quinta-feira, 7 de maio de 2015

EXCERTOS - MANIFESTAÇÃO E OUTROS




LIDAR COM OS DESAFIOS ACTUAIS


Vocês estão a lidar com energias universais que são as mais elevadas com que alguma vez lidaram desde o começo dos tempos. O salto espiral evolutivo que teve lugar nesta década passada foi a primeira vez que sucedeu desde a criação. Já poderão compreender como foram lançados para uma energia que é difícil de lidar. Faz tudo parte das mudanças que a Terra está a sofrer. Na verdade não deveria ser chamado de Mudanças da terra, mas Mudanças na Criação, por tudo quanto foi criado – homem, animal, mineral, ou tudo quanto tem lugar na vossa terra e por toda a criação – se encontra num processo de mudança da sua energia. A finalidade disso reside na proclamação do universo. Toda a criação está a evoluir e a crescer e a desenvolver-se.


Têm-se apresentado enormes desafios por muita coisa não ter resultado da forma que pensavam que iria. Assemelha-se bastante ao planeamento de uma festividade elaborada, e de repente passa a nevar ou chove, ou os pilotos entram todos em greve e simplesmente acaba por não acontecer. 
Depositam um enorme esforço com o planeamento e o trabalho naquilo que seria suposto acontecer e lá “cai a mosca na sopa”. Pode ter que ver com a vossa saúde, os relacionamentos que tenham, o emprego, a capacidade que têm de fazer de tudo – qualquer coisa. E por não ocorrer da forma que pensavam, sentem-se desconcertados. Talvez se encontrem numa espécie de choque por não lhes acontecer a vós. Em segundo lugar, poderá suceder uma certa petulância que sucede por lhe terem dedicado todo esse trabalho, e não ter resultado conforme pensavam. Aí sucede a raiva. Claro está que, quando estão a lidar com a raiva, também estão a lidar com o medo, por ser o medo que na prática gera a raiva.


A verdade do assunto é que é assim que sucede. Planearão outra festividade. Acatarão a vossa situação tal qual se encontra, e avançarão em frente de uma forma positiva e com alegria, a partir daí. Aceitarão as limitações que comportam, a vossa humanidade, o estado dos vossos relacionamentos, a situação do vosso emprego, a vossa saúde e terão consciência de estar a avançar rumo ao bem.


Uma abordagem jovial da vida actualmente é vital por os vossos pensamentos irem manifestar-se rapidamente. Vão tornar-se naquilo que pensam. Cuidado com aquilo que pensam. Vocês dispõem de livre-arbítrio; não posso interferir com isso. Quando lhes sugiro algo, é isso mesmo que faço, apresentar sugestões. Mas baseiam-se em factos. Por isso, agora sabem que cartas lhes são dadas e já conhecem as “regras”. Como irão jogar essas cartas, fica ao vosso critério.

Tudo se acha em movimento; nada permanece estagnado. Podem mudar qualquer coisa se alterarem a atitude que adoptam relativamente a isso. É importante que saibam isso.


Libertar-se das amarras do passado é agora crítico. Não importa se no vosso passado tenha sido uma coisa boa ou uma coisa má. Qualquer delas pode armar-lhes uma cilada. Já referi antes que, aquele que escreve um livro e que constantemente diz: “Olha o livro que escrevi,” jamais irá escrever outro. Aquele que diz: “Escrevi um livro e agora estou a procurar escrever outro,” irá escrever dois livros ou mais. Observem o padrão do pensar. Não podem repousar sobre falhanços ou conquistas do passado. Eles estavam destinados a ter lugar na vossa vida na altura em que ocorreram, mas não constituem toda a vossa vida.


A vida continua em movimento, vocês continuam a mudar. Não são os mesmos que eram há 20 ou 30 ou 40 anos atrás. Precisam ser capazes de avançar juntamente com ela e de dizer: “Olha, está todo um novo e melhor Eu a desabrochar.” É disso que se trata. Tem que ver com a transformação – por isso não se voltem para trás. Olhem em frente e planeiem para o vosso futuro.

Actualmente as energias conduzem bastante à reorganização. Vocês e a vossa vida vão-se tornar diferentes. Internamente estão a sacudir-se.


Vocês possuem no vosso âmago a mente supraconsciente, que representa a vossa mente de Deus. Constitui a mente da mente Universal e é capaz de os tirar de uma situação de fraca visibilidade e pô-los noutra de alta visibilidade. Podem olhar para vocês próprios e para a vossa vida a partir de um ponto mais elevado. Até mesmo nos vossos momentos mais sombrios, se os olharem a partir de uma perspectiva mais elevada perceberão uma função de recurso, por nada de sombrio ter lugar sem que contenha uma centelha de luz no seu âmago. Busquem sempre esse ponto de luz.


Criem aquele ou aquela que querem ser. Comecem a vivê-lo/a, em vez de duvidarem na capacidade que têm de o fazer. Em vez de olharem para trás e dizerem. “Jamais consegui,” digam: “Estes são os novos componentes com que conseguirei fazer qualquer coisa que queira”. Permitam-se edificar-se.

E lembrem-se de uma coisa: Não tem mal que deixem de tentarem tornar-se santos. Santos é coisa que não são. (Riso) Ninguém o é. Aquilo que estou a dizer é que parem com o: “Eu devia fazer isto, devia fazer aquilo; preciso mostrar que sou boa pessoa.” A única coisa que têm que fazer para serem boas pessoas é viver para amar; para terem amor por vós próprios, pelos outros, para irem ao seu encontro, para darem um aperto de mão. Não estão em julgamento, e não têm que provar nada. Encontram-se aqui para viver e crescer em espírito, mente e corpo. Por vezes precisam abrir mão das velhas pequenas falhas que assumiram e levar a vossa avante.


Por isso, agora é tempo de deixar para lá. Desapeguem-se do passado de modo a poderem erguer um futuro que seja adequado àquele/a que agora são. Têm vindo a abrir mão de muitas coisas ao longo destes últimos cinco anos ou isso, e agora vão fazê-lo a este nível de forma a abrirem caminho para a nova vida e para o novo Eu que está a evoluir.


sobre a comunicação e a manifestação


O tipo de comunicação que preza pela descoberta das similaridades em vez das diferenças constitui um dos primeiros (…) da comunicação da rede da luz neste mundo.


Quando chegarem a pensar a coisa também chegarão a vivê-la, pois assim como o homem pensa no seu coração (Prov 23:7) assim também ele será. Bem sei que me estou a repetir acerca desta afirmação, mas não posso realçá-lo o suficiente. Não é o que pensam nem pronunciam superficialmente mas o que pensam e verbalizam no vosso íntimo que manifestarão. Assim, se disserem uma coisa e o vosso coração disser outra (…) Mas assim que a ideia e o coração se encontrarem em uníssono, por constituir um magneto atrai a vós. O magneto (magnetismo) que projectam a partir de vocês torna-se no magneto que atrairá essa mesma coisa a vós. Aquilo que pensam e verbalizam e sentem no íntimo emanará a partir de vós e tornar-se-á num magneto que (…) a vós. É por isso que se tornaram num ser dotado de duas faces, sabem? Por duas faces representar o mesmo que pensar uma coisa e sentir outra.


A rede de luz não constitui uma coisa mística, mas seres humanos dotados da sabedoria do passado e proveniente da hierarquia superior. Toda a vez que meditam estão a aprender a ser uma luz maior na rede da luz. Se estiverem dispostos a sentar e a aprender, de modo que possam passar esses ensinamentos a outros. Se estiverem dispostos a partilhar tempo e energia do mesmo modo que coisas, entendem? É isso que é importante.


Mandamentos destinados ao Novo Milénio


1 - Façam-no já

2 - Acreditem nas possibilidades e não nas probabilidades

3 - Avaliem as prioridades e os valores definidos

4 - Aprimorem o vosso sentido de humor

5 - Dêem mais atenção, e falem menos

6 - Não sobrecarreguem o vosso circuito de energia

7 - Favoreçam a natureza

8 – Cantem, quer saibam ou não faze-lo

9 - Deixem-se levar pela corrente

10 - Sejam amáveis convosco próprios e com os demais

11 - procurem uma nova compreensão



SOBRE A PROGRAMAÇÃO


(Excerto)


Eu afirmo constantemente que aquilo que pensam é registado pelo subconsciente, colocado no “computador,” e é automaticamente liberto através da repetição para o corpo, por intermédio da glândula pituitária. Assim, um impacto emocional de qualquer tipo pode ter um impacto de bloqueio nesse computador. Até que suplantem essa memória, abrindo mão dela, dando-lhe uma coisa diferente… é por isso que precisam ser tão cuidadosos quanto às palavras que proferem. Se andarem por aí a repetir que nada corre bem e que tudo vai mal, que nada está a funcionar, isso passa a ser aceite pelo subconsciente com uma verdade. E como ele ouve isso quanto baste, ele liberta isso como uma coisa absoluta no corpo, e o corpo começa a não funcionar, a não se sentir bem, por o terem “programado,” como quem diz.



PODER E HARMONIA


(Excerto)


O poder que o homem tem e o poder cósmico influenciam-se mutuamente. O poder da natureza e do cosmos e o poder do homem precisam operar em conjunto, colectivamente, para obterem uma harmonia. Quando o homem alcança uma posição em que deixa de criar uma harmonia com que possa trabalhar, as forças naturais tomam o controlo; e assumem o controlo, não para destruir o homem mas para uma vez mais reintegrar o equilíbrio.


A época actual em que vivem apresenta muitos paralelos com o da Atlântida. Uma vez mais a tecnologia atingiu um elevado ponto de desenvolvimento, estão a experimentar o que chamam de poder atómico tal como eles experimentavam o poder dos cristais, mas o poder dos cristais possuía a mesma magnitude de poder que o átomo – por altura em que eles (…)


Ora bem; não é que o poder dos cristais em si mesmo seja mau nem que o poder atómico em si mesmo seja mau, mas sim a forma como é manejado e utilizado e a maneira como é dirigido. O homem por esta altura encontra-se na posição em que o seu pensar se volta para as coisas espirituais, e esse representa o factor de salvação. O equilíbrio (…) da luz acumulada por intermédio desses atributos espirituais que começarão a converter as atitudes negativas do homem.


