quarta-feira, 15 de agosto de 2012

AUTOCONFIANÇA



A confiança é composta por quatro coisas. A confiança não é algo que façam, ou que a mãe diga, mas é composta de quatro componentes específicos, os quais conhecem independentemente e com os quais trabalham de forma independente.

CONFIANÇA

A confiança é um termo que se usa de forma casual. Muitas vezes as pessoas dizem-lhes: “Confia mas é em ti próprio.” Frequentemente é lançada no sentido: “Não tenho nada a dizer-te, confia em ti, isso servirá. Toda a gente precisa de uma pouco mais, não?” Mas de facto a confiança constitui um dos instrumentos mais potentes de que dispõem, uma das energias mais poderosas que têm ao dispor. Se se detiverem por um instante e considerarem o que seria a vossa vida se confiassem por completo em vós próprios, quantos receios não dispersariam, quantas horas do vosso tempo despendem com as vossas ansiedades, os vossos medos, as vossas dúvidas; quanto tempo gastam com a confiança, com questões do foro da confiança – pensem somente se confiassem por completo em vós próprios no que seria a vossa vida. Começam pela confiança mas o problema que aqui se anuncia é o seguinte: Não confiam simplesmente e ponto final. Precisam começar a dar ouvidos ao corpo, à vossa mente, aos vossos sentimentos, e à vossa intuição.

Precisamos começar por dar atenção ao corpo; à mente, aos sentimentos e à intuição. Que nos transmitirá o nosso corpo, o nosso âmago; que sensação colheremos, ou que raciocínio suscitaremos sobre um determinado problema? Considerar os prós e os contras, os sins e os nãos; que pressentiremos intuitivos terão?

Se derem ouvidos ao que o vosso corpo disser acerca desta ou daquela questão, que será que o vosso pensar dirá? E que lhes dirá a vossa intuição? Que é que pressentem intuitivamente com relação a isso? Ao reunirem esses quatro elementos, e ao levarem em consideração cada um – disso resultará uma sinergia de confiança em que as peças independentemente poderão não lhes transmitir o suficiente mas em conjunto revelar-lhes-ão a direcção dessa confiança, para que assim comecem a confiar em vós próprios, e comecem a trabalhar nisso, a praticá-lo, a desenvolver a perícia de confiarem naquele que são.

HUMILDADE

Não é subserviência nem ostentação mas a disposição de encarar cada um e cada situação de um modo completamente novo. É a vontade de deixar que o novo se apresente, esperar o novo, é permitir-se ir além da definição e da crítica e abrir-se à diferença.

A humildade será porventura melhor entendida pelo conhecimento daquilo que não é.
Quando têm uma resposta para todos os problemas; quando definem as pessoas e a quilo por que se interessam e jamais encontram algo de diferente nelas, quando encaram as situações e por terem sido da forma que sempre foram será a forma com virão a ser, isso não é humildade.

A humildade é a disposição para encarar cada um como outra pessoa completamente diferente.
Humildade é a capacidade de encarar cada situação de forma completamente renovada.

Ser capaz de dizer: “Sim, esta pessoa sempre foi um problema para mim, mas estou disposto a que seja outra coisa agora, estou disposta a permitir que esta pessoa se comporte e funcione de forma diferente; serei humilde quanto baste para que isso lhe permita que mude. Desta vez pode ser diferente. Ah, nunca tive muita sorte nisso, sempre fui azarado naquilo, mas estou disposto a deixar que se apresente de uma maneira nova, diferente.” Isso é humildade!
E confiança é coisa que envolve humildade.

ESPERANÇA

Não é fé cega, baseada em algo que não conseguirão ou poderão alguma vez ver, mas esperança no verdadeiro sentido da palavra. Não voltar-me para a infelicidade que a minha vida carrega e esperar por alguma justiça futura, ou rectificação, ou justificação, ou racionalização. A verdadeira esperança consiste em ser capaz de olhar a vossa vida e a partir dela pegar nos pedaços do quebra-cabeças que sejam capazes de criar a magia de um futuro promissor. Olhar a desgraça ou a infelicidade, olhar para a restrições ou para o desapontamento e a partir disso pegar nos pedaços que consigam oferecer uma possibilidade, que consigam prover uma probabilidade, uma base de realidade daquilo que criarão no futuro. Ser capaz de encarar a confusão e encontrar uma gema do que possa ser. Olhar aquilo que é e peneirar a possibilidade, encontrar a probabilidade com que edifiquem a realidade do que venha a ser. Isso é esperança!

CORAGEM

Coragem. Não é audácia. É a coragem de sermos quem somos e de nos aceitarmos conforme somos, a coragem de nos amarmos e a coragem de mudarmos. Não é virilidade nem machismo. Não é a disposição para colocarem a vossa vida em risco, mas coragem para serem aquele que são. Coragem para pisar fora do âmbito da realidade consensual, coragem para se motivarem a partir de vocês próprios e não a partir dos vossos pais, nem do vosso passado, da aprovação dos outros nem do benefício dos outros mas de vós próprios. A coragem de serem aquele que são; a coragem de terem amor por vós próprios da fora que são. Coragem para abraçarem aquele que são e aceitarem quem são e mudarem. A coragem de avançar em frente na vossa realidade, a qual não compreendem em pleno, a qual não conseguem garantir por completo. A coragem de alcançar o que os outros possam temer e dizer-nos para não fazermos, mas que o nosso coração e a nossa mente nos dizem para alcançar. A coragem para chegar onde os outros possam ter receio, onde os outros lhes dizem para não chegar, quando o vosso coração e mente podem dizer-lhes para chegarem. Coragem.

Esses quatro componentes que compreendem e compõem a confiança não são nenhuma trapalhada conjuntada de uma forma qualquer, mas são construídas com precisão e de forma concisa.
A confiança pode traduzir-se por uma fórmula que encaixa em termos algébricos da seguinte forma: Coragem (com C maiúscula) a dividir pela humildade (com h minúsculo) ao que acrescentam Esperança (com E maiúsculo). A seguir colocam tudo entre parêntesis. Dentro do parêntesis dispõem da Confiança a dividir pela humildade mais a Esperança, tudo dentro do parêntesis, tudo seguido de um C maiúsculo de Coragem…

Confiança
-------------   + Esperança x Coragem
humildade

A confiança intui as coisas não matematicamente mas exponencialmente. 

Traduzido por Amadeu António

Sem comentários:

Enviar um comentário