segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

OS EFEITOS NOCIVOS DE UM PATERNALISMO EXCESSIVO




Tradução: Amadeu Duarte

...Muitas vezes os pais comprometem a confiança das crianças ao repetirem interminavelmente aspectos negativos, tais como: “Não faças isso,” ou “Não faças aquilo.” Na verdade acabam por ameaçar os filhos, embora geralmente não compreendam o que estão a fazer.

Uma mãe poderá dizer: “Não corras, ou poderás cair,” ou “Não fales tanto, ou as pessoas não te suportarão.” Em qualquer dos casos, muitas vezes as crianças crescem com a noção de que o comportamento adequado consista principalmente no evitar da dor. Ensinam ás crianças a reprimir as emoções em vez de as expressarem.

Torna-se importante que os adultos desvendem tais exemplos na sua própria infância. Quando adultos (não) conseguirão moldar um tipo de pai ou mãe compreensivo na sua própria mente, até conseguirem sentir simpatia pelos seus próprios comportamentos adoptados, e até que percebam que a vida em si mesma consiste numa expressão – e não numa repressão.

Tais padrões negativos na infância levam a que, quando adultos, sintam medo da liberdade – por parecer que a liberdade pareça implicar numa ameaça para com a vida e a saúde. Há pessoas, claro está, que jamais chegam a deixar-se cair presas em tais ciclos de infelicidade mas em vez disso permanecem exuberantemente livres e saudáveis. Mesmo assim, a saúda para a maioria das pessoas significa uma ausência de doença, em vez de um estado de exuberante bem-estar, desafio, e satisfação.

A exuberância parece ser qualidade que pertence unicamente à infância ou à juventude – contudo, a exuberância constitui em vez disso a marca de uma vitalidade saudável. A marca de uma natureza sem entraves, e herança de todas as criaturas vivas. É na direcção da exuberância vagamente recordada que muitos adultos se voltam com uma sensação de perda e de nostalgia.

Os pais podem torna-se particularmente conscientes dessa sensação de alegria perdida ao observarem os seus adolescentes nas suas brincadeiras naturais. As brincadeiras de criança são de extrema importância para o desenvolvimento da criança – e quando brincam, as crianças utilizam aqueles requintados poderes da imaginação, da confiança, e da expectativa que fornecem o manancial para o crescimento e a satisfação.

As pessoas exuberantes são felizes. Elas apreciam a riqueza e a variedade da vida. A muitas crianças, todavia, é incutida, por parte dos pais, uma suspeita quanto à exuberância e ao bom humor. E é-lhes ordenado, em vez disso, que fiquem caladas, que sejam bem-educadas e obedientes.

Os animais podem mostrar-se obedientes para com os seus donos, e ser saudáveis e exuberantes ao mesmo tempo, mas nos termos da natureza, independentemente do que os costumes sociais possam defender, ninguém conseguirá ser obediente a um senhor e ser saudáveis e exuberantes ao mesmo tempo.


As pessoas anseiam naturalmente pela liberdade, como as plantas anseiam pelo sol. Sem uma dose saudável de liberdade e de exuberância a própria vida parecerá perder o significado.

Seth in “Sessões Pessoais” 14 Dez. 83

...As pessoas precisam ser intrinsecamente livres, ou começarão a entravar a própria expressão. Começarão a tomar a via da negação e da repressão, e a começar a tornar-se progressivamente temerosas de expressar os seus próprios talentos ou faculdades. Muitas vezes os pais promovem tais ideias ao ensinarem aos filhos que vivem num mundo de insegurança, repleto de inimigos. Tais crianças tornam-se amedrontadas em tenra idade quanto aos próprios ímpeto que sentem rumo à expressão. Temem, uma vez mais, a liberdade, por para elas a liberdade implicar perigo e mesmo perigo mortal.

Tal repressão revela não só no mundo físico do comportamento mas actua igualmente no mundo interior do próprio organismo, reprimindo aqueles órgãos que conduzem ao movimento físico. Os jovens podem mesmo chegar a reprimir os seus próprios processos mentais, dado temerem as próprias inclinações, e temerem agir com base nos pensamentos que têm. Para escaparem ao conflito existente entre o pensar e a acção, tais jovens poderão unicamente permitir que tais pensamentos se desviem para as instruções-padrão convencionais.

Os seres humanos, assim como todas as criaturas, nessa matéria, têm um forte ímpeto interior no sentido da acção e da expressão. Se alguma coisa impedir essa suavidade natural e coordenação, então todos os aspectos da expressão serão de uma ou de outra forma impedidos. As células e os órgãos e músculos e ossos crescem todos através das expressões naturais características dos seus géneros. Há uma ordem espontânea que lhes dirige os movimentos e os conduz sempre em frente para uma contínua expressão e realização.

Em verdade, grandes faculdades criativas, atléticas e sociais existem de forma inerente dentro de cada pessoa humana. Cada uma possui, pois, a capacidade de ser um génio a vários níveis. Tais faculdades poderão permanecer amplamente latentes agora – mas não obstante fazem parte da herança humana.

No presente poderão representar meros ideais distantes, contra os quais a humanidade se mede, no entanto muitas deles podem efectivamente ser realizados no mundo tal como se apresenta, se ao menos as pessoas tomarem mais consciência das faculdades de expressão que possuem, de modo que a direcção principal das suas vidas se torne expressiva em vez de repressiva.

Seth in “Sessões Pessoais” 16 Dez. 83

Sem comentários:

Enviar um comentário