Grande parte da negatividade existente no vosso mundo de hoje constitui um catalisador da mudança; por o homem ter o ligeiro hábito de ser lento quanto a fazer alguma coisa que não se revele uma necessidade. O homem só busca o poder definitivo quando se vê encostado à parede – quando na verdade deveria buscá-lo muito antes de chegar a tal condição. Mas isso não quer dizer que não possa mudar, nem que não possa sair vencedor, por assim dizer. 


Se o homem trabalhar em harmonia com a natureza, e uns com os outros, sofrerá modificações provocadas pelas forças cósmicas. E isso é tão simples quanto amarem-se uns aos outros – amor incondicional, que representa um mandamento da vossa nova era. “Incondicional” não significa ser subserviente nem ter que concordar com tudo mas tão só “Estou disposto a ser e a deixar ser. Estou disposto a interagir com tudo quanto existe no universo.” E quando isso acontece não são menos nem são melhores – são apenas pessoas. E isso nada tem que ver com a autoestima nem com o desejo de alcançar, mas com o reconhecimento de que podem alcançar sem ser que o esperem da nossa parte, sem minarem (…) conforme os cristais passaram a minar sob a superfície.


(NT: Alusão aos cristais da velha Atlântida que foram destruídos e sepultados debaixo da terra na esperança de deixar de causar a influência nefasta que foram levados a produzir, e que ainda continuam a causar erosão nas camadas de terra em que se encontram sepultados, debaixo do mar…



Primeiro Encontro de Luz com JULIAN

Manhã de Sábado

Nova Iorque, Setembro de 1998



Bom dia. Gostaria de dizer uma coisa, esta manhã, quando me dirigi ao “instrumento” assim que ela largou o corpo, eu mantive-me em contacto com ela. Repararam que eu digo “Escuta-me”. Não quero que ela escute nenhuma outra voz. O objectivo disso está em mantê-la numa estreita proximidade que seja segura para ela e ainda assim distanciada o suficiente para ela permanecer alheia em relação ao que estiver a decorrer.



Temos que permitir que ela controle o seu corpo físico a ponto de o submeter ao serviço, razão porque me ouvirão dizer “Abre os olhos,” por depender da decisão dela abrir os olhos ou não. Eu posso ser Serafim, mas o receptáculo que utilizo é respeitado e honrado e concede-me permissão de toda a vez para o usar, por a dignidade da identidade pessoal não poder ser retirada a ninguém. E não deve. Assim, espero que todos compreendam esse pequeno ritual inicial. Destina-se a que ela decida, uma vez mais, literalmente, aceder ou não.



Agora, concentremo-nos nesta manhã. Esta conferência foi referida por diversas formas. Foi chamada de retiro, e decerto que é um retiro. Foi chamada de conferência, e decerto que é isso, por causa da partilha de informação. E constitui uma reunião de luz. Conforme o instrumento disse quando conversou convosco da última vez, sois todos luz. Assim, aquilo que vamos fazer durante o tempo que estiver convosco, esta manhã, é mostrar-lhes o que sucede quando elevam a consciência e se movem na direcção da luz superior. A primeira coisa que vou fazer é falar, e de seguida vamos mesmo interagir com a luz.



No começo existia luz. E a luz deu às pessoas a oportunidade para ver a diferença existente as trevas e a luz. Todavia, devido a que nada exista em separado ao olhos do Criador, a luz e as trevas passaram a ter o seu oposto. Todos vós já terão visto o símbolo do yin e do yang – em que uma metade é obscurecida e contém um ponto de luz no seu seio e a outra metade é luminosa com um ponto de escuro no seu sio. Isso destina-se a preservar a polaridade e o equilíbrio do universo.



Quando ficam demasiado bons, tornam-se ruins. (Riso) Esperamos pacientemente que a frute amadureça mas se continuar a amadurecer para além do auge fica estragada. Por conseguinte, o equilíbrio não está em ser “mais santificado do que tu,” por assim dizer, mas em manter o equilíbrio de modo a reconhecerem as trevas e a luz – reconhecerem o que é negativo e o que é positivo. Por favor, lembrem-se de que na área dos ensinamentos metafísicos, quando se fala em negativo e em positivo, fala-se de energia activa e de energia receptiva, não de bom nem de mau. Por isso, o equilíbrio, a harmonia, a polaridade acha-se em cada coisa que alguma vez tenha sido criada no universo. E tem que achar. Porque de outro modo essa coisa não poderia encontrar o perfeito ponto de harmonia entre si. Quando as coisas se tornam demasiado más, as pessoas fazem algo relativamente a isso e acaba por se tornar bom. Sempre o equilíbrio, sempre a busca e sempre a luz. Sempre o reconhecimento da existência da luz.



Agora, podem usar as palavras bonitas que quiserem e mencionar a luz tanta vez quanta quiserem, mas em que consistirá? Quantos de vocês abraçaram alguém esta manhã? Estavam a fazer operar a luz. Quantos de vocês sorriram quando não tinham vontade de o fazer? Estavam a fazer operar a luz. Quantos de vocês efectivamente se detiveram para prestar assistência a alguém nesta ano transato? Estavam a fazer operar a luz.



A luz consiste na energia do viver todos os dias pelo melhor e pela interacção dessa capacidade com os demais. Por conseguinte, a pessoa que sabe quando dizer “não,” está a trabalhar com a luz. Aquele que diz: “Não, não acredito nisso,” (Sempre que os outros falam em termos negativos) está a fazer operar a luz. A luz não os separa nem os torna em algo especial. A luz é um instrumento que lhes é dado, que lhes é inato, algo que não lhes poderá ser retirado por ninguém excepto vós próprios e isso é o que sucede quando trabalham com a luz. Interagem com o mundo pelo melhor de que são capazes e com tanta gentileza quanta a que conseguirem reunir no momento.



Mas devo sublinhar que a afirmação, “reunirem no momento,” não constitui uma afirmação original. Saiu da boca de um jovem maravilhoso da Califórnia chamado David Ross que enviou música ao instrumento dizendo: “Com isto, estou a enviar tanto amor quanto consigo reunir neste instante.” (Riso) Achei-a uma afirmação deliciosa e sincera.



De que forma sentimos a luz? Se examinarmos a luz em termos de peso, diríamos que sentimos ser luz quando não temos solidez e nos sentimos como se estivéssemos a flutuar e como se não fossemos muito reais. Se pensarmos em luz. Se pensarmos na luz como a capacidade de ver, as barreiras serão derrubadas e teremos uma maior capacidade de ver mais longe e de compreender as coisas.



Quando trabalham com a luz, começam a reduzir o medo. O medo constitui uma das energias mais debilitantes que possuem no vosso universo. Possuem a emoção do medo no vosso universo por lhes ser necessária, e representar um sinal de alerta. Mas jamais se destinou a dominá-los ou a reduzi-los, ou a reduzir-lhes a luz. Por esta altura toda a gente no mundo se mostra receosa com relação ao estado em que o mundo se encontra, à situação que se vive no Médio Oriente, à situação da classe médica… o que quiserem. Temem tudo.



Mas uma das razões para esse medo deve-se ao facto de lhes dizerem que algo não esteja bem. Que é que passam a fazer com isso? Deixam que esse medo se torne numa paranoia que os leve a andar por aí a dizer a toda a gente que não há esperança? Ou dirão: “Isso é o que me parece ser, mas na realidade a luz está a operar em toda a gente existente no universo.”



Acham-se aqui congregados em grupo e veem luz. Saibam que existem milhões de grupos como o vosso por todo o vosso mundo e o meu. Eles estão a trabalhar no universo, pelo que a luz não pode, nem será, diminuída. Não pode ser apagada, nem deixá-los. Por conseguinte, não deixem que as condições que veem ou que leem nos media os conduza a ponto de pensarem que não exista luz no mundo. A luz diz: “Eu consigo ver. Eu consigo compreender. Eu posso ter todas as emoções de Deus que quiser no grau adequado e não desistirei da esperança.” Por o futuro se encontrar nas vossas mãos, nas mãos dos trabalhadores da luz.



O vosso poder procede do poder mais elevado que sempre existiu e que lhes foi dado por terem optado por se tornar num ser de luz. Escolheram trabalhar pelo bem do vosso mundo, pelo bem do vosso universo. E assim, sem que tenham consciência disso, assinaram um contracto, gente, e encontram-se vinculados a ele! (Riso) É claro que isso não é verdade, por possuírem livre-arbítrio e amanhã poderem dizer que não querem. Mas uma vez tenham experimentado essa luz e assim que tiverem experimentado essa alegria, não haverá nada que o afaste  de vós. E todos quantos trabalharam neste mundo e continuam encontram-se ainda a trabalhar com a luz a partir do “mundo invisível,” por assim dizer.



MEDITAÇÃO



O que eu quero que façam agora é que fechem simplesmente os olhos e que me escutem. Bem fundo em vós, bem no centro do vosso ser, há luz. É a vossa identidade. É tudo quanto podem ser. Se permitirem que essa luz cresça, ela começará a inundá-los e com ela virá o ardor cálido da paz, a alegria do ser, a valorização de si mesmo. Fundo dentro de vós acha-se o saber que a luz não se pode extinguir, que sempre existirá e que lhe poderão aceder sempre que o desejarem. Essa pequenina luz pertence-lhes, essa pequenina luz que cresce até os inundar em pleno.



Agora quero que sintam a luz mover-se para lá de vós, como que a exalar através de cada poro do vosso corpo; ao faze-lo, consome toda a dúvida e medo. Não há necessidade de raiva nem de desapontamento, há somente a percepção de que a vossa luz se funde com o universo. E essa luz aumenta até conseguirem senti-la ao vosso redor e se tornar palpável; até ter substância. Sintam-na. Sintam-lhe o vigor.



Agora essa luz afasta-se de vós até começar a  preencher todo este aposento. Entrelaça-se com todas as outras luzes presentes no aposento. Estão a criar uma tapeçaria gigantesca de luz. Cada um a vibrar no seu esplendor individual, e ainda assim a vibrar jovialmente com todos os outros resplendores. Sintam-no. Sintam a paz.



E a luz que inunda este aposento estende-se para fora até tocar a atmosfera exterior e ser ampliada. Esse enorme cobertor de luz ergue-se e preenche todo o vosso universo.



E ao sentirem essa tecelagem de luz, reconhecem milhões de outras tecelagens de luz que se misturam com a vossa no universo e que resultam em paz e beleza e alegria.



Luz das luzes, expande-nos neste instante, e que tudo quanto nos detém se dissolva. Estão livres. Estão livres. Encontram-se livres para se tornarem no ser magnânimo que são. Todos os talentos latentes são despertados e ampliados. Sintam a alegria. Vocês constituem uma luz. Sintam-no. Sintam-no. Sintam-no.



