segunda-feira, 20 de agosto de 2012

OVNIS



Traduzido por Amadeu Duarte

Pergunta: Parece estar a dar-se uma onda crescente, ou escalada no número de avistamentos ou comunicações visuais que se estão a dar com e a partir dos extraterrestres. Virá isso a sofrer uma escalada ainda mais acentuada?

Resposta: haverá uma altura, sem sombra de dúvida, em que se dará uma aterragem que será provada. Já ocorreram algumas que permaneceram secretas. Existe documentação que deixa bastante clara a existência desses extraterrestres. De vez em quando dão-se avistamentos de OVNIS, com inúmeros avistamentos que são vistos individualmente e colectivamente. Em muitos casos, os extraterrestres estão a proceder a testes. Estão a testar as águas a ver se já será seguro. Até agora foi decidido que não é seguro, que de facto isso causaria demasiado tumulto. Deixaria as pessoas encurraladas.

Actualmente as pessoas podem exclamar: “Ah! Que tolice! Isso é uma idiotice. É uma estupidez. Não existe nada disso!” Mas se uma nave aterrasse e as pessoas saíssem à rua e tirassem fotografias, ou mesmo Polaroides, para o efeito, isso deixaria as pessoas encurraladas. Deixaria as pessoas em que seriam obrigadas a aceitar a realidade de tais seres, e lançaria as pessoas na confusão.

A preocupação manifestada em relação aos extraterrestres não é tanto pela segurança deles. A tecnologia que permite que se viaje através do tempo e do espaço certamente não se verá perturbada pelas vossas armas terrenas. A preocupação tem muito mais que ver com o que vos seria feito a vós. Todos aqueles que não acreditam neles teriam de confrontar os avistamentos exactamente na primeira página do New York Times e na Reportagem Especial da CNN. Gerar-se-ia tal confusão no vosso planeta. Deixaria as pessoas encurraladas contra a parede, e elas precisariam lutar, mostrar resistência, teriam que fazer uma coisa qualquer. Por isso, frequentemente eles testam as águas. Fazem tentativas. Vêm o tipo de resposta que despertam. Quando descobrirem que o tom provocado é tal que as pessoas não “se passem”, conforme o jargão que empregais, e que são capazes de lidar com isso, então dar-se-á uma aterragem. Então, surgirá uma evidência concreta e finalmente uma prova para além de qualquer equívoco de que tais seres existem.

O contacto com os extraterrestres está agora a aumentar. Certamente que alguns aqui se encontram para dar aconselhamento e para apresentar conhecimento, mas também se encontram aqui para aprender.

O vosso planeta está a entrar numa Nova Era. Embora o termo tenha sido sobrecarregado a ponto de não fazer virtualmente sentido nenhum, existe significado implícito, e sugerimos que se trata de um processo igualmente muito excitante o desses seres extraterrestres que se encontram envolvidos no crescimento. Com o surgimento de uma nova consciência, existe um número enorme de seres – físicos e não físicos - que querem juntar-se e testemunhar tal surgimento. Vós já notastes esse interesse crescente.

Pergunta: Por favor, explica um pouco mais esses visitantes dos OVNIS. Teremos alguma escolha em relação a isso? Estarão eles a capturar as pessoas contra as suas vontades?

Resposta: Não, não estão. Vamos responder a isso de uma forma muito rápida, para depois voltarmos atrás e explicar. Já falamos bastante sobre os visitantes que aqui se encontram para vos observar e para aprenderem convosco, talvez bastante mais do que estão aqui para vos ensinar, ou algo do género.

Agora, por favor entendam que existe, em todas as realidades, um contínuo, uma continuidade (Uma totalidade ou extensão ou sucessão não espacial em que nenhuma parte nem porção se pode distinguir das partes adjacentes). Uma vez mais, o preconceito que tendes, autopunitivo contra vós próprios diz que de um modo qualquer, se são extraterrestres, então deverão ser todos bons, devem ser todos seres amáveis e espirituais destituídos de ego. Presumis ser os únicos que têm um ego negativo. Sugerimos que não: O plano físico está crivado e aturdido e abalado de todos os tipos de ego negativo, e o vosso planeta não tem qualquer exclusivo em relação a essa forma de padecimento, não é?

Outros seres físicos também dispõem de ego negativo. Tal como acontece no Reino Humano, em todo o Plano Físico existe um contínuo. Algumas pessoas são excelentes, e outras comportam-se de forma bastante má por razões que se prendem com bloqueios, resistências, e várias outras coisas em que não entraremos nesta altura.

