas, esses olhos veem aquilo que é composto de substância idêntica, sob circunstâncias similares, e o encontro de outros seres vivos muitas vezes responde pelo facto desses olhos físicos serem completamente incapazes de discernir forma e contornos dos seres encontrados.


Bom, descrevemos isso por estas palavras a fim de te salientarmos que os sonhos que tens tido, aquilo que pensaste serem sonhos, não eram no verdadeiro sentido da palavra sonhos, em absoluto, mas experiências. Experiências em que colocaste de lado o corpo físico e os seus sentidos a fim de usares um corpo mais subtil e sentidos mais subtis inerentes à própria vida, para viajares por entre dimensões e interagires. Tu foste capaz de o fazer unicamente por causa da nave interdimensional que descreveste como estando a lançar-te um raio de luz, ao ter estabelecido contacto contigo.


Porque, aquilo que tais naves têm em comum com a humanidade e a expressão material existente neste sistema solar, aquilo que tais seres possuem em comum contigo é luz e somente luz. Não os gazes, nem os líquidos, os sólidos, nem a estrutura das energias polarizadas, que sob certas combinações se expressam como átomos, moléculas e a estrutura da matéria. Assim, será possível que compreendas que o raio de luz lançado sobre ti tenha sido, e seja, a forma de comunicação superior mais conhecida que possua a mesma extensão que o Universo neste tempo?


Fotões, quantas de luz, são capazes de transportar mensagens, comunicados, capazes de assumir cargas eléctricas e propriedades eléctricas com cargas positivas, negativas e neutras. A luz que te foi lançada comunicou contigo no âmbito do quanta, os fotões que a compunham, ideias, inspirações, influências, que permanecem vivos até ao dia de hoje na tua consciência de uma forma que comparamos ao Registo Akáshico, por o Akasha ser composto por um raio de luz desses, conforme vos referis a ele. Quanta dotada de uma substância criativa que ainda não e energia, mas mais aquilo que é mais apropriadamente chamado plasma, o que faz referência a um fotão ou a um quanta de luz que ainda não se acha carregado de electricidade, veículo ou suporte de imagens e de mensagens, a derradeira forma de comunicação.


Assim, pois, o raio de luz que te foi lançado directamente e ao teu redor, comunicou com a tua inteligência a todos os níveis, desde o Supraconsciente, conforme poderá ser referido, ou a consciência superior, a consciência de Deus, a consciência Universal – desde a tua consciência superior até à mais baixa, à tua consciência de armazenamento por vezes referida como subconsciente. Não só constitui um raio de luz, conforme o referes, uma forma de comunicação, como também representou um dispositivo de recolha de informação. Tu foste estudada por um processo de emissão de luz por meio de quanta que foi recolhido de volta em unidades carregadas; fotões dotados de carga eléctrica. Dentro dessa estrutura escritos no relacionamento verificado entre as cargas positivas negativas e neutras, ou fotões, positrões e neutrões, encontravam-se as mensagens holográficas da natureza do teu corpo, as suas funções, e o conteúdo da tua mente a todos os níveis.


Desse modo foste sujeita a um experimento de pesquisa e por seu turno foram-te deixados vestígios de informação transmitida por aqueles que te estudaram. Também ficaste com um vínculo inevitável que por vezes é designado por “aca cord” de forma que, dessa experiência o que guardas é alguma recordação, somente uma recordação parcial, que é a natureza de muitos desses seres interestelares e interdimensionais que pesquisam. Eles procuram apagar qualquer recordação do contacto que estabelecem junto daqueles que optam por estudar, por considerarem esse procedimento uma medida de protecção, protecção essa que não tem a intenção de ofender, um mecanismo de defesa que é construído dessa maneira particular de forma que quem for sujeito a tais experiências fique com uma memória e um conhecimento parciais de terem sido focados por essas naves interdimensionais, por causa da crença prevalecente que, enquanto o homem possuir um conhecimento limitado da sua presença e interacção que têm com a Terra, disporá de uma tela de protecção invisível.


Passar sem ser detectados é considerado por esses vossos irmãos coabitantes do universo como uma medida de protecção pessoal não ameaçadora, uma defesa que eles consideram não ofensiva, não intrusiva, não invasora, não ameaçadora no propósito que alberga. Contudo, também deveria ser do teu conhecimento que, quando alguém como tu tiver sido contactado com uma comunicação conforme a que ocorreu através do intercâmbio informativo de luz, de comunicação, de pesquisa, e o “aca cord” resultante de terem estado sujeitos a um contacto desses, ficam marcados para o resto da vida. Carregam a marca resultante do contacto e o remanescente “aca cord.”