Existe apenas uma só luz, uma luz descendente, que é absorvida por todos. E essa luz faz parte de toda a luz, de toda a luz que mostra o caminho. Ontem à noite cantaram-na; hoje participaram nela e chegaram a conhecer-se. Tendo tocado as outras luzes do universo, quero que agora as sintam, misturadas convosco e a descer até este plano. À medida que essa luz os inunda uma vez mais, têm consciência de se acharem mais sábios e vigorosos, mais despertos e mais conscientes. Toda a luz representa um mestre e toda a luz um aprendiz. Vocês ensinaram e aprenderam a partir do poder da vossa própria luz. Aceitem-na e saibam que é real. Assim seja. Respirem bem fundo e abracem quem estiver junto a vós.



Muito bem. No universo, exactamente neste instante, a energia acha-se em grande movimento e numa grande mudança. Nada poderá ser como antes, e só pode ser conforme está destinado a ser no futuro. Assim, ao se levantarem todas as manhãs, gostaria que pensassem que querem que esse dia seja. Não o que exigem que ele seja mas aquilo que gostariam que fosse. As qualidades do dia. Se definirem as qualidades do dia, a vossa luz buscará maneira de produzir tais qualidades e obterão enorme quantidade de prazer dele. Se definirem cada dia dessa maneira, ele irá tornar-se cada vez melhor até terem uma vida positiva.



A sacudidela que se verifica neste instante nas energias não tem nada de destrutivo, mas sim de construtivo. Está a provocar as mudanças que precisam ser efectivadas e que toda a gente pensa operarem “fora,” no exterior. Toda a gente pensa que essas mudanças passem por terremotos e vulcões e cheias e todo esse tipo de coisa. Mas as mudanças, meus amigos, devido que vocês constituam uma réplica do universo, estão a suceder em vós. E eu atrevo-me a dizer que todos vós neste ano que passou terá passado por uma acção vulcânica e que terão pensado que a cabeça lhes iria sair do pescoço e que iriam rebentar no mundo e matar pelo menos 47 pessoas! (Riso) pode ter durado apenas uns quantos minutos, mas passou-lhes pela cabeça. Não temam essa energia. Ela está a alterá-los e a mudá-los para que se livrem de algo que não precisam carregar mais. Está a retirar-lhes as “falhas,” como quem diz.



Muitos de vós descobrirão não saber se acreditam bem naquilo em que acreditavam antes. Não importa o que seja. Muitos descobrirão que não sabem se alguma vez terão comprado “aquela peça de vestuário,” ou se alguma vez a voltarão a usar. E não sabem porquê. Mas isso deve-se a que este seja um período tipo “Não sei porquê.” Ainda se acha velado. Só que está a mudar. É como um rio subterrâneo – que ninguém pode ver, mas que todos conseguem drenar. E é isso que está a suceder, há um rio subterrâneo em vós que está a purificá-los, a alterá-los e a mudar as capacidades que têm para melhor. Tudo quanto precisam fazer é aceder-lhe. E quando começarem a programar um dia da vossa vida, ou uma hora da vossa vida, estarão a tirar proveito do rio da mudança, esse rio formidável que os pode conduzir a múltiplas situações diferentes e torná-los muito mais vivos.



Ora bem; no decurso dos próximos seis meses dar-se-ão mudanças no vosso mundo mas não serão nada que não consigam tolerar ou que não possam auxiliar. A dimensão que tiver dependerá da atitude mental de que usarem. Por outras palavras, se estiverem seguros de que o mundo venha a alcançar um fim, ele alcançará. (Riso) O vosso mundo – não o de mais ninguém, mas o vosso. Entendem? Precisam assumir que a mudança não seja sinónimo de gravidade. Mudança significa progresso e um novo “eu.”



Jamais energias tão potentes e tal capacidade de mudança lhes foram concedidas. A frequência de vibração do vosso universo é mais elevada do que alguma vez terá sido. A vossa vibração constitui a vossa identidade. A vossa identidade colectiva é representada pelo vosso universo. Por isso, quando as vossas energias colectivas se dispõem a crescer em consciência, buscam o positivo e manifestam esse positivo por meio dessa busca, mudarão efectivamente o vosso mundo e o vosso universo. O problema associado ao poder que lhes foi concedido está em que não possam pôr-lhe o dedo a toda a hora. É ilusivo. E aqueles de vós que buscam uma evidência clara – vocês vão remar contra a corrente por se achar presente, mas ser tão ilusivo que realmente precisarão abrir-se para o poderem perceber.



Se alguma coisa não suceder exactamente conforme tiverem planeado, em vez de dizerem: “Eu falhei,” digam: “Aprendi outra maneira.” Não existe coisa alguma como fracasso. O fracasso, conforme lhe chamam, está somente a desviá-los numa nova direcção. Se não funcionar, estará a dar-lhes a entender o seguinte: “Não deposites a tua energia aí, deposita-a noutra parte qualquer.” E tal como a face do universo está a mudar, também a vossa face está a mudar.



Bom, eu vou avançar uma afirmação e vocês irão interpretá-la – “Há uma pessoa neste aposento que tem o mesmo aspecto que tinha há dez anos.” Ora bem, se isto lhes der a entender que estejam envelhecidos, se lhes der a entender que estejam a perder a memória, se estiver a dar-lhes a entender que devam ter um aspecto horrível, estarão a interpretá-la segundo a personalidade do ego.



Mas tal não é a vossa realidade. Cada um dos vossos rostos possui um brilho mais profundo do que tinha há dez anos. Os vossos olhos estão mais nítidos e claros, quer estejam a usar óculos ou não. As vossas mentes acham-se mais expandidas, por não poderem trabalhar na luz sem que isso suceda. Mas a forma com interpretarem iso fará toda a diferença. São todos belos e bonitos, a menos que pensem que estou a ofendê-los. (Riso)



Vocês são instrumentos do poder divino. Utilizem o poder que lhes foi conferido. Da próxima vez que tiverem um palpite, ou um pressentimento, prestem-lhe atenção. Da próxima vez que disserem: “A minha intuição está a dizer-me…” prestem-lhe atenção.



Por ser a vossa mente supraconsciente que lhes está a dar uma cotovelada. “Presta atenção.” E isso representa a luz a operar. Gostaria de ouvi-los dizer o que pensam possa ser a pior coisa do mundo exactamente neste momento.



Respostas: “A indiferença,” “A calúnia,” “O medo,” “O abuso infantil,” “A bisbilhotice e a condenação,” “A raiva.”



Grande parte disso não acontece. Enquanto quanto disso irão acreditar? Quando foi a última vez que bisbilhotaram acerca da vida de alguém? A coisa fica-se por isso, gente. Quando foi a última vez em que se irritaram? Lembrem-se de que a raiva só tem legitimidade por um período de trinta segundos, após o que não deixará de ser inflação do ego. Bom, agora quero que me digam qual a coisa mais estupenda que exista hoje no mundo.



Respostas: “Mudança,” “Amor,” “Mestres formidáveis,” “O crescimento,” “A luz.”



Certo. Qual foia diferença que sentiram relativamente ao que sentiram quando falavam acerca das coisas boas? Não tiveram qualquer problema em indicar-mas, tiveram? Mas relativamente às pesadas, precisaram parar para pensar. Precisaram escolhe ruma, sabem? Sigam a luz. Sim, estão a acontecer coisas horríveis no vosso mundo exactamente neste instante, a todos os níveis. É a marca da besta, das atitudes bestiais do homem – o que representa um verdadeiro insulto para as bestas por não serem assim em absoluto. (Riso) Todavia, quando se permitem adoptar a vossa energia bruta que não é orientada em nenhum sentido, criam bestas. Mas quando a Bíblia menciona a “marca da besta,” é a este tempo que se refere. A ausência de escrúpulos do: “Ultrapassa-me na autoestrada e eu dou-te um tiro na cabeça.” Essa é a marca da besta. Ora bem, toda a besta de quatro patas tem uma razão para agir como age. Só que por vezes o homem não tem.



Não devem juntar-se à energia demorando-se nela. Não devem juntar-se-lhe tornando-vos nela, falando constantemente acerca dela. Não enterram a cabeça na areia fingindo que não exista quando se recusam a permanecer no seu âmbito constantemente. Isso é preservarem-se e manter a vossa energia onde possa mudar o que sucede e torná-lo melhor. Assim, aquilo que vão passar a fazer a partir de agora, quando alguém lhes vier ao encontro e disser: “Ouviste dizer que Buzz, buzz, buzz,” vocês dizem: “Não estou interessado,” ou então: “De que forma se poderá ajudar?” e não apontar o dedo de acusação.



Lembrem-se de que quando se colocam na posição de condenação terão violado a lei. Por o juízo proceder das sete leis universais e vós não precisam julgar ninguém. O direito divino que têm do discernimento faculta-lhes a escolha entre querer uma coisa ou não, por ser um direito que lhes assiste. Mas quando vão além disso e começam a condenar e a apontar o dedo da acusação, estão a criar laços cármicos para o futuro. Abandonem o material pesado do dever, deixem as coisas da causa e do efeito a cargo da lei da Causa e Efeito . Aquilo que causam, bem e mal, é o que irão obter. Se choramingarem e se lamentarem e prosseguirem, isso irá ser tudo quanto conseguirão na vossa vida. Se se dispuserem a dizer: “Era assim, mas é assim que vai passar a ser, “ vocês alteram a coisa. E uma das coisas importantes a reconhecer é que, quer gostem disso ou não, a energia da mudança acha-se sobre o universo. O que significa sobre vós.



Mas a mudança é no sentido da longevidade, é o sentido da consciência mais elevada, a mudança é o sentido de uma maior capacidade de prover para vós próprios, a mudança é no sentido do despertar da parte maior de vós que existe.



Não desistam, meus amigos. E não deixem que o que sucede por este mundo for a seja a vossa realidade. Deixem que seja a vossa sensibilização. E por favor, não deixem que eu os ouça dizer que não cerram as portas por o espírito ir tomar conta de vós. (Riso) Isso causa-nos enormes dores de cabeça! (Riso) Vocês formam uma equipa.  Se deixarem o vosso carro aberto com as chaves no canhão da ignição, não se venham queixar ao espírito por lhes terem assaltado o carro. Precisam ir de encontro até ao meio do caminho. Isso é senso-comum. Além do mais, se não fecharem o carro e algo suceder, a política dos seguros que impera no vosso mundo poderá recusar-se a pagar. Por isso, não ponham sobre os nossos ombros aquilo que é um dever que têm. Pois então! (Riso)

Alguma pergunta?



