quinta-feira, 21 de março de 2013

SOBRE A EXPECTATIVA


...
A expectativa faz parte do talento e da condição de estar vivo – não só viver e respirar, inalar e exalar, mas estar vivo, entendem? É uma parte muito importante da sanidade e de facto da genialidade
A expectativa tanto pode nutrir como aliviar a depressão, o desespero, a falta de esperança de que padecerem. A falta de esperança mata, gente! A falta de esperança é mortal, fisicamente mortal. As pessoas que não têm esperança morrem, e isto não é apenas uma metáfora nem poesia mas bastante literal. E a expectativa tanto pode favorecer - se estiver por baixo, se estiver em falta, se estiver em desequilíbrio – tanto pode favorecer a depressão, o desespero e a falta de esperança, assim como a insanidade que cerca tais casos - assim como poderá aliviar esses três estados e por conseguinte produzir sanidade. 
 
De modo semelhante a expectativa tanto pode obstruir como desimpedir a convicção, a coragem, a perseverança e a paciência, tão essenciais à genialidade, tão essenciais, não ao nível da genialidade intelectual, mas à verdadeira genialidade inerente ao viver a vida. Cada aspecto desses é essencial: a coragem, a convicção, a perseverança, assim como a paciência – prestar atenção com uma maior intensidade; olhar mais de perto – tudo quanto envolve a genialidade! E a expectativa tanto pode obstruir, se for de fraca intensidade, como desimpedir. Do mesmo modo, pode enfraquecer ou despertar o vosso próprio desejo, a vossa própria imaginação, o vosso sentido do sonhar, o vosso sentido da visão. Mas gente, estes quatro ingredientes: a imaginação, o desejo e é claro a expectativa, o sonhar e o ter visão são essenciais à genialidade e a esse tipo de sanidade no vosso mundo. E a expectativa tanto pode enfraquecer isso de forma deixardes de ter muito de cada um desses quatro componentes, como pode despertá-los.

Do mesmo modo tanto pode produzir como aliviar a ansiedade e o estresse que cercam os vossos fracassos, e muito mais a ansiedade e o estresse que vos cerca os êxitos. Quando criais um sucesso brilhante, sem expectativa, tem que se revelar aterrador, por apresentar um sabor extraordinário e não estardes certos de o suportar, de o manterdes e de durar. Se não esperardes que o amor resulte na vossa vida e conhecerdes alguém por quem vos apaixoneis, isso deve tornar-se na coisa mais aterradora que possivelmente imaginareis – muito mais assustador do que uma rejeição suplementar, mais um beco sem saída! 

Entendam, sem expectativa o sucesso pode parecer a coisa mais aterradora; o fracasso, comparativamente parecerá coisa fácil, um divertimento, muito embora por certo também produzam estresse e ansiedade, se não tiverem expectativa. Só que muito mais em relação ao sucesso. Mas se tiverem expectativa, poderão aliviar tudo isso, tanto em torno do fracasso como em torno do sucesso.
É-vos essencial à capacidade de reunir, à limpeza, ao pensar e ao sentir e à elaboração de uma vida. Para poderdes reunir e limpar, romper e limpar com o passado, e pensar sentir verdadeiramente da forma que precisais pensar e sentir já que isto não refere mais nenhuma prática, mas envolver a elaboração da vossa própria vida, da vida que sempre desejastes – a expectativa desempenha um papel! 

A expectativa é-vos essencial à saúde, e à longevidade. A expectativa? Sim! É quando vos dizemos que é danosa quando é promovida artificialmente, quando empregais o hurra-hurra e vos convenceis em relação a ela e ela falha ou vos sentis frustrados ou o que quereis provoca conflito.
Pode-vos resultar fisicamente prejudicial, gente. Sim, emocional, etérica e mentalmente é suficientemente danoso, mas fisicamente encurta-vos a vida.