Essa marca muitas vezes, não será exagerado dizer quase sempre, exercerá um efeito profundo nas emoções, nos processos da mente cerebral e não tanto uma influência sobre o supraconsciente, ou consciência superior, mas mais sobre a mente material, produzindo uma certa confusão que comummente resultado no facto daqueles contactados desse modo e estudados por essa forma muitas vezes têm o que os outros seres terrestres consideram episódios psicóticos, por a sua influência causar certas experiências estranhas difíceis de acreditar ou de compreender ou de comunicar, certas experiências emocionais estranhas e expressões que os pesquisadores consideram ser pelo menos neuróticas e frequentemente psicóticas.


Tu própria sofreste em certa medida, em resultado dessa marca que referimos. Agora, nós procuramos prestar-te auxílio no trato dessa influência ao te ajudarmos a compreender, na mais extensa medida possível, as influências que tal experiência teve na tua vida. Produziu uma certa confusão, um mal-entendido quanto aos outros e um certo sofrimento. Também resultou num certo fascínio, por isso representar a outra manifestação de tal “aca cord”. Por te encontrares atada, por toda esta vida, por uma corda prateada ao tripulante da nave que encontraste tu recordaste-o, sentes afinidade por ele, e um enorme desejo de te lembrares mais do que foste capaz de trazer à tua mente consciente. Carregas o desejo ardente de entenderes a natureza daqueles que fizeram e ti uma irmã, no mais forte sentido do termo. Ser-te-á porventura sempre difícil compreender que aqueles que não tenham passado por uma experiência dessas não sintam ser irmãos desses seres, por não possuírem uma “aca cord” dessas, por não terem uma influência ou conhecimento tão comprometedoras quanto à presença daqueles que encontraste.


Desse modo és um dos poucos seleccionados, que não assim tão poucos se considerarmos o número de pessoas que habitam esta Terra por esta altura, por quase um quarto da população da Terra ter passado por uma experiência bastante idêntica à tua, e virtualmente todos eles despenderem imenso tempo na ideia que fazem a tentar recobrar todas as lembranças do incidente, do contacto e da comunicação que tiveram com tais irmãos.


A partir da perspectiva, da falsa perspectiva, do espaço, irmãos provenientes de mundos muito distantes, de universos, galáxias – conquanto possam parecer distantes aos cientistas tais como os astrónomos, eles encontram-se muito perto daqueles que possuem uma tal “aca cord” com eles, por estarem onde eles estão. Essa é a natureza da experiência holográfica. Agora, devido a que a ciência e a tecnologia actuais não tenham desenvolvido uma compreensão de tal realidade interdimensional, também é verdade que a vossa ciência e tecnologia não vos tenha fornecido termos que se acham ao nosso dispor para descrevermos tudo quanto desejariam saber acerca dessas experiências. Isso constitui uma infelicidade, mas uma infelicidade somente no sentido de nos restringir a capacidade de escrever a fundo por uma forma verbal, uma expressão por palavras, a produção de vibração de uma membrana delgada existente na garganta moldada pelos instrumentos vocais de um código, ou o que chamam de linguagem proferida através da vibração sonora.


Todavia, não nos achamos limitados na capacidade que temos de comunicar com o vosso coração, a vossa mente, e mais especificamente com o vosso estado de sonhos. Usamos o termo “estado de sonhos,” à maneira dos povos aborígenes que sabem que o estado dos sonhos consiste numa mais elevada realidade do que a substância manipulada da Terra, que fornece um corpo físico material e que só comunica as coisas que a expressão física material consegue processar através da linguagem.


Assim, pedimos-te que dediques algum do teu tempo todos os dias, ao anoitecer; toda a vez que te prepares para dormir pedimos-te que uses uma forma elevada de meditação. Por “forma elevada,” referimo-nos àquelas formas de meditação que são arquitectadas segundo o modo do plano do bardo referido no Livro Tibetano da Vida, mais comummente conhecido por Livro Tibetano dos Mortos. Outro exemplo de meditação elevada é o do Yoga Kundalini, assim como a meditação dos Sete Jardins da Luz Interior. Referimos esses métodos com o propósito de te auxiliarmos a penetrar na consciência do sono. Na medida em que fores capaz de compreender, sabe que não te é necessário que percas a consciência ao penetrares no sono e na esfera onírica ou período do sonhar. 