Pergunta: Quando as coisas começaram a vir ao de cima e a abrir-se para com a luz conforme estão abrir-se a diversos níveis, isso foi verdadeiramente positivo. O que entendo que estejas a dizer é que deixemos a luz vir ao de cima mas para não nos metermos muito em conversas relativamente a isso, só deixar que venha ao de cima.



A luz é positiva seja onde for que pouse. A luz pronuncia-se quando toda a gente diz: “É um mundo terrível, aquele em que vivemos,” e em vez de dizerem: “Pois é, pois é, pois é,” dizem: “Não me parece.” A luz ter-se-á pronunciado, e vocês têm o poder de fazer com que aumente. Não se podem desligar da responsabilidade física que lhes cabe pela mudança espiritual. Por outras palavras, se estiver a chover e vocês disserem: “ Bem, eu vou mudar isso e não vou levar o guarda-chuva,” terão falhado na parte física que lhes cabe no negócio, por assim dizer.

Mais alguma pergunta?



Pergunta: Tenho uma pergunta acerca das mudanças da terra que se podem verificar na nossa área, que tipo de inverno iremos ter?



O inverno que vão ter será um pouco diferente, este ano. Irão ter mais alguns períodos de frio, e irão ter neve, só de uma forma esporádica, não constante. Poderão descobrir que a estação das chuvas de que gozam na área da Califórnia sofre uma mudança. Notarão que as estações se estão a misturar umas com as outras. Ja não existe mais uma definição clara entre as estações, por estarem a aprender a tornar-se tipo numa só estação. Os  padrões atmosféricos alteram-se para que a natureza se altere e o homem consiga sobreviver. Muitas das chamadas “mudanças” já ocorreram. Mas amenos que se trate de um terramoto ou de um vulcão, ninguém pensará que represente uma mudança.



Estão a ocorrer mudanças ao nível do governo – de gosto duvidoso em determinadas situações e horrível noutras – mas está a decorrer mudança e toda a estrutura do vosso universo. A mudança não se dá por toda a parte, ela acontece em todos os sentidos. Percebam que elas fazem parte das mudanças da terra. Elas fazem parte da limpeza, do barramento, do trazer à tona. A fervura tem que ser levada até ao fim e precisam lancetar antes de curar. E muita coisa que “ferveu” no vosso universo, por assim dizer, está a vir à tona de modo a poder ser tratado e alterado. E é disso que se trata.



Pergunta: Poderás falar acerca da água? É evidentemente de grande benefício para nós mas estou muito preocupado com o que está a suceder-lhe.



A primeira coisa a entender acerca da água é; quanta estão a desperdiçar? A responsabilidade pela preservação da água começa nos indivíduos.



Toda a gente presume que venha a estar presente. Virá sim, mas poderá estar tão por baixo que não consigam chegar-lhe, a menos que iniciem algum processo de conservação. Todos os movimentos alterarão o subsolo e em muitos casos abrirão novos suprimentos de água no subsolo. Está tudo no início do curso. Se respeitarem a água, sempre disporão de água.



Pergunta: Previram para o ano 2000 a falência do computador, e como isso se afigura tão assustador.



Bom, esse é um papão formidável para atirar a alguém, se o quiserem aterrorizar. Vão a correr comprar mais 87 novos artigos para corrigir isso, e deixar alguém fabulosamente rico. Em vez de se preocuparem com isso, comecem a projectar: "Não será obrigatoriamente assim" (ri). Dispõem de muitas mentes brilhantes no mundo que irão descobrir como contornar isso.



Pergunta: Como estará o nosso adorado Bill?



Ah, o vosso adorado Bill está ocupado! Ele despendeu dois dias no estado de sono que lhe induzimos (ri) e agora está a trabalhar. Por isso, o vosso adorado Bill está dar-se bem e provavelmente aparecerá em todos os vossos grupos em diferentes alturas por saberem que ele os ama a todos.



Pergunta: Será culpa vossa ou nossa o facto de termos chuva ácida? (Riso)



Isso não é coisa nossa! (Riso) Lembrem-se do seguinte: Tudo constitui um círculo. Aquilo que poluem aqui desloca-se para cima, dá a volta e volta sob uma outra forma, mas regressa a vós. Aqui, uma vez mais, façam o favor de ter respeito pela atmosfera ambiental do vosso mundo, por isso fazer uma enorme diferença no vosso futuro. E recordem também o seguinte: por vezes é "tempo" de uma espécie, e não me refiro aos humanos... por vezes, tal como o dinossauro, certas coisas optam por partir e voltar mais tarde  numa forma diferente, talvez na mesma espécie. Sabiam que descobriram dinossáurios vivos? Não são muito grandes nem se tornarão muito grandes, mas toda a estrutura se acha presente. Lembrem-se que até mesmo a natureza se recicla só que p faz com muito menos lamúria e berros do que os humanos. Assim, saibam que o futuro é bom.



Pergunta: No Inverno passado, na Flórida, fez muito frio e chuveu a maior parte da estação. Como irá ser este ano?



Provavelmente praticamente da mesma com alguns dias ensolarados. A Flórida está a passar pelo seu período de atolamento neste momento, com água em excesso.



Bom, não me refiro a dietas bizarras, nem nada disso. O que implica é uma consciência interior do valor dos alimentos à medida que a vossa consciência aumenta. Já o afirmei antes e vou reiterá-lo uma vez mais -- lá pelo ano 2000 muitos de vós utilizarão pelo menos 5% mais do cérebro do que têm usado. A média das pessoas utiliza cerca de 10% por esta altura, mas algumas pessoas irão chegar a utilizar 15 ou 20 ou mesmo 25% do seu cérebro lá por volta do ano 2000, devido à expansão da energia que se verifica nelas. Novos factores celulares que uma vez mais trarão empregos e pesquisa etc. Muito mais consciência nos casos em que as vitaminas estiverem em causa e provavelmente muito menos ingestão delas à medida que os padrões da alimentação alcançarem um equilíbrio por uma questão de necessidade para muita gente.



Todo este ponto no tempo está baseado na polaridade. Todo este ponto no tempo está a trazer de volta o equilíbrio ao universo. E isso é importante por terem ficado desequilibrados e assim isso irá mudar. Juntamente com isso abrir-se-ão novos empregos. Sempre que alguém tira empregos, algo surge para criar novos. Abre-se uma nova porta, por assim dizer. Não tenham receio de fazer algo de diferente do que tenham feito até aqui. Este será um tempo em que poderão fazer qualquer coisa, por assim dizer.



Pergunta: Eu só queria dizer o brigado (pronunciado com muita emotividade)



Não tens de quê! Mantém apenas essa energia.



Pergunta: Tem sido referido ao longo dos anos que na casa do Pai há muitas moradas. Nós dissemos numa delas actualmente e o Bill Burke vive noutra. Poderias explicar mais ou menos algumas dessas outras moradas que existam?



Bom "moradas" é termo empregado simplesmente para explicar alguma coisa. São níveis de consciência. O Seu nível de consciência actual é um que suplanta o nível de consciência que tinha no plano físico. Por a sua vida ter sido dedicada à cura, ele provavelmente continuará nessa via. Não “provavelmente,” ele está a dar continuidade. O outro nível da consciência... Vós passastes por muitos níveis de consciência só neste compartimento na última hora. Lembrem-se de que os ensinamentos usavam o poder de ilustrar. Se o homem pudesse ver a sua consciência como um corpo, conseguiria compreender isso. Se a conseguisse ver como uma cor, conseguiria entendê-lo. Assim, os ensinamentos teceram todos os diferentes níveis das palavras para descrever a existência. E tudo quanto existe é uma substituição de consciência. Quando atravessam os chakras, passam por níveis de energia, e elevam a consciência com cada um deles.



Na tradição Huna, mencionam doze corpos. Os doze corpos constituem as doze consciências. Todo o ensinamento lhes diz a mesma coisa através de um vocabulário diferente. Quando vocês penetram no meu mundo, penetram no que é chamado Planalto Claro, o qual constitui simplesmente um espaço destinado a levá-los a relaxar, a ajustar-se. A partir desse ponto, de acordo com aquilo que estiverem a fazer, estarão a elevar a consciência até no meu mundo, até que atinjam o lugar que quiserem ocupar ou com aquilo que estiver a suceder. E é importante que as pessoas compreendam isso. Não param de crescer por deixarem o vosso receptáculo físico para trás.



Pergunta: O Frank suscitou uma questão interessante. Será possível que quando algumas pessoas façam a sua transição, vivam num mundo de fantasia e nem cheguem nem perto de ver o que se encontra do outro lado?



É. Nós temos uma pequena senhora que esteve no nosso mundo pelo menos uns bons 25 ou 30 anos e ainda anda em busca da Igreja Metodista. (Riso) E não o digo para a ridicularizar, mas tão só para ilustrar a mentalidade dela, "O que Deus devia representar" de modo que lá anda em busca dela. Eventualmente descobrirá que já a terá aqui e então ficará contente, entendem? Entretanto, ela é amada e sente-se feliz e está a fazer o que lhe compete, à espera tão só dessa igreja, entendem? Lembrem-se de que trazem convosco aquilo que é do vosso conhecimento.



Pergunta: Se alguém pensar que depois de morrer irá para um lugar mau, experimentará desconforto?



Não existe "inferno" conforme o concebem.



Pergunta: Mas mesmo que pense que venha a experimentar alguma coisa, não haverá maneira...



Ninguém da banda da luz irá deixar que alguém se afunde. Há auxiliares em maior número do que poderiam alguma vez imaginar. Mas o subtexto do contracto, a Lei da Causa e Efeito diz: "Que tipo de pessoa foste tu," por ser isso que irão encontrar, senão nesta vida na seguinte." Entendem o que estou a dizer?



Pergunta: Quando falecemos teremos que proceder a uma revisão da vida vivida? Leio que experimentamos a forma como as nossas acções terão afectado as pessoas...



No vosso processo de entrada são julgados por uma pessoa -- vós. É nessa altura em que as pessoas vêem toda a vida que levaram diante delas, por assim dizer. Por estarem ainda em busca de algo que tenham feito de bem ou de mal, necessitam disso, entendem? Quando se encontram no meu mundo trabalham convosco próprios. Se não tiverem uma visão com respeito àquilo que as coisas realmente são, então irão trabalhar convosco próprios a fim de se auxiliarem a descobri-lo.