Contudo, existe um contínuo. Sugerimos que outros planetas físicos dispõem do mesmo contínuo. Por isso, aqueles que dispõem de um enorme volume de conhecimentos tecnológicos e são capazes de vir aqui e de observar o vosso planeta, operam nesse mesmo contínuo ou extensão. Alguns são muito, muito bons enquanto outros actuam e comportam-se muito, muito mal. Alguns são arrogantes, incrivelmente arrogantes, nesse sentido. Flutuando nas suas pequenas naves espaciais, eles pensam ser tão superiores a quem quer que seja -  a vós e aos próprios vizinhos deles, com respeito a isso.

Sugerimos que, sim, existem alguns que vos encaram como se fôsseis animais que devam ser testados, de forma não muito diferente da forma como encarais os vossos chimpanzés, ratos, e vários outros animais de laboratório. Esses extraterrestres pensam que seja em benefício de toda a humanidade, pelo que não se importam em fazer-vos isto ou aquilo. Alguns não se importariam de todo nem se incomodariam em pegar em vós e operar-vos e testar-vos só para ver como reagis.

Esses constituem uma pequena minoria, uma reduzida minoria. A vasta maioria nem sequer consideraria tais actividades por perceberem que também sois humanos – não da mesma forma que eles, mas sois igualmente humanos. Possuís sentimentos. Eles sabem disso.

Estais a começar a saber que os animais possuem sentimentos. Seja qual for a filosofia que adopteis em relação aos testes de animais, todos vós pelo menos procedeis a uma estima dos testes que deveriam ou não ser aplicados aos animais. Todavia, a diferença existente entre vós e os animais é a de serdes humanos e esses ETs que vos observam também pertencem ao Reino Humano – não são seres humanos, mas inserem-se no reino humano. Por isso, vós criais a vossa realidade, e, como tal, não: não existe uma única pessoa que tenha honestamente sido sequestrada que não o tenha sido por razões de condescendência a um nível qualquer. Poderá não se situar em um nível de que possais ter percepção consciente. Eles poderão não causar isso, mas permitem a realidade disso. Terão concordado, a um nível qualquer. Terão admitido a realidade disso, a um nível qualquer. Seja por que razão for, eles terão referido que em relação ao facto de serem sequestrados, tudo bem. Poderão agora arrepender-se do acto; contudo, seja o que for que pensem que passaram, terá feito parte da sua própria criação, absolutamente.

Se não desejardes ser colhidos, não sereis, com toda a clareza. Absolutamente. Certamente que não. Por isso, não precisais ter medo se um ET surgir no vosso quintal por isso ser uma indicação de virdes a ser sequestrados contra a vossa vontade. Isso não irá simplesmente ocorrer. Mesmo no caso de serem malevolentes, vós criais a vossa própria realidade! Por isso, tem que estar ligado a uma concordância da vossa parte o facto de serdes sequestrados.

Além disso, sugerimos que devereis entender que existe todo o tipo de extraterrestres. Existe todo o tipo de OVNIS. Alguns pertencem a sistemas planetários diferentes situados no vosso universo; alguns são de diferentes sistemas planetários situados fora do vosso universo.

Também sugerimos que, parte daquilo a que chamais OVNI constituem uma intersecção futura feita junto do vosso presente, ou um deslize através de um túnel de tempo justamente para o vosso presente. Por isso, o que alguns podem observar como objectos voadores não identificáveis pode realmente ser uma nave futura da força aérea norte americana. Pode ser uma nave ou uma embarcação que pertença ao ano 2350 que tenha deslizado por um túnel de tempo e se enfaixe ao longo dos vossos céus de 1988, para a seguir, num clarão súbito, regressar à sua realidade. Em certos dos vossos voos noturnos, podereis dizer com toda a certeza que não “deslizais” para os anos 30 ou 40? Talvez os vossos jatos 747 dos dias de hoje sejam os OVNIS avós de outrora. Não estejam tão certos!