As expectativas fazem doer, produzem temor, são causa de prejuízos, produzem dor e prejudicam-vos. É por isso que o acto de a promover artificialmente, é por isso que a conversa fiada do hurra-hurra no sentido de vos convencerdes – muito embora não produza um belo e mesmo um poderoso resultado, o mas das vezes não o consegue. E quando não o consegue torna-se prejudicial.

Primeira questão: No vosso organismo acham-se quatro tipos de sais minerais que são essenciais à vida; essenciais ao processo da eletrólise, essenciais à química do organismo – em relação a toda a função; o sistema digestivo, o sistema linfático, o sistema hormonal, o sistema endócrino; há quatro tipos de sais essenciais: o potássio, e magnésio, o cálcio e o sódio. E esses sais necessitam encontrar-se em equilíbrio, uns em relação aos outros. Se se acharem em desequilíbrio, podeis cair mortos. Sem qualquer hipótese de vos reabilitar, sem hipótese alguma de vos colocar num hospital e de vos tratar. Morreis!

Porque, quando o processo da eletrólise se encontra em desequilíbrio o coração pára, e vós morreis. A Karen Carpenter, que padecia de anorexia. Ela não morreu de anorexia. Ela morreu por o nível de potássio que tinha se encontrar tão baixo que o seu coração deixou de funcionar. Ela não morreu por se encontrar demasiado magra, mas de uma condição cardíaca que já lhe tinha consumido grande parte da resistência, mas por o processo de eletrólise se achar desequilíbrio.

Muita gente, antes dela, quando pela primeira vez apareceram as dietas de líquidos ricos em proteínas, tinham níveis tão reduzidos de potássio - ou nenhuns - que as pessoas comiam quatro e cinco refeições de proteína líquida ao dia, e estavam a morrer! Mas outros ainda, não em situações tão bizarras, em todo o caso, quando o potássio falta ao processo, ou quando o magnésio ou o cálcio ou o sódio faltam ao sistema, o vosso processo de eletrólise (linfática) fica em perigo.

E o estresse (tensão, pressão) e a ansiedade provocados pela fraca expectativa, e a quebra da expectativa, o cinismo, a insegurança, o medo, e até mesmo o exercício do direito e do controlo, a ansiedade que certamente comporta, esses problemas, como o estado de virilidade, produzem o estado de desespero, produzem aquele estado de falta de esperança, produzem as quebras na expectativa, por mais bombeada que seja, por mais apressada que possa ser, por quando não resulta colidir, e quando colide pode atirar com o vosso processo de eletrólise para fora da ordem. E no vosso mundo actual, em que tanta gente anda a tomar potássio, por perceberem que é perigoso ter baixos níveis de potássio... mas em que tendes uma sociedade em que toda a gente cultiva o “baixo nível de sódio”, nenhum sal, dietas sem sal – para certa gente, talvez seja susceptível de avaliação, mas... e de facto, no vosso mundo, em que é dito às mulheres que precisam é de cálcio...Pois é, outrora também lhes diziam que precisavam de ferro, recordam-se? 

Ferro – que agora até mesmo os vossos médicos vos dizem que faz aumentar muitíssimo as probabilidades de cancro - e ainda apelavam a uma dose extra de ferro para as mulheres!
Do mesmo modo é-vos dito que precisais de tomar muito cálcio para evitardes a osteoporose - uma doença feminina. Na verdade ao agir desse modo aumentais os vossos níveis de cálcio, de modo que quase assegurais uma condição qualquer de osteoporose por vos tornar os ossos quebradiços. Sim, necessitais de cálcio, mas necessitais que esteja relacionado com o magnésio. Mas o magnésio provoca-vos diarreia, pelo que as pessoas não querem tomar magnésio - ou então somente quando têm o intestino desequilibrado - mas em todo o caso, em resultado disso as pessoas estão artificialmente a alterar os seus níveis de sais, e depois, quando acrescentais a expectativa que brota do desespero e da falta de esperança, a dor que produzem, pode - e já o fez no passado - levar as pessoas a cair para o lado mortas. Certamente que vos encurta a vida; tira-vos anos de vida.
Desta perspectiva: “Ah, lá mais para a frente, quando lá chegar eu preocupo-me.” Não preocupais, não. Por não chegardes lá para vos chegardes a preocupar! (Riso) Mas em todo o caso, afecta os níveis de sais minerais e altera-vos o equilíbrio – em geral não o suficiente para produzir esse tipo de resultado, mas o suficiente para causar instabilidade nos humores, comportamentos irregulares e reacções emocionais erráticas, que assim que o equilíbrio dos níveis de sais é restabelecido, as reacções químicas desaparecem. 