(Continua)



Manhã de domingo com Julian

Seguido de

Cerimónia de encerramento

O primeiro encontro de luz



Da autoria de Julian

Nova Iorque, Setembro de 1998

Direitos de Autor: 1998 June K. Burke



Quão agradável vê-los a todos de novo. Assumo que tenham desfrutado do vosso tempo juntos e pelo que me é dado ouvir decidiram passar mais um tempo juntos. E para encorajarmos esse tempo juntos na presença do Criador, passaremos agora a acender a vela de Deus. E gostaria que repetissem comigo:



A partir de todo o poder, de toda a luz, invocamos o poder da força criativa do universo.

Assim seja.

Obrigado.



Agora, com base no poder e na presença da força criativa do universo vamos começar por reclamarem aquilo que são, todos. Vou pedir à Patrícia para nos conduzir inicialmente uma vez mais na Canção do Círculo. Ouvirão em silêncio a Patrícia e depois a música irá repetir-se e todos cantarão em uníssono.



Música – A Patrícia canta O círculo de luz. A seguir o grupo canta.



E vocês pensavam não ser capaz! Quando estiverem em casa, peguem nestas palavras e escutem-nas de verdade quando as cantarem, escutem a valer aquilo que as palavras dizem, pois isso fará uma enorme diferença. Compreendam que embora me tenham dito que seja bastante difícil por causa da forma como a concebi (riso) digo “venci!” por o terem conseguido!



As tonalidades que aqui usamos prendem-se com o tecer da luz de uma maneira universal. A fraseologia constitui uma dedicação à tecelagem universal da luz, de modo que comporta uma tecelagem bastante significativa, e certos tons que alcançaram entram em ressonância de certo modo com o universo. Por conseguinte é tudo dotado de propósito.



ACERCA DA MANIFESTAÇÃO


Ora bem, talvez uma das coisas que fosse bom falarmos nesta manhã fosse o propósito. O propósito precisa ser edificado com base em alguma coisa, não representa termo que sirva apenas a ser cogitado, nem é algo que possam referir em termos: "O propósito que tenho é o de..." Precisam interrogar-se qual o propósito que têm. O vosso propósito consiste  se tornarem no melhor de que forem capazes. O que não quer dizer tornar-se no mais rico nem no mais popular, numa celebridade. Não significa nada disso. Tampouco refere tornar-se no mais humilde. Por isso representar igualmente um embuste, não é? (Riso) Tornam-se demasiado susceptíveis. O que significa é: "Para onde é que me estou a conduzir a cada dia que passa?" E, "Que será que espero que tal actividade me traga?"


Definir um propósito para a vossa vida não é algo que possa ser armado em betão, mas coisa composta de uma belíssima fluidez e flexibilidade. Quando estabelecem um propósito... O propósito que aqui os trouxe foi o de virem a este retiro. E que foi que ocorreu? Um monte de variadas coisas teve lugar, por ter sido essa a direcção ou propósito que foi estabelecido. Reunir as condições financeiras, decidir percorrer toda a distância de carro ou de avião, decidir o tempo que iria estar, decidir o que vestir. Tudo isso poderá parecer demasiado mundano mas na realidade, fez parte do propósito que os animou. Portanto, na realidade, até que definam u propósito não têm o que planear.


Quando anunciam um propósito para o dia de hoje, precisam decidir que haja alguma coisa que venham a efectuar. Isso pode não passar de uma simples declaração do género: "Este é um dia em que me vou permitir não fazer nada, e não abrigar qualquer sentimento de culpa." Toda a gente tem a  ideia de que para serem produtivos precisam estar permanentemente em acção. Mas por vezes precisam voltar atrás e sentar-se durante um tempo sobre a folha do nenúfar, sobre o lago, para poderem obter aquilo de que necessitam para avançar no que for que queiram avançar. Parte de todo o plano, parte de todo propósito passa por tirar uma folga. É quando se afastam disso que obtêm uma perspectiva sóbria e clara do rumo que está a tomar. Enquanto estiverem profundamente imersos nisso, não conseguem ver com clareza.


O propósito que me anima nisto é de lhes ensinar a arte de criar propósito na vossa vida. Não procurem torná-lo grandioso. Pode ser tão simples quanto dizer: "Hoje vou-me lembrar de comprar um par de cordões."


As pessoas na sua humanidade tornaram o sucesso uma outra coisa... o sucesso para elas significa a coisa mais elevada e o melhor. Pois bem, muitos dos mais elevados e melhores encontram-se num terrível mau estado, e encontram-se a perder as faculdades mentais por os terem empurrado para posições cimeiras em relação às quais não sabem como funcionar de outra maneira. Uma pessoa que jamais se distancie da situação ou função que assume, conforme referem no vosso mundo, jamais chega a estar centrado, mas anda num delírio.


Quero igualmente que pensem em termos de criatividade. Em que consiste a criação? Que coisa é a criatividade? É alterar a face de uma coisa qualquer. Ser criativo significa mudar a forma de pensar. Ser criativo significa permitir-se perceber que possuem poder em vós capaz de mudar as coisas e que lhes permite alterar a vida que levam.


Portanto se reunirem propósito e criatividade, e ambas essas coisas operarem, então ter-se-ão conduzido por completo a uma situação de manifestação. Porque precisam acreditar naquilo que pretendem manifestar. Precisam permitir-se não pensar que não o consigam manifestar. Precisam perceber que assim que puserem a manifestação em marcha ela venha a concretizar-se se deixarem de a cutucar, de estar sempre a procurar confirmar. Porque toda a vez que vão verificar estão realmente a dizer: "Não acredito que possa acontecer, não acredito que possa realmente acontecer." Assim, se o propósito estiver estabelecido, então por meio da aceitação do poder que possuem e do facto do propósito se manifestar na sua forma apropriada - notem que refiro forma apropriada -  dar-se-ão conta dele chegar a ocorrer na vossa vida.


Assim que deixarem de temer, o sucesso chegará a vós. Somente quando temem não conseguem ter nada, quando receiam que não lhes seja permitido fazer alguma coisa, é que chegam a cerrar a coisa entre grades de ferro. No momento em que confiarem e acreditarem no poder que têm, o qual representa o poder do Criador em vós, tê-la-ão posto em movimento, e ela terá que se precipitar (manifestação).


Agora; tenham uma coisa em mente, quando desejam alguma coisa na vossa vida e querem manifestá-la, aceitam a capacidade de o fazer. Mas também aceitam a responsabilidade que lhes cabe por isso. Assim, tenham cuidado com o que querem manifestar por obterem o "pacote" por inteiro. Conforme será do vosso conhecimento, por o ter referido inúmeras vezes, não há meios "pacotes". 

Assim, pensem cuidadosamente naquilo que querem manifestar e lembrem-se que conquanto devam concentrar-se no que manifestam, precisam ter a certeza de o quererem de verdade, não precisam envolver-se demasiado nisso, por o universo vir a tentar manifestar aquilo que querem. Mas se o que quiserem for tão restritivo que não possam aceitar outra coisa senão isso, isso poderá levar mais tempo a manifestar-se. Mas se disserem: "Isto é o que preciso, e é o que gostaria de ver acontecer na minha vida,", as portas abrir-se-ão e isso virá por vias que nem sequer imaginavam que poderia chegar-lhes. Por conseguinte, confiem na actividade de manifestar que conseguem controlar, mas pelo amor de Deus, deem um pouco de margem de manobra ao Criador Maior. (Riso)


Pergunta: Será possível que manifestemos tantas coisas na nossa vida em relação às quais tenhamos responsabilidades conflituosas pelo facto de as manifestarmos? Ou a questão passará pelo manifestar de forma que não obtenhamos responsabilidades conflituosas?

Julian: Vocês reflectem nisso antes de começar.


Pergunta: Quererá isso dizer que (?) alguma coisa que queiramos manifestar?

Julian: Se disserem: "Eu gostava de ter isto," não será errado dizê-lo. "Eu pensei mais na coisa e percebi que não seria o melhor. Agradeço o esforço mas não nos preocupamos com isso." O que a maioria das pessoas tem maior dificuldade em perceber é que quando a verbalizam, a coisa é escutada. As vossas orações são escutadas, os desejos que têm são escutados. E enquanto estiverem dispostos a fazer parte da equipe, a coisa irá ter lugar, entendem?


O problema está em que por vezes as pessoas fixam-se no facto de que ocorra da forma esperada que acabam por perder todas as vias por que poderia chegar a ocorrer. Alguém diz: “Quero ter esta coisa e tem que ser como eu quero e de nenhum outro modo.” No entanto poderão existir múltiplas formas por que pode chegar a vós que não percebem e ter-lhes-ão cerrado a porta ao insistirem que lhes venha por essa forma. Uma coisa maravilhosa a manifestar na vossa vida é: “Que o que for adequado e perfeito no sentido do máximo benefício que possa colher e para a melhor das interacções com o meu semelhante possa ocorrer.” Isso estende-se por uma pletora de áreas, de modo que poderão usar uma afirmação dessas a fim de conseguirem confiar na manifestação. De seguida poderão ser mais específicos relativamente às outras coisas à medida que forem avançando.


Pelo amor de Deus, percebam o seguinte – só podem manifestar para vós próprios. Se tentarem manifestar para alguém mais e forem específicos, poderá acontecer que isso não seja o melhor para ele ou ela, e aí estarão a interferir com a capacidade que tenha de ser responsável (de responder) por ele ou ela própria. O que não quer dizer que não possam orar pelo bem-estar de mais ninguém, não significa que não possam orar: “Pai, permite que abra o coração para a melhor orientação que puder obter.” Não faz mal. Mas quando começam a orientar-lhes a vida através do processo de manifestação, aí incorrem em apuros, por ainda precisarem assumir a responsabilidade pelo que ocorre. Poderão levar a vida de alguém a irromper mas isso será responsabilidade que vos diz respeito, e aí estarão a assumir padrões ou laços cármicos. Por isso, todos precisamos ser cautelosos quanto à utilização que fazemos do poder.