A seguir começa a dar forma, na tua própria consciência, à percepção da possibilidade de um sono consciente e de um sonhar consciente que resulte em estado de sonho lúcido. Realiza isso por um acesso a um profundo relaxamento enquanto preservas a consciência desperta. Ao mesmo tempo separa o sentido que tens da realidade da experiência que tens do corpo. Aprende, pois, a penetrar no sono num estado de consciência desses e terás penetrado a realidade interdimensional separada em que nós, aqueles que são referidos como a Grande Nuvem de Testemunhas, residimos. Também aqueles que se juntarem à nossa realidade interdimensional, alguns dos quais que, numa altura ou noutra se encontraram encarnados na Terra ou noutro dos planetas deste sistema solar, a acrescentar àqueles de nós que comunicam convosco, que nunca assumiram um corpo físico e que permanecem na expressão do corpo da Fonte de Luz e de Vida que resultou neste Universo.


Assim, ao te comprometeres e te santificares acompanhando-nos, tentaremos sanar a compreensão que tens e a recordação das responsabilidades que te cabem, assim como um daqueles que esteve em contacto com naves interdimensionais. Compreende, se fazes favor, que tal contacto não faz necessariamente parte da evolução consciente da humanidade. Pode ser mesmo considerado uma aberração, mas o contacto deu-se, e muitos dos que se acham encarnados na vossa Terra nesta altura encarnaram neste planeta apenas por se terem projectado na sua direcção num raio de luz interdimensional como aquele com que te deparaste.


Assim, a Terra é em certa medida povoada por seres cuja consciência teve origem numa esfera diferente, num universo ou galáxia diferente. Não que estejamos a sugerir que eles sejam inferiores aos terrestres, aos nascidos do barro, nem estamos a sugerir que exista uma enorme diferença entre aqueles que pela primeira vez experimentaram a vida no que chamam de realidade distante, uma realidade muito distante, não tão diferente quanto isso daqueles cuja consciência teve origem neste sistema solar, à excepção de que aqueles que tiveram origem noutros sistemas albergam recordações distantes de tais experiências, e sentem um fascínio natural por tais conceitos, assim como uma profunda ânsia, conforme tu carregas no teu coração, pela criação de uma nave como a que conheceste.


Tu sentes uma compulsão, uma quase obsessão, pela recordação e pela recreação de uma nave interdimensional como a que te permitiu entrar na experiência terrena, mas que facultou à tua alma a mais grata recordação do lar, ou seja, no sentido de um ponto da tua origem enquanto ser consciente que és. Mas nós compreendemos, claro, por nos termos deparado frequentemente com isso e não te desencorajarmos a busca que empreendes, tanto em termos de compreensão, recordação, como de contribuição para o desenvolvimento ou recuperação da tecnologia necessária para a remodelação, a construção, a manifestação de tais naves.


Em resposta a todas as tuas perguntas lançaríamos um apelo no sentido de um compromisso da responsabilidade do canal através do qual falamos, assim como de outros desta família, no sentido de te ajudar a tomar consciência da tentativa feita por outros atraídos ao mesmo chamado, conforme tu sentes no teu coração. O trabalho daqueles que se intitulam como Rho Sigma (NT: Sociedade co educacional para estudantes de medicina fundada na Universidade da Geórgia) e T. Galen Hieronymus (NT: Engenheiro eléctrico que inventou um dispositivo de radiónica), aqueles que fizeram algumas incursões na recreação e demosntração de, por falta de melhor termo, instrumentos de anti gravidade e naves magnéticas e mesmo naves do chamado hiperespaço, e o Instituto dedicado ao conceito de hiperespaço, e pedir que faças o que puderes para tirar proveito da compreensão daquilo que chegou a ser chamado de Experimento Filadélfia (NT: Suposto experimento naval militar feito em Filadélfia, Pensilvânia, em Agosto de 43, também chamado Projeto Rainbow, no qual um destroyer se tornou invisível aos observadores durante um breve período de quatro horas por efeito de um campo de forças eletromagnéticas em que o envolveram para tentar a invisibilidade. Tal projecto saiu gorado por, a acompanhar o efeito de invisibilidade se ter produzido um estranho fenómeno de teleportação que trouxe o caos à tripulação e fez com que o projecto fosse afastado) e outras tentativas que tais para desenvolverem uma nave assim.