Similarmente, o que sucede quando vos encontrais sob uma condição de uma ansiedade formidável, quando vos encontrais num estado de tremendo estresse, são várias coisas. 
Antes de mais, a tiroide deixa de funcionar, desliga-se, em resultado do que cria uma condição hipertiroidismo, em que se esforça por operar, a despeito do facto, ou hipotiroidismo, em que desiste e deixa de funcionar. Quando a vossa tiroide deixa de funcionar é evidente que a vossa glândula do timo entra em colapso como se sofresse um desmaio e deixasse de estar presente. O vosso organismo sobrevive; mas as vossas glândulas adrenais começam a funcionar por elas próprias assim como pela tiroide, e as pessoas começam a funcionar com base nas adrenais o tempo todo. E para conseguirem tal coisa, as adrenais precisam libertar não só adrenalina como também libertam cortisol. Ora bem, o cortisol constitui a produção natural que o organismo gera do que artificial e sinteticamente resulta na cortisona.

Quem quer que contraia bursite ou dores nas articulações sabem que os médicos receitam injecções de cortisona nas articulações para aliviar a dor – não para curar nada, reparem, mas somente para suspender ou entorpecer a dor. É um anestésico por sua própria natureza. É um esteroide, não um esteroide anabolizante, mas um esteroide ainda assim. E também gostaríamos de sugerir que é prejudicial à saúde.

O cortisol corrói o coração, o fígado e o pâncreas - os três órgãos principais do organismo e além disso provoca danos no cérebro, na neuro transmissão da informação que se gera no cérebro; não o suficiente para notardes num destes dias, mas no período de toda uma vida encurtar-vos-á o período de vida.

A vossa tiroide entra em colapso, o vosso timo entra em colapso, as adrenais assumem o controlo e bombeiam-vos o corpo inteiro com cortisol a fim de entorpecer a dor e criar essa sensação falsa de calma, essa falsa sensação de estardes no comando. O que também acontece desse modo é que o vosso fígado passa a ter que funcionar mais e para o conseguir esgota a glucose do vosso sangue, e dessa forma move a reacção dos baixos níveis de açúcar no sangue, e ao provocar isso, em particular no caso das mulheres, também provoca o que é designado, ou o que pelo menos nós designamos por despejo de estrogénio: situação em que subitamente o vosso organismo, as hormonas do vosso organismo, em resposta à diminuição da glucose no vosso sangue descarrega estrogénio, e sugeriríamos aqui que as proporções e o nível em que o estrogénio é descarregado se torna evidentemente prejudicial.

Mas como podereis constatar, pelas publicações actuais, estão por fim a dizer que o estrogénio vos aumenta o risco de cancro. As mulheres que se submetem a terapias de estrogénio aumentam o risco de cancro, embora reduza a possibilidade de ataque cardíaco e da osteoporose conforme dizem – mas não e verdade! – mas no entanto convencem muito boa gente ao proclamarem tal coisa. Mas pelo menos dizem que a parte que tem correspondido à verdade são as descargas de estrogénio e o quão pouco saudáveis são.