Entendam uma outra coisa – à medida que elevam a consciência, à medida que crescem ou se cultivam e se difundem, à medida que levam a luz a todo o lado, também irão tornar-se mais conscientes, cautelosos, e vão ver a manifestação a ocorrer num piscar de olhos. (Na verdade Julian estala os dedos e manifesta um júbilo quase infantil) Estão a ver como já aprendi a fazer isto? (Riso) Oh meu Deus. Estou a tornar-me bom! (Riso)


Aquilo que precisam entender é que têm responsabilidade pelo vosso poder. Agora, infelizmente o termo “poder” e o termo “força” muita vez suscitam ideias de domínio sobre o semelhante. Mas não é desse poder nem dessa força que falamos. Referimo-nos ao Deus em vós que constitui o vosso poder, à mente supraconsciente, a mente da força criativa do universo. Esse é o vosso poder. E têm o direito de o usar. Foi para isso que passou a existir. Quando falamos de força, referimos o poder posto em acção. Não significa forçar ninguém a fazer o que quer que seja. Significa conduzir o poder à parte de vós mais elevada e colocá-la ao serviço de uma causa activa. Quando isso sucede, torna-se numa força que auxilia a manifestação. Há uns anos atrás exibiram um filme em que usavam a expressão: “Possa a força estar contigo,” e eles sabiam aquilo de que estavam a falar. Existe efectivamente um poder em vós que precisam permitir-se usar.



Lembram-se de eu ter referido antes que a humildade não constitui necessariamente um trunfo? A razão disso está em que grande parte da humildade seja falsa. É assim: “Eu sou humilde…” enquanto a ideia pende para: “Eu hei-de apanhar-te!” Ou, “Eu sou humilde, mas…” e logo tem início a intriga, juntamente com “isto” e mais “aquilo,” de modo que se torna no tipo de humildade que eu digo que esqueçam! Humildade significa aceitação. Não conseguirão alterar seja o que for até que aceitem a situação em que se apresenta. Se aceitarem que se encontram neste instante doentes, então disporão do poder e da força para a alterar e para ficarem melhor. Não aceitam a doença como padrão permanente de viver, aceitam a capacidade que têm de lhe  frente no momento à medida que a conduzem à mudança.



Se tiverem uma moeda de dez centavos não estarão falidos. Deixem que o poder e a força concedam poder e força a essa moeda para que possa multiplicar-se. Entendem?



Humildade significa aceitar que estão reduzidos a uma moeda, não quer dizer aceitar que isso represente a vossa vida. Significa que a partir dessa moeda, muitas coisas poderão florescer. Quando uma semente é deitada à terra, ela é profundamente enterrada onde não penetra qualquer luz. Fica num estado de transformação dormente, contudo o seu instinto básico consiste em procurar a luz. Podem colocar um pavimento sobre a semente, podem despejar cimento, dêem-lhe tempo e ela irromperá, cada pedacinho dela, na direcção da luz. E vocês são uma semente, uma semente dotada das trevas do não saber. Mas se buscarem a luz sabem que irão irromper através seja do que for que lhes seja colocado na vida e chegar a alcançar a luz. Por possuírem o poder para tanto.



Bom, nós temos usado bastante o termo “luz”. Fazemos livre uso dela mas sabemos o que significa. Alguém mais poderá não fazer ideia do que significa, mas vocês explicam-lhe que representa uma situação de felicidade, uma condição boa e de produtividade. Lembrem-se que cada um de vós é um mestre, e conquanto não forcem ninguém, se suscitarem uma abertura, explicam o significado da luz, entendem?



Quero que saibam que ao se dirigirem para casa depois desta conferência, levarão convosco o maior facho, a maior lanterna, que alguma vez tenham tido. Tudo quanto precisam fazer é acendê-la e dizer “Eu sou.” Quando afirmam “Eu sou,” acendem esse facho de luz com que conseguem distinguir tudo e fazer qualquer coisa, por serem a luz. Todos nós, por vezes -- e refiro “nós” por me encontrar temporariamente num corpo físico – todos nós por vezes nos perdemos por locais de trevas e não distinguimos a luz. É nas alturas em que nos sentimos em baixo, diminuídos, rejeitados, nas alturas em que sentimos tudo quanto pode ser contra produtivo, e nessas alturas vocês afirmam o “Eu sou” de modo que a luz possa vir revelar-lhes o caminho.



Toda a situação por que passam na vida existe por uma razão. Pode assentar em padrões cármicos que tenham trazido a fi de trabalhar, podem ser lições de desenvolvimento da alma que tenham pedido para alcançar, assim como poderão ser apenas dois caminhos que se cruzem na noite. Pegam em cada incidente que se dê na vossa vida e procuram o ponto de luz que contenha e mudam-no e alteram-no. Lembrem-se de que o crescimento procede das situações difíceis, e não das fáceis. Toda a gente é capaz de acreditar em tudo quando tudo corre de feição. Mas assim que algo passar a correr mal, “Ena pá!” Aí tudo foi varrido da memória. Mas á aí que têm que se deter e dizer “Eu sou,” de modo que essa luz venham e percebam não estar mergulhados nas trevas em absoluto, mas somente com os olhos fechados. Abram os olhos e permitam-se ver. Isso leva-os a passar por todos os propósitos e manifestações e conquistas que querem passar a ter.



Perguntava-lhes uma coisa. Lembrem-se de que o homem cósmico se posiciona assim (braços estendidos e pernas afastadas) Ele tem um pé de cada um dos lados  do factor polar. Agora é capaz de perceber o mal e o bem e tem consciência de se encontrar na perfeita combinação de ambos, que representa a moderação e a situação adequada. A chave reside no equilíbrio. Lembrem-se de que dissemos muitas vezes que até mesmo o bem se pode tornar numa coisa negativa. Podem amar alguém de tal forma que cheguem a sufocar a pessoa e a matá-la. Retiram-lhe toda a iniciativa, tiram-lhe toda a capacidade de confiar em si mesma e isso não é uma óptima forma de amor. Esse amor terá excedido o meio termo e pendido para o lado obscuro.



Lembrem-se de que positivo e negativo constituem coisas maravilhosas. Caso jamais tenham experimentado algo de negativo na vossa vida, jamais saberiam que possuem aspectos positivos. Jamais seriam capazes de identificar que possuem uma coisa de carácter positivo. E se nunca tiverem conhecido nada de positivo, pensariam que o mundo seja todo péssimo. O objecto disso é a polaridade. E não existe uma só coisa na criação, uma única coisa que tenha sido criada que não possua polaridade (dualidade) no seu seio. Por isso tornem-se numa semente, e descubram a luz. (Riso) Tornem-se numa lanterna, acendam-se. Não me importa como o façam, mas vejam o objectivo disso como equilíbrio e como utilização  do poder que Deus lhes deu para manifestarem aquilo que querem.



Se ganharem grandes quantidades no campo dos negócios ou no campo financeiro ou algo do género, não pensem que vá continuar para sempre. A polaridade tem que se revelar. Quando atingir o ponto que tenha atingido sobre o homem, ocorrerá a polaridade a fim de conduzir isso ao seu ponto de equilíbrio normal. Quando estabelecem um acordo de negócios, reflectem nele e manifestam, de modo que não vão  conduzir-se a uma situação em que se vejam colmatados pelos joelhos mesmo quando pensam… Tudo na vida comporta polaridade. E a situação em que querem ver-se, A terra Prometida proverbial, mesmo no meio. Mas é essas que vão tentar tornar num alvo no futuro.



Pergunta: E no mundo, onde não exista qualquer densidade, estará toda a gente ainda a tentar o equilíbrio?



Julian: Sem dúvida. Tudo quanto tenha sido criado possui essa polaridade e busca uma identidade. É por isso que por vezes as coisas explodem, por ter ido demasiado além do equilíbrio e não ter sido capaz de refazer o ponto de equilíbrio. De forma que ou tende a inverter ou a explodir. Isso também representa a polaridade em funcionamento. Isto não representam coisas assustadoras, mas constituem simplesmente o equilíbrio que precisam seguir na vossa vida.



Pergunta: Recordo que disseste que quando aceitamos o facto de nos encontrarmos doentes podemos recobrar a saúde.



Julian: Exactamente. A primeira coisa que fazem é alterar o padrão do vosso pensamento e parar de usar declarações repetitivas tais como: “Estou doente, estou doente, estou doente.” Toda a vez que dizem isso estão a manifestar doença. A seguir precisam interrogar-se quanto à forma como têm vindo a utilizar a doença. Que é que pensam que a doença lhes esteja a trazer? E que tipo de processo manipulativo está em operação para deixarem que o vosso corpo desempenhe o papel de os “apanhar”. Compreendem?



Precisam considerar o pensamento íntimo e a forma como estão a lidar da saúde. Mas a primeira coisa é que precisam deixar de chamar a vós próprios doentes. Aceitam o facto de não se sentirem bem – é tudo quanto precisamos, é a aceitação, é a humildade.



Dizem: “Aceito o facto de que não me sinto bem, mas não aceito isso como um padrão permanente na minha vida. A partir de agora vou dizer que estou “melhor. Posso ter estado doente ontem mas hoje sinto-me melhor.” Enquanto se tiverem na conta de doentes, andarão adoentados.



Agora; não estamos a negar a existência de doenças no mundo nem o facto das pessoas se debaterem com elas. Mas podem fazer por melhorar ou podem aceitar que não tenham concerto e que vão morrer. Mas não estou a falar acerca da morte. Estou a dizer que se incapacitam de tal forma com a doença que deixam de desfrutar da vida e passam a ver tudo negativo. Passam a encarar toda a gente como negativa e a única conversa que têm é acerca da doença de que padecem. Isso vai muito além do equilíbrio e precisa ser restaurado. Quando o conseguem, conduzem-se para fora de uma situação dessas. Mudam o pensar. E tenham em mente que o pensar é seguido pelo falar. “Eu penso-o; eu digo-o; eu faço-o.” Por isso, quando pensam e apregoam a “doença,” tudo quanto o vosso corpo é capaz de fazer é adoecer. Quando pensam e afirmam o “bem-estar,” estão  a alterar o padrão de forma a admitirem afirmações mais concisas e a plasmá-las em saúde.