Procuramos servir os teus interesses pelo melhor que pudermos através deste canal enquanto fonte de contacto com outros de interesse comum, na medida em que pode ser conseguido, dados os desafios da língua e outros impedimentos que se apresentam para satisfazer a comunicação entre aqueles de comum interesse e laços comuns.


Mais importante, porventura, sugerimos que contactes e entres em comunicação com Ray Stanford que colecionou várias informações respeitantes a esse tipo de contacto que tu experimentaste, e meso aquilo que é por vezes referido por abdução de pessoas desta Terra por parte de naves que procedem a pesquisas interestelares e interdimensionais. Tudo isso, para que melhor possas compreender a experiência porque passaste, assim com para ires além dela a fim de compreenderes a Fonte de toda a Vida e Realidade, dos próprios protões utilizados para comunicar contigo e para criar um laço contigo. É a essa Fonte que deves dedicar-te com o propósito de evitares ser desviada por forças não empenhadas com a luz e o Amor, mas que se encontrem um tanto interessadas, por vezes de uma forma deformada, em tais naves conforme tu experimentaste.

Bom, dispensamos uma enorme quantidade de tempo disponível com a assistência que requisitaste quanto ao debate dessa experiência, mas fizemo-lo por essa experiência ter influenciado todas as outras áreas da tua vida por representar o trabalho da tua vida, o desafio da tua vida, assim como para que possamos ser do maior auxílio possível na completa compreensão e apela à lembrança clara da experiência que fizeste de recordação vetusta e contacto com aqueles de quem te tornaste irmã.


Pergunta: Nos últimos três anos tenho vindo a sentir algo na minha cabeça e tenho vindo a perder cabelo assim como a visão, e a minha memória está a diminuir. Também me encontro deprimida com respeito à perda de peso, muito embora consiga comer. Qual será a razão disso? Por favor, diz-me como curar isso.


Resposta: Mencionas mais do que uma condição. Isso não faz parte de uma só manifestação presente no corpo. Tratemos inicialmente da contínua perda de peso independente da nutrição que estás a fazer. Há algum tempo que contraíste a presença de organismos parasitas no teu sistema digestivo e de eliminação. Um diagnóstico disso exigiria um laboratório um tanto sofisticado, assim como um auxílio na compreensão da natureza desses organismos parasitários e prescrever adequadamente um parasiticida específico para a natureza daquilo que está a absorver em grande medida a nutrição destinada ao teu corpo.


Agora, isso não é tão invulgar quanto possas pensar. É importante que libertes tais forças do teu corpo assim como que compreendas que tais ocorrências surgem no corpo físico para ajudar a consciência a compreender as relações existentes entre a humanidade e esta Terra mãe, por a humanidade ser, quer a expressão de relações parasitárias com a Terra ou a expressão de uma relação simbiótica. Como tal, experimentaste no físico uma mensagem importante a ser transmitida a quantos se interessem pelo ambiente e pela relação com a cura desta Terra.


Ora bem, dizer que tal condição se ache completamente destinta da experiência anterior sob a qual comentamos de modo extensivo seria incorrecto. Acha-se relacionada, e do seguinte modo: Aqueles que vieram a esta Terra originários de outros sistemas, têm uma importante responsabilidade e a oportunidade de optar por uma relação apropriada com esta Terra, assim como de assistir a quantos tiveram uma experiência limitada de esferas mais vastas que esta Terra para compreender a natureza do relacionamento e da responsabilidade que têm com a Terra.


Assim, há razões de cunho físico, mental e espiritual para teres contraído uma manifestação física tão desagradável, que ainda assim não é tão difícil de eliminar. Exigirá alguma mudança na dieta, em particular o uso de um agente na desparasitação, de modo a te tornares imune, na medida do possível, à recorrência de tais fenómenos. Bom, quanto ao que experimentas relativamente à cabeça e ao cabelo, e mesmo à visão, devemos pedir-te que o compreendas e o aceites tanto quanto possível. Tentaste desse modo elevar a consciência além da limitação física ou do corpo material e dos teus sentidos e funções o que levou em grande medida a consciência em ti a esmaecer de modo deliberado a visão como sugestão, ou forma de encorajamento, para dar um maior crédito e aplicação ao que por vezes é chamado de “segunda visão”, ou à visão do Eu Superior, à visão da percepção, até mesmo além daquilo que é chamado de terceiro olho.