Mas isso também se pode dar nos homens; vós também tendes níveis de estrogénio, e nessa medida, quando vos encontrais num estado de estresse extremo e de ansiedade extrema e quando as expectativas caem abruptamente, a química do vosso organismo altera-se ao longo do sistema, e gostaríamos aqui de sugerir que isso é perigoso, porventura não de imediato, mas prejudica-vos. Além disso, os três órgãos principais, o coração, o pâncreas e o fígado, quando a expectativa cai abruptamente ou se apresenta por baixo, num estado de desespero, num estado de falta de esperança, ao nível do estado de depressão, altera essa função, e nesse sentido altera o estado de plena saúde generalizado da longevidade.

Do mesmo modo, com relação a isso, quando a expectativa se encontra por baixo ou quando é artificialmente promovida ou composta de qualquer outra coisa que não expectativa, altera-vos a percepção, altera-vos o equilíbrio, não vos faculta o equilíbrio da percepção, o equilíbrio dos próprios pensamentos e sentimentos que tendes. E consequentemente é importante que entre em consideração. 

A expectativa é sem dúvida essencial para os próprios instrumentos com que criais a vossa realidade. É essencial em relação às energias produtoras e de sustentação que utilizais nessa plena manifestação da vossa realidade. É essencial à mudança e ao impulso da mudança que tantos de vós – todos vós ao vosso modo estais a sofrer. Além disso é essencial à sanidade e ao génio de vos encontrardes vivos de verdade – não apenas de proceder aos movimentos, não unicamente de passar pela vida, mas de estar vivos de verdade. É uma parte essencial do limpar, do reunir, do pensar, do sentir e do elaborar da vida que sempre quisestes. Mas também vos afecta a longevidade.
Ah, com certeza que já leram nas mais diversas publicações como aqueles que enfrentaram a morte ou que contraíram doenças terminais e se curaram o quanto grande parte do que se passou se deveu ao facto de verdadeiramente esperaram ficar bem, etc. 

Absolutamente. Não pretendemos desvirtuar nada disso. Do mesmo modo tereis lido casos de pessoas que desistiram por não esperarem melhorar nem esperar ficar curados, nem esperar prolongar a vida – e não conseguiram! 

Sim, é fenomenal, é anedótico e fascinante. Só que importa perceber que é igualmente muito concreto. Importa perceber que a fraca capacidade de expectativa, ou a expectativa artificialmente promovida, e desde logo a expectativa correspondente, que não perdura, acaba por vos causar danos, assustar, prejudicar; quer danificando o vosso próprio sistema endócrino, e portanto, o vosso sistema imunitário; danificando os órgãos principais e essenciais como o coração, o pâncreas e o fígado, assim como também o cérebro, as estruturas dos neurónios, os neuropeptídios. É importante perceber que com uma expectativa instável os níveis de sal do organismo podem apresentar um comportamento errático e desse modo, com base no que puderdes estar ou a deixar de fazer com os sais minerais do vosso organismo, vos pode matar – e que já tem matado gente, que caiu redondinha no chão, e que morreu ao tomar conhecimento de uma enorme tragédia motivada pelo ruir provocado nos níveis de expectativa, mais nos níveis de sais, no processo de eletrólise do organismo e o funcionamento do sistema cardíaco.

Afecta-vos mais ao nível fisiológico; não que pretendamos sugerir que a razão seja mais importante mas para perceberem que a fraca expectativa provoca danos, emocionais, mentais, “Pois, pois, pois, pois, eu sei disso...” e fisicamente; e por certo espiritualmente. E nessa medida torna-se importante. Esse é o mistério, esta é a magia que quando a expectativa pode resultar genuína, consegue ser real,  quando se pode apresentar equilibradamente, do mesmo modo conseguis vós manifestar a vossa realidade, conseguis dispor das energias de sustentação e de produção e de mudança, ganhar ímpeto, e sentireis a sanidade e mesmo o génio do estar vivo e sereis capazes de centrar-vos, de limpar, de pensar e de sentir e de arquitectar essa vida; sereis capazes de ser saudáveis e de prolongar essa saúde e essa longevidade. A expectativa é essencial a essas arenas da vossa vida. E esse é o seu mistério, e por certo tornar-se-á no seu mistério.

(continua)
Transcrição e tradução de Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário