sábado, 2 de julho de 2011

AS QUATRO DECISÕES





Seth

(Dreams, Evolution & Value Fulfillment/A Seth Book)
Tradução: Amadeu Duarte

Um:
Formularei aprovação em relação a mim próprio, às minhas características, às minhas aptidões, às minhas simpatias e antipatias, às minhas tendências e aversões, com a consciência de que elas formam a individualidade que me caracteriza de forma singular, e de que me são dadas por um motivo.

Dois:
Aprovarei as minhas façanhas e realizações e alegrar-me-ei com elas e inventá-las-ei com imenso vigor – serei tão RIGOROSO com a sua recordação quanto alguma vez o fui na recordação e enumeração dos meus fracassos, das minhas falhas ou faltas na realização.

Três:
Preservarei a consciência do contexto criativo da existência em que tenho o meu ser, pelo que terei presente as possibilidades, os potenciais, os aparentes milagres e toda a alegre espontaneidade da Estrutura 2 da Consciência de modo que as portas dum viver criativo permaneçam abertas.

Quatro:
Perceberei que o futuro consiste numa probabilidade. Em termos da experiência comum, nada existe por enquanto nele. É território virgem que há-de ser semeado pelos sentimentos e pensamentos que sustento no presente, pelo que nele passarei a plantar sucessos e realizações, e fá-lo-ei com consciência de que nada poderá existir no futuro QUE EU NÃO QUEIRA VER LÁ.


Sem comentários:

Enviar um comentário