Agora, faz tudo quanto estiver ao teu alcance para restaurares a visão, incluindo exercícios extensivos dos olhos e o uso de Terapia Ortomolecular como suporte o restabelecimento da visão física, ingerindo em especial a porção mais elevada da cenoura, aquela porção de que o verde brota e as folhas se unem à raiz, essa parte mais elevada, embora não os caules nem as próprias folhas. Essa porção superior contém a presença mais concentrada de vitamina, a substância necessária à ajuda da reconstrução da vista.


A acrescentar a isso, voltar-te para uma certa perda da memória de curto prazo e em certa medida o encerrar da memória de longo-prazo. Ora, isso provém de fontes similares. Ou seja, do contacto original que fizeste com a nave deu-se uma tentativa de esbater a recordação pelo que designamos de acto defensivo. Ora bem, nas tuas meditações e durante os períodos de preparo para adormeceres e até mesmo durante o sono, comunica de forma deliberada com os irmãos do raio de luz. Podes dirigir-te a eles nos seguintes termos: “Meus irmãos do raio de luz, peço-lhes que me restituam a memória de longo alcance que tive de vós e do vosso contacto e asseguro-vos de que não representarei qualquer ameaça à vossa existência nem à interacção que tiveram comigo.”


Aquilo de que talvez tenhas pouca consciência é que no contacto que tiveste foste arrebatada para essa mesma nave mais do que uma vez. Muitas foram as vezes que visitaste, comunicaste e participaste em experiências com eles. Agora, grande parte disso foi-te apagado da memória. Bom, com respeito a uma memória de um maior curto alcance nesta dimensão, provê a memória com base num complexo de vitamina B e dá especial atenção à niacina (NT: Também conhecida como Vitamina B3, ou ácido nicotínico) ao acido nicotínico, à B6, B10 e B12. Tomadas em doses mais ou menos mega ao mesmo tempo que todo o espectro vitamínico familiar da B fará muito mais do que poderás ter imaginado pelo restauro e acuidade do sentido aguçado que tens da memória.


Quanto aos impulsos que sentes na cabeça, à perda de cabelo, não lhe dediques qualquer atenção, por resultar de um estímulo eléctrico que ocorreu entre a coroa e o raio de luz, os fotões de contacto, ou “aca cord,” que se formou ao te comunicares com aquele tripulante da nave. O cabelo representa uma forma de antena e quando exposto à intensidade de tais energias, geralmente queima e a sua abundância diminui. O que não quer dizer que ameace a eficácia da comunicação que tiveste. Em vez disso, indica simplesmente a intensidade do uso de tal antena – o cabelo. E o contacto alcançou uma velocidade ou magnitude suficiente para ter usado os elementos de recepção do teu cabelo. Mas não te preocupes com isso, porque as tentativas que fizeres para o restaurar, caso procedas a tais tentativas, entravar-te-á a capacidade que tens de aprender a crescer e a manteres o contacto, entendes? Por isso, cremos que consideras a criatividade mais importante do que a perda. Continuamos?


Pergunta: Desde adolescente que tinha o desejo ou a imagem de ser uma política. Isso não passará de uma ilusão? Por favor, aconselha-me e diz-me se me encontrarei ou não apta para tanto.


Resposta: Decerto que terás uma forte razão para querer influenciar a política. Possuis a capacidade de a compreender e em certa medida talento para a perseguires. Ao mesmo tempo é demasiado importante que tenhas consciência da dificuldade que uma pessoa de integridade encontrará na arena política. É mais importante que desenvolvas a tua influência na política mais na qualidade de escritora ou de conselheira, membro do que alguns referem como um grupo de reflexão ou grupo de debate e de descoberta de soluções para as dificuldades da vida governativa e política. Participar na política como política levar-te-á à descoberta de devotares muito do teu tempo a comprometer-te com o propósito de manteres a relação que tiveres com a política, ou com algo como uma reeleição.


Tais estruturas governativas são tão pouco eficientes que tornam o talento que possuas para proceder a mudanças na governação impraticável. Assim, encorajar-te-íamos a ser da maior influência possível nessa arena.