Muita gente não percebe que faz uso psicológico dos problemas de saúde para evitarem ser alguma coisa que desejam ser. Isso soa a uma afirmação invertida.  Mas muitas das vezes… Digamos que uma pessoa queira ser um sucesso. Caso pretenda ser reconhecida e conhecida e sintam não estar a consegui-lo o suficiente, decidem precisar proceder a uma análise lógica do facto de não estarem a consegui-lo. “Bom, claro que não o consigo por me encontrar demasiado doente.” E começa a manifestar doença atrás de doença. Caso uma dor de cabeça seja curada, começará a ter dores de cotovelo. E se o cotovelo for curado, começará a ter dores nos pés. E isso prolongar-se-á até ao infinito. Ela está a ciar essa enfermidade, e está a faze-lo com basse numa necessidade que geralmente tem origem no pensar que não sejam suficientes em qualquer aspecto. Por isso, existe uma diversidade de níveis que precisam considerar se quiserem mudar o padrão da doença. Actualmente não se pode viver no passado. Toda a energia deste período se centro em torno do progresso.



Vocês vão avançar em frente. Se continuarem a olhar para trás aí vão permanecer na estagnação e não saem de onde estão e vão perder a coisa toda. Precisam permitir-se aceitar que o que imperou no passado não vai ter que imperar no futuro. E quanto mais fizerem isso, mais falarão do vosso lado positivo. Quanto mais buscarem situações que os aprisionem, melhor e mais prontamente elas se apresentarão.  Há imensa ajuda no mundo. Possuem o vosso campo médico, as vossas vitaminas, o exercício, possuem tudo quanto necessitam para os ajudar a recobrar o equilíbrio. Mas se continuarem a inventar desculpas para deixarem de o fazer, com base na crença de que não obtenham sucesso, deitarão a perder uma maravilhosa oportunidade de desfrutar de algo apenas pelo puro prazer de o fazer.


ENERGIA, CARMA E ASTROLOGIA 

Todo o vosso universo inteiro é governado por leis universais, leis que se acham em vigor e que afectam o homem (…) vibração. Por outras palavras, há determinados princípios (…) e claro que o fluxo é um deles. A causa e o efeito é outro, que constitui uma outra forma de corrente, entendem? Assim, lembrem-se de que o que a vossa energia produz constitui um magneto que atrai a vós, de novo, aquilo que tiverem produzido. A mente é tudo e essa é a direcção da força.

Para eu poder entrar neste mundo e poder debater alguma coisa convosco, eu preciso ter uma forma de manifestação que possa usar e este corpo torna-se na forma manifesta. A minha orientação mental é capaz de fazer uso do factor mental dela (instrumento), por assim dizer. Eu sou uma força ou essência, e ela é a manifestação. O vosso pensamento é uma essência que é conduzido à manifestação por acção da orientação (que lhe imprimem). Aquilo que pensam virá a ser. Mas não o podem pensar unicamente aqui (cabeça); precisam pensá-lo aqui (coração). “Assim como o homem se julga no seu coração, assim também ele é.”

(NT: Alusão a Provérbios: 23:7 “Somos aquilo que pensamos ser.” Se o nosso pensamento for pequeno, logo seremos pequenos, se pensarmos em grande seremos grandes)

Jamais se contentem com uma mentalidade similar; confiram-lhe um pouco de sentimento. Muitas vezes uma pessoa dirá “Eu quero fazer isto, eu quero fazer isto, eu quero fazer isto…” mas no seu íntimo não querem. E depois dizem: “Mas… não está a manifestar-se, não sei porquê.” Por não terem tido tempo para se conhecerem o suficiente para saberem que não é o que elas querem. Regem-se pelo que os outros dizem que devam querer.

Eu quero dizer mais uma coisa. Os vossos ritmos, na união mística do amor, muitas vezes criam biologicamente um outro ser. Quando a mãe carrega esse ser, ela comporta uma vibração dentro de outra vibração. Quando pela primeira vez carrega esse ser as vibrações podem tornar-se num factor de irritabilidade. E assim resultam períodos de náusea, tontura, etc. E assim ambas as vibrações começam a tornar-se no jeito uma da outra, conforme vocês dizem, e qu8ando isso sucede, subitamente uma bela manhã tudo está bem. E a vibração passa a ser um reflexo da mãe, mas claro que também do pai, por a vibração ser tanto da mãe como do pai, e desse momento em diante a consonância da criança no nascimento tem início. É uma coisa muito bela de observar, e eu quero que tenham consciência disso.

Agora, se a vossa vibração, através da orientação mental se tornar num magneto que lhes atraia alguma outra coisa, então também deverá ter uma força que emane de vós, e tocará a pessoa que estiver junto a vós e ao redor. Quantos de vós mediam no mesmo sítio todos os dias? Chegam a sentir o sítio? Esse sítio torna-se num oásis da vossa energia; é um sítio em que se podem sentar e sentir-se absolutamente confortáveis; a meditação aí tornar-se-á cada vez mais fácil por representar o oásis da vossa energia. A vossa força magnética terá produzido o vosso ninho, por assim dizer. Alguém mais aproxima-se e senta-se nessa cadeira, e poderá sentir desconforto, por sentir literalmente que esteja a sentar-se no vosso colo. É apenas isso, por parecer que estejam no território de alguém.

A razão por que estou a tocar nisto – é amplamente impossível que dentro do escasso tempo e que dispomos os possa ensinar completamente seja de que modo for com respeito aos vossos próprios ritmos e correntes universais, mas posso lançar-lhes as sementes, por assim dizer, de modo que possam prosseguir e identificar-se de uma forma mais cabal, e consequentemente ao serem capazes de se identificar de uma forma mais plena com o semelhante, descobrirem uma maior harmonia e felicidade para vós próprios. Se conseguissem imaginar ainda que por um instante no que a vossa vibração pode conseguir…! Ao vibrarem e criarem ao vosso redor um oásis de energia, e se alguma pessoa dotada de uma energia afim fizer o mesmo, e uma outra e mais outra… Entendem o que queremos dizer quando falamos de “Rede de Luz” presente ao redor do mundo? E eu afirmo-lhes que ao redor do mundo por esta altura se está a formar uma rede de luz. Em relação a tudo quanto lerem ou escutarem de negativo, nada temam, por a luz estar em operação – e vós sois luz.

Pergunta: (Ininteligível)

A vossa vibração alterar-se-á para a de outros através do intercâmbio dessa vibração. Por outras palavras, a pessoa não precisa ser uma cópia de carbono vossa para estarem em consonância com ela. Mas precisa possuir suficientes campos magnéticos em si mesma que se combinem com os vossos para a tornar numa coisa harmoniosa. Se existirem suficientes, os outros tornar-se-ão numa menor fonte de irritabilidade à medida que o tempo for passando. Alguma vez terão notado que chegam a conhecer alguém e que inicialmente ela poderá apresentar alguma coisa de que não gostem? Passado um tempo começam mesmo a esquecer que ela apresentava isso por se tornarem confortáveis com ela. É o mesmo princípio que o da mãe e filho. À medida que as vibrações se acostumam uma à outra, mais capazes serão de se combinar e de operar em coordenação.

Pergunta: (Pergunta relacionada com as vibrações universais)

É-se bem-sucedido por acção da projecção mental. Não existe aqui uma pessoa na sala que não possa ser um êxito total. Só que precisa acreditar que pode. Assim que acreditar que pode, sê-lo-á.
Ora bem, recordam-se de eu lhes ter falado da formação da vossa energia por meio dos padrões do destino, ou dos padrões do desenvolvimento da alma. Quando entram na terra vocês escolhem as lições de cariz do desenvolvimento da alma e os padrões cármicos a que desejam dar resposta. Isso representa a criação de metade da vossa energia, de modo que sejam atraídos para esses carmas. A segunda metade dessa energia é moldada pela configuração dos céus. Designam a vós próprios um signo, dizem: “Qual é o teu sol?” Isso significa indagar acerca dessa metade da vossa vibração. Por essa ser a energia me que nasceram que cria a estrutura emocional que os conduz e auxilia a abranger as áreas do desenvolvimento da alma que escolheram.

E se uma pessoa tiver vindo, digamos, para a prender acerca da autoestima, ela irá ser colocada em posições em que terão que aprender autoestima. Se estiverem aqui a fim de aprenderem (cultivarem) a paciência, serão colocados numa posição ou situação em que terá que aprender a ser paciente, e se não o aprender em criança, irão aprendê-la com um mestre, e se não aprenderem com o professor irão aprender com uma esposa ou esposo, etc., (e isso apresentar-se-lhes-á constantemente) até que procedam à transição, caso não o tenham aprendido. Se o aprenderem, então (os desafios) deixarão de existir, entendem? Mas essa é a energia que é empregue para os ajudar a crescer na alma.

É por isso que, quando olham aquilo que chamam de mapa astrológico, vocês estão a ver um roteiro da vossa energia. E pela observação da rotação dos céus saberão o que esteja a suceder nesse roteiro. Agora, isso não significa que esse roteiro indique “Aqui tu ganhas e aqui tu perdes…” o que ele indica é que num determinado ponto as energias apresentam-se fortes e noutro apresentam-se fracas. E os maiores pesares que sinto em relação à astrologia do vosso mundo deve-se a que tudo seja orientado para o negativo, sabem? Para todas as coisas más: “Meu Deus, aqui vai sair de cena…” E entretanto, todas essas maravilhosas transições terão sucedido, que poderiam ter empregado tornando-as no pináculo da sua vida, mas tê-las-ão ignorado por completo, por terem ficado à espera DAQUELA significativa, por assim dizer, a má, não é?

Por isso, por amor de deus, encarem a vida pelo espelho positivo, por ser isso que é necessário. Não podem – NÃO PODEM – encarar a vida negativamente e vê-la resultar num êxito, porque assim como pensarem assim encontrarão.

Pergunta: (Relacionada com o instrumento, ou médium)

Ela é uma pessoa muito forte. Se ela recobrasse lembrança tornar-se-ia num factor muito desgastante. Ela é ensinada num outro nível, não é que ela não seja tratada, por não se permitir que sacrifique a quantidade de tempo que sacrifica, sem que passe por um contínuo desenvolvimento da alma. E assim, ela é tutelada num outro nível, de modo que esse sacrifício tenha uma retribuição, por assim dizer. Mas ela não precisa recordar tudo o que é dito. Isso é ego! Não é necessário recordá-lo; se acreditarem na informação e ela for verdadeira, não precisarão sabê-la (de cor e salteado). Aceitam simplesmente o facto de serem serventes do Pai, e deixam-na fluir.

Agora, se escolherem por saber optam por se manter no plano consciente, e simplesmente canalizam a informação sem essa perda do estado consciente, só que a atraem para uma vibração que é consciente.
Pergunta: Será isso a diferença entre o velho continente do Egipto?