Bom, é um tanto desconcertante, concordamos, para alguns de vós: “Espera lá! Espera lá!” Mas o tempo existe todo em simultâneo. Todo o passado e todo o presente, assim como todo o futuro existe em simultâneo. Por isso, no futuro eles vão aprender a viajar no tempo. De facto já aprenderam isso no futuro! Quando lá chegardes, haveis de aprender a viajar no tempo. Sugerimos que alguns deles estejam a viajar no tempo rumo ao seu passado – tal como nas várias histórias de que dispondes, tal como “Regresso ao Futuro,” e as histórias de viagem no tempo de H. G. Wells, ou seja lá o que for. De onde pensais que essas ideias procedem? Pensais que esses indivíduos inventaram isso a partir do nada? Não; com respeito a isso, eles conseguiram agarrar um pedaço do futuro e conduziram-no ao seu presente para escreverem sobre o deslocamento do seu presente a um passado distante.

Virá a existir uma altura em que a viagem no tempo se dará, e quando isso ocorre, por vezes eles usam túneis temporais, e deslizam por eles, e correm directamente em direcção à vossa realidade. “Nunca tinha vista uma nave com aquela!” Com certeza. Provavelmente não vereis por mais uns 300 anos ou isso. Nesse sentido, por vezes são isso. É um OVNI!

Certos extraterrestres ou objectos voadores não identificados representam o produto da consciência das massas. A certa altura vós, enquanto humanidade, criastes um deus à vossa própria imagem. A gente primitiva da religião criou deuses com caracteres bastante desagradáveis. Alguns diriam que o deus original do vosso Velho Testamento era um tipo bem desagradável e antipático. De acordo com esse testamento, muitos foram os que foram vitimados em nome de Deus de acordo com a história, muitos mais foram abatidos em Seu nome. Quem realmente terá feito o quê? Quem é realmente Deus? Ou terá sido... “Hei, eu falei com Deus na noite passada, e Deus disse-me para te matar”... Caso não queirais tornar-vos responsáveis, culpai o Big Boss que se encontra lá em cima, não é?
No entanto, as doutrinas que foram desenvolvidas retractam esse tipo de energia bastante arbitrária e rancorosa.

Precisais recordar que esse foi o Deus que terá dito que por causa de uma mulher ter comido uma maçã, todas as mulheres de todos os tempos haveriam de sofrer...

Bom, não existe ninguém à face do planeta que carregue um rancor desses por muito tempo...

Também foi esse Deus que disse que precisais sofrer pelos pecados dos vossos pais por três ou quatro gerações. Mas isso é o que as pessoas queriam, sabem? Queriam um deus que lhes fizesse as vontades. Não era obra do Deus/Deusa/Tudo Quanto Existe; era da gente que dizia falar com Deus.

Depois as pessoas mudaram, e sofreram alterações, e lá surgiu uma abertura quanto à possibilidade de criar o futuro e de mudar tudo. Mas, e com é que isso mudou? Bom, Deus enviou o seu Filho Unigênito para transmitir o Novo Testamento, a nova lei. De acordo com o Novo Testamento, Jesus veio pelos vossos pecados, mas também para trazer a nova lei. E o Novo Testamento diz que essa nova lei substitui os Dez Mandamentos. Era a isso que se reduzia: para substituir esses Dez Mandamentos aqui tendes uma nova lei. Simples. Amai a Deus acima de todas as coisas, e amai os outros como vos amardes. De repente Deus tornou-se mais compassivo.

Bom, nesse caso, ao avançardes em frente, as faces – as imagens – de Deus continuam a mudar. Muitos recordar-se-ão de que nos anos sessenta corria o refrão “deus está morto”, quando as pessoas se tornaram bastante cínicas, assustadas, e revoltadas em relação ao facto do mundo não se ter tornado no “céu” que lhes tinha sido prometido pelos tecnocratas. Quando a promessa foi rompida, a promessa de que poderiam ter tudo, qualquer coisa que quisésseis, as pessoas disseram: “Deus está morto”. Outros disseram: “Jamais existiu um Deus, para início de conversa.”

Bom, vós sois, conforme dizemos, uma nação espiritual que quer ter um Deus. Alguns actualmente pretendem tornar os seus computadores no seu deus. Outros querem tornar os extraterrestres, com o tremendo conhecimento tecnológico de que dispõem, no seu Deus. Há quem crie histeria ao avistarem OVNIS, que são manifestações puras subjectivas, da energia arquetípica que reside dentro delas. Nesse caso, o qual é frequente – demasiado frequente -  os OVNIS constituem  os rostos arquetípicos subjectivos de Deus, criados à imagem da alta tecnologia de uma sociedade de alta tecnologia.