Tu possuis uma compreensão, uma necessidade de alertar os recursos governativos em particular nas áreas de pesquisa, por isso constituir o teu maior ponto forte. Encorajar-te-íamos a passar mais para a rena da participação em pesquisa, e a auxiliares o desenvolvimento de fundações de Pesquisa, em particular aquelas que se voltem para as novas ciências, a nova medicina, as novas tecnologias, incluindo aquelas da esfera interdimensional e da reinterpretação, para uma nova compreensão da natureza do veículo humano e das suas possibilidades. Cremos que isso se ache suficientemente claro de modo a poderes desenvolver o talento que tens e a aptidão nessa área de forma mais eficaz.


Pergunta: Virei eu a casar?


Resposta: Isso não representa um problema tão significativo quanto possa parecer neste momento. Aconselhamos-te com respeito a tal relacionamento do seguinte modo: A forma como os relacionamentos são formados no futuro imediato e nesta cultura, nesta sociedade, a mudança que têm das atitudes culturais para com esses relacionamentos alteram-se o suficiente mesmo nos próximos dois anos a fim de abrir um leque de maiores possibilidades para o mais adequado casamento e a formação de companheirismo. Não o persigas mediante as condições sociais vigentes imediatas. Primeiro, centra o teu interesse no teu próprio desenvolvimento pessoal. Empenha-te na medido mais extrema possível no trabalho que tens a fazer aqui. Envolve-te com aqueles que pertencem ao corpo dessa família e pesquisa e partilha com aqueles de comum interesse a busca que empreendes por instrumentos, tanto antigos, do tempo de Alta, como mais que modernos, futuristas.


Aplica-te a isso. O companheirismo virá daí. É aconselhável que não penses mais nisso por ora, para que brote do comprometimento que estabeleceres para com o trabalho que te estás a preparar para fazer. Bom, cremos que isto seja suficiente para te inspirar, orientar e guiar-te. Aqueles desta dimensão, alguns dos quais estejam envolvidos com a tua dimensão, em busca de uma nave dessas conforme começaste a relacionar-te, esses estão prontos a auxiliar-te e a influenciar-te. Aprende pelo melhor de que fores capaz os métodos que descrevemos para penetrares no sono de forma consciente, assim como no sonho lúcido, e na medida do possível, trata de estudar mais e de debater isso com este “canal” durante o estado em que se encontrar consciente, por ele ter muito a fornecer e a partilhar contigo com respeito a tais métodos e técnicas provenientes de anteriores comunicações que lemos desses registos.


Terminamos 


LEMURIA 
...

Lemuria, antes mesmo dos dias em que Adão pisou esta Terra. Precisam entender que nesses dias havia comunicação, conforme a entenderão, entre os seres do reino das plantas, ou os espíritos das plantas, e os seres do reino mineral, assim como entre o dos animais e o homem, embora se  pudesse acrescentar que estes assumiam uma forma-pensamento, por o homem ainda não se ter manifestado na forma física, ou assumido um corpo carnal nesses tempos.

Foi então que os Filhos de Deus se reuniram ao redor desta Terra a observar ou em comunicação com aquilo que tinha sido criado, para deleito de Deus e dos seus Filhos.

Foi comunicado, da parte daqueles do reino vegetal (ou das árvores, conforme poderá ser referido) com respeito a esses dias: "Estabelecemos um rei que nos governe."

Assim foi que até mesmo as plantas da Terra e mesmo a própria Terra clamaram diante de Deus, para que elegesse quem as pudesse governar ou cuidar delas. Poderão ver que o reino vegetal e mesmo aqueles reinos vegetais que representam manifestações das leis físicas do Universo, se agrupavam, destituídas de uma alma, possuindo somente um espírito, a fim de crescerem e se multiplicarem por onde quisessem. Mas eram destituídos de forma e eram vazios.

Foi somente com o reinado do homem, ou com a vinda do homem a fim de "subjugar" a Terra (NT: Cuja interpretação literal é responsável pelo actual estado em que a Terra se encontra, pela exploração desenfreada dos seus chamados "recursos", e se reporta à libertação da consciência das formas-pensamento bestiais em que ficara retida) que as árvores assumiram a beleza da forma que apresentam, o que também se deu com as plantas, as rochas, as flores, aquilo que em toda a sua glória se tornou na Terra.