Aquilo que também quero que entendam, as tribulações por que passam no vosso mundo, os altos e baixos por que passam, ou os chamados tempos desaforáveis constituem as iniciações do templo deste mundo da nova era, está bem? Vocês não são egípcios, e não têm que passar pelas iniciações egípcias, por estarem a passar pelas vossas próprias iniciações. Usem-nas; rejubilem com elas, e saibam que são iniciados desta nova era. Isso é o que é importante. Não tentem voltar atrás – fiquem aqui; essa é a forma por que poderão mudar o mundo. Não podem conseguir voltando atrás.

Agora as vossas energias vão ser muito importantes, durante os próximos dez anos dos ciclos iniciais da mudança de energia já se deram. Detiveram-se em Setembro de 1980 por altura do equinócio de Outono. A alteração inicial da energia teve lugar por volta de 23 de setembro do equinócio de Outono. A segunda ocorreu por altura do solstício do Inverno. E agora no equinócio da Primavera terão a vossa terceira, e a vossa quarta ocorrerá neste mês em que se encontram, actualmente, creio que por volta de 22 ou de 21 de junho, no solstício do Verão. E durante os próximos dez anos, por essas mesmas quatro alturas do ano dar-se-á uma mudança das energias do (vosso) universo. E as razões disso é que os levarem a acostumar-se gradualmente a elas. Porque se se alterassem todas a um só tempo vocês ficariam em bocados, entendem?

Agora nessas alturas muitos de vós passam por diversas coisas. Algumas pessoas têm a sensação… e emprego a expressão “perder o comboio,” e em que para vossa confusão tudo parece andar para trás. Aqueles que estiverem mais em sintonia (harmonia) passarão pela sensação da rarefação de alguma coisa; podem muito em acordar e de repente saberem que sabem alguma coisa só que não sabem o quê. Os psíquicos tornam-se mais rarefeitos e adquirem maior clareza; os curadores começam a canalizar uma energia mais concisa – trata-se de uma intensificação para uma vibração mais elevada e um preparo para a nova era.


Em 1982 o alinhamento planetário terá início. Lá por volta de 1986 achar-se-á completo, o que significará que aquilo que normalmente seria disperso com respeito ao vosso sol, no sentido lateral achar-se-á agora num quadrante. E isso irá alterar o campo magnético, as alterações do campo magnético provocam uma intensificação da inclinação do eixo. Ele está a inclinar-se neste mesmo instante, mas inclinar-se-á ainda mais rapidamente por essa altura. E de 1986 até à era de 1990 ou à faixa de 2000, a inclinação do eixo prosseguirá, em que ocorrerão mudanças, etc. Agora, com a inclinação do eixo dar-se-ão implosões e explosões, simplesmente devido à lei do deslocamento, entendem? Tudo o que vem acima deverá apontar para algo que irá para baixo. Se quiserem que a Atlântida se erga, precisarão deixar que algo mais se afunde.

 Mas, a propósito, a Atlântida está a erguer-se. Por volta de 2050 tê-la-ão completamente acima da água, e irá tornar-se completamente exequível, conforme vocês dizem, mas aquilo que cumpre recordar é que as alterações que se operarem na Terra acham-se presentes devido à recolocação ou reposição da Terra. Toda a mudança ou alteração que traga ao de cima algo que tenha estado submerso, tal como na água, ou outras massas terrestres, trás à atmosfera novos elementos, nova vegetação, uma nova capacidade de alimentar, nutrir e crescer. Aquilo que tiver sido maligno será conduzido a um período de repouso. Acima de tudo rejubilem pelas crianças que nascerem nesses tempos, porquanto durante os últimos cinco anos não terem nascido senão almas velhas. Tão pouco alguma alma penetrará nesta vida, nesta nova era, que não tenha a natureza de uma alma antiga. O que quer dizer que têm vindo a encarnar desde o começo dos tempos e que colectivamente possuem uma enorme sabedoria. E encontram-se aqui a fim de salvar o universo. Mas também deverão colher as retribuições (benefícios, recompensas) da acção pioneira da nova que vocês exercem. Por isso, jamais… eu ouço alguém comentar “Ah, pobres crianças dos tempos actuais.” Mas isso é extremamente sádico, por eles serem tão afortunados por serem crianças da nova era! Eles representam a luz do mundo. Actualmente está uma enorme sabedoria a vir ao mundo, pelo que devem rejubilar por eles; não fiquem a lamentar-se por causa deles.



SUPER HERÓIS


Esta noite vamos tratar de um outro tema. Da vossa condição de heróis.
Há muitas interpretações que podem dar a essa condição de heróis (...) mas curiosamente, cada um de vós (...) se torna numa outra pessoa; (...) torna-se numa pessoa diferente em diferentes alturas, no decurso da vida, e torna-se numa outra pessoa; por vezes, mesmo no decurso do dia-a-dia, através de múltiplos actos. É como usar múltiplos chapéus que os leve a tornar-se numa mãe ou num condutor, em que cada papel apresenta uma identidade própria a que se ajustam e que evocam a partir do vosso ser interior. Por isso eu afirmo que são heróis, por constituírem múltiplos seres num só. Contudo, há também a condição de herói inerente ao processo evolutivo - àquilo para que se estão a dirigir.

Quando mencionamos "condição de heróis" isso condu-los à impressão de uma pessoa muito poderosa, muito inteligente e muito especial, mas de qualquer modo não parece que se vejam como uma pessoa muito especial. Assim, o primeiro passo rumo à conquista da vossa condição de herói consta de se verem como uma pessoa especial.

A maioria das pessoas perspectiva unicamente cerca de metade do potencial que tem, ou da capacidade cerebral que tem, e utiliza cerca de metade desse potencial durante o seu tempo de vida, sempre a pensar que só consiga atingir determinado patamar, ou que seja demasiado tarde, ou qualquer coisa assim. Mas a questão está em que, no decurso do vosso tempo de vida, existe um processo de energia em operação em vós que os move na direcção do futuro, e que lhes está a abrir facetas de vós próprios e que os está literalmente a levar a tornar-se mais daquilo que são.

E no momento actual, acima de qualquer outro, isso faz-se sentir. Toda a gente anda, segundo o que poderão designar, inquieta. Toda a gente sente a necessidade de mudança, a necessidade de algo de diferente nas suas vidas, uma nova projecção de si mesmas. A dificuldade que isso apresenta neste momento está em que isso também apele ao esquecimento, ao pôr de lado, em parte na vossa vida, e em parte a vós próprios. E isso por vezes traduz-se por uma atitude, outras vezes por um padrão de pensamento, e outras ainda envolve uma coisa factual.

A natureza da era de peixes era a de conseguir, adquirir e manter. A natureza da era de aquário é a de avançar; não é a mesma energia que diz: “Eu tenho que chegar a tal situação, antes de ti (…) e aferrar-me a ela.”

Mas assim que chegarem à posição a que pertencem, os vossos sentidos irão (…)
Neste tempo de evolução, o homem, o homem irá realmente começar a aceder a essa qualidade heroica do ser, o que significa que a mente vá atravessar uma frequência mais elevada e uma maior expansão. O coração irá realmente perceber o que o amor significa. O corpo irá deparar-se com um significado completamente diferente para se manter em continuidade, ou seja, um novo olhar sobre a vida material. O despertar espiritual da vossa natureza interna irá fundir-se com esse despertar emocional e mental, de modo que irão tornar-se numa pessoa que vê para além do conhecido...

Isso poderá parecer um tanto ameaçador, por os levar a pensar: “Como irei viver num mundo como o de hoje com essas coisas a suceder-me? Mas precisam lembrar-se que estão a suceder a toda a gente. Não que tenham consciência do que se está a passar, mas por não terem consciência disso, tornam-se um tanto indisciplinados, e querem mesmo descartar tudo e tentar algo de novo, sem que o entendam, ou podem entender mas (…) e sentir necessidade de avançar. Portanto, terão que ser menos (…) para lançar obstáculos ao vosso redor.

Mesmo na actualidade existem seres heroicos; aqueles que são governados pelo que está além do normal – ou do que se considera normalidade, por a normalidade consistir numa fluência – estado de coisas, por assim dizer. Há quem esteja disposto a recompensar-se. Não se encontra aqui ninguém que não consiga criar isso, não há aqui ninguém presente que seja incapaz de aprender para além do que já conhece. Não há aqui ninguém presente que não seja capaz de perfurar o véu existente entre o invisível e o visível. O herói não conhece limites (…) isso foi durante muito tempo aceite como normalidade, para de novo ser aceite como realidade (…)

Mas neste processo evolutivo há coisas que poderão fazer que os ajude ao longo do percurso, e algumas poderão ser aquilo em que particularmente não pensam em relação a ser um herói, porque uma das coisas que são muito importantes é que sejam capazes de aceitar em vós próprios mesmo aqueles que não estejam a despertar. Não pode haver condenação nem separação, pelo que precisarão dizer: “Não faz mal” (…) para se esforçarem por ser heróis por isso residir no pôr de lado os preconceitos e os ódios, abrir mão da falta de confiança em vós (…) Se constantemente andarem a dizer: “Não posso; eu não consigo, não consigo crescer, isto é tudo quanto consigo ser…” não estarão a acreditar em vós, não estarão a confiar em vós, e por isso irão precisar suprimir isso em vós próprios.

Assim que decidirem que o mal não os vá governar...

Versão lado 2

Aquilo em que podem tornar-se, aquilo em que estão em processo de se tornar. Ora, já falamos disso anteriormente, durante a energia de 1988, e agora vamos falar disso no âmbito da energia de 89, que difere ligeiramente das energias de 88, devido à escalada que a energia sofreu. Por um momento vão achar que me repita, mas isso justifica-se para que aqueles que venham a escutar isto mais tarde, compreendam a energia em que se encontram actualmente. A espiral da evolução para a era de aquário foi lançada, por volta de meados do ano, foi lançada em pleno verão do ano de 88 e a pressão fez-se presente. Desde meados de 88 toda a gente começou a sentir-se inquieta, começou a sentir-se forçada a mudar, forçada a trazer novas coisas à sua vida, forçada a retirar algo às suas vidas. Por outras palavras, foi posto em marcha um impulso para uma maior versão de vós, para uma versão de vós mais equilibrada e mais segura.


(Continua)

Tradução: Amadeu António

Direitos de autor © 1998 Saul Srour

Autores: Rev. June K. Burke e o Seraphin Julian

Sem comentários:

Enviar um comentário