Com toda a honestidade, essa categoria de OVNIS fala mais pelo fenómeno dos “sequestros por ovnis” do que qualquer outro. Aqueles que têm a crença ou o temor de existirem extraterrestres que os vão sequestrar, e que vão inserir-lhes tubos por certas partes do seu corpo acima, e ter sexo com elas de uma maneira bizarra qualquer, estão mais do que predispostas a atrair uma manifestação consciente de um arquétipo subconsciente e subjectivo. Tais manifestações de arquétipos subjectivos podem assumir a projecção de um “deus” arbitrário ou cruel, e que possa encarar o ser humano como algum animal a ser testado – ou objecto a ser usado.

Vejam bem, vocês não fazem uma ideia real do quão incrivelmente poderoso o vosso cérebro realmente é. Dizem-vos que utilizais 10% do vosso cérebro, mas isso está errado. Vós utilizais 100% do vosso cérebro, mas só entendeis 10%. Os outros 90% ainda estão a operar e podem fazer rodar uma realidade – e por vezes uma realidade bastante negativa - que experimentais em termos igualmente reais, como tão fisicamente real quanto outra qualquer.

O vosso cérebro não constitui aquele receptor passivo que certa vez se pensou que fosse. Não é o receptor passivo que muitos querem fingir que ainda seja. O vosso cérebro constitui um investigador activo que está envolvido com o que designamos por “pensar futuro”. Muito embora possais não compreender de todo o modo como opera, esses 90 por cento do vosso cérebro podem criar e manifestar a realidade. E mesmo apesar de não o entenderdes de todo, ainda representa uma escolha consciente por a estardes a permitir, por a estares conscientemente a permitir. Só não compreendeis sempre como. Pelo menos ainda não o conseguis.

Agora, sabeis, por exemplo, que com a hipnose podeis dizer a uma pessoa, quando a tocais com um lápis, que é a ponta ardente de um cigarro aceso. Podeis tocar-lhe o braço e o local que tocardes fazer bolhas e apresentar queimadura, como se o tivésseis feito com a ponta do cigarro. Já sabeis disso. Isso já foi suficientemente e apropriadamente demonstrado. Podeis hipnotizar alguém e dizer a essa pessoa que ela corre um perigo real de vida, ou que está completamente a salvo, que ela reagirá totalmente de acordo. Ninguém sabe realmente o que ela estará a perspectivar; ninguém sabe por completo aquilo que está a experimentar. E mesmo quando recordam o que experimentaram, por vezes torna-se impossível saber.

Por isso sugerimos que o vosso cérebro é capaz de provocar esse tipo de actividade ao corpo. Por isso, sois capazes, enquanto seres humanos, de tomar arquétipos subjectivos e de os manifestar objectivamente. O imaginário holográfico pode parecer-vos uma realidade tridimensional sólida e real, quando na verdade não passa de uma aparição. É a energia arquetípica subconsciente a manifestar uma realidade consciente. Isso pode acontecer no caso de uma pessoa. “Mas eu também vi aquilo!” Também pode acontecer a muita, muita gente.

Um exemplo disso é o de uma das místicas mais poderosas do mundo, ao seu tempo, Helena Blavatsky, que conseguia teleportar-se de um aposento para outro. Nos seus diários pessoais, aquilo de que falava era da capacidade que tinha ed hipnotizar uma sala cheia de gente para a fazer crer que tinha desaparecido dali. A capacidade que tinha de hipnotizar em massa era incrível.

Há maneiras através das quais as pessoas se podem hipnotizar a elas próprias de modo a conseguirem ver o que pretendem ver ou aquilo que acreditam estar a ver. Trata-se, num certo sentido, de uma manifestação de histeria de uma energia arquetípica subjectiva numa forma consciente. Isso acontece – não sempre, é claro – mas faz parte das coisas que acontecem.

Existem muitos tipos de extraterrestres; amigáveis e não tanto amigáveis quanto isso, mestres, mas sobretudo observadores, distorções físicas do futuro que passam para o presente, e manifestações conscientes de arquétipos subjectivos subconscientes. Existem extraterrestres reais e existem extraterrestres imaginários. Seja qual for o tipo, e de uma forma indirecta, não, não precisais ter medo de ser sequestrados e de ser mal tratados a menos que haja uma parte de vós, talvez uma parte muito secreta de vós que passe a adoptar isso...

Sem comentários:

Enviar um comentário