Os aspectos de beleza que descobrem por toda esta Terra são criação do homem, por o homem ter vindo a esta Terra como Deus, criador, e por ter sido o adento do homem que trouxe a perfeição à Terra, conforme é mesmo referido nas Escrituras, ou poderá ser inferido das vossas escrituras, caso as interpretem deste modo.

Nesses tempos imperava uma dádiva da lama para com o aperfeiçoamento da Natureza, alma essa que ainda não se encontrava no estado de encarnação e assumia somente uma forma-pensamento, e percorria as águas enquanto espírito (NT: Ou seja, aquilo que nas escrituras é referido como o espírito de Deus que se moveu por sobre águas). Na terra de Mu entregaram-se mais, já na forma carnal, ao diálogo com as plantas e os animais em prole dessa perfeição e do seu desenvolvimento, enquanto plantas e animais.
À medida que esses reinos eram desenvolvidos pela mão do homem, o resultado seria visto como uma enorme perfeição e beleza, essa Lemúria que foi aponte como o epítome da perfeição da Terra, nos versos iniciais das vossas escrituras, como aquele período de perfeição ou Jardim do Éden nesta Terra. Tudo reflectia a beleza de Deus e foi criado para o sustento do homem, e reinava a paz e todos eram dados uns aos outros.

A importância dessas primeiras encarnações residirá na compreensão da capacidade que o homem tem de subjugar a Terra, não só o vosso corpo físico como a Natureza ao vosso redor. Se houvesse uma entrega, da parte daqueles que compreendessem a Lei do Um, ou da parte daqueles que professem ou busquem o desenvolvimento espiritual, se houvesse uma entrega conjunta em prole do aperfeiçoamento deste planeta, em oração até mesmo pelas rochas e pelas árvores, pelas colinas, em prole da alegria de Deus.
Fiquem cientes de que esses elementos da criação, essas plantas, esses animais que se acham sujeitos às leis físicas do Universo, mesmo no espírito grupal que têm -- conforme o designam, ou manifestação do espírito que representam -- procuram expressar a glória de Deus  no seu crescimento e só se vêm entravadas pela falta de compreensão do homem, ao verem que o homem, que foi designado como seu soberano e governante deste universo, falhou na expressão disso. Até mesmo as rochas e as colinas aguardam uma oportunidade de a expressar.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Antes que o homem sequer percorresse a face desta terra, ele já existia, encontrando-se entre aqueles que são referidos nas vossas escrituras como os Filhos e Filhas de Deus, que se juntaram, sobre este plano, a observar o que sucedia na criação e projectaram-se na matéria intrometendo-se com a criação, e utilizaram os seus elementos em benefício dos propósitos que tinham, e se viram aprisionados no sofrimento e perda de percepção de terem uma proveniência divina, resultante dessas experiências.

Eles encontravam-se entre aqueles que, no estado de formas-pensamento viriam a estabelecer as primeiras civilizações, ou Atlântida e Mu, e foram quem decidiu criar o homem. Muitos eram os que existiam nesses planos e se encontravam encarnados numa forma ainda imperfeita. Esses Filhos e Filhas de Deus, cientes do que ocorrera aqui, decidiram formar o homem perfeito, ou "veículo" perfeito para a expressão de Deus, em tais tempos. Assim foi que se deu a criação de Adão.

Nesse tempo, por entre esses Filhos e Filhas de Deus, muitos foram os que acorreram aos cinco diferentes continentes, ao mesmo tempo -- as cinco raças. Junto com eles entrou aquele que viria mais tarde a tornar-se no Cristo (Jesus), o qual regressou de novo, mais tarde ainda, por altura de uma nova infusão de almas, que voltou de novo a ficar aprisionada, ou desapontada, com aquilo que encontrou, e que pareceu ter falhado na tentativa que empreenderam de alçar o homem da condição em que se encontrava, em que possuía apêndices como asas, penas e pelo a cobri-lo.


Essas vagas, ao entrarem neste plano, esqueciam a sua verdadeira natureza, e ao se desenvolverem desde a infância, ficavam de tal modo aprisionadas com os problemas deste plano que rapidamente esqueciam a sua verdadeira natureza e passavam a depender dos cinco sentidos mais do que da consciência interior. Sentiram-se desencorajados.

Tradução: Amadeu António




Sem comentários:

Enviar um comentário