quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A EDUCAÇÃO E A PESSOA NATURAL


Traduzido por Amadeu Duarte

A educação na vossa cultura representa um saco de gatos (com ênfase bem-humorada e ironia) mas a educação não provém unicamente das escolhas, mas também dos jornais e da televisão e das revistas e dos livros, da arte e das opiniões da própria cultura. Geralmente, e para os fins deste debate, existem dois tipos de educação – um que se foca em ensinar a criança a lidar como mundo natural, e o outro focado em ensinar a lidar com o mundo cultural. Obviamente geralmente eles acham-se combinados. É impossível separá-los.


Os vossos sistemas educativos, porém, por todo o idealismo que comportam, acabaram, em larga medida, por asfixiar as inclinações naturais individuais das crianças e por exagerarem, em vez disso, a organização cultural. Tornou-se pois, mais importante que a criança se conformasse com a cultura do que obedecer às suas inclinações individuais naturais. As suas maneiras características de lidar com a natureza foram desaprovadas, de modo que a educação não opera com as capacidades da criança, mas contra elas. Assim, a educação muitas vezes vai contra a semente da pessoa natural.


Isso não quer dizer que certas crianças não se deem muito bem sob o vosso sistema. Não quero dar a entender que as crianças não precisem de educação, nem que uma certa disciplina ou orientação não sejam benéficas. As crianças, porém, concentrar-se-ão horas a fio de cada vez nos temas, e os seus hábitos naturais de concentração sofrem em resultado disso.  

Seth

The Magical Approach

Sem comentários:

Enviar um comentário